domingo, 9 de março de 2014

Os Gladiadores da Roma Antiga



Como um eterno apaixonado pelos assuntos relacionados com historia sem duvida que a historia antiga e das civilizacors antigas sobretudo dos grandes imperios me atrai em demasia. O Antigo Egipto, a Grecia antiga entre outros temas mas nada se compara com a imensidao do Imperio Romano e a historia da Roma Antiga ate que o Egipto era de facto enorme, um grande imperio mas chegou a ser uma provincia romana num periodo chamado de Ptolomaico que decorreu entre 305 A.C e 30 A.C.

Roma era a voz do mundo, Roma falava e o mundo obdecia era praticamente assim que se vivia sob o comando do Imperio Romano comandado pelas forcas dos seus soldados e legionarios e sobretudo pelo seu majestoso Imperador, Roma era a capital do Imperio Romano mas pode-se quase dizer que era a capital do Mundo.

Os grandes senhores de Roma ordenavam a guerra e faziam igualmente a paz se assim o entendessem. Dentro do Imperio Romano sem duvida que a imagem do Imperador ou do Cesar desperta a curiosidade aos apaixonados pela historia antiga e pelos curiosos em estudar a civilizacao que era a antiga Roma mas outra figura que me desperta particular interesse era a dos gladiadores.

Os gladiadores eram eles que animavam os grandes senhores de Roma na a arena do coliseu romano, fortes e posantes mas nao eram senhores de si proprios ja que na maioria eram escravos. Eram muita vez a atraccao principal dos jogos que se faziam alem tambem das corridas com carros de combate puxados por cavalos em que o nome da corrida podia variar consoante o tipo de carro biga quando o carro era movido por dois cavalos e quadriga quando era movido por quatro cavalos.

O Gladiador era um lutador escravo e treinado da Roma Antiga. O nome "Gladiador" provem de uma espada curta usada por esses lutadores e escravos, o Gladius (Gladio). Eles se ennfrentavam em pares para entreter e divertir o publico, e o duelo so podia terminar de uma forma, quando um dos dois lutadores morria, ficava desarmado ou ferido sem condicoes para continuar a combater. Nesse momento do combate e que era determinado por quem presidia aos jogos, se o derrotado morria ou nao, frequentemente pela reaccao dos espectadores que assistiam ao duelo. Alguns historiadores dizem que bastava simplesmente levantar o polegar para se salvar o lutador derrotado da morte, outros dizem que era a mao fechada que deveria ser erguida.

Entretanto alguns estudos relatam que nem sempre o objectivo era a morte de um dos gladiadores, haja vista, que isso geraria onus para o Estado Romano. Argumenta-se que acima de tudo o principal objectivo da luta era divertimento do publico e o entretenimento da plateia em geral. Faziam parte da politica do "pao e circo" (panis et circencis).

Pouco comum era que um romano de alta posicao social, mas arruinado, se relacionasse como Gladiador a fim de garantir a sua propria defesa, ainda que de maneira arriscada. Ser-se proprietario de gladiadores e aluga-los para um combate na arena era actividade comercial perfeitamente legal.

As primeiras lutas conhecidas aconteceram como nao poderia deixar de ser em Roma, afinal era ali a capital do grande imperio, em 286 A.C, no inicio da Primeira Guerra Punica. Porem como desporto teve inicio apenas com os Etruscos.

Durante cerca de sete seculos, as lutas de gladiadores, entre si (ordinarii) ou contra a animais ferozes(leoes, tigres, leopardos, oncas, etc) o que era de facto menos valorizado e prestigioso para os lutadores, foram os espectaculos preferidos de eleicao pelos romanos.

O famoso coliseu de Roma, era a principal arena e palco dessas mesmas lutas, em Roma, e as suas ruinas ainda hoje se constituem numa das principais atraccoes turisticas da cidade. O majestoso e famoso coliseu de Roma na altura do grande Imperio Romano nao ficou esquecido nos dias de hoje, foi considerado uma das sete maravilhas do mundo moderno.

No ano 73 A.C, aconteceu a terceira guerra contra escravos, que teve inicio com um Gladiador, de nome Espartacos. Este liderou um grupo enorme de gladiadores e escravos, que chegou para assustar a entao intocavel, forte e poderosa Republica de Roma. A revolta so terminou somente dois anos depois em 71 A.C portanto gracas a Marcus Crassos. Depois disso os lutadores eram vistos com medo ou talvez ate com respeito nas epocas de crise, os grandes senhores de Roma sobretudo os que possuiam escravos gladiores poderiam temer uma nova revolta.

Para as lutas eram reunidos prisioneiros de guerra, escravos (devido ao tratamento mais humano e a possibilidade de alcancar a fama e por vezes ate mesmo a liberdade, ser-se um Gladiador era melhor do que ser-se um escravo comum) e ainda autores de crimes graves - mas na epoca dos imperadores Claudio I, Caligula e Nero a condenacao a arena foi estendida as menores culpas, o que veio a aumentar o interesse pelas lutas. Dois imperadores participaram de lutas, obviamente vencendo, foram eles Caligula e Comodo.

Com o novo advento do Cristianismo em Roma as lutas acabaram por ser banidas no reinado de Constantino I, no ano 325, mas embora tenham decaido, os espectaculos de gladiadores sobreviveram ainda por mais de um seculo a proibicao, sendo nesse sentido sido o Papa Santo Inocencio I que tera definitivamente conseguido a proibicao total junto do Imperador Honorio.

Os gladiadores tinham um treinamento proprio em escolas especiais conhecidas como ludus. So em Roma havia quatro escolas, sendo que a maior Ludus Magnos que era conectada com o coliseu por um tunel subterranio. No intervalo das lutas eles os gladiadores tinham um tratamento especial que envolvia grandes cuidados medicos e treinamento cuidadoso, possivelmente um bom Gladiador embora escravo podia viver rodeado de alguns luxos e tratamentos especiais tudo dependia da arte de saber lutar, sobreviver na arena e da sua forca fisica. Muitos gladiadores se tornaram conhecidos e conquistaram as multidoes do coliseu que chegaram no fim do combate a pedir a liberdade para o Gladiador pelo qual sentiam um certo apreco ou com o qual simpatizavam, diz-se que a forma de um Gladiador conquistar a multidao era dando espectaculo sobretudo nao matando logo mesmo quando fosse possivel vencer de forma rapida devia manter a calma e dar o que a multidao queria, espectaculo, divertimento e entretimento, era assim que um Gladiador conseguia conquistar as multidoes. De uma forma geral, eles nao lutavam mais do que tres vezes ao ano o que equivalia a um combate de cerca de quatro em quatro meses. Viajavam em grupos conhecidos como familias quando iam lutar em outras cidades. O treinador, conhecido como lanista (provavelmente derivado a palavra carniceiro) ia junto.

Os gladiadores embora fossem homens fortes, robustos e possantes eram, em grande parte, vegetarianos. A sua alimentacao basicamente eram feijoes e cevada. O motivo era o facto de que a carne era um alimento caro, era um luxo para a mesa dos senhores de Roma, e eles em maioria eram escravos e nao passavam disso mesmo por toda a vida.

Eram comuns nas lutas as participacoes de anoes, sendo que eles lutavam tanto entre si como tambem em duplas e equipas contra a gladiadores normais.

Haviam tambem gladiadoras mulheres, que lutavam com um seio exposto, pois usavam as mesmas vestimentas dos gladiadores homens. O Imperador Domiciano gostava de ver lutas entre anoes e mulheres.

Os lutadores pertenciam a grupos e as lutas eram organizadas de forma a que nehum grupo ficasse em desvantagem. As classes eram as seguintes: Tracios, Murmillos, Retiarios, Secutores e finalmente os Dimachaeri. Todas as classes tinham as suas particularidades que eram as seguintes.

Tracios: eram os mais fracos, como proteccao usavam no equipamento um capacete que cobria toda a cabeca e um escudo quadrado, alem de caneleiras. Atacavam com espadas curvas, as sicas.

Murmillos: eram os oponentes dos tracios e dos retiarios. Usavam um grande escudo numa mao e na outra uma espada curta. O capacete se assemelhava a um peixe.

Retiarios: empunhavam um tridente e eram os mais desprotegidos. Carregavam tambem uma rede e uma faca curta. Eram os unicos aos quais eram permitido recuar em combate.

Secutores: se assemelhavam muito com os murmillos entretanto o seu capacete era arredondado para nao se prender na rede dos retiarios que eram os seus oponentes.

Dimachaeri: nao se sabe muitos sobre estes, mas e sabido que usavam duas espadas, sabe-se tambem que eram uns dos mais bem treinados.

Ao entrar na arena ao olhar a multidao o Imperador em paricuar tinham um ritual de dizer uma frase latina Avec Caesar morituri te salutant (literalmente: Salve Cesar, saudam-te aqueles que morrerao) era uma frase tradicional latina que os gladiadores enderecavam ao Imperador antes do comeco de um combate na arena. A origem da frase e de todo imprecisa. A primeira aparicao literaria dela esta em Suetonio, De Vita Caesarum, 5 (Divus Claudio), 21, 6, embora o original de Suetonio um tanto diferente do enderecamento tradicional: "Have Imperator, morituri te salutant".

A partir do estudo de 120 esqueletos de gladiadores, mortos em combate ou executados na arena, uma equipa de pesquisadores austriacos tracaram um retrato, baseado em evidencias materiais, de como morriam os gladiadores.

O que pode parecer mais impressionante eram as formas de execucao dos Gladiadores que acabavam de ser derrotados. Aqueles que tivessem ferimentos leves, esperava de joelhos pelo julgamento da plateia, acabava por ser a vontade do publico o destino a dar-se ao galdiador derrotado e nao a vontade do Gladiador vitorioso em matar ou nao o adversario. Caso a decisao da plateia fosse a execucao, ele era morto com um colpe de espada na jugular. Se estivesse muito debilitado, era mantido de quatro na arena e recebia entao o colpe fatal nas costas, na altura do ombro. A lamina da espada penetrava entre os ossos e penetrava directamente no coracao.

As ossadas estudadas, datadas dos seculos III e IV, foram achadas na antiga cidade de Efeso, a mais movimentada da Asia Menor. na epoca, com cerca de 200 mil habitantes. Sua arena, adaptada sobre um teatro grego, podia acomodar uma plateia de 25 mil espectadores, a metade da lotacao do Coliseu de Roma. Os pesquisadores arqueologos encontraram junto as tumbas muitos desenhos e inscricoes a respeito da vida dos Gladiadores que permitiram identificar muitos dados novos para o conhecimento sobre o mesmo assunto, por exemplo, um jovem de 21 anos, que treinava para ser Gladiador desde dos 17 anos, e foi derrotado e morto na quinta vez que se apresentou na arena.

Muitas perguntas se podem fazer sobre o tema, uma delas seria, sendo a maioria dos gladiares escravos o que lhes acontecia quando ja tivessem uma certa idade que os forca-se a aposentarem-se? A resposta sinceramente nao sei mas penso que era muito raro um Gladiador chegar a essa idade, teria que andar pelas arenas cerca de 20 ou 30 anos sendo invencivel ja que de contrario podia ter por sorte a morte, mas os que la chegavam penso que voltavam a ser escravos normais ou treinadores de gladiores em escolas de galdiadores, os que chegavam a essa fase de se aposentarem recebiam na altura uma  rudis (pequena espada de madeira) mas de notar que os Gladiadores faziam em norma uns tres combates por ano ora um Gadiador que tivesse uma carreira entre os 20 e 35 anos faria entao 45 combates na carreira se em todos a morte fosse a unica saida penso que era complicado um Gadiador chegar ao fim da carreira e a aposentadoria.

O universo dos gladiares naturalmente influenciou muito o cinema. Diversos filmes foram em homenagem aos mesmos como Gladiador com Russel Crowe no principal papel ao lado tambem de Joaquin Phoenix entre outros num elenco que se pode chamar de luxo, um filme inesquecivel do ano de 2000. Tambem o filme Spartacus de 1960 e que conta com Kirk Douglas no principal papel de Spartacus e igualmente com um elenco de luxo com actores como Laurence Oliver, Peter Ustinov, Tony Curtis e a actriz Jean Simmons nos principais papeis, alguns dos maiores actores de cinema em filmes biblicos estiveram neste filme. Tambem mais uma serie de Spartacus: Blood and sand de 2010. Ate mesmo novelas foram feitas com esse tema. Muitos jogos de computador e playStation homenageiam os Gladiadores da Roma Antiga incluindo Shadow of Rome e Colosseum: Road to Freedom, para PS2 e Acclaim's Gladiator: Sword of Vengeance, e outros jogos de browser como Gladiatus. 

A titulo de curiosidade passo a publicar uma lista em forma decresente de Gladiadores que atingiram de tal forma a fama nao so nas arenas que apesar de Gladiadores alguns mesmo escravos conseguiram ficar com o seu nome guardado na Historia Universal, Historia antiga ou na Historia da Roma Antiga entendam como quiserem.

10 - Tetraites.

Tetraites foi originalmente descoberto por meio de pichacoes encontradas em Pompeia, em 1817, que ilustravam sua corajosa vitoria sobre Prudes. Lutando no estilo mirmilao, ele usava uma espada curta, um grande escudo rectangular, um capacete, protectores para os bracos e caneleiras. A extensao da fama de Tetraites so foi totalmente compreendida no final do Seculo XX , quando foram encontradas pecas de ceramica em lugares distantes como Franca e a Inglaterra, com as ilustracoes das vitorias do Gladiador.

9 e 8 - Priscus e Veros.

Nao se sabe ao certo muito sobre estes dois rivais, apesar da sua luta final ser bem documentada. A batalha entre Priscus e Veros no primeiro seculo D.C foi o primeiro combate de Gladiadores no famoso Anfiteatro Flaviano, o Coliseu de Roma . Depois de uma vigorosa batalha que se arrastou por horas, os dois Gladiadores se renderam um ao outro, ao mesmo tempo, tendo baixado as espadas em respeito mutuo e comum. A multidao extasiada pela luta, gritou em aprovacao em delirio, e o Imperador Tito foi ter com ambos e os premiou a ambos com as rudis, uma pequena espada de madeira dada aos Gladiadores no momento da sua aposentadoria. Priscus e Veros entraram na arena como Gladiadores e escravos e de onde supostamente seria certo que apenas um iria sair da mesma com vida, na altura de sairem da arena sairam ambos como homens livres que se acabavam de tornar.

7 - Spiculus.

Spiculus, outro Gladiador famoso do primeiro seculo D.C, teve uma especial relacao de proximidade com o (supostamente) maligno Imperador Nero. Apos inumeras vitorias de Spiculus, Nero concedeu-lhe palacios, escravos e riqueza para alem da imaginacao (penso que pessoalmente este Spiculus poderia ser genero de um Guarda Costas de Nero ou Chefe da sua Guarda Imperial, nao vejo outra razao para uma ligacao do genero entre um dos mais famosos imperadores de Roma e um Gladiador). Quando Nero foi deposto em 68 D.C, ele pediu aos seus assessores para entao encontrarem Spiculus, porque tendo que morrer desejava morrer nas maos do famoso Gladiador. Mas as buscas foram em vao e Spiculus acabou por nao ser encontrado, entao, Nero viu-se forcado a tirar a propria vida, como se sabe vindo a suicidar-se.

6 - Marcus Attilius.

Apesar de ser um cidadao romano de nascimento, Marcus Attilius escolheu entrar na escola de Gladiadores em uma tentativa de liquidar as pesadas dividas contraidas durante a sua vida. Na sua primeira batalha ele derrotou Hilarus, um Gladiador pertencente a Nero, que havia vencido treze vezes seguidas. Em outro combate, Attilius passou a derrotar Raecius Felix, que ganhara doze combates seguidos. Os entao feitos de Attilius foram alguns narrados em mosaicos e pichacoes descobertas em 2007.

5 - Carpophorus.

Enquanto os outros Gladiadores nesta lista sao conhecidos por seus combates corpo-a-corpo contra outros seres humanos, Carpophorus era um famoso bestiarri. Esses Gladiadores os bestiarri lutavam exclusivamente contra a animais selvagens, e, sendo assim tinham uma carreira mais curta e talvez menos gloriosa ou de menor importancia. Lutando no inicio do Anfiteatro Flaviano, Carpophorus tornou-se famoso por derrotar um urso, um leao e um leopardo na mesma batalha. Em outro combate naquele mesmo dia, ele matou um rinoceronte usando para isso uma lanca que possui-a. No total, diz-se que ele matou vinte animais selvagens em um unico dia, levando os fans e os companheiros e colegas de profissao a comparar o Gladiador Carpophorus com o nem mais nem menos que o mitologico Hercules.

4 - Crixus.

Crixus, foi um Gladiador gaules, era segundo dizem o braco direito do numero um desta lista. Ele teve um sucesso notavel na arena, mas se ressentia profundamente do seu lanista, o Lider da Escola de Gladiadores e seu "dono". Entao, depois de fugir para a liberdade, ele lutou em uma rebeliao de escravos, ajudando assim a derrotar alguns exercitos enviados pelo senado romano com uma relativa facilidade.   

Depois de uma discussao com o Lider da rebeliao, no entanto, Crixus e seus homens se separaram do grupo principal e se passaram para o sul da Italia. Essa manobra desviou a atencao das forcas militares inimigas do grupo principal, dando-lhes um tempo precioso para escapar. Infelizmente, as legioes romanas alcancaram Crixus antes mesmo que ele se pudesse finalmente vingar das pessoas que o haviam oprimido por tanto tempo.

3 - Flamma.

Flamma, era um escravo sirio, morreu ainda jovem com a idade de trinta anos, depois de ter lutado trinta e quatro vezes e ter ganho vinte e um desses combates. Nove dessas batalhas terminaram empatadas, sendo ele derrotado tambem apenas quatro vezes (por sorte sobreviveu aos combates que perdeu, nenhum dos mesmos certamente seria com o destino do derrotado morrer na arena). O mais admiravel e que tornou Flamma mais famoso e notavel e que ele foi premiado com um rudis quatro vezes. Quando a rudis era dada a um Gladiador, ele era libertado de seus grilhoes, passando a poder viver normalmente entre os cidadaos romanos como um homem livre. Mas Flamma recusou sempre a liberdade (recusou aquilo porque muitos escravos Gladiadores lutavam uma vida inteira e que poucos conseguiam obter), optando sempre por continuar a lutar na arena.

2 - Commodus.

Notoriamente interpretado por Joaquin Phoenix no filme Gladiador, Commodus foi um Imperador romano apaixonado pelos combates na arena entre Gladiadores. Um egocentrico narcisista, Commodus via-se como sendo o maior e mais importante homem do mundo. Ele acreditava mesmo ser Hercules, indo tao longe nessa mesma crenca a ponto de vestir uma pele de leopardo copiando assim a imagem do heroi mitologico. Mas na arena, Commodus lutava geralmente contra a Gladiadores que estavam armados de forma inofensiva ou seja com espadas de madeira, e abatia animais selvagens que estavam presos ou ja se encontravam feridos.

Como se pode imaginar, a maioria dos romanos nao apreciavam Commodus e nem sequer o apoiavam. Suas falsas proezas na arena eram vistas como desrespeitosas, e suas vitorias previsiveis eram tidas como sendo espectaculos enfadonhos (agora penso que o bom das lutas de Commodus era se houvesse apostas a dinheiro, mesmo que pouco apostando na vitoria do mesmo o apostador estava sempre a ganhar o dificil estava no reverso da medalha nao deveria haver quem quisesse apostar na derrota do mesmo, nao porque fosse ou parece-sse ser invencivel mas pela forma como todos sabiam que ele vencia os seus combates, era aquilo que na linguagem de alguns desportos ainda hoje em em dia se chama de "arranjos", feitos na base de combates combinados que garantiam a vitoria do Imperador e frequente nos desportos de luta ainda hoje se usar esse termo, sobretudo no boxe). Em alguns casos, ele capturava (ou seja mandava as suas tropas capturar) cidadaos romanos com dificiencias fisicas e os matava na arena. Como prova do seu narcisismo, Commodus cobrava um milhao de sestercios para cada apresentacao sua na arena. Commodus foi como ja seria de esperar assassinado no ano 192, e acredita-se que as suas accoes como um "Gladiador" encorajaram o seu circulo intimo a realizar o mesmo assassinato.

1 - Spartacus.

De longe o mais famoso Gladiador da historia, Spartacus era um Soldado Tracio que tinha sido capturado e vendido como Escravo. Lentulus Batiatus, de Capua, deve provavelmente ter reconhecido o seu potencial, porque ele comprou Spartacus nao para fazer os trabalhos de Escravo como Spartacus fizera ate entao, mas ja a pensar em torna-lo num Gladiador. Mas a independencia feroz de um guerreiro nao era facilmente domada, no ano 73 A.C, Spartacus convenceu setenta dos seus companheiros da escola de Gladiadores, entre eles o ja lembrado nesta lista Crixus, a rebelarem-se conta ao dono dos mesmos. Na revolta, Batiatus foi assassinado e os Gladiadores fugiram para as costas do vizinho Monte Vesuvio. Enquanto em transito, o grupo ia reunindo homens livres e tambem muitos outros escravos com vontade de se revoltarem e lutarem contra ao forte poder dos senhores de Roma, tornando-se assim, um grande e poderoso exercito capaz de fazer frente as legioes de soldados romanos.

Os entao Gladiadores fugidos passaram o inverno do ano 72 A.C a treinar os escravos recem-libertados, em uma preparacao para aquilo que hoje e conhecida como a Terceira Guerra Servil, com as suas fileiras chegando a abrigar ate 70 mil pessoas. Legioes inteiras foram enviadas para matar Spartacus, mas foram facilmente derrotadas devido ao espirito de luta e experiencia dos Gladiadores. Em 71 A.C Marco Licinio Crasso juntou 50 mil soldados romanos bem treinados para perseguir e derrotar as tropas de Spartacus, custa-se o que custa-se isso teria que ser feito e de seguida matar o mesmo se ele nao morresse na batalha que se adivinhava entre as tropas dos Gladiadores rebeldes e as legioes de Roma, quanto mais nao fosse era necessario faze-lo para servir de exemplo para aqueles que queriam revoltar-se contra Roma. Crassos encurralou entao Spartacus no sul da Italia, derrotando as suas forcas, e matando o ex-escravo (o corpo de Spartacus, contudo, nunca foi encontrado). Seis mil de seus seguidores foram capturados e crucificados ao longo da Via Apia, a estrada de Capua a Roma.

A imagem que passa o filme de Spartacus realizado em 1960 em que Spartacus morre crucificado segundo os historiadores acaba por parecer um pouco de imaginacao e ficcao do cinema, ja que nao ha certezas acerca do fim dado a Spartacus, que morreu durante ou apos a batalha e dado como certo agora que tenha sido como a ultima cena do filme demostra isso ja e mais dificil de ser credivel para muitos historiadores talvez porque o corpo nao foi encontrado e isso habitualmente acontecia no campo de batalha e nao a alguem que morria na cruz.

A razao pela qual coloquei a etiqueta Arqueologia nesta cronica e que pode deixar muitos leitores na duvida se o assunto envolvia mesmo a mesma materia pode parecer que nao mas eu creio que envolve a mesma materia. Muito daquilo que se sabe das Civilizacoes Antigas, Historia Antiga e da Roma Antiga se deve aos estudos e pesquisas dos arqueologos e muito do que se sabe sobre os Gladiadores romanos tambem se deve aos mesmos.

Para nao ter que estar a escrever uma cronica para dar uma outra explicacao vou faze-lo aqui mesmo. Tenho de facto escrito cronicas que tem ficado com as etiquetas de Historia, Historia Universal, Historia da Religiao, Teologia,etc que sao como se sabe areas e ramos da ciencia mas nao criei a etiqueta Ciencia, porque nao o fiz? Nao o fiz porque por exemplo as cronicas em que falei de algumas destas materias tambem envolveu outros assuntos como se pode ver no Made In Portugal em que falei da Historia de Portugal mas falei de outros assuntos como escritores, musicos portugueses, cinema e desporto portugues ora achei que ficaria mal uma cronica com a etiqueta ciencia e depois ler-se sobre desporto na cronica analise e resumo do ano 2013 seria muito semelhante pelo que preferim quando escrever de assuntos relacionados com ciencia nao usar a etiqueta Ciencia mas sim a area a que envolve o mesmo assunto como por exemplo Arqueologia, Historia, Teologia, etc. Quando de futuro escrever a biografia de algum Cientista ai sim irei usar para designar a mesma cronica as etiquetas Biografias, a ciencia a que pertence ou pertencia o homenageado e o titulo que o mesmo tinha enquanto cientista, exemplo Arqueologia - Arqueologo. assim como juntarei todos os genios da ciencia na etiqueta Cientistas mas criarei a etiqueta Ciencias somente para designar uma cronica onde o nome de uma Ciencia seja o tema da Cronica.

Espero que tenha ficado esclarecido e entendido aqui aquilo que pretendo, dou esta explicacao para tentar fazer entender o meu trabalho e a organizacao do mesmo. Quem me conhece sabe que no dia a dia sou uma pessoa que procura fazer tudo certinho, posso por exemplo raramente almocar a horas certas mas com o meu trabalho e uma organizacao totalmente diferente procuro sempre dar e fazer o meu melhor nao so com o trabalho mas inicialmente com a organizacao do mesmo. Quem me conhece sabe que ai procuro sempre dar o meu melhor.

Tambem tenho a esclarecer que a etiqueta Espectaculos e Eventos servira para acontecimentos e eventos historicos, sociais, desportivos, religiosos, culturais, etc. Todos os mesmos eventos ficaram numa so etiqueta e nao sera criado as etiquetas Eventos Historicos, Eventos Socias, etc. Em alguns casos e possivel que a mesma nao esteja presente quando o espaco de escrita nas etiquetas nao o permitir. Devido ao ja referido espaco limitado na area de etiquetas desta vez foi-me impossivel colocar Casos Insolitos.

Com esta explicacao termino esta cronica fazendo como sempre votos que a mesma tenha sido do seu inteiro agrado, abraco caro(a) leitor(a) e ate breve.
             
                                                                                                               Manuel Goncalves









  






Sem comentários:

Enviar um comentário