domingo, 27 de julho de 2014

Os Cinco Pilares do Islamismo

 

Agora que o Mundo Islamico e a Religiao Muculmana estao em Ramadao (quando iniciei esta cronica estavam a poucos dias de terminar esse periodo religioso do ano) como tenho varios amigos muculmanos devido ao meu meio e local de trabalho assim como cidade onde vivo ter uma enorme comunidade muculmana sentim curiosidade de estudar mais sobre o tema Ramadao.

Certa vez perguntei a um amigo, um desses tais muculmanos, porque razao o Ramadao nao tinha uma data fixa para se iniciar e realizar ao que ele me respondeu que, todos os anos o inicio do Ramadao tem um recuo de 10 dias, isto e se num ano de 2014 por exemplo comecou a 29 de Julho no ano de 2015 o seu inicio sera a 19 de julho. O tema do Ramadao despertou-me um interesse tal que comecei a pensar porque nao transformar esse interesse em cronica e publica-la aqui no blog e foi isso que estou a fazer. De inicio a ideia era so falar e escrever do Ramadao mesmo mas apos comecar as pesquisas comecei a pensar, porque nao tornar o tema mais completo e escrever sobre os cinco pilares do islamismo, ja que o Ramadao e um deles?

Vejo a Igreja Muculmana como uma de leis e regras mais exigentes embora muitas vezes tudo ou quase tudo fique por cumprir conheco muculmanos praticantes que bebem, fumam e que nao praticam o Ramadao, alegam ser fieis ao Islao mas nao concordar com tais leis e praticas.


Os cinco pilares do islamismo e o nome dado aos cinco principais actos exigidos do Islamismo, sendo que este termo nao e usado no islamismo xiita.

Os cincos pilares do islamismo sao:

. Professar e aceitar o credo (Chahada ou Shahada).
. Orar cinco vezes ao longo do dia (Sala, Salat ou Salah).
. Pagar davidas rituais (Zakat ou Zakah).
. Observar as obrigacoes do Ramadao (Saum ou Siyam).
. Fazer a peregrinacao a Meca (Hajj ou Haj).


A Chahada ou Shahada "Testemunho" e a profissao de fe dos muculmanos e o primeiro dos cinco pilares do islamismo (arkan al-islam) e uma declaracao que pode ser dividida em duas partes.

. Nao ha outro Deus alem de Ala ("Deus"); Maome e o mensageiro de Ala.
. Nao ha outra divindade alem de Ala; Maome e o seu Profeta.
. Nao ha outro Deus alem de Ala; Maome e servo e mensageiro de Ala.

Alguns muculmanos xiitas acrescentam Alīyun wali Allah (Ali e o delegado de Ala ou Ali e amigo de Ala).

A recitacao da Shahada com toda e maxima sinceridade e tudo quanto e necessario para que uma pessoa se possa converter e seguir o Islao. E o testemunho mais estimulado no islamismo, onde se recomenda aos muculmanos piedosos que repitam inumeras vezes durante a sua vida. E costume que um verdadeiro Muculmano a proclame durante o tashahud, ao recordar-se de Ala ("Deus"), no leito de sua morte; sao tambem as primeiras palavras que um Muculmano diz quando se levanta de manha e antes de se deitar a noite; e tambem proclamada quando se chama a oracao (adhan); entre outros.

Sao 3 requesitos para que possa ser proferida:

. A crenca de que Deus e o verdadeiro Deus, as quais todas as salat ou qualquer devocao deve ser dirigida a Ele.
. A crenca de que Deus e o Criador e Proprietario de todas as coisas existentes neste e nos outros mundos, Ele e quem os sustenta, sendo dele de onde se origina a vida e a morte, o Unico Governante e legislador.
. A crenca de que Deus possui atributos de perfeicao e que Ele nao possui imperfeicoes, tao pouco atributos humanos, como por exemplo, ser pai, mae ou filho.

A Chahada em inumeros locais dentro dos paises islamicos, tais como na bandeira da Arabia Saudita, pais onde se localizam dois locais sagrados do Islao, as cidades de Meca e de Medina, e na bandeira do Afeganistao, entre outros.


O Sala, Salat ou Salah refere-se as cinco oracoes publicas que cada Muculmano deve realizar diariamente, voltado para Meca. A cinco sala diarios. E tambem o segundo dos cinco pilares do islao (arkan al-Islam). Em outras lingias estas oracoes sao chamadas de Namaz.

Os salas devem ser efectuados em arabe, mesmo que o crente orador nao conheca a lingua, embora as suplicas (dua) possam ser feitas noutro idioma. As oracoes devem ser realizadas em momentos concretos do dia, que nao correspondem a horas, mas a etapas do curso do Sol:

. Fajr: ao alvorecer.
. Dhur (ou Zhur): ao meio-dia, depois do sol ter ja atingido o seu ponto maximo.
. Asr: entre o meio-dia e o por-do-sol.
. Maghrib: logo apos o por-do-dol.
. Isha: de noite, pelo menos uma hora e meia apos o por-do-sol e antes da hora de Fajr, (nao ha problema se passar da meia-noite).

Consistem na recitacao e leitura de um conjunto de versiculos do Alcorao, num ciclo de posicoes particulares (em pe, curvado, de joelhos, prostrado e sentado) ritual a que se chama de rakca  "(ou genuflexao)"; o numero de genuflexoes varia de acordo com a oracao do dia. Estas oracoes nao devem ser confundidas com as oracoes informais que os muculmanos podem fazer quando sentem necessidade de pedir algo ou simplesmente conversar com Deus ("Ala") no seu caso em particular.

Quando o Muculmano devoto nao faz as oracoes diarias obrigatorias dentro do devido horario, e obrigatorio a realizacao das mesmas o mais depressa possivel. Quando a oracao e realizada fora do horario vigiante ela recebe o nome de Sala Al-Qhada.

A oracao deve ser precedida tambem de um ritual de purificacao (ablucao) denominado wudu (ou wuzu), que consiste em lavar com agua as maos, as narinas, os bracos, ate a altura dos cotevelos, a face, a cabeca, as orelhas e ouvidos e os pes, de uma determinada maneira. Caso isso nao seja de todo possivel, o orador Muculmano pode rezar no ambiente em que estiver (seja na rua, no seu escritorio, etc).

Depois de ficar em estado de pureza ritual, o crente Muculmano que pretende fazer as suas oracoes orienta-se na direccao de Kaaba (cubo em arabe) em Mecca (qibla) e toma a decisao formal de rezar, recitando a intencao (niyeh):

- Tenciono rezar (nome da oracao) sendo ela propria uma obrigacao diante de Deus.

Apos dizer a niyeh, o Muculmano deve recitar a takbir ("exaltacao"), elevando os bracos para o ceu:

- Deus e grande.

De seguida, o fiel recita o primeiro capitulo do Alcorao, denominado Fatiha ("A abertura"):

"Em nome de Deus, o Clemente, o Misericordioso:"
"Louvado seja Deus, Senhor do Universo,"
"Clemente, o Misericordioso,"
"Soberano do Dia do Juizo"
"So a ti adoramos e so de ti imploramos ajuda;"
"Guia-nos a senda reta"
"A senda dos que agraciaste, nao a dos abominados, nem a dos extaviados"

O fiel diz "amin" ("amen"), seguindo-se a leitura de versiculos do Alcorao a escolha. Depois desta introducao, em pe, o Muculmano inclina-se, levando as maos aos joelhos, enquanto volta a recitar o takbir. Permanecendo nesta posicao, deve recitar tres vezes, "Subhaana rabbiy al-'azheem", que significa, "Sede exaltado, meu Senhor Altissimo". Regressando a posicao erecta o Muculmano diz "Sami'a-llaahu liman hamidah Rabbanaa wa laka-l-hamd "("Deus ouviu aquele que o lovou. Louvado sejas, Senhor nosso!)".

De seguida, o Muculmano prosterna-se, para ficar de cara com o chao, voltando novamente a recitar o takbir. De cara com o chao, volta a dizer tres vezes "Sede exaltado, meu Senhor Altissimo".


Zakat ou Zakah e um tributo religioso, impropriamente traduzido como esmola. E o terceiro dos cinco pilares do Islao. Significa literalmente. "crescer ou aumentar".

O seu pagamento e anual e obrigatorio para todos os muculmanos. De uma maneira geral incide sobre 2,5% da riqueza de cada pessoa. Cada Muculmano pode escolher de livre vontade a altura mais adequada do ano para pagar o Zakat, mas muitos optam por faze-lo no mes sagrado do Ramadao.

Segundo o Islao, toda a riqueza e oriunda de Ala. Aqueles que tiveram a sorte de beneficiar da sua riqueza devem por sua vez apoiar os membros mais desfavorecidos da comunidade muculmana (a umma). O nao pagamento do Zakat e entendido e visto como um pecado que sera julgado no Dia do Juizo Final(Yaum al-Qiyamah). Este tributo e tambem visto como uma forma de purificacao do crente.

O dinheiro obtido a partir do Zakhat habitualmente deve ser gasto com preferencia na comunidade local.

O Alcorao ou seja o livro sagrado dos muculmanos estabelece oito categorias de beneficiarios do Zakat:

. Fakir - os muculmanos pobres e os que nao conseguem arranjar trabalho.
. Miskin - os muculmanos que nao conseguem alcancar com o seu trabalho o minimo para satisfazer as suas necessidades e as da sua familia.
. Amil - os colectores do Zakat,
. Muallaf - os convertidos ao Islao e que em funcao da sua conversao possam ter perdido bens e sofrido dificuldades economicas.
. Riqab - os muculmanos que se queiram libertar do estatuto de cativo de guerra ou de escravo.
. Gharmin - os muculmanos endividados, desde que estas dividas tenham sido contraidas para satisfazer as suas necessidades basicas.
. Fisabillillah - os muculmamos que lutam pela causa do Ala, e que pode incluir a construcao de mesquitas, hospitais, escolas, o investimento em obras de divulgacao do Islao ou a defesa da comunidade muculmana de agressoes externas.
. Ibnus Sabis - os muculmanos que se encontram longe so seu lar, necessitando para a eles regressar de uma quantia em dinheiro de modo a cobrir o custo da viagem.

Estas pessoas devem ser tratadas com todo o respeito e o acto de receber o Zakat nao pode ou deve ser alvo de humilhacao.

Os muculmanos que desejarem e entenderem podem fazer outro tipo de contribuicoes para alem do Zakat. Estas contribuicoes sao chamadas de Sadaqa, podem ser em dinheiro ou ate assumir outras formas, como um gesto amigavel ou uma palavra de conforto a uma pessoa em crise. E importante que sejam feitas discretamente e sem que a pessoa seja movida apenas ou sobretudo pela vaidade.


O Ramadao ou Ramada, tambem grafado de Ramadan e o nono mes do calendario islamico. E o mes durante o qual os muculmanos praticam o seu jejum ritual, o quarto dos cinco pilares do Islao.

A palavra Ramadao encontra-se relacionada com a palavra arabe ramida, "ser ardente". possivelmente pelo facto do islao ter celebrado este jejum pela primeira vez justamente no periodo mais quente do ano. E um tempo de renovacao de fe, da pratica mais intensa da caridade, e vivencia profunda da fraternidade e dos valores da vida familiar. Neste mesmo periodo pede-se ao crente uma maior proximidade dos valores sagrados, leitura mais assidua e frequente do Alcorao, frequentar a Mesquita com maior regularidade se possivel diariamente e ate mais do que uma vez ao dia, correccao pessoal e autodominio.

E o unico mes mencionado pelo nome, por Ala, no Alcorao:

"O mes do Ramadao foi o mes em que foi revelado o Alcorao, orientacao para a humanidade e evidencia de orientacao e discernimento." -Alcorao 2:185.

E como ja foi referido o nono mes do calendario islamico. Uma vez que o calendario islamico e lunar, o Ramadao nao e celebrado todos os anos na mesma data, podendo passar por todos os meses e estacoes do ano, conforme a progressao dos anos, porem sua duracao e entre 29 e 30 dias.

O mes inicia-se com a aparicao da lua no final do mes de sha'ban (oitavo mes no calendario lunar muculmano).

O jejum e visto como algo obrigatorio a todos os muculmanos que chegam a puberdade. A primeira vez que um jovem e autorizado a jejuar pelos pais constitui um momento importante na sua vida e uma marca simbolica de entrada na vida adulta, tendo em vista o que diz no Alcorao: "... e aquele dentre vos que presenciou a Lua Nova deste mes (Ramadan), devera jejuar, e aquele que se encontrar enfermo ou em viagem, jejuara depois o mesmo numero de dias...". Alcorao Sagrado (Surat Al-Baqara - C.2, Versiculo 185).

Ha varias justificativas validas para nao se jejuar: enfermidade, gravidez, lactante, menstruacao, o idoso e uma potencial doenca incuravel. Se o Muculmano jejuante comer, beber, ou tiver relacoes sexuais durante o periodo diario do jejum, este sera justamente anulado. Caso este venha a quebrar inadequadamente seu jejum e obrigatorio ao crente jejuar durante 60 dias seguidos.

O jejum e observado durante todo o mes, da alvorada ate ao por-do-sol, o jejum tambem se aplica as relacoes sexuais. O crente deve nao so abster-se dessas praticas como tambem evitar pensar nelas e unicamente manter-se concentrado em suas oracoes e recordacoes de Deus, sendo tambem neste mes a frequencia mais assidua a mesquita. Alem das cinco oracoes diarias (Sala), durante esse mes sagrado recita-se uma oracao especial chamada Taraweek (oracao nocturna).

O jejuador deve abster-se de tudo o que vai de contra a moral ou que pelo menos assim e visto como imoral perante a sociedade, pois o jejum antes que tudo e visto como uma pratica de disciplina e da doutrina, tanto espiritual como moral. A accao nao se limita somente a abstinencia de comer ou beber mas tambem de todas as coisas negativas e derivadas da maldade, maus pensamentos ou maus actos. O jejuador deve ser indulgente se for insultado, ofendido, humilhado ou agredido por alguem, deve evitar todas as obscenidades, ser generoso, bem mais do que no outros meses e aumentar a leitura do alcorao.

Bem antes da alvorada, durante a madrugada, ha uma pequena refeicao (su-hoor) que substitui Pequeno-Almoco habitual, feita com alimentos e bebidas, com a intencao de realizar o jejum que estara por vir, porque o su-hoor e uma bencao enviada por Deus, segundo relata o Alcorao.

Ao terminar de cada dia, com o inicio de mais um crepusculo e agora obrigacao do Muculmano quebrar o jejum imediatamente, mesmo antes da oracao, suplicando a Deus Criador, segundo relato do Profeta Maome as seguintes palavras: "Se foi a sede, hidrataram-se as veias, e se alcancou a recompensa, com a permissao de Deus". O iftar e o momento para reunir os membros da familia e os seus amigos numa celebracao de fe e alegria. Apos esta refeicao, e pratica social sair com a familia para visitar amigos e familiares e reunirem-se para a pratica da oracao.

Actualmente, com a ampliacao do dialogo inter-religioso, algunas pessoas de outras religioes sao tambem elas convidadas a partilhar este momento de convivio e inclusive cada vez mais frequente que cristaos oferecam e celebrem um iftar para os seus amigos muculmanos, assim bem como muculmanos oferecam a cristaos.

celebracoes:

Laylat al Kadr:

Laylat al Kadr ("noite do decreto") e celebrado na noite do dia 26 para o 27 do Ramadao, data essa em que se comemora a noite em que o Profeta Maome alegadamente recebeu a primeira revelacao do Alcorao. Muitos muculmanos passam esta mesma noite a rezar, acreditando que os pedidos entao feitos durante estas horas serao atendidos por Deus. Esta e considerada a noite mais importante para o Islao.

Eid al Fitr:

Eid al Fitr ("o banquete do termino do jejum"), ocorre quando a lua nova e avistada no ceu, isto quer dizer que o mes de Shawwal inicia-se, dando fim ao mes do Ramadao. No primeiro dia do mes deste novo mes, ocorrem entao tres feriados de 3 dias consecutivos. Esta prescrito a distribuicao de alimentos para os mais pobres, banquetes sao servidos, presentes sao trocados, roupas novas sao vestidas e agradecimentos a Deus sao efectuados, congregando amigos e familiares. Em muitas das cidades islamicas grandes celebracoes sao realizadas para celebrar o Eid al Fitr.

Textos do Alcorao que invocam e incentivam ao Ramadao:

 2 - Al Bacara (A Vaca):

. 183 - O fieis, esta-vos prescrito o Jejum, tal como foi prescrito a vossos antepassados, para que temais a Deus.
. 184 - Jejuareis determinados dias; porem, quem de vos nao cumprir jejum, por achar-se enfermo ou em viagem, jejuara, depois, o mesmo numero de dias. Mas quem, so a custa de muito sacrificio, consegue cumpri-lo, vier a quebra-lo, redimir-se-a, alimentando necessitado; porem, quem se empenhar em fazer alem do que for obrigatorio, sera melhor. Mas, se jejuardes, sera preferivel para vos, se quereis sabe-lo.
. 185 - O mes do Ramadao foi o mes em que foi revelado o Alcorao, orientacao para a humanidade e videncia de orientacao e discernimento. Por conseguinte, quem de vos presenciar o novilunio deste mes devera jejuar; porem, quem se achar enfermo ou em viagem jejuara, depois, o mesmo numero de dias. Deus vos deseja a comodidade e nao a dificuldade, mas cumpri o numero (de dias), e glorificai a Deus por ter-vos orientado, a fim de que (lhe) agradecais.


Hajj ou Hadj e o nome arabe dado a peregrinacao realizada a cidade santa de Meca pelos muculmanos. E considerado como o quinto e ultimo dos "Cinco pilares do islamismo" (arkan), sendo obrigatoria, pelo menos uma vez na vida, para todo aquele Muculmano adulto, desde que o mesmo disponha de meios economicos e goze de saude. Cerca de dois milhoes de pessoas de todos os pontos do planeta realizam anualmente a Hajj (tendo-me sido dito por um amigo Muculmano que a cidade de Meca e interdita a nao muculmanos e facil de calcular que o mesmo numero de pessoas sao seguidores do Islao).

O Hajj so pode ser efectuado apenas uma vez por ano, entre o oitavo e o decimo dia do mes de Dhu al-Hijja, o ultimo mes do calendario islamico.

Se a peregrinacao a Meca ocorrer em uma altura diferente do ano entao a mesma sera chamada de Umra ; e considerada uma boa accao, mas nao substitui uma verdadeira Hajj. A Umra e tambem habitualmente conhecida como a "peregrinacao menor". Difere em relacao ao Hajj ao nivel dos ritos: a Umra inclui apenas os ritos realizados na Grande Mesquita de Meca.

A expressao El hajj ou El hadj pode ser colocada na frente do nome das pessoas que ja fizeram a peregrinacao.

A realizacao da mesma peregrinacao a cidade sagrada dos muculmanos e antecipada pela manifestacao do desejo de realiza-la niyya ("intencao"). Para esse mesmo efeito foram mesmo desenvolvidas formulas que proclamam essa mesma intencao. A decisao de partir em peregrinacao nao deve prejudicar ninguem, caso contrario e se assim for o Hajj nao sera considerado valido. O peregrino nao devera contrair dividas para fazer a viagem, nao deve tambem deixar qualquer tipo de dividas por pagar e nao deve deixar os membros da sua familia sem recursos ou em situacao desprotegida.

A partir do momento em que o peregrino se encontra ja a uma certa distancia da cidade de Meca, devera proceder a entrada no estado de ihram ("Sacralizacao", estado sagrado), que consiste em vestir a roupa (iharam) que o mesmo devera usar durante a celebracao dos rituais: duas pecas de tecido brancas nao cosidas e sandalias igualmente nao cosidas. Enquanto permanecer no estado de ihram nao devera cortar o cabelo, cortar as unhas, usar perfumes, matar animais, envolver-se em qualquer tipo de discussoes muito menos lutas fisicas, manter relacoes sexuais ou contrair matrimonio. O peregrino volta outra vez a proclamar a sua intencao e desejo de efectuar o Hajj.

Depois de entrar na Grande Mesquita de Meca o peregrino efectua o tawfat, que consiste em realizar sete voltas a Kaaba no sentido contrario aos ponteiros do relogio (cada uma das voltas e chamada de shawt, sete ashwat constituem o tawaf), Durante as sete voltas o Muculmano vai efectuando oracoes. As primeiras tres voltas devem ser efectuadas a um passo mais acelarado.

De seguida, o peregrino procede a pratica do sa'ee ou sa'y ("deambulacao") percorrendo um corredor entre os monticulos de Safá (Safa) e Merua (Marwa), ainda dentro da mesquita, de novo sete vezes. Este acto recorda o desespero de Agar, mulher de Abraao, quando a mesma procurava agua para o seu filho Ismael entre aqueles dois pontos. Os peregrinos podem tambem beber um pouco da agua do poco de Zamzam, que se encontra na Mesquita e que salvou Agar e seu filho.

O preregrino recita depois a talbiya, uma oracao na qual declara que faz hajj unicamente em honra de Deus.

Depois do por-do-sol os peregrinos dirigem-se para Mina, um local nas proximidades de Meca, onde acampam e passam a noite. Devem aqui tambem realizar suas oracoes. Termina neste ponto igualmente o primeiro dia do Hajj.

No dia seguinte (dia 9 do mes de Dhu al-Hijja), os peregrinos deixam Meca em direccao a Arafat, um local habitualmente referido como um monte, mas que na realidade e uma planice a cerca de 20 km de Meca. Uma vez ja chegados ao novo destino da peregrinacao, Arafat, o dia e consagrado a oracao, a leitura do Alcorao e ao pedido de perdao a Deus pelos pecados cometidos. O peregrino chegou ao ponto alto do Hajj.

Apos o por-do-sol os peregrinos dispersam, abandonando Arafat desta vez com destino a Muzdalifah. Ai em Muzdalifah fazem a oracao da noite e por la deverao passar a noite em tendas. Durante a noite recolhem-se pequenas pedras que serao usadas num ritual a realizar-se no dia seguinte. Antes mesmo do nascer do sol parte-se de novo para Mina.

Ai de novo em Mina os peregrinos atiram sete pedras contra aos tres betilos (pedras que eram adoradas como divindades nos tempos pre-islamicos). A maior delas, Jamarat al-Kubra, representa hoje Satanas. O mesmo acto tem como simbologia o desejo de se renunciar ao mal e exaltar o Deus unico. Cada peregrino deve depois sacrificar um animal (que devera ser um carneiro ou um bode). Os rituais da peregrinacao terminam com o inicio de um festival de tres dias que celebra o fim do Hajj, o Eid al-Adha ("Festa do Sacrificio"). Uma vez que e impossivel consumir toda a carne que resultou de cada um dos sacrificios, as autoridades locais desenvolveram complexos de tratameno de carnes para serem futuramente mais tarde distribuidas pelos mais pobres e necessitados. Ainda em Mina os peregrinos podem entao finalmente retirar os trajes que usaram durante os rituais da peregrinacao, a hora de partir aproxima-se.

Por ultimo, o peregrino deve efectuar um tawaf e um sa'ee finais antes de se despedir de Meca. Todo o ser humano seja homem ou mulher que efectuou o Hajj e chamado de Hajji ou Hajja respectivamente, alcancando tambem um estatuto de respeito na comunidade muculmana onde a sua pessoa se encontra vinculada e na familia.

Alguns peregrinos aproveitam a ocasiao para se deslocarem a cidade de Medina, onde se encontra o tumulo do Profeta Maome.

Caro(a) leitor(a) uma das coisas que gosto mais nestas cronicas e desenvolver o trabalho de pesquisa onde muitas vezes tambem acabo por ficar a saber coisas que ate entao desconhecia. Tenho imensos amigos muculmanos alguns tem o tal nome Hajj mas nunca me foi explicado nem eu suspeitava que habitualmente esse nome tinha a ver com a participacao na peregrinacao Hajj.

                                                    
Despeco-me com os votos que tenham gostado deste meu trabalho que sentim um verdadeiro prazer em realiza-lo quanto mais nao seja para demostrar que neste blog nao ha qualquer tipo de discriminacao religiosa e muito menos social. Nao sou de facto muito admirador nao so da Religiao muculmana mas tambem de algumas das suas leis mas procuro respeitar os ideiais religiosos de todos desde que nao critiquem os meus e os respeitem, ate a proxima.

                                                                                                            Manuel Goncalves













2 comentários:

  1. Sinceramente, gostei muito de ler e até me pode vir a ser útil no trabalho :) Parabéns, beijinho.

    ResponderEliminar
  2. Caroline fico feliz porque tenhas gostado e espero que o mesmo te seja mesmo util no teu trabalho. Gostava mesmo que estas minhas cronicas comecassem a tornar-se conhecidas para alem deste blog :) cuidado e com o plagio :).

    ResponderEliminar