sábado, 22 de março de 2014

O Incendio de Roma, Nao Foi Loucura do Imperador Nero

 

Ao falar-se dos imperadores do Antigo Imperio que foi o Imperio Romano a primeira ideia que nos pode vir a cabeca para definir o que os mesmos procuravam pode ser riqueza, poder, fama, prestigio, etc. Tambem pode haver muita forma de definir os mesmos em varias palavras mas uma bem propria e, Loucura.

De facto foram varios os imperadores de Roma que ficaram famosos nao so pela forma como governaram nao apenas Roma mas muitas vezes o proprio Mundo mas pelos actos menos proprios que cometeram ao longo da vida. Ninguem na vida penso eu e perfeito, todo o ser humano pode cometer um erro ainda que de forma inocente que possa ser considerado de loucura mas de facto uma coisa e certa, varios foram os imperadores do grande e famoso Imperio Romano que exageraram nos actos menos proprios que cometeram ao longo da vida nao controlando a sua ira ou simplesmente saude mental.

Os imperadores romanos fizeram de tudo que se pode chamar de loucura ate o que seria mais impensavel e imaginario, desde da nomeacao de um cavalo para um alto cargo politico passando pelo assassinato de maes, pais, irmaos e esposas. Estas sao as historias de versoes narradas de geracao em geracao e algumas ficaram descritas em documentos mesmo no tempo em que se sucederam, sao versoes bizarras que, com o passar dos seculos, ganharam um estatuto de verdade absoluta. O grande problema sobretudo na actualidade e que sao loucuras dificeis de serem comprovadas pelos especialistas, afinal onde e que ja andam os pseudo loucos. O maior obstaculo que surge e a credibilidade das pessoas que fizeram tais registos historicos. Muitos dos autores que fizeram desses registos escritos eram na verdade inimigos de determinados imperadores, a quem procuraram retratar e descrever de uma maneira ridicula, exotica ou amalucada, usando, por exemplo, simples boatos como se fossem verdades. "A imagem mais negativa que temos de alguns imperadores vem do facto de que as suas historias foram redigidas, quase que exclusivamente, por autores ligados ao Senado de Roma, que sempre foi hostil ao poder dos seus soberanos. Esses julgamentos representam uma visao preconceituosa e nao uma avaliacao objectiva das accoes dos imperadores". Outro ponto que precisa de facto de ser levado em conta e que as pseudo atitudes "malucas" dos imperadores romanos poderiam nao ser consideradas assim tao loucas para aquela epoca. Vale a pena lembrar que tudo isso se passou a quase dois mil anos, quando alguns valores e costumes eram completamente diferentes do que sao hoje.

Antes de passar ao tema da cronica vou ainda apresentar uma lista dos imperadores que supostamente terao cometido as loucuras de que tanto a Historia fez falar e escrever e quais foram as suas loucuras. Em algumas dessas loucuras penso que foi o cinema que acabou por criar certos mitos e por vezes apresentou a historia em versoes diferentes daquilo que realmente foram.

Roma um Imperio governado por loucos:

Imperador - Galigula.

Epoca - 37 a 41.

Maior Loucura - Provavelmente podera ate ter sido so um boato, mas mesmo assim para todos os efeitos ficou para a historia a versao de que Galigula teria nomeado seu cavalo Incitatus como Consul, um alto cargo de oficial publico que tinha como principal funcao comandar exercitos.

Outras Loucuras - Caligula ficou famoso sobretudo pela sua suposta crueldade e actos baixos. Ele supostamente teria determinado que criminosos fossem servidos vivos como refeicao para animais e acusado de ter cometido incesto com as suas tres irmas.

Imperador - Commodus.

Epoca - 177 a 192.

Maior Loucura - Commodus tinha o costume de descer a arena para lutar como gladiador em violentos espectaculos publicos. Mas, ao contrario daquilo que acontecia nos combates comuns, o Imperador nao corria grandes riscos de maior, seus adversarios sempre o deixavam vencer e depois tinham as suas vidas poupadas.

Outras Loucuras - Alem de se achar um gladiador invencivel, Commodus acreditava ser um semideus Hercules e exigia que o tratassem como tal. (penso que nao estaria muito longe de considerar Commodus nao como um louco mas como um verdadeiro sofredor de narcisismo).

Imperador - Claudio.

Epoca - 41 a 54.

Maior Loucura - Desconfiando que a sua esposa promovia orgias com os amantes, ele teria ordenado que ela fosse executada, juntamente com 300 suspeitos de participar nas mesmas festas.

Outras Loucuras - Entre as "diversoes" de Claudio estaria o habito de assistir as sessoes onde criminosos eram torturados ate a morte. Tambem tomava decisoes por vezes folcloricas, como autorizar a livre flatulencia durante os banquetes, ou seja, liberou geral o pum (em bom portugues permitiu a livre abertura de valvulas nos banquetes).

Imperador - Nero.

Epoca - 54 a 68.

Maior Loucura - Nero jamais poderia ser acusado de nepotismo (e o termo utilizado para designar o favorecimento de parentes ou amigos proximos em detrimento de pessoas mais qualificadas, especialmente no que diz respeito a nomeacao ou elevacao de cargos) no caso de Nero, ele nao podia ser acusado de defender os parentes. Ele foi responsabilizado pela morte da sua propria mae, da sua primeira esposa e de ter mandado envenenar um meio-irmao.

Outras Loucuras - Provavelmente nao foi Nero quem provocou ou mandou provocar um incendio arrasador em Roma. Mas isso nao limpa do seu "curriculo" de outras possiveis loucuras, como o suposto habito macabro de lancar cristaos a caes ferozes e esfomeados, que os despedacavam vivos.

Imperador Caracala.

Epoca - 98 - 217.

Maior Loucura - Mal saido da adolescencia, a instabilidade mental de Caracala ja preocupava aqueles que estavam a sua volta. Em uma ocasiao, quase esfaqueou o pai pelas costas, diante de todo o exercito.

Outras Loucuras - Detestava a esposa, que condenou ao exilio e mais tarde mandou matar. Admirador fanatico de Alexandre, o Grande, passou em certo momento a se vestir e a comportar como o "idolo".

Imperador - Domiciano.

Epoca - 81 a 96.

Maior Loucura - E acusado de ter causado a morte do proprio irmao e de ter executado um primo, alem de esmagar com violencia e crueldade qualquer tentativa de rebeliao.

Outras Loucuras - Domiciano era visto como um paranoico e raivoso, o Imperador Domiciano via suspeitos de conspiracao por todos os lados, tratando-os como inimigos a serem exterminados. Implantou um duro regime de verdadeiro terror contra membros importantes do senado e exigia ser tratado como se fosse um Deus.

Imperador - Adriano.

Epoca - 117 a 138.

Maior Loucura - Grande admirador da cultura Aristoteles Cia. Adriano decidiu reconstruir a cidade sagrada dos judeus, Jerusalem, adotando para isso a escolha de um estilo grego. Esse "capricho" teria agravado a insatisfacao dos judeus, que entao iniciaram uma violenta revolta contra Roma.

Outras Loucuras - Adriano chegou a ser visto e ser chamado de "Nero bem-sucedido" pela megalomania de suas obras publicas, tinha uma certa mania das grandezas e por onde passava fazia grandes monumentos.

Imperador - Heliogabalo.

Epoca - 218 a 222.

Maior Loucura - Com um estranho comportamento para la do excentrico, esse Imperador castrou-se publicamente em nome de um culto religioso.

Outras Loucuras - Certa vez, tentou impor ao povo romano a adoracao de um Deus estrangeiro. O povo tambem acreditava que Heliogabalo nao passava de um travesti, crenca ainda mais reforcada por seu costume de indicar para altos cargos rapazes que se destacavam so pela beleza e nao pelo talento ou inteligencia.

Com isto pode-se mesmo dizer que o grande Imperio Romano foi governado por imperadores que deixavam muito a desejar a uma boa saude mental e pode-se dizer mesmo que durante geracoes e geracoes foi mesmo assim quase que sucessivamente ora vejamos.

Caligula governou Roma e o seu Imperio do ano 37 a 41. No mesmo ano sobe ao trono sucedendo o mesmo Caligula o novo Imperador Claudio que governou de 41 a 54, do inicio do reinado de Caligula ao fim do reinado de Claudio passaram-se qualquer coisa como 17 anos era de esperar que sucedesse a Claudio alguem menos demente. Nao se pode dizer que Nero o fosse mas foi ele que sucedeu a Claudio e por 14 anos de 54 a 68 com tudo isto tinham-se passado 31 anos e governado 3 imperadores que talvez fossem tudo menos pessoas sem qualquer tipo de perturbacoes mentais, talvez fosse ja um mal genetico de familia. Com o fim do imperio de Nero as loucuras de imperadores estiveram ausentes de Roma os que se seguiram se eram loucos eram de forma mais discreta e nao chamaram a atencao por isso. No entanto no ano de 81 com a morte de Tito Flavio e apos Terencio Maximo nao ser reconhecido pelo senado sobe ao trono Domiciano que governa ate ao ano de 96 que se poderia considerar tudo menos uma pessoa completamente lucida e sensata em regra geral durante varias vezes e apenas em cerca de dois seculos o grande Imperio Romano foi governado por imperadores que se destacaram nao so pelo que fizeram mas por em varios momentos terem mostrado que Roma, o imperio que era quase como a voz que comandava o mundo foi governado por homens ou seja imperadores que jamais o deveriam ter feito.

De todos sem duvida nenhum deles se destacou mais do que Nero os documentos falam por si e a historia tambem so que ao que parece e talvez muito por influencia do filme Quo Vadis muitos atribuem a Nero a culpa pelo grande incendio de Roma so que parece que nao foi bem assim como o filme demostra, ao que parece segundo historiadores Nero e acusado inocentemente quando o culpam pelo incendio de Roma.

O tao famoso grande incendio de Roma descrita em grandes obras de pintura artistica por exemplo e que inspirou tambem o proprio cinema teve o seu inicio na noite de 18 de Julho, no ano 64 D.C, afectando e atingindo 10 das 14 zonas da antiga cidade de Roma que na altura era vista como uma senao a mais importante do mundo, tres das mesmas zonas ficaram completamente destruidas ao incendio.

O fogo esse alastrou-se rapidamente pelas areas mais densamente povoadas da cidade, com as suas ruelas bastante sinuosas. O facto de a maioria dos romanos viverem em insulas, edificios altamente inflamaveis devido as estruturas em madeira de tres, quatro ou cinco andares, ajudou bastante a propagacao do famoso incendio.

Nestas condicoes, o incendio prolongou-se por seis dias seguidos ate que pudesse ser controlado. Mas por pouco tempo, ja que houve focos reacendimento que fizeram o incendio durar por mais tres dias. O antigo Templo de Jupiter Stator e tambem o lar das Virgens Vestais foram destruidos, bem como dois tercos da antiga cidade.

Existem de facto varias versoes acerca da verdadeira causa para o incendio. A versao mais contada e a de que os moradores que habitavam as construcoes de madeira, usavam do fogo para se aquecer e alimentar. E por algum acidente, o fogo se alastrou. Para piorar a situacao, ventos fortes arrastavam o fogo pela cidade.

Outra versao famosa, porem desmentida pelos historiadores, e de que o Imperador Nero teria sido ele proprio a ordenar o incendio com o proposito e intencao de reconstruir a cidade de acordo com um projecto arquitectonico que a tornaria ainda mais majestosa. Ha ainda a versao, concebida por romancistas cristaos posteros que, atribuindo ao Imperador a condicao de demente, pretende que ele provocou o incendio para unicamente inspirar-se, poeticamente, e poder produzir um poema, como fez Homero ao descrever o incendio de Troia.

Segundo algumas fontes, enquanto o fogo cosumia a cidade, Nero contemplava o cenario, tocando a sua lira. Esta cena e retratada no romance "Quo Vadis" e mais tarde exibida no filme com o mesmo nome.

Na verdade, no momento do incendio, Nero nao se encontrava sequer em Roma estava noutra cidade Antium por considerar que os Veroes em Roma eram muito quentes era ai que ele queria colocar a sua corte e, ao saber do ocorrido, retornou a Roma, esforcando-se para socorrer os desabrigados, inclusive mandando abrir os jardins do seu palacio para acolhe-los. Todavia, o facto de, posteriormente, ter usado os seus agentes para adquirir, a preco vil, terrenos nas imediacoes do seu palacio, com a provavel intencao de amplia-lo, tornou-o suspeito, junto ao povo, de ter responsabilidade no sinistro.

Para Massimo Fini, Nero teria sido caluniado, por historiadores romanos e cristaos, nesse episodio do grande incendio de Roma.

Nao se sabe exactamente o momento e as verdadeiras razoes que levaram os cristaos a serem acusados de ser os verdadeiros responsaveis pelo famoso incendio de Roma. Historiadores romanos e cristaos (como Tacito e Suetonio, cujas as obras de ambos denotam acentuada antipatia pelo Imperador Nero) sustentam no entanto que tudo se tratou de uma manobra de Nero, para desviar as suspeitas da sua pessoa a qualquer custo e ao mesmo tempo apresentar os verdadeiros culpados perante o publico fossem eles culpados realmente ou inocentes. Uma vez que a tese de "incendio criminoso" se disseminara, era necessario encontrar os verdadeiros culpados a qualquer preco ou encontrar alguem (um grupo talvez) em quem fosse conveniente deitar as culpas, e os cristaos podem ter-se tornado "bodes expiatorios" idealmente perfeitos, pelo facto de serem mal vistos em Roma. De facto, Suetonio relata que as crencas cristas eram tidas, na epoca, como "supersticao nova e malefica" enquanto Tacito, embora acusando Nero de ter injustamente acusado os Cristaos, declara-se de que culpados ou inocentes eles mereceriam as mais severas e duras punicoes porque cometiam "infamias" e eram "inimigos do genero humano". E ate bem possivel que alguns cristaos mais fanaticos, imbuidos de conceitos verdadeitamente apocalipticos, tenham proclamado, publicamente, que o incendio era nem mais nem menos do que um duro castigo divino pelos "pecados" dos romanos, e que prenunciava o novo advento de Cristo, o que teria tornado todos os cristaos ainda mais suspeitos de implicacao naquela calamidade.

Ainda nos dias de hoje a Igreja Catolica segue a tradicao de celebrar a memoria desses "Santos Protomartires" todos os anos no dia 30 de Junho. E entre os mais ilustres encontravam-se Sao Pedro que foi crucificado (ao considerar que uma morte igual a do seu Mestre era algo demasiado grande para a sua pessoa consta que foi entao decidido crucificar o mesmo com o corpo em posicao invertida, isto e de cabeca para baixo) no circo de Nero, hoje a actual Basilica de Sao Pedro, e Sao Paulo que foi decapitado na estrada de Roma para Ostia.

Penso tal como a maioria dos historiadores que estudaram o caso, Nero pode nao ter sido o verdadeiro causador do incendio. Acredito plenamente que talvez por causa da versao apresentada no cinema atraves do filme Quo Vadis leve a maioria a acreditar em tal.

Porem ao ver-se o filme ve-se uma versao muito ficticia como e popular no cinema e que a versao e um pouco diferente daquela que a historia nos narra em documentos escritos totalmente crediveis, todos sabem que o cinema muitas vezes gosta de alterar a historia e a realidade e trocada pela ficcao algo com qual eu nao concordo pois por vezes a realidade fica escondida, ocultada ou contada de uma forma diferente passando por vezes os herois a violoes e vice-versa. Nao quero estar a tirar a qualidade ao mesmo filme antes pelo contrario podera mesmo considerar-se o mesmo filme como sendo um dos melhores no cinema biblico e atencao que eu sou um verdadeiro apreciador desse tipo de filme.

No filme mostra o massacre dos cristaos logo seguido ao incendio no ano 64, pode ate ter sido assim mas mostra tambem Pompeia Sabina na presenca do Imperador Nero a assistir ao massacre dos cristaos a serem devorados por leoes. Ora tal embora nao seja dado realmente como certo parece ser na verdade um pouco impossivel visto que a mesma Imperatriz segundo alguns historiadores tera falecido no Verao do ano 63 apos ter sido pontapeada  na barriga pelo Imperador Nero durante um ataque de furia do mesmo quando ela estava gravida. Aqui permanece um pouco o beneficio da duvida ja que para a maioria dos historiadores Pompeia Sabina morreu no ano 65 um ano apos o massacre e nao tera falecido um ano antes do mesmo. Nada e certo e mesmo para os historiadores a verdade acerca do assunto apresenta muitas duvidas.

De qualquer forma logo apos o incendio e o massacre ve-se a morte de Nero ai sim tal teria sido impossivel ja que o incendio tera sido em 64 com data certa e Nero faleceu depois de suicidar-se em 68, quatro anos de diferenca portanto, ora tal seria impossivel segundo a versao do filme se na morte de Pompeia Sabina existem duvidas e incertezas quanto a data certa na morte de Nero afirma-se mesmo ter sido o dia 9 de Junho de 68 para ter sido a data certa da morte do Imperador.

No filme mostra-se Nero estrangular Pompeia antes do seu suicidio tal teria sido impossivel tal teria sido impossivel por varias razoes mas prioritariamente porque visto que tenha sido em 63 ou 65 no ano 68 Pompeia ja tinha morrido, tambem aquando o seu suicidio Nero estava a viver com Estatilia Messalina que foi a sua terceira esposa com quem Nero estava a viver apos a morte de Pompeia.

Por fim a versao da morte de Nero esta completamente diferente entre aquilo que se mostra no filme e a versao dos historiadores. No filme o mesmo e apunhalado por uma escrava que parecia adora-lo embora ele a tivesse desprezado anteriormente chamada Acte a pedido dele mesmo passando a sua morte de suicidio para homicidio. Os historiadores afirmam que apos ter fugido Nero preparou-se para se suicidar com a ajuda do seu secretario Epafrodito que o apunhalou quando um soldado romano se aproximava, numa e noutra versao a historia do suicidio perde um pouco o realismo visto poder considerar-se homicidio mesmo que esse tenha sido com o desejo da vitima.

Cabe agora a cada um acreditar na versao que preferir. Os historiadores nao escondem de forma nenhuma que Nero era um perigoso louco demente e possessivo porem mostram indicios que o incendio de Roma nao tenha sido uma loucura do mesmo. Pessoalmente apos fazer este trabalho enquanto fazia as pesquisas cada vez acreditava menos que Nero o tivesse feito no entanto os cristaos ainda menos, acredito sim que o incendio tenha tido inicio de forma acidental e involuntaria, talvez uma vela acessa em uma das casas tivesse caido, uma fogueira mal apagada tenha dado inicio ao mesmo famoso incendio e quando se aperceberam o mesmo ja se tinha alastrado bastante.

Caro(a) leitor(a) mais uma vez ao finalizar quero acresentar que foi um prazer ter feito este trabalho e costume dizer-se que quem corre por gosto nao cansa e eu gosto ainda que de forma amadora fazer estes trabalho de pesquisa de assuntos relacionados com historia embora nem todas as cronicas envolvam o tema historia a pesquisa essa e sempre existente, so tenho pena de nao ter tempo para me dedicar mais a este meu blog a este projecto que criei com intuito de apresentar os meus trabalhos amadores na area da escrita tambem, espero que este tenha sido do seu agrado.

                                                                                                               Manuel Goncalves







Sem comentários:

Enviar um comentário