terça-feira, 7 de abril de 2015

A Pascoa (Historia e Tradicoes)

 

Entre aquilo que hoje e a Pascoa e aquilo que foi vai sem duvida uma grande diferenca. Se no passado o simbolo maximo da Pascoa era o facto do seu significado religioso hoje a Pascoa tal como o Natal e algo mais comercial muito por culpa tambem do poder de compra. Na verdade com tudo isso as culturas e tradicoes antigas vao sendo alteradas ou adulteras e algumas sao mesmo esquecidas. A minha ideia ao escrever esta cronica embora saiba que no fundo e uma gota de agua no oceano e procurar trazer a ribalta o sentido tradicional da Pascoa ou seja os valores religiosos da mesma festa esquecendo qualquer um dos valores comerciais.

Nasci, fui criado e vivi vendo a Pascoa ser a epoca em que se celebrava a morte de Cristo e tambem a sua ressurreicao ao terceiro dia  tudo isso  creio que vai continuar a ser ensinado o mesmo as novas geracoes,  faz partes dos ensinamentos religiosos e esta demasiado enraizado nao so na Religiao como na propria sociedade assim com me ensinaram a tradicao de nao se comer carne na Sexta-Feira Santa.

O que nao vivi pelo menos durante a minha criacao era ver os ovos da pascoa tao associados a festividade religiosa mas as amendoas sim essas sao do meu tempo de infancia e fazem parte das lembrancas da Pascoa. O proprio Folar da Pascoa foi algo que nunca marcou presente em casa do meu padrasto e mae porem alem de nao serem muito virados para a Religiao tanto eles como restante familia nunca foi muito conservadora ao ponto de seguir as tradicoes a regra. Tambem numa memria muito viva que conservo do que era a Pascoa no meu tempo de infancia e adolescencia era o inivitavel filme biblico que passava em um dos canais de televisao. 


A Pascoa tambem chamada e conhecida por Domingo da Ressurreicao e um festival e um feriado que celebra a Ressurreicao de Jesus ocorrida tres dias depois de sua crucificacao no Calvario, conforme relata e descreve o Novo Testamento em algumas partes. E a principal celebracao do Ano Liturgico cristao e tambem a mais antiga e importante festa crista. A data da Pascoa determina todas as restantes datas das festas moveis cristas, excepto as relacionadas ao Advento. O Domingo de Pascoa marca o apice da Paixao de Cristo e que e precede a Quaresma, um periodo de quarenta dias em jejum, oracoes e penitencias.

O termo "Pascoa" deriva atraves do latim Pascha e do grego biblico Πάσχα Paskha, do hebraico פֶּסַח  (Pesah ou Pesach), referente a Pascoa Judaica.

A ultima semana da Quaresma e chamada de Semana Santa, que contem tambem o chamado Triduo Pascal, incluindo a Quinta-Feira Santa, que comemora a Ultima Ceia e a cerimonia do Lava pes que a precedeu e igualmente tambem a Sexta-Feira Santa, que relembra a crucificacao e morte de Jesus. A pascoa e seguida por um periodo de cinquenta dias conhecido e chamado pelo nome de Epoca da Pascoa que por sua vez se estende ate Domingo de Pentecostes.

A Pascoa e uma festa movel, o que significa por si que a sua data nao e fixa em relacao ao Calendario Civil. O Primeiro Concilio de Niceia (325) acabou por estabelecer a data da Pascoa como sendo no primeiro domingo depois da fase da lua cheia apos o inicio do Equinocio Vernal (a chamada lua cheia pascal). Do ponto de vista eclesiastico, o Equinocio Vernal acontece em 21 de Marco (embora ocorra no dia 20 de Marco na maioria dos anos do ponto de vista astronomico) e a "Lua Cheia" nao ocorre necessariamente na data correcta no sentido astronomico. Pela mesma razao, a data da Pascoa varia entre 22 de Marco e 25 de Abril (inclusive). Os Cristaos Orientais, baseiam os seus calculos no Calendario Juliano, cujo a data de 21 de Marco corresponde, no Seculo XXI, ao dia 3 de Abril no Calendario Gregoriano utilizado no Ocidente. Assim mesmo por conseguinte, a Pascoa no Oriente varia entre 4 de Abril e 8 de Maio (inclusive).

A Pascoa Crista esta ligada a Pascoa Judaica nao so pela data e tambem por muitos dos seus simbolismos centrais. Ao contrario do ingles, que tem duas palavras distintas para as duas festas (Easter e Passover respectivamente), em portugues e igualmente em muitas outras linguas as duas sao chamadas pelo mesmo nome ou nomes muito similares. Os costumes pascais variam bastante entre os cristaos do mundo inteiro e incluem missas matinais, a troca do Cumprimento Pascal e de ovos de Pascoa, que eram, de inicio originarias, um simbolo de um tumulo vazio. Muitos outros costumes passaram a ser associados a Pascoa e sao igualmente observados por cristaos e nao-cristaos, como a caca aos ovos, o Coelho da Pascoa e a Parada da Pascoa. Ha tambem uma grande quantidade de pratos tipicos ligados a Pascoa e que variam de regiao para regiao onde o bacalhau e rei e senhor da mesa e as carnes sao uma minoria ou completa ausencia na mesa dos cristaos mais conservadores as tradicoes.


Nas linguas com idiomas de origem gregas e latinas, o nome utilizado para se dar a Pascoa e derivado do grego Πάσχα (Pascha), um termo que veio a derivar, atraves do aramaico, do hebraico פֶּסַח (Pesach ou Pesaḥ), um termo que era originalmente utilizado para designar um Festival Judaico comemorando o Exodo e conhecido em portugues como Pascoa Judaica. Ja nos primeiros anos da Decada de 50 do Seculo I, Paulo, escrevendo de Efeso aos cristaos de Corinto utilizou o mesmo termo para fazer referencia a Cristo e no entanto improvavel que os efesios e corintios tenham tido a honra de ser os primeiros a ouvir o Exodo 12 interpretando como uma referencia a morte de Jesus Cristo e nao a um ritual de passagem judaico. Quando todos os paises falantes de linguas nao-inglesas utilizam nomes derivados de Pascha para a festa.

O termo em ingles e Easter, cognato com o alemao moderno Ostern, que por sua vez e derivado do ingles antigo Ēastre ou Ēostre. A teoria geralmente aceite  defende que ele era originalmente o nome de uma Deusa Anglo-Saxonica, Eostre, uma forma do termo Indo-Europeu encontrado em muitos lugares para a Deusa do Amanhecer.

O Novo Testamento ensina que a ressurreicao de Jesus, celebra a Pascoa, e o fundamento da fe crista. A ressurreicao estabeleceu Jesus Cristo como sendo  filho de Deus e tambem citado como prova de que Deus ira julgar o mundo com justica. Deus <<regenerou os cristaos para uma viva esperanca pela ressurreicao de Jesus Cristro dentre os mortos>> (I Pedro 1: 3). Estes pela fe na obra de Deus, sao espiritualmente ressuscitados com Jesus para que possam seguir para uma nova vida eterna.

A Pascoa esta ligada a Pascoa Judaica e ao Exodo, como esta relatado no Antigo Testamento, atraves da Ultima Ceia e a propria crucificacao que precederam a ressurreicao. Porem de acordo com o Novo Testamento, Jesus deu a refeicao pascal um novo significado, pois ele preparava a si e a seus discipulos para a morte quando durante a ceia no Cenaculo (local onde os cristaos acreditam ter ocorrido a Ultima ceia). Ele identificou o pao (Matzah judaico) e o vinho como sendo seu corpo, que logo seria sacrificado, e seu sangue que seria derramado. Diz Paulo "purificai o velho fermento, para que sejais uma nova massa, assim como sois sem fermento. Pois na verdade, Cristo, que e nossa Pascoa, foi imolado". Fazendo igualmente referencia aos requesitos judaicos de que nao haja fermento na casa e do sacrificio do Cordeiro Pascal (Korban), alegoricamente identificado como Jesus Cristo.

Uma interpretacao do Evangelho de Joao, e que Jesus como Cordeiro Pascal, foi crucificado, em dor e sofrimento, no mesmo horario que os cordeiros estavam sendo sacrificados no Templo. A tarde de 14 Nisan. As instrucoes na propria Biblia especificam que ele deve ser imolado <<a tardinha>> (Exodo 12: 6), ou seja, no Crepusculo. Em pleno periodo romano, porem, os sacrificios eram realizados no meio da tarde.

Esta mesma interpretacao, porem, inconsistente com a cronologia nos evangelhos sinoticos. Ele assume o texto de Joao 19: 14 ("Era a Parasceve e cerca de a hora sexta"), literalmente traduzido, e obrigatoriamente uma referencia ao 14 de Nisan (o dia de preparacao para a Pascoa Judaica) e nao ao Yom Shishi (a sexta-feira seguinte, dia de preparacao para o saba da semana do Festival da Pascoa Judaica) e que o desejo dos sacerdotes era de estarem puros para <<... poderem comer a Pascoa>> (Joao 18: 28) era uma referencia obrigatoria a refeicao do Cordeiro de Pascoa e nao as demais feitas durante as oferendas publicas do Festival da Pascoa (igualmente chamado tambem de Festival do Pao sem Fermento), como comanda Levitico 23: 8.


Os primeiros Cristaos, judeo-cristaos e gentios, certamente conheciam o Calendario Hebraico e nao existem evidencias directas de que eles celebrassem nenhum tipo especifico de festival anual cristao. A Pascoa era provavelmente um aspecto da Pascoa Judaica na qual os judeo-cristaos, os primeiros a comemorarem-na, celebravam a ressurreicao de Jesus.

Evidencias directas comecam a aparecer na metade do Seculo II. Talvez a mais antiga fonte primaria sobrevivente a fazer referencia a Pascoa seja uma homilia pascal do meio do Seculo II atribuida a Melito de Sardis, que apresenta o evento como uma festa ja consolidada (e nao uma "novidade"). Evidencias de outro tipo de festival anual cristao, a comemoracao dos martires, comecam a aparecer mais ou menos na mesma epoca.

Enquanto os dias reservados aos martires (em geral as datas dos seus respectivos martirios), eram celebrados em datas fixas utilizando o Calendario Solar local, a data da Pascoa era determinada atraves do Calendario Lunissolar Judaico, o que e consistente com o facto de Festa da Pascoa ter sido incorporada ao cristianismo durante os seus primeiros anos, o chamado Periodo Judaico, mas mesmo assim a questao nao esta livre de levantar polemicas e controversias.

O Historiador Eclesiastico Socrates Escolastico atribuiu a observancia da Pascoa pela Igreja a perpetuacao de seu costume, "da mesma forma que outros costumes foram criados", afirmando que nem Jesus nem os seus apostolos tinham o desejo de manter este ou qualquer outro festival. Embora ele descreva em detalhes a celebracao da Pascoa como sendo derivada de costumes locais, ele insiste, por outro lado, que de facto a festa era universalmente observada.

No cristianismo ocidental, a Pascoa e precedida pela Quaresma, um periodo preparatorio de jejuns e penitencias que comecam na Quarta-Feira de Cinzas e dura quarenta dias (sem contar os domingos). A semana antes da Pascoa, conhecida como Semana Santa, e muito especial na tradicao crista. O domingo anterior e o Domingo de Ramos. Os tres dias antes da Pascoa, conhecidos como Triduo Pascal, sao a Quinta e a Sexta-Feira Santa mais o Sabado de Aleluia.

Muitas igrejas comecam a celebrar a Pascoa no final da noite do Sabado de Aleluia na chamada Vigilia Pascal. Em alguns paises, a Pascoa dura dois dias, com a adicao da chamada "Segunda-Feira de Pascoa".

A semana comecando com o Domingo de Pascoa e chamada de Semana de Pascoa (ou Oitava da Pascoa) e cada dia e sucedido pelo sufixo "Pascal" (ou da "Pascoa"). O Sabado de Pascoa e, portanto, o sabado depois do Domingo de Pascoa (e nao o Sabado de Aleluia, antes dele). A epoca da Pascoa comeca no domingo e vai ate o Domingo de Pentecostes, sete semanas depois.

No cristianismo oriental, a preparacao espiritual para a Pascoa comeca com a Grande Quaresma, que comeca na Segunda-Feira Limpa e dura quarenta dias seguidos (desta vez com domingos incluidos). A ultima semana da grande da Grande Quaresma (depois do quinto domingo da Grande Quaresma) e chamada de Semana de Ramos e termina com a semana de Lazaro. As vesperas deste dia encerram oficialmente a Grande Quaresma, embora o jejum continue ainda na semana seguinte. Depois vem o Domingo de Ramos, a Semana Santa e, finalmente, a Pascoa. O periodo de jejuns se encerra imediatamente depois da Divina Liturgia da Pascoa.

A Vigilia Pascal comeca com o Servico da Meia-Noite, que e o ultimo do Triodion da Quaresma e sincronizado para acabar pouco antes da meia-noite do Sabado de Aleluia. Quando o relogio marca meia-noite, a celebracao da Pascoa tem o seu inicio, que abrange as matinas pascais, as horas pascais e a Divina Liturgia Pascal. Este sincronismo garante que a Liturgia da Pascoa ocorrera mais cedo que qualquer outra Liturgia Matinal no Ano Liturgico, garantindo sempre assim a sua preeminencia entre as Festas das Festas.

A epoca liturgica que vai da Pascoa ate ao Domingo de Todos os Santos (o domingo depois do Pentecostes) e conhecido como Pentecostarion (os "cinquenta dias"). A semana comeca no Domingo de Pascoa e chamada de Semana Brilhante, durante a qual nao se jejua (mesmo as quartas e sextas-feiras).


O Festival da Pascoa e observado de diferentes formas entre os cristaos ocidentais. A observancia liturgica tradicional, praticada tanto como catolicos, luteranos e tal como por alguns anglicanos, comeca no Sabado de Aleluia com a Vigilia Pascal. Esta, considerada a mais importante liturgia do ano, o seu comeco tem inicio numa escuridao total com o fogo pascal e o acendimento do Cirio Pascal (Simbolo do Cristo ressuscitado) e o canto do Exultet, uma proclamacao de Pascoa atribuida a Santo Ambrosio.

Depois deste primeiro servico de luz, seguem-se diversas leituras do Antigo Testamento. Elas contam as historias da criacao, o Sacrificio de Isaac, a travessia do Mar Vermelho e profecia da vinda do Messias. Esta parte do servico liturgico culmina com o cantico do Gloria, do Alleluia e finalmente com a proclamacao do "boa nova" (evangelion) da ressurreicao. Neste ponto, as luzes sao novamente acessas e os sinos bradam (de acordo com os costumes locais).

O foco entao se volta do Pulpito para a Pia Baptismal. Nos tempos antigos, a Pascoa era considerada o periodo ideal para que os novos convertidos recebessem o baptismo e esta pratica continua ainda hoje entre os catolicos romanos e na Comunhao Anglicana. Havendo ou nao baptismos neste mesmo momento, e tradicional que a congregacao renove seus votos baptismais, um acto que e geralmente selado com o aspergimento da Agua Benta da fonte . O Sacramento da Confirmacao e tambem celebrado durante a Vigilia.

A Vigilia da Pascoa termina com a Eucaristia (conhecida tambem como "Comunhao" em algumas tradicoes).

Algumas igrejas preferem realizar a vigilia bem cedo no domingo em vez de na noite de sabado para reflectir o relato evangelico das mulheres chegando ao tumulo na manha do primeiro dia da semana (o domingo). Estes servicos, conhecidos como "Servicos do Amanhecer", geralmente ocorrem ao ar livre (o cemiterio, jardim ou estacionamento da Igreja em geral). O primeiro deles ocorreu mesmo em 1732 entre os irmaos singulares da Igreja Moravia em Herrnhut, Saxonia. O costume foi depois exportado por missionarios para diversas cidades do mundo.

Outras celebracoes ocorrem tambem no proprio Domingo de Pascoa. Tipicamente, estes servicos seguem no fundo a ordem de um domingo normal de cada congregacao, incorporando elementos mais festivos. A musica, em particular, geralmente e mais alegre; a incorporacao dos metais na orquestra com intencao e objectivo de incrementar os instrumentos habituais dos musicos da congregacao e bastante comum. Alem disso, e bastante comum que toda a Igreja seja decorada com faixas e flores.


Para os cristaos orientais, todas as restantes festas do calendario sao de uma importancia secundaria em relacao a Pascoa, inclusivamente mesmo o Natal, o que se reflete na rica gama de costumes pascais na cultura de paises de maioria tradicionalmente Ortodoxa. Os catolicos orientais tambem enfatizam a Pascoa em seu calendario e tem costumes e tradicoes muito similares.

Isto nao quer de todo jamais dizer que os elementos do Ano Liturgico Cristao sejam alguma vez ignorados, mas que, ao inves disso, eles sao vistos nao apenas como sendo preliminares mas tambem igualmente como sendo iluminados pelo climax da ressurreicao, um evento que realiza e frutifica tudo o que veio antes. A Pascoa e o acto primario que completa o objectivo do Ministerio de Jesus na terra - derrotar a morte com a morte e exaltar e purificar a humanidade assumindo voluntariamente suas fragilidades e depois superando-as . Este credo e resumido pelo Troparion Pascal, cantado repetidamente durante a Pascoa ate a Apodosis da Pascoa, que e a Vespera do dia da Ascensao.

A preparacao para a Pascoa comeca com a Grande Quaresma. Alem dos jejuns, da distribuicao de esmolas e da oracao, os cristaos ortodoxos se privam de toda a forma de entretenimento e actividades mundanas nao essenciais, gradualmente eliminado-as ate a Grande e Sexta-Feira Santa, o mais austero dia de todo o ano. Tradicionalmente, na noite do Grande e Santo Sabado celebra-se o Oficio da Meia-Noite (Vigilia Pascal).

Quando o mesmo termina, todas as luzes da Igreja sao apagadas e todos os fieis presentes esperam entao no escuro e em silencio a chegada da meia-noite. Entao, uma nova chama e acessa no altar (ou o Sacerdote acende a sua vela a partir da Lampada Perpetua que fica la acessa) e acende as velas acessas pelos diagonos e outros assistentes, que entao passam a acender as velas trazidas pelos fieis (uma pratica que teve entao origem no antigo ritual do recebimento do chamado Fogo Sagrado, na Igreja do Santo Sepulcro em Jerusalem). Entao, o Padre e a congregacao seguem em procissao com a cruz circulando (pelo lado de fora) a Igreja, segurando as velas e cantando. Ela tem por objectivo simbolizar o trajecto das portadoras de mirra ao tumulo de Jesus <<muito cedo>> (Lucas 24: 1). Depois de rodear o Templo de uma a tres vezes, a procissao para em frente as portas fechadas. Na tradicao grega, o Padre faz uma leitura dos evangelhos (Marcos 16: 1-8). Nas demais tradicoes e mesmo depois da leitura na grega, ele faz o Sinal da Cruz com o Tiribulo ali (as portas fechadas simbolizam o tumulo ainda fechado).

Ele e os fieis cantam o Troparion Pascal e todos os sinos do Templo e a semantra tocam. Todos entram no edificio e as matinas pascais comecam imediatamente, seguidas pelas horas pascais, culminando depois na Divina Liturgia da Pascoa. O ponto alto da mesma liturgia e a Homilia Pascal de Sao Joao Crisostomo, que a congregacao escuta de pe.

Logo depois da dispensa, o Padre geralmente abencoa cestos e ovos de Pascoa trazidos pelos fieis e que geralmente contem alimentos que eles nao podiam comer durante o jejum da Grande Quaresma. Logo depois da liturgia, e tradicional em algumas regioes que a congregacao faca uma refeicao colectiva, essencialmente uma forma  de Agape, apesar de ocorrer as duas da manha ou por vezes ainda mais tarde.

Na manha seguinte, Domingo de Pascoa, nao ha Divina Liturgia, uma vez porque a mesma foi celebrada durante a madrugada. Ao inves disso, a tarde, e geralmente costume celebrar-se um "Agape Vespertino". Neste servico, vem se tornando tradicional nos ultimos seculos que o Padre e alguns membros da congregacao leiam parte do Evangelho de Joao (Joao 20: 19-25 e em alguns lugares, tambem Joao 20: 26-31) no maior numero de linguas que os fieis conseguirem, um simbolo da universalidade da ressurreicao.

Durante o resto da mesma semana, conhecida como "Semana Brilhante", e proibido jejuar e o habitual Cumprimento Pascal e "Cristo ressuscitou!" para o qual a resposta e "Verdadeiramente Ele Ressuscitou!". Os servicos liturgicos nesta semana sao identicos aos da Pascoa, execto que ocorrem dentro das horas normais e nao a meia-noite. As procissoes ocorrem ou depois das matinas ou depois das Divina Liturgia.


Juntamente com as comemoracoes do Natal e do Advento, muitas das mais antigas tradicoes pascais sofreram algumas alteracoes ou ate mesmo de todo abandonadas por completo pelas diversas denominacoes surgidas no decorrer da Reforma Protestante, geralmente so o argumento e pretexto de serem "pagas" ou "papistas" (e, portanto, maculadas), por muitos movimentos puritanos. Porem algumas das igrejas e igualmente movimentos da Reforma (luteranos, metodistas e anglicanos, por exemplo) acabaram por preferir manter grande parte das observancias do ja estabelecido Ano Liturgico e juntamente diversas tradicoes associadas. Nas igrejas luteranas, por exemplo, nao sao apenas as datas da Semana Santa que sao observadas, mas tambem o Natal, a Pascoa e o Pentecostes sao comemorados com festivais de tres dias (o proprio dia e os dois seguintes).

Entre muitas outras tradicoes reformistas e contra-reformistas, porem, a situacao foi bastante diferente, resultando que anabatistas,  quacres e puritanos congregacionistas e presbiterianos passaram a considerar estes mesmos festivais como uma abominacao. A rejeicao puritana das tradicoes pascais esta fundamentada parcialmente na interpretacao de II Corintios: 14-16 e tambem igualmente parcialmente na crenca de que uma pratica ou festa religiosa nao esta directamente na Biblia entao ela deve ser um desenvolvimento posterior e nao deve ser de todo considerada parte da pratica crista autentica, sendo entao desnecessaria no minimo e pecadora no limite.

Alguns grupos cristaos rejeitam a celebracao da Pascoa por causa de suas raizes pagas (reais ou percebidas) e ligacoes historicas com as praticas e autorizacoes derivadas da Igreja Catolica "Romana". Finalmente, varios grupos cristaos nao-conformistas que ainda celebram o evento preferem chama-lo pelo "Dia da Ressurreicao" (ou "Domingo da Ressurreicao") pelos mesmos motivos e tambem como forma de rejeitar os aspectos seculares e comerciais que o feriado adquiriu nos seculos XX e XXI (tal como eu apontei n inicio quando escrevi que a Pascoa se estava a tornar mais uma boa temporada para o comercio do que propriamente um Evento Religioso tal como esta o Natal a ja bem mais tempo).

As Testemunhas de Jeova defendem um ponto de vista similar, realizando um servico anual comemorando a Ultima Ceia e a subsequente execucao de Cristo na noite do 14 de Nisan (Quartodecimanismo). As Testemunhas de Jeova acreditam igualmente que versiculos como Lucas 22: 19-20 e I Corintios 11:26 sao mandamentos para que se relembre a morte de Cristo e nao a sua ressurreicao, o que eles de facto realmente fazem em forma de tradicao religiosa anual.

Os quacres, como parte do seu historico "testemunho contra  tempo e as epocas", nao celebram a Pascoa e nem nenhum outro Feriado Cristao, acreditando ao inves que "todos os dias sao dias do Senhor". Mais do que isso, eles acreditam que a elevacao de um dia acima dos outros sugere que as atitudes nao-cristas sejam aceitaveis nos demais dias. Nos seculos XVII e XVIII, eles foram perseguidos justamente por essas mesmas razoes e formas de pensar.

Alguns grupos cristaos acreditam que a Pascoa seja um evento a ser comemorado com grande alegria, mas dando menos enfase ao dia propriamente dito, mas a lembranca de alegria no evento que nela comemora. Neste contexto, estes movimentos ensinam que todos os dias e todos os sabas devem ser santificados de acordo com os mesmos ensinamentos dados e deixados por Jesus Cristo. Judeo-cristaos, membros do Nome Sagrado e armstrongistas (como a Igreja Viva de Deus) por norma geralmente rejeitam a Pascoa em prol da observancia do 14 de Nisan e a celebracao da chamada  Pessach Crista. Isto e especialmente verdadeiro para grupos que celebram a lua nova ou os altos sabas anuais alem do Saba no setimo dia. Eles defendem estes costumes textualmente fazendo uma referencia ao trecho <<Ninguem, portanto, vos julgue pelo comer, nem pelo beber, nem a respeito de um dia de festa, ou de lua nova ou de sabado, aos quais coisas sao sombra das vindouras, mas o corpo e de Cristo.>> (Colossenses 2: 16-17) de Colossenses.


Em paises onde o cristianismo e uma Religiao estatal ou ate onde nos quais ha uma grande populacao crista, a Pascoa geralmente e um Feriado Nacional. Como ela calha sempre num domingo, muitos paises tambem fazem da segunda-feira seguinte igualmente um feriado. Algumas lojas, centros comerciais, supermercados, restaurantes tambem encerram as portas neste dia. A Sexta-Feira Santa, que ocorre dois dias antes do Domingo de Pascoa, e tambem um feriado em muiutos paises. E tambem feriado em doze estados norte-americanos e, naqueles onde nao e, muitas instituicoes financeiras, as bolsas de valores e as escolas publicam fecham. Entre os bancos que habitualmente abrem aos domingos funcionam na Pascoa. A data e comemorada em muitos lugares com paradas e procissoes, sendo a Parada de Nova Iorque a mais conhecida.

Na Escadinavia, a Sexta-Feira Santa, o Domingo e a Segunda de Pascoa sao feriados, e os dois primeiros sao tambem feriados bancarios. Para a maior parte do comercio, sao dias de folga tambem, execcoes feita apenas para os centro comerciais, que geralmente abrem mas apenas por meio periodo. Muitos empresarios dao aos funcionarios quase uma semana de folga, a chamada "Folga da Pascoa".

Na comunidade das nacoes (Paises que formam o Commonwealth) a Pascoa raramente e considerada um feriado (este ano foi coisa que nao estava a espera aqui em Inglaterra onde me encontro. Curiosamente Sexta-feira Santa tudo aberto no sabado igualmente e o facto so se notou no domingo com tudo fechado). No Reino Unido, tanto a sexta-feira quanto a segunda-feira sao feriados bancarios. Contudo, no Canada, o Domingo de Pascoa e feriado, assim como tambem a segunda-feira seguinte. Na Provincia do Quebec, tanto a sexta como a segunda sao feriados facultativos, mas a maior parte das empresas concede os dois dias aos seus funcionarios.


Os Ovos de Pascoa sao ovos especialmente decorados e trocados como presentes para celebrar o feriado da Pascoa. A tradicao mais antiga consiste em utilizar ovos de galinha tingidos e depois pintados, mas o costume moderno consiste em trocar ovos de chocolate.

O Coelho da Pascoa e um popular personagem lendario de caracteristicas Antropomorficas que distribui presente analogo ao Pai Natal em muitas culturas. Nos Estados Unidos, o Presidente realiza uma caca aos ovos nos jardins da Casa Branca para as criancas pequenas.


Caro(a) leitor(a) esta cronica foi apresentada com alguns dias de atraso mas so recentemente e muito proximo da epoca da Pascoa me surgiu a ideia de a apresentar, peco desculpa pelos poucos dias de atraso considero que foram 5 dias ja que o ideal teria sido apresentar a mesma na Sexta-Feira Santa no entanto o atraso nao se deve so a razao ja apresentada mas tambem porque tenho alguns problemas pessoais graves pendentes por resolver e tambem porque foi uma epoca de muito trabalho e escrever neste blog e o meu maior passatempo, divertimento e paixao mas nao e o que me alimenta e faz ganhar dinheiro para pagar as despesas habituais que cada um de nos tem.

Deu-me um prazer em particular escrever esta cronica por ficar a saber que existem grupos religiosos que consideram a Pascoa mais importante que o Natal, o que discordo. Embora o Natal seja ainda mais comercial que a Pascoa (infelizmente e a verdade) considerar a Pascoa mais importante e dar mais importancia a morte de Cristo que ao seu nascimento porem isso ja esta na opniao de cada um talvez seja o que veio depois da morte ou seja a ressurreicao que fez mudar a opniao de algumas pessoas ou grupos religiosos e dar mais valor a Pascoa que ao Natal a ressurreicao foi finalmente o passo para muitos acreditarem na altura naquilo em que duvidavam e que comecou logo apos a morte de Cristo na cruz.

Tambem pela Pascoa ser um Festival Religioso de varias religioes e igrejas optei por nao mencionar nehuma Igreja na lista de etiquetas a falta de espaco que como ja disse e limitado e a possibilidade de me esquecer de alguma levou-me a tomar a decisao que achei mais acertada assim como Historia Universal e Universal.

Caro(a) leitor(a) nao importando com religioes, com a forma como se celebra a Pascoa as culturas e tradicoes que se seguem para si em particular deixo esta cronica, ate breve.

                                                                                                                  Manuel Goncalves




















Sem comentários:

Enviar um comentário