domingo, 9 de agosto de 2015

Kalungas e Escravas, Dura Realidade Brasileira no Seculo XXI

 

Pode parecer mentira mas e uma realidade encoberta de uma dura, nua e crua realidade, existe a escravidao no Brasil em pleno Seculo XXI e nao estou a falar daquela escravidao que tao bem conhecemos a escravidao sexual ou escravidao infantil falo de escravidao humana igual aquela que era praticada em varias partes do mundo com escravos que vinham do continente africano em caravelas e naus e que eram depois vendidos. Nesta cronica falo do Brasil em particular mas o mesm problema existe em muitos outros paises, em muitos outros lugares remotos extremamente pobres. A Escravidao Humana em pleno Seculo XXI e uma realidade, uma dura realidade.

Por vezes muito daquilo que nos ensinam na escola embora se afirme ser pratico nao passa de teoria pelo que vejo e pesquisei embora adore estudar Historia Universal quando se ensina que a escravatura no Brasil foi abolida com a assinatura da Lei Aurea, em 13 de Maio de 1888, pela Princesa Isabel, entao regente do Imperio, em nome de seu pai, o Imperador Dom Pedro II e uma realidade mas uma realidade que nem sempre chega aos termos praticos nao passando de teoria. Prefiro antes acreditar que a escravatura no Brasil a partir de 13 de Maio de 1888 foi abolida deixando de ser livre e passando a ser um acto proibido e ilegal que ainda hoje mais de 127 anos depois e uma realidade escondida seja escravidao sexual, escravidao humana ou escravidao infantil.

E uma realidade comprovada, o trabalho compulsorio e o trafico de pessoas permanecem existindo actualmente no Brasil constituindo a chamada escravidao moderna, que difere substancialmente da anterior.


O video acima e uma reportagem e um documentario de descendentes de antigos escravos que nos dias de hoje vivem para onde os mesmos escravos fugiram do duro trabalho das minas e para recuperar a liberdade que lhes havia sido roubada. Os kalungas nao sao propriamente escravos humanos mas vivem como os seus antepassados "verdadeiros" escravos viviam. No entanto livres da escravidao humana certas vezes nao se livram da escravidao sexual e escravidao domestica os depoimento do video de algumas meninas assim o demostra, nao digo comprova porque nos dias de hoje apenas a palavra nao chega para provar seja o que for, infelizmente por vezes so a palavra nao prova nada mas pode incriminar.

Aparentemente as meninas kalungas quase que se podem considerar escravas da propria familia em que se afirmam que sabem fazer tudo dentro de casa. Uma dura realidade ja que acabam por ter uma infancia roubada nao brincando e se divertindo como outras criancas e algumas ainda sao vitimas de abusos sexuais por varios anos os casos de Raissa, Soraia, Stela, Camila, Dalila relatados no video  e de outras criancas nao sao casos isolados e sao retratos de escravidao pelo menos escravidao sexual e por vezes escravidao domestica.

Raissa e o primeiro caso do video e o retrato tipico de uma menina Kalunga como tantas outras inocente, timida e desconfiada que tenta completar os estudos como pode as condicoes nao sao as melhores e tambem o caso tipico de alguem que se pode chamar de uma escrava domestica e vitima de escravidao infantil e acabou por ser tambem escrava sexual durante um periodo de 4 anos. Raissa primeiro foi violada pelo padrasto e depois por alguem que ficara com a responsabilidade de a proteger.

Soraia o segundo caso relatado no video mostra um caso desses de escavidao domestica em que a menina sem ganhar nenhum dinheiro fazia todo o trabalho da casa onde supostamente tinha sido generosamente recebida e por fim depois de ser explorada e escravizada no sentido da escravidao humana acabou por ser vitima de escravidao sexual.

Nos casos de escravidao sexual ja nao se apresenta apenas uma acusacao verbal. Os exames medicos provam a acusacao verbal e o conselho tutelar apos receber a denuncia faz o que pode no entanto isso nao chega porque os supostos violadores sao pessoas economicamente e com poder perante a sociedade muitos casos infelizmente a maioria acabam por terminar como o caso de Soraia relatado no video e no meio do poder social, condicoes economicas ainda existe os casos de supostos subornos oferecidos as familias das proprias vitimas.

Muitas vezes nao e preciso sair-se de casa para se sofrer estes ataques de escravidao sexual que vem por vezes seguido tambem de escravidao domestica e por vezes vice-versa como no caso de Stela e de Raissa.

O caso de Stela nao deixa de ser um dos mais marcantes a orfao ao ir viver com o meio-irmao depois de se tornar escrava domestica torna-se escrava sexual do proprio irmao e dos amigos do mesmo e onde em caso de recusa era vitima de duros castigos passando pelo espancamento fisico.

Camila ficou marcada para toda a vida os resultados das sucessivas violacoes enquanto escrava domestica provocaram a sua gravidez e meteram-lhe por sua vez um filho nos bracos de um pai que segundo ela nem sabe onde esta. A verdade e que Camila depois de abusada aos 10 anos, aos 12 por outra pessoa engravidou aos 14 ao sofrer abusos de um terceiro homem que desapareceu ao saber da gravidez o sucedido simplesmente entre outras coisas obrigou a jovem a amadurecer mais cedo.

Dalila e um caso de quem apesar do sofrimento conseguiu sobreviver aos abusos que foi vitima desde os 5 anos de idade mas ja com 28 anos sobreviveu mas aparentemente nao esqueceu. Dalila entre outras vitimas de abusos foi vitima dentro de casa e o violador foi um familiar como e habitual nas situacoes semelhantes. Depois dos abusos sexuais foi a escravidao infantil ja aos 10 anos por parte de outras pessoas e depois se torna novamente escrava sexual devido a ter falado tarde demais os crimes sido prescritos.

O caso das meninas kalungas e um caso que provocou o escandalo e a polemica mas os casos acontecem sobretudo pela forma como essa gente vive, locais remotos, sem condicoes e algumas comonidades e igualmente como diz o video vivem no Seculo XXI e se comportam como se tivessem em pleno Seculo XIX. De notar o facto que relata o video quase no final em que fala de leiloes de meninas virgens que nao ultrapassavam a quantia dos 100 reais.

Ao contrario do que seria normal um dos acusados de violar as meninas kalungas do Quilombo deu a cara frente a televisao e ainda levam ao ridiculo a vitima. No geral a justica parece longe de ser feita nos ultimos 8 anos apesar do Ministerio Publico ter denunciado 35 pessoas por abusos de criancas do Quilombo no entanto so 9 dos acusados acabaram condenados e apenas 4 foram presos, 5 dos mesmos acusados fugiram e enquanto isso as meninas kalungas reclamam pelo mesmo direito e ideal dos seus antepassados... Liberdade.

A ideia quando comecei a cronica nem era falar tanto deste assunto e da escravidao nao so infantil de que as meninas sao vitimas mas da escravidao sexual que sofreram. O video foi um util auxiliar mas pode deixar muito a dizer. Kalungas!!! Muitos desconhecem o que e isso,o que e afinal?


Calunga ou Kalunga e o nome atribuido aos descendentes de escravos fugidos e libertos das minas de ouro do Brasil central que formaram comunidades auto suficientes e que viveram por mais de duzentos anos isolados em regioes remotas proximas a Chapada dos Veadeiros, no actual Estado de Goias, no Brasil.

Sao tres as comunidades kalungas: nos municipios de Cavalcante, Teresinha de Goias e Monte Alegre de Goias. A maior Comunidade Kalunga em termos de populacao e a que esta situada no Municipio de Cavalcante, com pouco mais de duas mil pessoas, distribuidas nas localidades do Engenho II, Prata, Vao do Moleque e Vao das Almas, sendo esta ultima a mais recente a se integrar no seio do municipio (somente a cerca de trinta anos).

Mais recentemente, alguns estudos tem indicado a presenca de kalungas tambem em regioes do Estado do Tocantins, nos arredores de Natividade e regioes isoladas do Jalapao. Durante todo este periodo, houve miscigenacao com indios, posseiros e fazendeiros brancos. Houve, tambem, forte inluencia cultural de padres catolicos, dando lugar a uma certa cultura hibridizada, caracteristica que se manifesta na alimentacao e no forte sincretismo religioso da mistura entre o catolicismo e de ritos africanos.

Calunga ou Kalunga significa "Tudo de bom" nas linguas bantas. Significa tambem "Necropoles" em Quicongo. Dentro do espiritismo, pode significar "grande mar", e tambem o nome de uma Falange (grupo de seres do Mundo Espiritual). Nas religioes Afro-brasileiras tambem significa "cemiterio" e "Galunga Grande" significa "Beira do Mar". Na Mitologia Banta, e o nome de uma divindade secundaria.

Esta cronica nao engloba tanto aquele tipo de escravatura de que tanto se fala nos dias de hoje. Fala-sse demasiado na Imprensa Internacional do trafico humana, mulheres que sao trazidas do Brasil para a Europa com promessas de trabalho honesto, digno e de uma vida melhor e quando chegam sao lancadas por redes de trafico no mundo da prostituicao. E uma realidade e nao envolve apenas o Brasil o mesmo acontece em paises asiaticos, africanos e europeus no ultimo caso paises do Leste da Europa estao em destaque.

Por vezes as vitimas nao sao tao vitimas como parecem. Falam em frente a uma televisao ainda que viradas de costas ou com imagem desfigurada e voz destrocida que foram enganadas, forcadas a prostituir-se, que nao tem liberdade de se movimentar, que lhes tiraram o passaporte e muito mais, etc. No entanto conseguem falar frente as cameras de televisao mas nao conseguem ir a policia e denunciar as autoridades os crimes de que estao a ser vitimas, simplesmente estranho.

No entanto nem sempre e tao facil quanto parece muitas estao realmente a prostituir-se porque o querem de facto fazer mas outras sao vitimas de redes de crimes organizados em que quem esta dentro delas ainda que como vitimas se faz a rebeliao sao as familias nos paises de origem que pagam por isso as vezes ate com a propria vida.

Passei ao lado desse tipo de escravatura nao fazendo grande referencia porque com esta cronica queria falar mais de um assunto que nao tem preocupado tanto a nivel internacional organizacoes que lutam contra a escravatura a nivel internacional e nao se interessam tanto por assunto que se passam no interior de um pais sem sair do mesmo como e o caso das kalungas.

Espero que este video da cronica nao venha a ser considerado privado e a sua visualizacao retirada do Blogger. Ao acontecer o mesmo e como destruir um pouco toda a cronica e trabalh que aqui apresentei, considero este video como dos mais importante que coloquei nas minhas cronicas enquanto os outros em outras cronicas se mostram como um complemento da cronica neste caso em particular o video e a cabeca, base e coracao da cronica.

Caro(a) leitor(a) infelizmente o mundo nao e apenas o lugar em que vivemos e em muitas partes do planeta acontecem atrocidades que apesar de ser dificil abordar porque somos humanos tem que ser faladas o caso em particular foi um deles e preciso falar-se, tornar-se publico certas injusticas de modo a evitar que se repitam, ate a proxima.

                                                                                                                Manuel Goncalves


Sem comentários:

Enviar um comentário