quarta-feira, 23 de setembro de 2015

O Programa Espacial Sovietico e Pos-Uniao Sovietica



Uma das paginas da minha memoria que mais me atraiu na adolescencia e ate mesmo infancia foi nao tanto assistir devido a minha juventude mas acabar por estudar o assunto, tal foi o interesse que me despertou quando ouvia falar numa certa rivalidade entre a Europa em particular na altura a Uniao Sovietica (ate 1991) e depois Russia e os Estados Unidos da America.

Poderia quase considerar-se uma guerra e teve de facto esse nome em que ficou conhecida como a Guerra Fria (1945-1991) quando na verdade na luta pela conquista do espaco e exploracao espacial melhor ficaria se tivesse sido chamada de Guerra das Estrelas. Sim exactamente como naquela trilogia de ficcao cientifica que passou pelo cinema. Porem a rivalidadde entre as duas potencias ia muito alem da exploracao ou da conquista no espaco envolvia quase tudo o que pudesse estar em destaque envolvendo assuntos de ordem politica, militar, tecnologia, economia, social e ate de ideolgia e varias disputas estrategicas. Porem mesmo assim na Decada de 80 do Seculo XX o entao Presidente dos Estados Unidos da America Ronald Reagan (1911-2004) ainda lancou um projecto chamado de "Guerra nas Estrelas".

O Programa Espacial Sovietico e a designacao dada para o conjunto de projectos e missoes exexutados pela antiga Uniao Sovietica (URSS) para a exploracao do espaco, tanto por meio de sondas e voos nao tripulados, quanto com vaivem espaciais tripuladas, desde a Decada de 30 ate a sua disolusao em 1991.


Ao longo dos seus sessenta anos de historia, esse programa originalmente militar e secreto, foi responsavel por um grande numero de metas pioneiras alcancadas na conquista do espaco: o primeiro Missil Balistico Intercontinental (1957), o primeiro animal no espaco (1957), o primeiro satelite artificial (1957), o primeiro veiculo a entrar em orbita solar (1959),o primeiro impacto na Lua (1959), a primeira imagem do lado escuro da Lua (1959), o primeiro homem ( Yuri Alekseievitch Gagarin (1934-1968) no espaco (1961), a primeira mulher (Valentina Vladimirovna Tereshkova)(1937)   no espaco (1963), a primeira caminhada no espaco com uma tripulacao constituida pelo Comandante Pavel  Ivanovich Belyayey (1925-1970) e pelo Piloto Aleksei Arkhipovich Leonov (1934) em (1965),a primeira sonda interplanetaria a atingir a superficie de outro planeta (1965), o primeiro pouso suave na Lua (1966), o primeiro satelite artificial da Lua (1966), o primeiro rover na Lua (1970), a primeira estacao espacial (1971). Estas iniciativas pioneiras acabaram comprovando que era possivel enviar artefactos humanos para o espaco exterior e, mais importante, enviar seres humanos ao espaco (homens, mulheres e ate animais).

O \programa espacial e de foguetes da Uniao Sovietica, que teve no seu inicio a ajuda de cientistas alemaes capturados que trabalharam no avancado programa de foguetes alemao, foi conduzido em sua maior parte por cientista e engenheiros sovieticos depois de 1955, e era baseado em teorias unicas e exclusivas desenvolvidas desde o Imperio Russo, muitas delas derivadas do trabalho de Konstantin Eduardovich Tsiolkovsky ou Konstanty Ciołkowski mais conhecido por Konstantin Tsiolkovsky (1857-1935), muitas vezes chamado de "pai da teoria Aeroespacial". Sergei Pavlovich Korolev (1906-1966) tambem traduzido como Sergey Korolyov foi o Lider do principal grupo de projectistas. Seu titulo oficial era "Engenheiro-chefe" (um titulo padrao para posicoes similares na URSS). Foi ele quem concebeu todo o programa e trabalhou para torna-lo realidade, convencendo a alta cupula sovietica particularmente e em especial o Lider Sovietico da altura Nikita Sergueievitch Khrushchov (1894-1971), da importancia da conquista do espaco. Diferente do seu rival Norte Americano na "Corrida Espacial" (1957-1975), que tinha a NASA como unica agencia de coordenacao, o programa da URSS era dividido entre varios grupos de engenheiros liderados por Korolev, Mikhail Kuzmich Yangel (1911-1971), Valentin Petrovich Glushko (1908-1989) e Vladimir Nikolayevich Chelomei (1914-1984).

Devido ao facto de o programa ser secreto, e por seu valor estrategico como propaganda, os anuncios dos resultados das missoes eram adiados ate que o sucesso fosse o resultado certo, e pela mesma razao as falhas eram mantidas em segredo. Devido a Politica de Glasnost (transparencia em russo) de Mikhail Sergueievitch Gorbachev (1931) na Decada de 80 no Seculo XX, muitos factos ate entao desconhecidos sobre o Programa Espacial Sovietico foram finalmente revelados e divulgados entao ao mundo. Entre os principais segredos que foram revelados, constavam: as mortes de Korolev, Vladimir Mikhailovich Komarov (1927-1967) na queda da Soyuz 1 e de Yuri Alekseievitch Gagarin  em treinamento de rotina num aviao de caca ainda na Decada de 60 entre 1966 e 1968, alem de falhas desastrosas com o enorme foguete, Foguete N1 (que tinha 105 metros de alturas, 17 de diametro, pesava 2, 735, 000 quilos e continha 5 estagios) que deveria ser usado na missao de pouso tripulada na Lua, que explodiram logo apos o lancamento em cada um dos quatro testes nao tripulados.

O Programa Espacial Sovietico foi descontinuado com a queda da Uniao Sovietica, com a Russia e a Ucrania se tornando seus principais herdeiros. A Russia criou a "Agencia de Aviacao e Espaco Russa", hoje conhecida como Agencia Espacial Federal Russa (Roscosmos) antiga Agencia Russa de Aeronautica e Espaco (RKA ou Rosaviakosmos) e a agencia governamental responsavel pelos programas de Ciencia Espacial e Investigacao Aeroespacial da Russia, enquanto isso a Ucrania por sua vez criou a Agencia Espacial do Estado da Ucrania (NSAU).

A Russia continua a desenvolver um consistente programa espacial, que inclui experiencias de longa permanencia no espaco, para determinar os efeitos da falta de gravidade sobre o organismo humano. Estas experiencias tornaram-se a base do conhecimento que esta sendo aplicado hoje na Estacao Espacial Internacional (EEI).


A teoria da exploracao espacial foi bem estabelecida no Imperio Russo antes da Primeira Guerra Mundial a partir dos escritos de Konstantin Tsiolkovsky, que publicou estudos pioneiros no final do Seculo XIX, inicio do Seculo XX e em 1929 introduziu o conceito do foguete multi estagios. Os aspectos praticos de toda essa teoria foram estabelecidos pelas experiencias pioneiras conduzidas pelo Grupo de Estudo do Movimento a Reaccao (GIRD) nos anos 20 e 30, onde muitos pioneiros como Sergei Korolev e Friedrich Zander (1887-1933) trabalharam.

Em 18 de Agosto de 1933, GIRD lancou o primeiro foguete sovietico movido a combustivel liquido, o Gird-9, e em 25 de Novembro de 1933, o primeiro foguete hibrido, o GIRD-X. Entre 1940 e 1941, um outro avanco no campo da propulsao reactiva foi conquistado: o desenvolvimento e producao em serie do lancador de foguetes Katyusha.

 Durante os anos 30, a tecnologia de foguetes sovieticos era comparavel com a alema mas o "Grande Purga" de Josef Vissarionovitch Stalin (1878-1953) comprometeu seriamente esse progresso. Muitos dos entao principais engenheiros alguns ate envolvidos no projecto do Programa Espacial Sovietico foram mortos, e Korolev e outros foram presos nos Gulags (Campo de trabalhos forcados para criminosos, presos politicos e qualquer cidadao em geral que se opusesse ao regime da Uniao Sovietica). Apesar da efectividade dos misseis Katyusha na Frente Oriental da Segunda Guerra (1939-1945), o avanco de programa de foguetes alemaes impressionou muito os engenheiros sovieticos, que inspeccionaram os seus restos em Peenemunde e em Mittelwerk depois do final da guerra. Apesar dos Norte americanos terem levado secretamente os mais importantes cientistas alemaes e material para construir cerca de 100 foguetes V-2 para os Estados Unidos na Operacao Paperclip, o programa sovietico se beneficiou muitos dos registos, centros de producao e cientistas remanescentes.

Apos o fim da Segunda Guerra Mundial, a URSS capturou diversos engenheiros alemaes que trabalhavam na V-2. Pouco tempo depois a URSS ja estava a lancar os seus proprios foguetoes. Este mesmo desenvolvimento inicial acabou por resultar no desenvolvimento dos foguetes espaciais (misseis balisticos intercontinentais).

Sob a Direccao de Dimitri Feodorovich Ustinov (1908-1984), Korolev e outros inspeccionaram os documentos alemaes. Ajudados pelo Engenheiro Helmut Grottrup (1916-1981) e outros tecnicos alemaes que haviam sido capturados ate ao inicio dos anos 50, eles construiram uma replica do V-2 chamado R-1, apesar do peso das bombas nucleares da epoca, exigirem foguetes mais potentes. Devido a esse facto, o Escritorio de Projectos Korolev, o OKB-1 se dedicou ao desenvolvimento de um foguete que atendesse a esse requisito, o que levou os sovieticos a criacao e desenvolvimento do Projecto do Missil Balistico Intercontinental (ICBM) R-7 Semyorka que foi testado com sucesso em Agosto de 1957.

O Programa Espacial Sovietico comecou com uma grande vantagem sobre o dos EUA. Devido a diversos problemas tecnicos para fabricar ogivas nucleares que fossem mais leves que as actuais, os misseis lancadores intercontinentais da URSS eram imensos e potentes se comparados com os seus similares estadunidenses. Logo, os foguetes para o seu programa espacial ja estavam prontos como resultado do esforco militar sovietico resultante da Guerra Fria. Assim, na epoca em que a Sputnik 1 foi lancada (1957), a capacidade de lancamento da URSS era de 500 Kg, enquanto que a dos EUA era somente de 5Kg.

A base dos lancadores sovieticos (e a base para o desenvolvimento do lancador Proton e usada ate aos dias de hoje pela Russia) foi um Missil Balistico Interncontinental R.7 (ou "Sputnik"), desenvolvido pela equipa chefiada mais uma vez por Sergei Korolev. Foi usando um R.7 (1957-1961) que a URSS realizou a facanha de enviar o Satelite Artificial Sputnik 1 para a orbita da Terra.

O treinamento dos cosmonautas (astronautas) sovieticos era rigido e bem planejado. Os sovieticos supunham que as condicoes de um voo espacial  eram certamente severas e que so "super-homens" poderiam suportar as mesmas condicoes.


O Programa Espacial Sovietico, estava ligado aos seus planos quinquenais e desde o inicio da sua criacao que recebia apoio dos militares. Apesar de Korolev ser motivado "por um sonho unico de viagens espaciais", ele geralmente mantinha isso em segredo quando tratava de projectos militares. Depois do Primeiro Teste de Bomba Atomica na URSS em 1949, um missil capaz de carregar uma ogiva daquele tamanho aos Estados Unidos se torna entao necessario, e com ele a disposicao, Korolev e outros continuavam a insistir na ideia de criar-se satelites e naves tripuladas. Apesar disso, o primeiro foguete com animais a bordo foi lancado em 1951; os dois caes foram recuperados vivos depois de chegarem aos 101 km de Altitude. Dois meses antes dos Estados Unidos realizarem um projecto semelhante. Esse e outros voos subsequentes, deram aos sovieticos uma valiosa experiencia em Medicina Espacial.

Devido ao seu alcance global e capacidade de carga (cerca de 5 toneladas) o Missil R-7 Semyorka nao era apenas visto como uma arma nuclear, mas tambem uma base excelente para um veiculo lancador espacial. O anuncio dos Estados Unidos em Julho de 1955 dos seus planos de lancar um satelite durante o Ano Internacional da Geofisica ajudou muito Korolev a persuadir Nikita Khrushchov a patricionar os seus planos a partir de Janeiro de 1956, com objectivo de suplantar os Estados Unidos. Foram aprovados planos para um satelite artificial de observacao da Terra (o Sputnik I) para adquirir conhecimento sobre o espaco alem de quatro satelites de reconhecimento (serie Zenit). Foram planejados mais tarde, novos desenvolvimentos, como: missoes nao tripuladas a Lua e missoes tripuladas em orbita da Terra.

Depois que o primeiro Sputnik provou ser um optimo elemento de propaganda, Korolev, entao apenas conhecido como o misterioso "Engenheiro-chefe de foguetes espaciais", foi encarregado de acelarar o programa de missoes tripuladas, cujo o projecto foi combinado com o programa Zenit para criar a Nave Espacial Vostok. Influenciado pelas ideias de Tsiolkovsky que escolheu o Planeta Marte chamado tambem de "Planeta Vermelho"  com o objectivo mais importante das viagens espaciais no inicio dos anos 60, o Programa Espacial Sovietico sob a lideranca de Korolev criou grandes planos para viagens a Marte para o periodo de 1968 e 1970. Com um sistema de suporte de vida em circuito fechado e motores de foguetes electricos lancados a partir de grandes estacoes espaciais orbitando a Terra, esses planos eram muito mais ambiciosos que os do Programa Apollo(1961-1972).

O Orcamento Militar Sovietico estava focado nos ICMs (Missil Balistico Intercontinental) da Forca Estrategica de Misseis, e o programa espacial "pegava uma boleia". Enquanto no Ocidente se acreditava que Krushchev em pessoa encomendava uma nova missao espacial com objectivo de criar propaganda, e que o Lider sovietico tinha um relacionamento proximo a Korolev e outros engenheiros, ele "estava mais preocupado com dinheiro e misseis do que astronautas e o espaco... Ele nunca esteve particularmente interessado em competir com o Projecto Apollo.

Enquanto o governo e o Partido Comunista usavam os sucessos do Programa Espacial Sovietico como ferramenta de propaganda depois deles acontecerem, planos sistematicos para missoes baseaados em razoes politicas eram raros uma excepcao foi a missao da primeira mulher no espaco, Valentina Tereshkova na Vostok 6 em 16 de Junho de 1963. As missoes eram planejadas de acordo com a disponibilidade dos foguetes e razoes eventuais, e nao por objectivos cientificos. Por exemplo, em Fevereiro de 1962 o governo repentinamente e de forma inesperada ordenou uma missao ambiciosa envolvendo duas naves espaciais Vostok em simultaneo, lancadas com um intervalo de 10 dias para ofuscar o feito do Astronauta Norte-americano John Herschel Glenn Jr (1921) com o Mercury-Atlas 6 naquele mes; o programa no entanto, so viria a conseguir o feito e objectivo com Vostok 3 e Vostok 4 em 4 de Agosto.


Bem diferente do Programa Espacial dos Estados Unidos, que tinha a Agencia Espacial NASA como unica instituicao coordenadora dirigida pelo seu Administrador, James Edwin Webb (1906-1992) durante a Decada de 60 do Seculo XX, o Programa Espacial Sovietico estava dividido entre varios escritorios do Projecto competindo entre si. Apesar do enorme sucesso dos Sputniks durante 4 anos entre 1957 e 1961 e as Vostok entre 1961 e 1964, depois de 1958, o escritorio de projectos de Korolev, o OKB-1 ter enfrentado uma forte concorrencia crescente dos seus rivais, os engenheiros-chefes: Mikhail Kuzmich Yangel (1911-1971), Valentin Petrovich Glushko e de Vladimir Nikolayevich Chelomei (1914-1984). Korolev porem levou vantagem perante a concorrencia e planejou seguir adiante com o desenvolvimento da Nave Espacial Soyuz e do foguete pesado N-1 que deveria ser a base para a estacao espacial tripulada permanente e a exploracao tripulada da Lua. No entanto, Ustinov o orientou a se concentrar em missoes proximas da Terra com a Nave Espacial Voskod, uma versao moderna e melhorada da Vostok, e tambem missoes nao tripuladas a outros planetas, como o caso de Venus e Marte.

Yangel foi Assistente de Korolev mas com apoio dos militares ele viria a conseguir o seu proprio escritorio de projectos em 1954 para trabalhar primordialmente a um projecto dedicado ao Programa Espacial Militar. Ele contava com uma equipa mais forte no projecto de motores, incluindo o uso de combustiveis hipergolicos, mas depois da chamada "Catastrofe de Nedelin" em 24 de Outobro de 1960, Yangel foi orientado a concentrar seus esforcos no desenvolvimento de misseis intercontinentais. Ele continuou a desenvolver seus proprios projectos de grandes veiculs lancadores, similares ao N-1 de Korolev, tanto para fins militares quanto para o transporte de cargas pesadas ao espaco para a criacao e construcao de futuras estacoes espaciais.

Glusko era o Engenheiro-chefe dos motores dos foguetes mas tinha um atrito pessoal com Korolev e se recusou em absoluto a desenvolver motores criogenicos maiores com uma unica Camara de Combustao que Korolev precisava para desenvolver lancadores maiores.

Chelomei acabou por beneficiar do "apadrinhamento" de Khrushchev e em 1960 foi-lhe dado a incumbencia de desenvolver um grande foguete capaz de enviar uma nave espacial tripulada ao redor da Lua e uma estacao espacial tripulada para os militares. Com sua limitada experiencia na area espacial esse desenvolvimento foi demasiado lento.

O progresso do Projecto Apollo do rival Norte-americano estava a deixar preocupados os Engenheiros-chefes sovieticos, que no entanto tentavam cada um levar adiante o seu proprio projecto como resposta aos Norte americanos. Com isso, varios projectos redundantes foram aprovados, o que veio a acabar por compremeter ainda mais os projectos que ja tinham tido aprovacao anteriormente. Apesar disso, e devido a "persistencia incomum" de Korolev, em Agosto de 1964, mais de tres anos passados desde que os Estados Unidos e a NASA haviam declarado a intencao de ver um homem a Lua, a Uniao Sovietica finalmente decidiu entrar na competicao. Ele (julgo que Korolev) determinou a meta de um pouso lunar para 1967 (ano do 50º aniversario da Revolucao de Outobro) ou em 1968. Num determinado momento dos anos 60, o Programa Espacial Sovietico estava desenvolvendo cerca de trinta projectos diferentes para foguetes lancadores e naves espaciais. Com a queda de Krushchev em 1964, Korolev recebeu o controlo completo do programa espacial tripulado.

Korolev morreu em 14 Janeiro de 1966 depois de uma operacao de rotina (que acabou por revelar um cancro no colo), devido a uma doenca cardiaca e hemorregia grave. Kerim Aliyevich Kerimov (1917-2003) que anteriormente havia sido um dos criadores da Nave Espacial Vostok 1 (1961), foi nomeado Presidente da Comissao Nacional de Voos Tripulados e foi seu Lider durante os 25 anos que se sucederam (1966-1991). Ele (Kerim Kerimov) supervisionou cada estagio dos desenvolvimentos e operacoes tanto dos complexos voltados ao desenvolvimentos de missoes tripuladas quanto aqueles que estavam voltados a estacoes interplanetarias nao tripuladas. Uma das maiores realizacoes de Kerimov veio a acontecer ja 20 anos depois de ele ter assumido o cargo de Presidente da Comissao Nacional de Voos Tripulados ou seja o lancamento da Mir entre 20 de Fevereiro de 1986 a 23 de Abril de 1996.

A chefia do escritorio de projectos OKB-1 foi entregue a Vasily Pavlovich Mishin (1917-2001), que viria a receber a tarefa de executar as Missoes Lunares Sovieticas (colocar um homem na Orbita da Lua em 1967 e fazer pousar um homem na Lua em 1968). Mishin estava no entanto na sombra do falecido Korolev nao tinha a mesma forca e influencia politica e ainda enfrentava a competicao de outros Engenheiros-chefes. Sob a mesma pressao Mishin aprovou o lancamento da Soyuz 1 que viria a acontecer em 23 de Abril de 1967, apesar de a nave espacial nunca ter passado por um teste em um voo nao tripulado. A mesma missao viria a ocorrer com conhecidos problemas de engenhos e terminou com a queda do veiculo espacial que provocaria a morte do Cosmonauta Vladimir Komarov. Esta foi a primeira tragedia e fatalidade em voo do Programa Espacial Sovietico.

Depois do mesmo desastre e sob uma pressao ainda maior, Mishin viria a acabar por se tornar um Alcoolico. Os sovieticos acabaram por ser batidos no objectivo de orbitar um homem na Lua em 1968 pela Apollo 8, como reaccao, Mishin apressou ainda mais o desenvolvimento do problematico foguete super pesado N1 na esperanca de que os Norte americanos tivessem ainda algum problema, deixando algum tempo para que o N-1 se tornasse operacional e pudessem fazer um homem pousar na Lua primeiro. Houve um sucesso no voo conjunto entre a Soyuz 4 e a Soyuz 5 em Janeiro de 1969, que testou as manobras de aproximacao, o acoplamento e as tecnicas de transferencia de tripulacao que seriam usadas ao pousar na Lua e o Modulo Lunar foi testado com sucesso em orbita da Terra. Mas depois de quatro lancamentos nao tripulados do N-1 terminarem em falha, o Projecto do Lancador Pesado foi abandonado, acabando assim com qualquer chance dos sovieticos pousarem um homem na Lua usando um unico lancamento.

Alem do projecto de pousar um homem na lua, outros projectos sovieticos que acabaram por ser abandonados incluiam: a construcao de uma base lunar multifuncoes, a Zvezda tambem chamada de Base Lunar DLB, projectos detalhados e modelos de veiculos para esse complexo foram produzidos. Outros programas de expedicoes tripuladas a Lua foram propostos, como o "Vulkan-LEK" mas nao foram implementados por razoes economicas.

Depois deste reves Chelomei convenceu Ustinov a aprovar um programa em 1970 para avancar com o projecto da sua Estacao Espacial Militar Almaz como meio de bater os Estados Unidos na sua ja anunciada Estacao Espacial Skylab (1973-1979). Mishin permaneceu no controlo do projecto que se viria a tornar a Salyut, mas a opcao escolhida por Mishin, que poderia ter sido a de uma tripulacao de dois com trajes pressurizados, acabou sendo por uma tripulacao de tres sem trajes pressurizados para a Salyut 1 (1971) com lancamento em 19 de Abril de 1971 e reentrada na Atmosfera Terrestre em 11 de Outobro de 1971, o que se viria a tornar mais uma vez fatal, quando a capsula de reentrada se despressurizou matando toda a tripulacao no seu retorno a Terra. Mishin foi retirado de varios projectos e Chelomei retomou o controlo da Salyut. Depois de trabalhar com a NASA na missao Apollo-Soyuz (tambem conhecida de Apollo 18 ou Soyuz 19), a lideranca sovietica decidiu que uma nova abordagem de gerenciamento era necessaria e em 1974 o N-1 foi cancelado e Mishin foi dispensado. Um unico escritorio de projectos, o NPO Energia foi criado para conduzir o programa a partir de entao, liderado desta vez por Valentin Glushko.

Apesar da falha no programa de missoes tripuladas a Lua, a URSS conseguiu sucesso significativo em duas importantes primazias: o Programa Lunokhod (1969-1977) o Lunokhod 1A (1969) foi destruido durante o lancamento, o Lunokhod 1 (1970) e o Lunokhod 2 (1973) pousaram na Lua, enquanto o Lunokhold de 1977 nunca chegou a ser lancado. Os sovieticos colocaram assim os primeiros rovers na Lua e o Programa Luna (1959-1976) igualmente conhecido por Lunik, que entre outras coisas recolheram amostras do solo lunar para analises e experiencias em Terra. Tambem o Programa Marte (1960-1973) foi a designacao de um programa de sondas para a exploracao a Marte teve a sua continuidade com pequenos sucessos, enquanto a Exploracao de Venus (conhecido como o Programa Venera) e se estendeu de 1961 ate 1983. Existe um novo projecto russo, chamado de Venera-D, que pretende explorar o planeta por radar e tambem localizar lugares para proximos pousos sobre a superficie. O mesmo projecto tem seu lancamento previsto para 2016 e a Missao Vega para o Cometa Halley e estudo do mesmo durante a sua passagem perielica em 9 de Fevereiro de 1986 e pesquisar a Atmosfera de Venus foram mais efectivas.


Os cidadaos da Uniao Sovietica acreditavam que o Programa Espacial Sovietico era capaz de suplantar qualquer desafio que fosse. Essa mesma crenca vinha, entre outras razoes, do facto de que o programa era secreto. Sabendo menos, principalmente em relacao as falhas, o futuro parecia estar sem limites. O Programa Espacial Sovietico nao cedeu nenhuma informacao a respeito de seus projectos antes do bem sucedido Sputnik I. De facto, quando o projecto Sputnik foi aprovado, uma das primeiras accoes do Politburo foi considerar o que haveria de ser anunciado ao Mundo em relacao ao mesmo projecto. A TASS (Agencia Telegrafica da Uniao Sovietica) estabeleceu padroes para todos os comunicados oficiais do Programa Espacial Sovietico. As informacoes eventualmente cedidas na realidade nao forneciam qualquer detalhe minimo que fosse sobre quem havia construido, ou de onde havia sido lancado, ou o motivo do satelite ter sido lancado. Mesmo quando houve a divulgacao de informacoes elas nada esclareciam assim como tambem nao revelavam nada significativo: "existe uma quantidade abundante de informacoes cientificas exoticas... como se para mergulhar o  leitor nas altas matematicas sem nenhuma foto do objecto".

O que permanecia dos noticiarios era o orgulho da Astronautica sovietica e pistas muito vagas sobre futuras possibilidades depois do sucesso do Sputnik.

Claramente, o tratamento secreto do Programa Espacial Sovietico serviu a dois objectivos: evitar o vazamento de informacoes classificadas entre paises e criar uma certa barreira de misterio entre o programa espacial e o povo sovietico. A natureza da divulgacao do programa, trazia mensagens ambiguas em relacao a seus objectivos, sucessos e valores. O programa em si, era tao secreto que um cidadao sovietico comum, nunca conseguiu ter acesso a uma simples imagem, mesmo que superficial sobre a sua Historia, actividades correntes ou empreendimentos futuros. De acordo com o Autor/Historiador Dominic Phelan: "lancamentos nao eram anunciados ate que eles ocorressem. Nomes dos cosmonautas nao eram liberados ate que eles voassem. Detalhes das missoes eram esparcos. Nos nao sabiamos o tamanho ou forma dos foguetes ou das cabines das naves espaciais, excepto os primeiros sputniks, sondas lunares e sondas de Venus.

Essa ambiguidade gerava um paradoxo: de um lado os funcionarios publicos tentavam promover o programa espacial conectando os seus sucessos a forca do Socialismo. Por outro lado, eles entendiam a importancia de manter o sigilo devido a Guerra Fria. Essa obsessao por segredo, na URSS pode ser entendida como uma forma de resguardar tanto os seus pontos fortes como tambem as suas fraquezas, devido ao desejo de proteger informacoes criticas a seguranca nacional. Um desejo de promover de maneira positiva a imagem da Uniao Sovietica para o Mundo exterior, limitando assim a divulgacao de conteudo que pudesse de alguma forma minima que fosse comprometer a sua imagem que aparentemente teria de se tratar de um pais exemplar, de acordo com o controlo que o governo exercia sobre as ideias, tecnologias e invencoes sovieticas.

A influencia militar no programa espacial, pode de alguma forma explicar o nivel de confidencialidade que envolvia o programa. Os sucessos iniciais do programa: Sputnik, Laika (1954-1957), Yuri Gagarin orquestrados pelo OKB-1 (Escritorio de Projectos Experimentais), foram sem duvida um factor critico. O OKB-1 estava subordinado ao Ministerio Geral de Construcao de Maquinas (1955-1991). Esse mesmo Ministerio era responsavel por um complexo industrial altamente secreto que acabou por ser alvo das forcas de inteligencia ocidentais durante a Guerra Fria. Originalmente, o objectivo primario do OKB-1 era a producao e posterior desenvolvimento de misseis balisticos intercontinentais. Isso acabou por vir a mudar nos anos 60 com a prioridade alterada para a "Corrida Espacial", mas a associacao com o projecto de misseis militares teve a sua continuidade e as conquistas do programa espacial foram cobertas por uma nova camada de segredos e misterios. Os interesses militares no desenvolvimento de armas com os ICBMs, operavam sob um conjunto de praticas a margem da lei, ou seja, eram clandestinas e ilegais. Os funcionarios publicos ligados a projectos militares, criaram por exemplo, uma politica de identificacao de armas usando uma combinacao de letras e numeros completamente aleatoria: por exemplo a Nave Espacial Vostok era identificada como "objecto IIF63", enquanto o foguete lancador do mesmo nome era o "objecto 8K72K". Ate mesmo os trabalhadores das fabricas envolvidas nos projectos de artefactos para o programa espacial, nao tinham a visao do todo. Regras de acesso e divisoes de trabalho em equipas separadas, impediam os trabalhadores de uma sessao ter conhecimento do que se passava na outra.

A origem do alto nivel de confidencialidade dos militares, que eventualmente influenciaram o programa espacial teve inicio como medida temporaria adoptada ainda na epoca da Guerra Civil Russa (1918-1921/1922). Essa politica de identificacao aleatoria foi reeditada em 1927, quando as fabricas foram identificadas por um conjunto de numeros. Essa pratica foi adoptada em projectos de pesquisa e desenho dentro das fabricas, e a tradicao continuou para confundir os adversarios sobre os objectivos sovieticos. Apesar disso, houve um entendimento errado de que os departamentos de inteligencia ocidentais conseguiram "decifrar" esse codigo. Os trabalhadores, tecnicos e cientistas eram proibidos sequer de mencionar o codigo secreto em publico e muito menos revela-lo, devendo usar nas comunicacoes com fabricas, institutos e departamentos, um outro codigo. Na verdade um Codigo Postal especial era usado nesses casos.

Numa retrospectiva, pode-se observar o padrao que surgiu a medida que as missoes espaciais sovieticas se tornavam mais frequentes. O programa nao mencionava problemas em seus anuncios ao publico. O povo tinha a impressao que o Programa Espacial Sovietico jamais havia sofrido falhas. De acordo com o Autor/Historiador James Andrews, "Praticamente sem excepcao a cobertura da Exploracao Espacial Sovietica, especialmente no caso de missoes tripuladas, omitiam registos de falhas ou problemas. Ao inves de admitir qualquer falha, os relatorios de missoes tripuladas como e obvio e seria de esperar exageravam no tom positivo e optimista sem nenhum comprimisso com os factos reais.

Dominic Phelan escreveu: <<A URSS foi descrita por Winston Churchill como "uma charada envolvida em misterio, dentro de um enigma" e nada foi maior exemplo disso que a busca por informacoes verdadeiras sobre o seu programa espacial durante a Guerra Fria. Apesar da Corrida Espacial acontecer literalmente sobre as nossas cabecas, ela era envolvida por uma cortina de misterios muito dificil de ser ultrapassada.>>

O que precisa ser compreendido no entanto, e que a demanda por segredo em torno do programa espacial, foi muito influenciada por exigencia dos militares sovieticos.

                                                        
Projectos e realizacoes:

. Projectos completos:

. Almaz. (estacoes espaciais).
. Buran. (vaivem Espacial).
. Energia. (foguetes).
. Foton. (satelites).
. Kosmos. (satelites).
. N1-L3. (programa lunar tripulado).
. Luna. (sondas lunares).
. Marte. (sondas marcianas).
. Meteor. (satelites).
. Molniya. (satelites).
. Mir. (estacao espacial).
. Phobos. (lancamento de sondas nao tripuladas).
. Proton. (satelites).
. Salyut. (estacoes espaciais).
. Soyuz. (missoes espaciais tripuladas).
. Sputnuk. (satelites).
. TKS. (nave de reabastecimento).
. Vega. (sondas ao Cometa Halley).
. Venera. (sondas de Venus).
. Voskhod. (missoes espacias tripuladas).
. Vostok. (missoes espaciais tripuladas).
. Zond. (sondas interplanetarias e lunares).


Dois dias depois que o governo dos Estados Unidos anunciou sua intencao de lancar um satelite artificial em 31 de Julho de 1956, A Uniao Sovietica anunciou a sua intencao de fazer o mesmo. O Sputnik I, lancado em 4 de Outobro de 1957, bateu os Estados Unidos e surpreendeu as pessoas ao redor do Mundo.

O Programa Espacial Sovietico foi pioneiro em varios aspectos da Exploracao Espacial:

. 1957: Primeiro Missil Balistico Intercontinental, R-7 Semyorka.
. 1957: Primeiro Satelite Artificial, Sputnik I.
. 1957: Primeiro animal em orbita da Terra, a Cadela Laika na Sputnik 2.
. 1959: Primeira ignicao de motor foguete em orbita da Terra, primeiro objecto feito pelo homem a escapar da gravidade da Terra, Luna 1.
. 1959: Primeiro objecto feito pelo homem a passa perto da Lua, primeiro objecto feito pelo homem em orbita heliossincrona, Luna 1.
. 1959: Primeira sonda a cair na Lua, Luna 2.
.1959: Primeiro conjunto de imagens do lado oculto da Lua, Luna 3.
. 1960: Primeiro retorno de animais em seguranca da orbita da Terra, os caes Belka (Branquinha) e Strelka (Flecha) na Sputnik 5.
. 1961: Primeira sonda lancada em direccao a Venus, Venera 1.
. 1961: Primeira pessoa no espaco, e em orbita da Terra, Yuri Gagarin na Vostok 1.
. 1961: Primeira pessoa a passar mais de 24 horas no espaco, Gherman Stepanovich Titov (1935-2000), na Vostok 2(tambem a primeira pessoa a dormir no espaco).
. 1962: Primeiro voo tripulado de duas naves em paralelo, Vostok 3 e Vostok 4.
. 1962: Primeira sonda lancada para Marte, Marte 1.
. 1963: Primeira mulher no espaco, Valentina Tereshkova, na Vostok 6.
. 1964: Primeira missao com tripulacao com mais de uma pessoa (3), na Voskhod 1.
. 1965: Primeira actividade extra veicular, por Aleksei Leonov, na Voskhod 2.
. 1965: Primeira sonda a cair em outro planeta do Sistema Solar (Venus), Venera 3.
. 1966: Primeira sonda a fazer um pouso suave e transmitir da superficie lunar, Luna 9.
. 1966: Primeira sonda a entrar em orbita lunar, Luna 10.
. 1967: Primeira manobra de acoplamento de naves espaciais nao tripuladas, Kosmo 186 / Kosmo 188.
. 1968: Primeiro conjunto de seres vivos (tartarugas) a orbitar a Lua e retornar a salvo a Terra, na Zond 5.
. 1969: Primeiro acoplamento entre naves espaciais tripuladas em orbita da Terra com troca de tripulacoes, Soyuz 4 e Soyuz 5.
. 1970: Primeira amostra de solo extraido e retornado automaticamente da Lua para a Terra, Luna 16.
. 1970: Primeiro Rover Robotico na lua, Lunokhod 1.
. 1970: Primeiro conjunto de dados recebidos da superficie de outro planeta do Sistema Solar (Venus), Venera 7.
. 1971: Primeira Estacao Espacial, Salyut 1.
, 1971: Primeira sonda a cair na superficie de Marte, Marte 2.
. 1973: Primeira sonda a pousar em Marte, Marte 3.
. 1975: Primeira sonda a orbitar, pousar e enviar as primeiras imagens da superficie de Venus, Venera 9.
. 1980: Primeiro hispanico e afrodescendente no espaco, Arnaldo Tamayo Mendez (1942) na Soyuz 38.
. 1984: Primeira mulher a efectuar a actividade extraveicular Svetlana Yevgenyevna Savitskaya (1948) na Estacao Espacial Salyut 7.
. 1986: Primeira tripulacao a visitar duas estacoes espaciais distintas: A Mir e a Salyut 7.
. 1986: Primeiro conjunto de sondas a enviar baloes roboticos na Atmosfera de Venus e enviar imagens de um cometa durante um voo de proximidade, Vega 1 e Vega 2.
. 1986: Primeira estacao espacial premanentemente tripulada, Mir, entre 1986-2001, com presenca permanente a bordo entre 1989 e 1999.
. 1987: Primeira tripulacao a permanecer por mais de um ano no espaco Vladimir Georgiyevich Titov (1947) e Musa Khiramanovich Manarov (1951) a bordo da Soyuz TM-4 - Mir.

Outros projectos:

                             
. Buran:

O Programa Espacial Sovietico produziu sua propria versao de vaivem espacial, baseado no Foguete Energia. Em 15 de Novembro de 1988, o Vaivem Espacial Buran (1988) e  seu veiculo lancador o Energia, foram lancados a partir do Cosmodromo de Baikonur no Cazaquistao, e depois de tres horas e duas orbitas, planou e pousou a alguns quilometros da plataforma de lancamento. Alguns veiculos desse tipo foram construidos, mas apenas um efectuou esse teste de voo nao tripulado, sendo considerado de alto custo financeiro para entrar em operacao como um lancador civil.

Projectos interplanetarios cancelados:

. Marte 4NM:

Marsokhod Rover pesado Marte 4NM seria lancado entre 1974 e 1975 pelo Foguete N1 cujo o projecto acabaria por vir a ser abandonado.

. Marte 5NM:

Missao de retorno de amostras Marte 5NM seria lancado algures em meados de 1975 pelo Foguete N1 cujo projecto acabaria por vir a ser abandonado.

. Marte 5M:

Missao de retorno de amostras Marte 5M, que seria lancada em duas partes em 1979. Essas duas partes (sonda e modulo propulsor) seriam acopladas em orbita da Terra para entao de seguida seguirem para Marte.

. Vesta:

O Programa Vesta foi constituido por duas sonda interplanetarias identicas com duplo proposito a serem lancadas entre 1992 e 1996. A intencao final seria um voo de aproximacao a Marte prosseguindo em rota de afastamento para entao efectuar o estudo de asteroides de diferentes classes. Possivelmente liberando uma sonda de penetracao no Asteroide 4 Vesta.

. Tsiolkovsky:

A Missao Tsiolkovsky foi planejada como uma sonda de espaco profundo de duplo proposito a ser lancada nos anos 90 para explorar o Sol e Jupiter.

. Saturno:

A Missao Saturno foi planejada como sonda de espaco profundo a ser lancada em 2012 para explorar Saturno e Titan.
                                                   

O Programa Espacial Sovietico passou por um numero de acidentes fatais e falhas. A chamada Catastofre de Nedelin em 1960 foi uma explosao catastrofica de um foguete abastecido sendo entao testado na plataforma de lancamento, matando assim muitos (72 no total) tecnicos e engenheiros envolvidos nos testes finais do seu lancamento que trabalhavam no momento da explosao.

A primeira fatalidade oficial com cosmonautas em treinamento aconteceu em 23 de Marco de 1961, quando Valentin Vasilyevich Bondarenko (1937-1961) morreu com apenas 24 anos de idade Bondarenko foi o homem mais jovem a ser escolhido para Cosmonauta na Uniao Sovietica e era entao Piloto Militar. Morreu num incendio num ambiente de simulacao atmosferica de baixa pressao e alta concentracao de oxigenio.

O Programa Voskhod (1964-1965) foi cancelado depois de apenas dois voos tripulados, comprometendo a lideranca sovietica e um evento quase que fatal durante a segunda missao. Se os voos planejados tivessem sido executados, eles certamente trariam mais primazias (ou as anticiparia), incluindo um voo de longa duracao de 20 dias, uma mulher executando a actividade extra veicular e tambem uma actividade extra veicular autonoma e usando propulsores a jacto.

As mortes de Sergei Korolev no decorrer de uma operacao cirugica, Vladimir Komarov na queda da Soyuz 1 e de Yuri Gagarin, o primeiro homem no espaco num voo de caca num treinamento, dentro de um periodo de apenas dois anos tiveram um impacto negativo bastante significativo no Programa Espacial Sovietico embora a morte do primeiro que estava no auge da sua carreira nada tivesse a ver com o que se passava no programa no caso de Komarov e Gagarin claramente e sem duvida ja nao se pode dizer o mesmo.

Os sovieticos continuaram lutando pela primeira Missao Lunar tripulada com o enorme Foguete N1, que acabou por explodir sempre em cada uma das quatro tentativas de testes nao tripulados. Os Estados Unidos ganharam a corrida para colocar um homem na Lua com a Apollo 11 com um lancamento efectuado em 16 de Julho de 1969, uma alunissagem (pouso em um satelite natural, lua, de maneira especial), numa regiao lunar chamada Mar da Tranquilidade ou  Mare Tranquillitatis em 20 de Julho de 1969 e uma aterragem na Terra em 24 de Julho de 1969.

Mais tarde ja na Decada de 70 em 5 de Abril de 1975, um mau funcionamento no segundo estagio do Foguete Solyuz carregando dois cosmonautas para a Estacao Espacial Salyut 4 (1974-1977) resultou no primeiro uso pratico do Sistema de Escape no Lancamento. Os Cosmonautas foram lancados a varios quilometros de distancia, e ficaram preocupados com a possibilidade de virem a pousar na Republica Popular da China, com qual a Uniao Sovietica vinha tendo alguns problemas diplomaticos. A capsula atingiu uma montanha, escorregou por um declive e quase caiu de um penhasco; felizmente as cordas do paraquedas da capsula ficaram presas em arvores ficando suspensa no ar impedindo que a queda no penhasco certamente fatal acontecesse. Mesmo assim, os dois cosmonautas sofreram graves ferimentos e o Comandante Lazerev, nunca mais voltou a voar.

Ja na Decada de 80 que viria a ficar como a decada em que aconteceu talvez o desastre aeroespacial mais conhecido de todos os tempos quando em 28 de Janeiro de 1986 perante o olhar de todos os presentes e 73 segundos apos o lancamento o Vaivem Espacial Challenger nos Estados Unidos  explodiu no ar matando toda a tripulacao a bordo. Em 18 de Marco de 1980 um Foguete Vostok explodiu ainda na plataforma de lancamento durante a operacao de abastecimento, matando 48 pessoas.

Em Agosto de 1981, a Kosmos 434 (1971-1981) que havia sido lancada 10 anos antes em 12 de Agosto de 1971, estava prestes a reentrar tendo feito a reentrada em 22 de Agosto de 1981. Para aclamar os temores de que houvesse material nuclear a bordo, um Porta-voz do Ministerio de Relacoes Exteriores Sovietico assegurou ao Governo australiano em 26 de Agosto de 1981, que a nave espacial era uma "cabine lunar experimental". Essa foi uma das primeiras vezes que a Uniao Sovietica admitiu estar envolvida num Programa Lunar Tripulado.

Em Setembro de 1983, um Foguete Soyuz sendo lancado para enviar cosmonautas para a Estacao Espacial Salyut 7 (1982-1991) explodiu na plataforma de lancamento, acionando-se o Sistema de Escape no Lancamento, salvou-se a vida dos dois cosmonautas a bordo.

Alem destes, existem varios relatos nao confirmados de "cosmonautas fantasmas" cujas as mortes foram supostamente encobertas pela Uniao Sovietica.


Desde o seu inicio ate 2003, houve 22 baixas de cosmonautas e astronautas  nos programas espaciais sovieticos (actual russo) e Norte-americano. A lista abaixo mostra os nomes desses exploradores que perderam suas vidas, pais de origem , ano e as missoes em que perderam a vida:

. 1957: Laika (1954-1957). - Uniao Sovietica. - Missao Sputnik 2.
. 1967: Virgil Ivan "Gus" Grisson (1926-1967). - Estados Unidos. - Apollo 1.
. 1967: Edward Higgins White II (1930-1967). - Estados Unidos. - Apollo 1.
. 1967: Roger Bruce Chaffe (1935-1967). - Estados Unidos. - Apollo 1.
. 1967: Vladimir Mikhailovich Komarov (1927-1967). - Uniao Sovietica. - Soyuz 1.
. 1971: Georgi Timofeyevich Dobrovolski (1928-1971). - Uniao Sovietica. - Soyuz 11.
. 1971: Vladislav Nikolayevich Volkov (1935-1971). - Uniao Sovietica. - Soyuz 11.
. 1971: Viktor Ivanovich Patsayev (1933-1971). - Uniao Sovietica. - Soyuz 11.
. 1986: Francis Richard "Dick" Scobee (1939-1986). - Estados Unidos. - Challenger (Missao STS-51-L).
. 1986: Michael John Smith (1945-1986). - Estados Unidos. - Challenger (Missao STS-51-L).
. 1986: Ellison Shoji Onizuka (1946-1986). - Estados Unidos. - Challenger (Missao STS-51-L).
. 1986: Ronald Erwin McNair (1950-1986). - Estados Unidos. - Challenger (Missao STS-51-L).
. 1986: Gregory Bruce Jarvis (1944-1986). -  Estados Unidos. - Challenger (Missao STS-51-L).
. 1986: Sharon Christa Corrigan McAuliffe (1948-1986). - Estados Unidos. - Challenger (Missao STS-51-L).
. 1986: Judith Arlene Resnik (1949-1986). - Estados Unidos. - Challenger (Missao STS-51-L).
. 2003: Richard “Rick” Douglas Husband (1957-2003). - Estados Unidos. - Columbia (Missao-STS-107).
. 2003: William Cameron "Willie" McCool (1961-2003). - Estados Unidos. - Columbia (Missao-STS-107).
. 2003: David McDowell Brown (1956-2003).  - Estados Unidos. - Columbia (Missao-STS-107).
. 2003: Kalpana Chawla (1961-2003). - Estados Unidos. - Columbia (Missao-STS-107).
. 2003: Michael Phillip Anderson (1959-2003). - Estados Unidos. - Columbia (Missao-STS-107).
. 2003: Laurel Blair Salton Clark  (1961-2003). - Estados Unidos. - Columbia (Missao-STS-107).
. 2003: Ilan Ramon (1954-2003). - Israel. -  Columbia (Missao-STS-107).

Outras estatisticas e curiosidades que se podem apresentar acerca da mesma lista e que das vitimas envolvidas houve 4 mulheres, 17 homens e uma cadela. Dentro das vitimas um era Israelita, 5 eram Sovieticos (incluindo a cadela Laika) e 16 eram Norte-americanos. A primeira pode considerar-se que os Estados Unidos levam a melhor no numero de vitimas mortais em acidentes espaciais mas a realidade pode ser outra se calcular-mos que a Uniao Sovietica sempre ocultou muitas coisas importantes do mundo e possivelmente ate acidentes do genero e possiveis vitimas mortais se pensar-mos nisso a realidade pode ser de facto outra.
                                            
                                                
Alguns dos principais legados do Programa Espacial Sovietico sao:

. Os modulos centrais da Estacao Espacial Internacional.
. O Sistema Soyuz de Naves espaciais e foguetes que a abastece.
. Um dos maiores e mais potentes motores de foguetes em producao, o RD-180.

Todos administradores hoje em dia pela Russia, que por acaso e responsavel por 37% dos lancamentos de foguetes no Mundo (dados de 2009).

Pode-se dizer tambem que houve um importantissimo "efeito colateral". Apesar de no inicio, o Programa Espacial Sovietico acabou por abalar e bastante o prestigio dos Estados Unidos, Pode dizer-se mesmo que foi ele mesmo (Programa Espacial Sovietico) que impulsionou o Programa Espacial dos Estados Unidos, e tambem todas as conquistas decorrentes dele, inclusive e principalmente o Programa Apollo que colocou o homem na Lua.

Nao queria terminar esta cronica que embora ja esteja extensa sem falar mais abertamente dos mais importantes programas espacias sovieticos. Sao eles o Programa Sputnik (1957-1961), o Programa Lunar Tripulado Sovietico , Programa Vostok (1961-1963), Programa Voskhod (1064-1965) e parte Programa Soyuz (1967-Presente) ficando desde ja planeado no futuro descrever o ultimo Programa de uma forma mais completa, nao o faco agora porque no planeamento de elaboracao da cronica vejo que a mesma ja sera muito extensa e longa e ainda o seria mais o que me levaria muito tempo a escreve-la.

Tambem nao e a minha preferencia de pesquisa ja que para escrever uma cronica sobre este tema encontro em alguns artigos uma linguagem muito tecnica e que nem todos entendemos devido a palavras confusas. O facto de alguns artigos de pesquisa estarem escritos naquele portugues chamado "portugues brasileiro" leva-me a encontrar palavras com o mesmo significado mas com outros nomes por exemplo Aterrissagem (aterragem), Espaconave (nave espacial), Onibus espacial (vaivem espacial), Acoplamento (ligacao, conjunto, juncao) entre outras.

 
Programa Sputnik:

Sputnik  (russo: Satelite), foi o nome do programa que produziu a primeira serie de satelites artificiais sovieticos, concebida para estudar as capacidades de lancamento de cargas uteis para o espaco e para estudar os efeitos da ausencia de peso e da radiacao sobre os organismos vivos. Serviu tambem para estudar as propriedades da superficie terrestre com vista a preparacao do primeiro voo espacial tripulado. 

O Sputnik 1 foi o primeiro Satelite Artificial da Terra. Foi lancado pela ex-Uniao Sovietica em 4 de Outobro de 1957 na Unidade de Teste de Foguetes da Uniao Sovietica actualmente conhecida como Cosmodromo de Baikonur situado no Cazaquistao.


O Sputnik 1, era uma esfera de aproximadamente 58,5 Cm e pesava 83.6 Kg. A sua funcao basica de satelite era transmitir um sinal de radio "Beep", que poderia ser sintonizado por qualquer radioamador nas frequencias entre 20, 005 e 40, 002 MHz emitidos continuamente durante 22 dias ate 26 de Outobro de 1957, quando as baterias do transmissor esgotaram a sua energia.

O satelite orbitou a Terra por seis meses antes de cair. Apesar das funcionalidades reduziadas do satelite, o Sputnik 1 ajudou a identificar as camadas da Alta Atmosfera Terrestre atraves das mudancas de orbita do satelite.

O Satelite Sputnik era pressurizado internamente por Nitrogenio, oferecendo tambem a primeira oportunidade de estudo sobre pequenos meteoritos, detectados atraves da despressurizacao interna ocasionada pelo impacto perfurante de um pequeno meteorito, evidenciado atraves de grandes variacoes internas de temperatura conforme a pressao diminuia. Tais variacoes de temperatura reflectiram no sinal emitido pelo transmissor que foram monitorados pelo controlo do satelite em Terra.

Seu foguete, chamado Foguete Sputnik (1957-1961), de dois estagios, tinha 19 metros de altura e pesava 137 toneladas (10,835 toneladas sem combustivel). Seu segundo estagio tambem entrou em orbita. O foguete era propulsado por LOX (Oxigenio Liquido) e Querosense, que ainda hoje sao utilizados pela Russia em suas missoes espaciais da Soyuz.

Ele foi projectado a partir de uma modificacao do Foguete R-7 Semyorka, de dois estagios, originalmente projectado pelo ICBM (Intercontinental Ballistic Missile) e construido pela OKB-1 (S. P. Korolev Rocket and Space Corporation Energia), para lancar ogivas nucleares.

O sistema de controlo do Foguete Sputnik foi ajustado por uma orbita Eliptica com Perigeu de 233 Km e Apogeu de 1450 Km, com Periodo Orbital de 101, 5 minutos. Os parametros de trajectoria do foguete foram realizados foram realizados por Georgi Mikhailovich Grechko (1931) que completou os calculos utilizando o maior computador da Uniao Sovietica.

Apos o lancamento, os parametros de orbita do satelite foram verificados com Perigeu de 228, 6 Km e Apogeu de 947 Km e periodo inicial de orbita de 96, 17 minutos.

O sucesso e o pioneirismo do lancamento do Sputnik 1 fizeram com que a Uniao Sovietica prosseguisse com seu programa atraves de novos lancamentos.

                
. Sputnik I:

O Sputnik 1 foi a primeira Missao do Programa Sputnik, que enviou o primeiro Satelite Artificial da Terra. A missao foi lancada pela ex-URSS em 4 de Outobro de 1957 no Cosmodromo de Baikonur no Cazaquistao. O Sputnik era uma esfera de aproximadamente 50 cm e pesava 83, 6 Kg.

Ele nao tinha nenhuma funcao, a nao ser transmitir um sinal de radio "Beep" que podia ser sintonizado por qualquer radio-amadora.

O satelite orbitou a Terra por tres meses antes de cair. Seu foguete lancador chamado R.7, pesava 4 toneladas e entrou em orbita tambem. Ele foi projectado originalmente para lancar ogivas nucleares.

O Sputnik foi um marco na ciencia e deu aos cientistas valiosas informacoes. A densidade da Atmosfera Superior podia desde entao ser deduzida pela resistencia que o satelite aguentou em orbita, e a propagacao de seus sinais de radio deu informacoes sobre a ionosfera.

O Sputnik 1 foi o primeiro satelite artificial a ser lancado pela antiga Uniao Sovietica e o primeiro satelite tambem a ser lancado pela humanidade. Seu lancamento abriu, simbolicamente falando a "porta" para o comeco da Corrida Espacial entre Estados Unidos e URSS.

Dados do Sputnik I:

. Operacao: Uniao Sovietica.
. Tipo de Missao: Estudos atmosfericos.
. Contratante: Ministerio da Indiustria Radiotecnica Sovietico.
. Satelite da: Terra.
. Lancamento: 4 de Outobro de 1957 as 19:28:34 UTC.
. Local de Lancamento: Cosmodromo de Baikonur, Cazaquistao.
. Veiculo de lancamento: Sputnik.
. Duracao da missao: 90 dias.
. Peso: 83.6 Kg.
. Site oficial: NASA NSSDC Master Catalog.
. Semieixo maior: 6,955.2 km (4,321.8 mi).
. Excentricidade: 0,05200999975204468.
. Inclinacao: 65,0999984741211º
. Apoastro: 939,0 Km
. Periastro: 215,0 Km.
. Periodo orbital: .96,19999694824219 minutos.
. Detector de micrometeoritos: Este instrumento foi concebido para a deteccao de pequenos micrometeoritos no espaco.


. Sputnik II:

A Sputnik 2, foi lancada no espaco em 3 de Novembro de 1957, pesava 543,5 Kg, enviou o primeiro ser vivo ao espaco, a conhecida e famosa cadela Laika. Dados biologicos foram monitorados durante uma semana. Sobre como a cadela teria morrido, a versao que correu na epoca do sucedido e que teria sido em uma semana por falta de oxigenio, conforme foi comunicado pelo proprio Governo Sovietico. Anos mais tarde, no entanto, os cientistas revelaram outra versao apresentando outra historia onde afirmavam que ela morreu poucas horas depois do lancamento, em panico, devido ao super-aquecimento da cabine.

A Sputnik 2 foi a segunda missao do Programa Sputnik lancada pela URSS do Cosmodromo de Baikonur.
                                                  

. Sputnik III:

A Sputnik 3, utilizando uma nova versao de foguetes propulsores, o Sputnik 8A91, lancou um laboratorio espacial de estudo do campo magnetico e do cinturao racioactivo da Terra. Foi lancado em 15 de Maio de 1958, pesando 1340 Kg, e permaneceu em orbita por dois anos.

 
. Sputnik IV (Korabl-Sputnik I):

A Sputnik 4 (tambem chamada Korabl-Sputnik 1) foi lançada ao espaco em 15 de Maio de 1960. Sua carga de 4.540 kg era espetacular para a epoca, e representava um passo importante na preparacao da URSS para colocar um homem no espaco. A cabine continha um manequim humano em tamanho natural. Uma falha nos retrofoguetes impediu a reentrada da nave de forma controlada na Atmosfera Terrestre.

Korabl-Sputnik 1, que significa Nave Satelite 1 tambem conhecida como Sputnik 4 no Ocidente, foi o nome da primeira Missao de Teste do Programa Vostok da Uniao Sovietica, efectuando tambem a estreia da Nave Espacial Vostok.

O seu lancamento, ocorreu em 15 de Maio de 1960, no local habitual, a partir do Cosmodromo de Baikonur. Sua carga de 4540 Kg era espectacular para a epoca, e representava um passo importante na preparacao da Uniao Sovietica para finalmente colocar um homem no espaco. A cabine continha um manequim humano em tamanho natural. Uma falha nos retrofoguetes impediu a reentrada da nave de forma controlada na atmosfera.

Um defeito no sistema de direccao, colocou a capsula numa trajectoria errada, e no lugar de um voo orbital curto, para testar a reentrada, a capsula acabou por entrar numa orbita mais alta. A nave espacial transmitiu dados e voz (previamente gravada) durante quatro dias, quando o Modulo de Reentrada se separou do Modulo de Controlo e os retrofoguetes foram accionados.

Um problema no controlo de atitude em voo, fez com que a reentrada, so ocorresse, de forma completamente descontrolada, em 5 de Setembro de 1962. Um fragmento do Modulo de Reentrada foi encontrado em Manitowoc, Estado de Wisconsin no Norte dos Estados Unidos.


. Sputnik V (Korabl-Sputnik II):

Finalmente, a Sputnik 5 (tambem chamada Korabl-Sputnik 2), a ultima missao Sputnik, foi lancada ao espaco em 19 de agosto de 1960 com as cadelas Belka e Strelka, quarenta e dois camundongos, dois ratos, um coelho cinza e diversas plantas. A nave espacial retornou a Terra no dia seguinte e, diferentemente do que aconteceu com a cadela Kudriavka, todos os animais foram recolhidos a salvo. A missao testou a possibilidade de enviar seres vivos ao espaco e retorna-los com vida. Foi estudada a adaptacao posterior dos animais a ausencia de gravidade.

Korabl-Sputnik 2, que significa Nave Satelite 2, tambem conhecida como Sputnik 5 no Ocidente, foi o nome da terceira Missao de Teste do Programa Vostok da Uniao Sovietica, tendo sido a primeira a colocar animais em orbita e a traze-los de volta a salvo.

A Korabl-Sputnik 2, foi a segunda tentativa de lancar uma Nave Espacial Vostok, com caes a bordo. A primeira tentativa, em 29 de Julho, havia falhado, quando um problema em um dos motores auxiliares do veiculo lancador, fez com que o mesmo perdesse forca e caisse, sendo a mesma queda fatalmente mortal para ambos os caes.

O lancamento ocorreu em 19 de Agosto de 1960 a partir do Cosmodromo de Baikonur, usando um Foguete Vostok-L (8K72) que esteve em uso durante Maio e Dezembro de 1960 sendo substituido pelo Vostok-K que tinha uma capacidade de carga util maior. Sua tripulacao era composta por: duas cadelas, Belka e Strelka, 42 camundongos, 2 ratos, 1 coelho cinza e passaros para alem de diversas plantas, alem de duas cameras de TV monitorando as cadelas.

A nave espacial retornou a Terra no dia seguinte e, diferente do que acontecera com a cadela Laika da Sputnik 2 todos os animais foram recolhidos a salvo. A missao testou a possibilidade de enviar seres vivos ao espaco e retorna-los a salvo. Um ano depois, a cadela Strelka, teve filhotes, um dos quais foi oferecido pelo Governo da Uniao Sovietica, a entao Primeira Dama dos Estados Unidos Jacqueline Lee "Jackie" Bouvier Kennedy (1929-1994) que viria a ser cinco anos depois do assassinato de John F. Kennedy  Jacqueline Lee "Jackie" Bouvier Kennedy Onassis depois de se casar com o magnata grego Aristoteles Onassis (1906-1975).

                                                   
Ainda houve tres missoes chamadas Koral-Sputnik 3 (1960), Koral-Sputnik 4 (1961) e o Koral-Sputnik (1961), que representaram os ultimos esforcos pre-Vostok (a nave espacial que levou Yuri Gagarin ao espaco, e que passou a ser a primeira geracao de naves tripuladas da URSS). As duas ultimas enviaram naves Vostok e ja foram lancadas segundo um padrao de orbita que permitisse o envio de humanos ao espaco.


 . Sputnik VI ( Korabl-Sputnik III):

A Korabl-Sputnik 3 foi lancada em 1 de Dezembro de 1960 e levava a bordo duas cadelas Pcholka (Abelhinha) e Mushka (Mosquinha), ratos, insectos e plantas.

Korabl-Sputnik 3, que significa Nave Satelite 3, tambem conhecida como Vostok-1K No.3, e Sputnik 6 no Ocidente, foi o nome de uma Missao de Teste do Programa Vostok da Uniao Sovietica, tendo sido a segunda a tentar colocar animais em orbita e traze-los de volta a salvo.

A Korabl-Sputnik 2, foi a terceira tentativa de lancar uma Nave Espacial Vostok, com caes a bordo (no caso cadelas). A segunda tentativa em 19 de Agosto, tinha sido bem sucedida.

O lancamento, ocorreu em 1 de Dezembro de 1960 a partir do Cosmodromo de Baikonur, usando um Foguete Vostok-L. Sua tripulacao era composta por duas cadelas Pcholka e Mushka, alem de duas cameras de TV monitorando-as, e uma serie de instrumentos cientificos.

O lancamento foi perfeito, e a orbita pretendida foi atingida. No dia seguinte, o procedimento de reentrada foi iniciado, mas o funcionamento do retrofoguete nao foi interrompido como planejado, fazendo com que a trajetoria de reentrada mais longa, colocasse a capsula em territorios internacionais. Temendo pela confidencialidade dos dados da missao, o procedimento de autodestruicao foi accionado, matando ambas as cadelas.


. Sputnik IX (Korabl-Sputnik IV):

A Korabl-Sputnik 4 descolou do Cosmodromo de Baikonur em 9 de Marco de 1961. A nave espacial pesava 4700 Kg e levava um manequim de homem em tamanho natural (cujo o apelido era Ivan Ivanovich), e um cadela chamada Chernuschka (Pretinha).

A Korabl-Sputnik 4, que significa Nave Satelite 4, tambem conhecida como Vostok-3KA No.1, e Sputnik 9 no Ocidente, foi o nome de uma Missao de Teste do Programa Vostok da Uniao Sovietica, tendo sido tambem a terceira a tentar colocar animais em orbita e a traze-los de volta a salvo.

A Korabl-Sputnik 4, foi a quarta tentativa de lancar uma Nave Espacial Vostok, com caes (cadelas) a bordo. A terceira tentativa, em 1 de Dezembro de 1960, havia sido um sucesso parcial, pois um erro na trajectoria de reentrada, obrigou a que fosse accionado o sistema de autodestruicao.

O lancamento, ocorreu em 9 de março de 1961 a partir do Cosmodromo de Baikonur, usando um foguete Vostok-K. Sua "tripulacao", era composta pelo manequim cientifico, Ivan Ivanovich, por uma cadela: Chernushka, alguns camundongos e um porquinho-da-india, alem de cameras de televisao monitorando-os, e uma serie de instrumentos cientificos.

O lancamento foi perfeito, e a orbita pretendida foi atingida. Cerca de uma hora e trinta minutos depois do lancamento, e de ter completado apenas uma orbita, foi dado o comando de reentrada. O pouso ocorreu conforme planejado, sendo o manequim ejetcado da capsula durante a descida para testar o assento ejector. Tanto o manequim quanto a capsula com sua tripulacao foram recuperados.
                                                     
                                                       
. Korabl-Sputnik V:

A Korabl-Sputnik 5 descolou da base do Cosmodromo de Baikonur em 25 de Marco de 1961, levando a bordo uma cadela chamada Zvezdochka (Estrelinha).

Esta missao usou uma Nave Espacial Vostok e foi usada usando um padrao de orbita que permitisse o envio de humanos ao espaco.


A Missao Sputnik 1, junto com o voo de Yuri Gagarin no Vostok 1, teve um impacto profundo na Historia da Exploracao Espacial, foram os eventos que desafiaram os estadunidenses e foram a gota d'agua para o lancamento do Programa Espacial dos Estados Unidos com intuito e objectivando alcancar a Lua.

A Sputnik tornou-se uma lenda e um marco da exploracao Espacial.  Sua historia confunde-se com a persistencia de seu principal Engenheiro, Sergei Korolev, que mais tarde foi indicado por Nikita Khrushchov, o Lider sovietico na epoca, como "Engenheiro-chefe" do Programa Espacial Sovietico.

A Sputnik provou duas coisas importantes. Em primeiro lugar que era possivel colocar em órbita um artefacto humano, e em segundo lugar, e mais importante, que era possível colocar seres vivos no espaco, inclusive humanos.

Em 3 de Novembro de 1997 uma replica do Satelite Sputnik, elaborada por estudantes franceses e russos, foi lancada para celebrar os 40 anos do Programa Sputnik. O Satelite reproduziu os mesmos sinais "bip-bip-bip" do Sputnik transmitidos na frequencia de 145,820 MHz oferecendo a oportunidade para varias pessoas do mundo sintonizarem o sinal tal qual foi emitido originalmente na Decada de 1950.

O projeto foi coordenado por Daniel Saul Goldin (1940) da NASA seguindo a filosofia "Melhor, Rapido e Economico". A replica enviou seus sinais a Terra por dois meses ate as baterias esgotarem sua energia em 9 de janeiro de 1998. O satelite, inactivo depois do esgotamento das baterias, porem ainda orbitou a Terra por um ano.


Programa Lunar Tripulado Sovietico:

O Programa Lunar Tripulado Sovietico, foi na verdade um conjunto de missoes espaciais, conduzidas pela antiga Uniao Sovietica, com o claro objectivo de fazer pousar um homem na Lua em competicao directa com o Projecto Apollo, dos Estados Unidos, que foi anunciado publicamente pelo Presidente John Fitzgerald Kennedy (1917-1963), em 25 de Maio de 1961.

O governo sovietico, nao admitiu publicamente na epoca, estar participando dessa "corrida a lua", no entanto, secretamente, foram conduzidos dois subprogramas com esse objectivo na Decada de 60:

. O Lunar L1, composto por missoes de voo tripuladas circulando a Lua, usando naves espaciais, Soyuz 7K-L1 (1967-1970) (Zond) e o lancadorProton UR-500K.

Lunar L1 e o nome atribuido a um dos subprogramas da antiga Uniao Sovietica cujo o objectivo era colocar cosmonautas em orbita da Lua.

Esse subprograma, parte do Programa Lunar Tripulado Sovietico, ocorreu de 1959 ate 1970. O mesmo agrupou a maioria dos esforcos espaciais iniciais da Uniao Sovietica particularmente de seu Programa Zond.

Este objectivo nao foi atingido, e a Uniao Sovietica acabou por desistir embora jamais admitindo que tinha o objectivo de atingir a Lua. No entanto, a existencia de um lander lunar, descoberto apos o colapso da Uniao Sovietica, comprovou a existencia do programa

Embora a Uniao Sovietica tenha desistido de levar a frente o objectivo de circum-navegar a lua logo apos o voo da Apollo 8 em 1968, o programa ficou activo ate 1970.

. O Lunar L3 composto por missoes de pouso na lua, usando a Nave Espacial Soyuz 7K-L3 em conjunto com o LK Lander e o Lancador N-1.

Lunar L3 é o nome atribuído a um dos subprogramas da antiga Uniao Sovietica cujo objectivo era fazer pousar cosmonautas na Lua, e retorna-los a salvo a Terra.

Esse subprograma, parte do Programa Lunar Tripulado Sovietico, ocorreu de 1962 ate 1974. Ele agrupou a maioria dos esforcos espaciais iniciais da Uniao Sovietica, para voos tripulados interplanetarios.

Este objectivo nao foi atingido, e a Uniao Sovietica acabou desistindo e jamais admitindo que tinha o objectivo de atingir a Lua. No entanto, a existencia de um lander lunar, descoberto apos o colapso da Uniao Sovietica, comprovou a existencia do programa.

Embora a Uniao Sovietica tenha desistido de levar a frente o objectivo de fazer pousar um homem na Lua, logo apos o voo da Apollo 11 em 1969, o programa ainda ficou ativo ate 1974.

Logo apos o sucesso da primeira orbita tripulada ao redor da Lua com a Apollo 8 em Dezembro de 1968, o primeiro pouso na Lua com a Apollo 11, e uma serie de falhas catastroficas com o foguete N-1, esses dois programas foram finalizados. O Proton/Zond em 1970 e o N1/L3, em 1974. Os detalhes sobre esses programas so foram revelados em 1990, com o advento da Glasnost.


Programa Vostok:

Vostok (em russo: Oriente, Leste), designa o conjunto de missoes espaciais tripuladas executadas pela Agencia Espacial Sovietica no periodo de 1961 ate 1963, que usavam uma nave espacial com capacidade para um Cosmonauta em orbita da Terra. A nave espacial usada no mesmo projecto era tambem chamada de Vostok.

A Nave Espacial Vostok compreendeu tres tipos diferentes de naves:

. Vostok-1 (1K): Nave espacial prototipo usada somente em testes.
. Vostok-2 (2K): Nave usada para actividades de foto-reconhecimento e espionagem. Foi posteriormente reprojectada com o nome de Zenit-2.
. Vostok-3 (3K): Nave usada em missoes tripuladas.
. Vostok 3KA - (1961): Primeira nave tripulada, ainda em uso para mapeamento, espionagem e missoes militares.
. Vostok 3KV - (1964): Tambem conhecida como Voskhod, e uma adaptacao da Vostok para levar ate tres cosmonautas.
. Vostok 3KD - (1965): Tambem conhecida como Voskhod, e uma Nave Vostok adaptada com a adicao de uma escotilha selada para actividades fora do veículo.


 
Os voos tripulados da Vostok foram precedidos de dois voos nao tripulados conhecidos como Korabl-Sputnik-4 e Korabl-Sputnik-5, que usaram a nave Vostok para testes e tiveram um padrao de voo compatível com uma missao tripulada, embora ambos os voos sejam consideradas missoes Sputnik.


A Nave Vostok tinha suas dimensoes num comprimento total de 4,4 M e diametro  maximo de 2,4 M, com um peso total de 4730 Kg. Era formada por dois modulos: a capsula de reentrada (onde ficava alojado o Cosmonauta) e o modulo dos equipamentos que continha os instrumentos, antenas, propelente, e outros equipamentos. Os motores de retrofoguetes da Vostok possuiam um empuxo de 15,83 KN e usavam um propelente o oxido nitroso. A nave possuia um formato esferico, com peso em apenas um lado, o que ja por si garantia um posicionamente correcto para a reentrada, sem a necessidade de manobras, ja que a nave nao era manobravel. A mesma possuia a acomodacao para um Cosmonauta em traje pressurizado, com assento ejectavel . A nave possuia duas janelas, uma sobre a cabeca do Cosmonauta, outra em seus pes equipada com dispositivo optico de orientacao (o Dispositivo Optico Vzor). A orientacao da nave (Altitude) era obtida era obtida por meio de jactos de gas frio. A Nave Espacial Vostok nao tinha sistema de orientacao com giroescopios, mas apenas um sistema primitivo, semelhante a um relogio, que indicava a posicao tomada pela nave sobre o globo terrestre. A nave possuia um paraquedas para a descida apos a reentrada, embora o Cosmonauta tivesse o seu proprio (durante a queda da nave, o Cosmonauta saltava da nave e descia usando o seu proprio paraquedas).

O Projecto Vostok consistiu em seis missoes:

 
. Vostok I:

Vostok 1 - 12 de Abril de 1961 - Yuri Gagarin - Esta missao colocou o primeiro ser humano no espaco. A missao foi lancada do Cosmodromo de Baikonur e executou uma orbita da Terra na Altitude de 315 Km. A carga da nave incluia equipamento de suporte a vida, radio e televisao para monitorar as condicoes do Cosmonauta. Nesta missao, Gagarin proferiu a famosa frase:

- "A Terra e azul".

O voo foi totalmente automatico, sendo que o painel de controlo da nave estava travado e Gagarin possuia uma chave e um envelope fechado caso houvesse necessidade de tomar o controlo manual da nave. O Modulo de Equipamento da nave espacial nao se separou da capsula no final da missao, por algum problema tecnico, e acabou provocando uma situacao critica, ao se queimar na reentrada na atmosfera. Gagarin ejectou se ejectou apos a reentrada e desceu usando um paraquedas proprio, como estava anteriormente planejado, embora a URSS tenha negado isto por anos por medo que o voo nao fosse reconhecido pelas entidades internacionais, ja que o Piloto e Cosmonauta nao havia acompanhado a sua nave espacial ate ao solo.

                                              

Vostok I (Leste I ou Oriente I) foi a primeira Missao do Programa Espacial Sovietico Vostok e a primeira missao espacial tripulada da Historia. A nave espacial foi lancada do Cosmodromo de Baikonur em 12 de Abril de 1961, levando Yuri Gagarin, um Cosmonauta e Piloto da Forca Aerea Sovietica, ao espaco.

O voo marcou a primeira vez que um ser humano foi ao espaco exterior e o primeiro voo orbital de uma nave tripulada. O mesmo consistiu de uma unica orbita em torno da Terra, com a duracao de 1 H 48 Min e 20 Seg entre o lancamento e o pouso. Como planejado, apos a reentrada Gagarin pousou separadamente da Vostok a cerca de 7000 M de Altitude, descendo de paraquedas na Provincia de Saratov, Russia.

A Vostok 1 foi projectada e construida por Sergei Korolev Engenheiro-chefe e Cientista-chefe da Roskosmos (Agencia Espacial Federal Russa), sob a supervisao de Kerim Kerimov um General, Engeheiro Aeroespacial e Cientista. Devido ao segredo mantido na epoca pela Uniao Sovietica sobre seu programa espacial, detalhes da missao so vieram a publico muitos anos depois. Na epoca o governo havia preparado tres comunicados diferentes a Imprensa, um para o sucesso e dois para um eventual fracasso.

Parametros da Missao Vostok I:

. Massa: 4.725 Kg.
. Perigeu: 169 Km.
. Apogeu: 327 Km.
. Inclinacao: 64,9°.
. Periodo orbital: 89.34 min.


Em 1957(4 de Outobro), os Sovieticos haviam colocado em orbita o primeiro Satelite Artificial do Mundo, o Sputnik 1, dando inicio a chamada Corrida Espacial entre a Uniao Sovietica e os Estados Unidos. As duas nacoes queriam desenvolver seus programas espacias rapidamente e serem os primeiros a colocar um homem no espaco.

O programa sovietico criado para isso chamou-se Vostok. Antes do lancamento de Gagarin, foram lancadas varias capsulas nao-tripuladas, entre Maio de 1960 e Marco de 1961, para testar e desenvolver o foguete lancador e a nave espacial, ambos com o mesmo nome. Estas missoes tiveram niveis variados de sucessos e fracassos, mas particularmente, o grande sucesso das duas ultimas  Korabl-Sputnik-4 e Korabl-Sputnik-5, abriram o caminho para o lancamento de uma capsula tripulada.

A Vostok 1 foi a primeira de uma serie de naves vostok tipo 3KA a voar. Oito delas foram construidas e seis foram ao espaco em voos tripulados. O primeiro com Gagarin em 12 de Abril de 1961 e o ultimo com Valentina Tereshkova em 16 de Junho de 1963.

A capsula tinha um sistema limitado de propulsao, o que fazia com que a sua orientacao, durante a reentrada na atmosfera apos a separacao do ultimo estagio dos retrofoguetes, nao pudesse ser controlada. Isso significava que ela precisava ser protegida por todos os lados do calor da friccao durante a descida pelas altas camadas da atmosfera, o principal factor de seguranca pela qual era de forma esferica (diferente das capsulas do Programa Espacial Norte-americano Mercury (1959-1963) que eram conicas). Sua forma permitia que tivesse um maximo volume com um minimo de exposicao da superficie externa.

Algum controlo do sistema de navegacao de reentrada era possivel, deslocando o centro de gravidade da nave pelo deslocamento de equipamento pesado dentro dela, o que dava ao Cosmonauta a possibilidade de maiores chances de sobrevivencia a Forca G, viajando em posicao praticamente horizontal. Mesmo assim, o tripulante enfrentava forcas G do nivel 8 e 9.

Suas principais especificacoes tecnicas eram:

. Capacidades de tripulantes: 1.
. Comprimento: 5 m.
. Diamentro: 2,3m.
. Massa: 2.460 Kg.
. Massa do escudo protector de calor: 837 Kg.
. Peso do equipamento de recuperacao: 151 Kg.
. Peso da tripulacao e mantimentos: 336 Kg.
. Acelaracao da reentrada em trajectoria balistica: 8G (78 m/s2).
. Ejecao do tripulante: 7 Km.
. Abertura do paraquedas principal: 2,5 Km.

                                      
Projectada para transportar apenas um tripulante, Iuri Alekseievitch Gagarin, Oficial do exercito (Forca Aerea) Piloto de 27 anos, foi escolhido para a missao, entre os cosmonautas selecionados para o Programa Espacial Tripulado. Os dois cosmonautas reservas foram Gherman Stepanovich Titov e Grigori Grigoyevich Nelyubov (1934-1966). A escolha foi formalmente anunciada oito dias antes do voo, mas Gagarin era o favorito entre o grupo desde de varios meses.

Essa escolha recaia fortemente na opniao de Nikolai Petrovich Kamanin (1908-1982) que era um antigo Piloto de aviacao sovietico, Heroi da II Guerra  Mundial e posteriormente Chefe do Departamento de Treinamento de Cosmonautas do Programa Espacial Sovietico. Em 5 de Abril, poucos dias antes do voo, ele escreveu uma anotacao em seu diario onde confessou que ainda estava indeciso entre Gagarin e Titov:

"A unica coisa que ainda me impede de escolher Titov e a necessidade de ter uma pessoa mais forte fisicamente para o voo de um dia"...

Ele se referia ao voo tambem ja programado da Vostok II, em seguida, que teria 24 horas de duracao, enquanto a Vostok I faria apenas e somente uma orbita em torno da Terra.

Quando Gagarin e Titov foram informado da decisao numa reuniao em 8 de Abril apenas 4 dias antes do voo, o primeiro (Gagarin) ficou muito feliz enquanto o segundo (Titov) completamente desapontado. No dia seguinte, o encontro foi repetido e formalizado em frente as cameras de TV, sem transmissao publica, com Gagarin aceitando a missao, de maneira a que posteriormente houvesse uma gravacao do facto. O nivel de segredo era tao grande, que um dos proprios candidatos ao posto, Aleksei  Leonov, so tomou conhecimento de quem seria o primeiro no espaco depois do proprio voo ja ter comecado.

Gagarin foi examinado por uma junta medica antes do voo. Em Junho de 2011, um dos medicos que o observara deu seu testemunho sobre o momento:

"Gagarin parecia mais palido que o normal. Ele estava pouco social e calado, o que nao era o seu normal. Apenas respondia as perguntas feitas com curtos "Sim" ou movimentos de cabeca. Em alguns momentos comecava a cantarolar baixinho algumas melodias. Era um Gagarin diferente. Depois do exame o abracamos e eu lhe disse: "Yuri tudo vai correr bem". Ele bateu a cabeca de volta".

                                                  
Ao contrario de missoes Vostok posteriores, nao havia navios sovieticos em diversos pontos do globo para seguir e receber os sinais da nave espacial durante a sua orbita ao redor da Terra. Ao inves disso, o voo contou com uma rede de estacoes terrestres, chamadas de Pontos de Comando, preparados para a comunicacao com a Vostok no espaco, mas todos localizados dentro do territorio da Uniao Sovietica.

Por causa de algumas restricoes quanto ao peso da capsula, a Vostok I nao tinha um retrofoguete de reserva. Ela transportava provisoes para dez dias, permitindo a sobrevivencia de Gagarin a bordo, ate que no final deste prazo a capsula caisse de volta na Terra por inercia, caso o unico retrofoguete falhasse.

Toda a missao seria controlada por sistemas automaticos a bordo ou do controlo de Terra, porque tantos os medicos como os cientistas desconheciam ainda se o homem poderia continuar com as suas funcoes vitais e reflexos em perfeita ordem, sendo submetido a falta de gravidade. Assim, os controlos manuais do Piloto foram travados mas, apesar disso, um envelope com codigos para destravar estes controlos, foram colocados a bordo, para o caso de uma emergencia.

Na manha de 11 de Abril de 1961, o Foguete Vostok-K, com a Capsula Vostok 1 acoplada em seu cimo, foi transportado por varios quilometros ate a plataforma de lancamento em Baikonur sobre uma grande carreta, em posicao horizontal. Com o foguete em posicao, Korolev inspeccionou o conjunto e, sem encontrar problemas, ele foi colocado na posicao vertical de lancamento. As 10:00 (hora de Moscovo), Gagarin e seu reserva Titov fizeram uma ultima verificacao do plano de voo e foram informados que o lancamento estava marcado para o dia seguinte, as 09:03 (hora de Moscovo). Essa hora foi escolhida de maneira a que quando a nave espacial comecasse a voar sobre Africa, momento em que os retrofoguetes deveriam ser accionados para a reentrada, a iluminacao solar estaria na posicao ideal para os sensores do sistema de orientacao da nave espacial.

As 18:00, os dois cosmonautas foram instruidos pelos psiquiatras envolvidos na missao e que acompanhavam os mesmos a nao falarem sobre a proxima missao e tanto Gagarin como Titov passaram a noite a relaxar e a ouvir musica, nadaram numa piscina e conversando sobretudo sobre os seus tempos de infancia de ambos. As 21:50 foram-lhes oferecidos uns comprimidos para dormir, para que assim tivessem uma boa noite de sono, mas os dois declinaram. Os medicos colocaram sensores nos dois homens para monitorar suas condicoes durante a noite e acreditaram que os dois homens haviam dormido bem. Biografos posteriores, entretanto, afirmaram que nenhum dos dois cosmonautas dormiu naquela noite. Sergei Korolev tambem nao dormiu, dominado pela a ansiadade pelo lancamento na manha seguinte.

As 05:30 da manha de 12 de Abril de 1961, Gagarin e Titov acordaram, tomaram um Pequeno-Almoco normal, vestiram seus fatos espaciais e foram transportados ate a plataforma de lancamento. Gagarin entrou na Vostok 1 e as 07:10 o sistema de radio-comunicacao da cabine foi ligado. Com ele ja no interior da capsula, sua imagem apareceu em todos os televisores do centro de lancamento, enviada por uma camera a bordo. O lancamento so ocorreria dentro de duas horas, e durante esse espaco de tempo ele ficou conversando com o CAPCOM (Controlador de Voo) da missao, Korolev, Kamanin entre outros.

Depois de uma serie de testes e revisoes, quarenta minutos depois de Gagarin entrar na Vostok a escotilha da nave espacial foi fechada, mas logo se descobriu que a vedacao nao estava perfeita, obrigando os tecnicos a passarem cerca de uma hora a remover e a trocar parafusos ate poderem sela-la correctamente. Durante o intervalo da reparacao, Gagarin pediu que tocassem musica pelo radio da nave. Korolev estava muito nervoso no comando da equipa de lancamento, com dores no peito, e tomou medicacao para acalmar os nervos e diminuir o batimento cardiaco. Por outro lado, Gagarin estava completamente calmo, com sua pulsacao em 64 batimentos por minuto pouco tempo antes do lancamento.

                                             
Lancamento:

. 06:07 (UTC): A Vostok e lancada do Cosmodromo de Baikonur. Pela radio Korolev fala: - "Estagio preliminar... intermediario...principal...lancada! Desejamos a voce uma boa viagem, tudo esta perfeito". - Gagarin somente respondeu: - "Vamos embora".
. 06:09 (UTC): Com dois minutos de voo as quatro seccoes dos propulsores do foguete preliminar esgotam o combustivel e eles se soltam do nucleo da nave espacial.
. 06:10 (UTC): O involucro que cobre a Vostok 1 e liberado e deixa a descoberto a janela aos pes de Gagarin e o sistema de orientacao optica da nave.
. 06:12 (UTC): Com cinco minutos de voo, o estagio intermediario do foguete esgota o combustivel e se destaca da nave, que segue para orbita apos a ignicao de seu ultimo foguete propulsor.
. 06:13 (UTC): com o ultimo foguete empurrando a Vostok ate a rbita, Gagarin transmite: - "....o voo continua bem. Eu posso ver a Terra e a visibilidade e boa...posso ver quase tudo...ha boa quantidade de espaxo vazio visivel sob a cobertura de nuvens... continuo voando e tudo esta bem".
. 06:14 (UTC): O ultimo estagio do foguete continua em funcionamento e a Vostok comeca a passar sobre a Russia central. Gagarin transmite: - "... tudo esta funcionando bem, todos os sistemas estao funcionando... vamos continuar".
. 06:15 (UTC): Com tres minutos da ignicao do estagio final do foguete, Gagarin transmite: - " ... Zarya 1, Zarya 1 (o controlo de voo em Baikonur)...nao posso ouvi-los muito bem mas estou bem. Continuo em voo....". A Vostok comeca a sair do alcance de frequencia de radio de Baikonur.

Orbita:

Os controladores de Terra so souberam se a nave havia atingido uma orbita estavel somente 25 minutos apos o lancamento:


. 06:17 (UTC): O estagio final do Foguete Vostok desliga-se e dez segundos depois separa-se da Vostok 1 que comeca a entrar em orbita. Gagarin informa: - "... a nave esta operando normalmente. Eu posso ver a Terra pelo visor. Tudo corre como planejado". A nave passa pela Russia em direccao a Siberia.
. 06:21 (UTC): Gagarin passa a Penisula Kamchatka em direccao ao Norte do Oceano Pacifico.
. 06:25 (UTC): A Vostok comeca a cruzar em linha diagonal o Oceano Pacifico, desde a Penisula Kamchatka ate a ponta Sudoeste da America do Sul. Gagarin pergunta: - "O que voces podem me dizer sobre o voo? O que podem me dizer?". - Ele estava querendo informacoes sobre seus parametros orbitais. O controlo de Terra responde de volta: - "Nao ha instrucoes do Nº20 (Sergei Korolev) e o voo esta transcorrendo normalmente". Eles estavam querendo dizer a Gagarin que nao havia ainda parametros orbitais disponiveis porque o voo em orbita ocorre apenas ha seis minutos, mas os sistemas da nave espacial funcionavam a contento.
. 06:31 (UTC): Gagarin transmite para a Estacao de Khabarovsk: - "Eu me sinto esplendido, muito bem, muito bem, me deem alguns dados do voo". - A estacao responde: - "Repita, nao podemos ouvi-lo muito bem". Gagarin transmite novamente: - "Eu me sinto muito bem, me deem seus dados sobre o voo". A Vostok passa do alcance da Antena VHF de Khabarovsk e perde o contacto.
. 06:37 (UTC): A Vostok 1 continua a sua jornada que ficaria na Historia enquanto o Sol se poe sobre o Pacifico Norte. Ela entra na noite a Noroeste do Havai. Fora do alcance das antenas VHF das estacoes de Terra, a comunicacao agora e via radio em frequencia HF.
. 06:46 (UTC): A Estacao de Khabarovsk envia uma mensagem KK via telegrafo (em radio HF para a Vostok 1). A mesma dizia "Informe o monitoramento dos comandos de bordo". Eles pediam a Gagarin que informe quando o sistema automatico de descida da nave espacial recebeu as instrucoes do controlo de Terra. Gagarin responde as 06:48 (UTC).
. 06:48 (UTC): Gagarin cruza entao a Linha do Equador em 170º Oeste, viajando em direccao Sudeste e comeca a cruzar o Pacifico Sul .
. 06:49 (UTC): Gagarin informa que esta no lado escuro da Terra.
. 06:51 (UTC): Gagarin informa desta vez que o sistema de controlo de Altitude foi ligado. Este sistema e usado pela Vostok 1 para ligar os retrofoguetes.
. 06:53 (UTC): A Estacao de Khabarovsk transmite a Gagarin por radio em onda HF: - "por ordem do nº33 (General Nikolai Kamanin) os transmissores foram ligados e transmitimos isso: o voo esta ocorrendo como o planejado e a orbita e a calculada ". - Eles queriam dizer a Gagarin que a orbita estava estavel e o mesmo recebe a mensagem.
. 06:57 (UTC): A vostok 1 esta ainda sobre o Pacifico Sul entre a Nova Zelandia e o Chile quando Gagarin transmite uma nova mensagem: - "...Continuo em voo e estou sobre a America. Transmiti o sinal "ON".
. 07:00 (UTC): A Vostok 1 cruza o Estreito de Magalhaes na ponta da America do Sul. As noticias sobre a missao comecam difundidas ao Mundo pela Radio Moscovo.
. 07:04 (UTC): Gagarin envia uma mensagem sobre o status operacional da nave espacial, mas ela nao e recebida pelas estacoes em Terra.
. 07:10 (UTC): Ao passar sobre o Oceano Atlantico, o sol se levanta no horizonte e a Vostok 1 entra novamente na luz do dia. Faltam 15 minutos para se dar a ignicao dos retrofoguetes.
. 07:13 (UTC): Gagarin envia uma nova mensagem sobre o status da nave espacial. Moscovo apenas recebe parte dela - "...ouco voces bem...o voo continua normalmente".
. 07:18 (UTC): Gagarin envia uma mensagem sobre o status operacional da nave espacial, mas ela nao e recebida pelas estacoes em Terra.
. 07:23 (UTC): Mais uma vez, Gagarin envia uma mensagem sobre o status operacional da nave espacial, mas ela nao e recebida pelas estacoes em Terra.

O sistema automatico da nave espacial coloca a Vostok 1 em alinhamento para a ignicao dos retrofoguetes com cerca de uma hora de voo.


As 07:25 (UTC), os sistemas automaticos da nave a trouxeram a Altitude determinada para ligar os retrofoguetes e pouco depois ocorreu a ignicao, quando a Vostok se aproximava da costa Oeste de Africa, perto de Angola, a 8000 Km de distancia do local de pouso, na Russia. Os retrofoguetes mantiveram-se ligados por 42 segundos. Dez segundos apenas apos a queima dos motores, comandos foram enviados da Terra para que o Modulo de Servico da Vostok  se separasse do Modulo de Comando (onde fica o Cosmonauta). mas os dois continuaram ligados por um feixe de fios. Dez minutos depois. As duas metades ainda em juncao iniciaram a fase de reentrada e a capsula com Gagarin comecou a sofrer fortes oscilacoes e a girar no espaco quando se aproximavam do Egipto. Neste ponto os fios finalmente se separaram e o Modulo de Reentrada, livre, estabilizou-se na Altitude correcta de reentrada. Gagarin telegrafou a mensagem "tudo esta Ok", apesar da Vostok continuar a girar fortemente. Mais tarde, ele declararia que nao comunicou o facto por nao querer "fazer barulho" e ter calculado que as vibracoes e os giros (aparentemente causados pela forma esferica da capsula) nao colocavam a missao em perigo. A medida que descia, Gagarin enfrentou a fora G 8 mas manteve-se consciente.

As 07:55 (UTC) quando a Vostok ainda se encontrava a 7 Km de atingir o solo, a escotilha da nave foi automaticamente aberta e ele ejectado do seu interior. A 2,5 Km do solo, o paraquedas principal da nave abriu-se e a mesma comecou a descer lentamente para o chao. Duas estudantes que viram a nave descendo do ceu e pousando descreveram a cena:

"Era uma enorme bola, com tamanho de dois ou tres metros. Ela caiu, bateu no solo, saltou e caiu novamente. Ficou um grande buraco onde ela bateu pela primeira vez".

 O paraquedas de Gagarin abriu quase ao mesmo tempo que o da Vostok e cerca de dez minutos depois, as 08:05 (UTC), ele pousou em seguranca no solo, cerca de 26 Km a Sudoeste de Engels, na Provincia de Saratov.

Um Fazendeiro e a sua filha observaram a estranha cena de um figura caida do ceu de um paraquedas, vestida num fosforescente fato de macaco laranja e com um capacete branco na cabeca. Gagarin mais tarde relembrou:

"Quando eles me viram no meu traje espacial e com um paraquedas aberto se arrastando ao meu lado enquanto eu caminhava, eles recuaram com medo. Entao eu lhes disse "nao tenham medo, eu sou um sovietico como voces, que desceu do espaco e precisa arranjar um telefone para ligar para Moscovo".


A Missao da Vostok e o voo de Gagarin foram saudados em todo o mundo como uma grande conquista da Humanidade e da Uniao Sovietica em particular (talvez o seu maior feito ate ao fim da mesma em 1991). Nos Estados Unidos, o governo congratulou oficialmente a URSS por sua conquista. Na imprensa americana, as reacoes foram diversas. No New York Times, "os sentimentos foram mistos, devido ao medo das implicacoes militares que um voo espacial poderia provocar na Guerra Fria. Para alguns jornais, "o povo de Washington, Paris, Londres e de todos os lugares, deveria estar dancando nas ruas pela conquista, se nao fosse o sentimento de duvidas e suspeitas sobre as intencoes da Uniao Sovietica". Outros veiculos escreveram sobre o medo de que o voo significasse uma vitoria da propaganda em beneficio do Comunismo.

O Presidente John Kennedy declarou que ainda seria necessario algum tempo ate que o pais pudesse se igualar a URSS na tecnologia de foguetes e propulsores, e que as proximas noticias ainda seriam piores antes de ser boas. Apesar disso, Kennedy mandou congratulacoes oficiais ao governo sovietico pela "fantastica conquista tecnologica".

 Adlai Ewing Stevenson II (1900-1965), o Embaixador dos EUA na Organizacao das Nacoes Unidas, declarou, de maneira ironica: "Agora que os cientistas sovieticos foram capazes de mandar um homem ao espaco e traze-lo de volta vivo, espero que eles tambem ajudem a reviver e trazer de volta as Nacoes Unidas" e numa declaracao mais seria, insistiu para que as nacoes criassem urgentemente tratados internacionais sobre o uso pacifico do espaco.

Na India o Primeiro-Ministro Jawaharlal Nehru (1889-1964) elogiou os sovieticos pela "grande vitoria do Homem sobre as forcas da natureza". No Japao, a imprensa instava a que "tanto os EUA quanto a URSS usassem seus novos conhecimentos tecnologicos em beneficio da especie humana". O Egipto expressou esperancas de que a Guerra Fria pudesse transformar-se numa "corrida pacifica pelo espaco infinito".

Em outros paises ocidentais, a reaccao foi de cautela em  relacao ao feito. Na Gra-Bretanha, The Economist expressou receios de que plataformas orbitais pudessem ser usadas para ataques nucleares de surpresa, enquanto o alemao-ocidental Die Welt, argumentava que "Os Estados Unidos tinham os recursos tecnologicos para enviar um homem ao espaco antes, mas foram derrotados pela determinacao sovietica".

Yuri Gagarin tornou-se uma celebridade mundial apos o voo da Vostok I. Foi condecorado como Heroi da Uniao Sovietica pelo governo de Nikita Krushev e recebido por governos e por multidões nas ruas nas visitas oficiais que fez nos meses seguintes a cidades tanto do Ocidente quanto da Cortina de Ferro, como Londres, Paris, Berlim, Cairo, Estocolmo, Sofia, Varsovia, Belgrado e ate Sao Paulo e Rio de Janeiro, no Brasil.


O local do pouso da Vostok I e hoje um parque e memorial. Sua figura central e um monumento de 25 M de Altura, que consiste numa Nave Espacial prateada subindo ao espaco sobre uma coluna metalica curva de chamas, partindo de uma base de pedra branca. Na frente dela, ha uma estatua branca de Gagarin, com tres metros de altura, vestindo um fato espacial, com uma mao levantada saudando e a outra segurando o capacete.

O Modulo de Comando de reentrada da nave espacial esta hoje em exposicao no Museu RKK Energiya em Korolev, perto de Moscovo.

Dados da Missao Vostok I:

Lancamento: 12 de Abril de 1961, 06:07 (UTC), Cosmodromo Baikonur.
Aterragem: 12 de Abril de 1961, 07:55 (UTC), 51.2º N 45.9º E.
Numero de tripulante: 1 (Iuri Alekseievitch Gagarin).
Orbita(s): 1.
Duracao: 1 H:48 Min.



Em 2011, o Documentarista britanico Christopher Riley (1967) uniu-se ao Astronauta italiano Paolo Angelo Nespoli (1957) integrante da Expedicao 27 (2011) na Estacao Espacial Internacional, com o objectivo de tentar reproduzir, juntando imagens de arquivo feitas por Gagarin em 1961 e imagens feitas hoje da ISS por Nespoli, o que o Cosmonauta sovietico teria visto do espaco em seu voo pioneiro. O resultado do trabalho e da montagem das duas filmagens, resultou no Documentario First Orbit (2011), disponibilizado na Internet para comemorar o 50º aniversario do primeiro voo espacial humano.

Desde 1962, o dia 12 de Abril, dia do voo da Vostok I, e celebrado como o Dia da Cosmonautica, na Russia.

                                            
. Vostok II:

Vostok 2 - 6 de Agosto e 7 de Agosto de 1961 - Gherman Titov - Esta missao viria a bater o recorde de permanencia no espaco. Titov foi o primeiro Cosmonauta a sentir enjoo no espaco. A nave estava equipada de suporte de vida, radio e televisao para monitorar as condicoes do Cosmonauta, gravador de fita magnetica, sistema de telemetria, equipamentos biologicos e equipamento de controlo manual e automatico. A missao executou 17,5 orbitas na Terra, e assim tal como Gagarin, Titov desceu usando seu proprio paraquedas. A missao investigou os efeitos de falta de gravidade por longo tempo no organismo humano, e a habilidade do homem de trabalhar na ausencia de gravidade. Diferente de Gagarin, Titov tomou o controlo da nave. O problema ocorrido no voo da Vostok 1 com o Modulo de equipamentos voltou a repetir-se.


Vostok II (Leste II ou Oriente II) foi a segunda Missao do Programa Vostok, o primeiro projecto tripulado do Programa Espacial Sovietico, realizado entre 6 e 7 de Agosto de 1961. O Cosmonauta selecionado para a missao foi Gherman Titov, o segundo homem no espaco, que viria a passar um dia inteiro em orbita, para estudos de falta de gravidade prolongada sobre o corpo humano.

Titov realizou 17 orbitas em torno da Terra, excedendo completamente de longe a unica orbita do seu colega e compatriota Yuri Gagarin, no voo realizado anteriormente  em 12 de Abril de 1961. O tempo que passou no espaco e o numero de orbitas realizadas, estabeleceu um recorde que so seria superado em 1963 pelo Astronauta Norte-anericano Leroy Gordon Cooper Jr. (1927-2004), na Missao Faith 7 (1963), ultima missao do Programa Espacial Norte-americano Mercury.

Informacoes sobre as frequencias de radio a serem usadas pela Vostk 2 foram tornadas publicas antes da missao, de maneira a que as comunicacoes e os sistemas de Telemetria da nave pudessem ser seguidos, dissipando assim as suspeitas ocidentais de que os voos espaciais sovieticos poderiam estar sendo falsificados.

O voo foi um sucesso quase que completo, marcado apenas por um problema num aquecedor que, inadvertidamente, tinha sido desligado antes da decolagem e que permitiu que a temperatura no interior da capsula caisse para 10°C, um surto de Doenca do Espaco sentida por Titov e uma reentrada turbulenta, com a nao separacao completa do Modulo de Servico do Modulo de Comando da Vostok 2.


Ao de Yuri Gagarin no voo anterior, todo automatico, Titov assumiu por alguns instantes o comando da nave de forma manual. Outra mudanca, foi que a URSS anunciou desta vez que o Cosmonauta havia descido de paraquedas, depois de ejectado da capsula ainda na atmosfera, o que Titov em entrevistas justificou como um teste para um pouso alternativo. O mundo ate entao ainda desconhecia que todos os pousos das Vostok eram assim. Na missao pioneira anterior, as autoridades russas sustentaram que Gagarin desceu junto com a Vostok 1, algo que era de todo falso, de maneira a conseguirem a homologacao do voo espacial junto da A Federation Aeronautique Internationale (FAI) (1905), cujo as regras da epoca exigiam que o Cosmonauta descesse ate ao solo dentro da nave espacial, logo assim o voo nao teria sido considerado legal se toda a verdade sobre a sua finalizacao tivesse sido divulgada.

Tambem ao contrario da Vostok 1, preservada num museu (Museu RKK Energiya) na Russia, ate hoje, na cidade de Korolev, perto de Moscovo, na ha resquicios da Vostok 2, que foi destruida para uso no desenvolvimento das naves Voskhod, o programa espacial posterior.

Ate aos dias de hoje, Gherman  Titov continua ainda a ser a mais jovem pessoa a ter ido ao espaco, contando com 26 anos quando realizou o seu voo.

Parametros da Missao Vostok II:

. Massa: 4,731 Kg.
. Perigeu: 183 Km.
. Apogeu: 244 Km.
. Inclinacao: 64.93°
. Periodo orbital: 88.46 Min.
                                                                                

A Vostok 2 foi lancada do Cosmodromo de Baikonur na manha (06:00 (UTC) - 09:00 Moscovo) de 6 de Agosto de 1961, levando a bordo como tripulacao somente o Cosmonauta Gherman Titov, Oficial e Piloto da Forca Aerea Sovietica. Yuri Levitan (1914-1983), um famoso Locutor de radio sovietico, responsavel pelo anuncio dos grandes acontecimentos ao pais desde a II Guerra Mundial, interrompeu a informacao da Radio Moscovo para anunciar ao mundo o inicio da missao.

Titov tomou os controlos manuais de Altitude da nave espacial por alguns instante na primeira das 17,5 orbitas, enquanto a mesma cruzava sobre Africa, e novamente na ultima orbita, com os comandos sendo reportados como em funcionamento normal. Durante sua passagem pela Uniao Sovietica, na primeira orbita, ele trocou mensagens de cumprimento com  Nikita Khrushchov, como Gagarin havia feito tambem anteriormente. Ele, entretanto, foi a primeira vitima da Doenca do Espaco, Sindrome ate entao desconhecido, que afecta as pessoas na falta de gravidade, sendo vitima de nauseas que causaram vomitos quando ele tentou comer num dos seus horarios programados de alimentacao.

Apesar disso ele manteve-se tranquilo e calmo e as cameras a bordo transmitiam as imagens de um Titov sorridente enquanto ele cruzava o espaco sobre o territorio da URSS, durante a quinta orbita. Titov dormiu durante a setima orbita e acordou apenas 8 horas e 37 minutos depois, um tempo maior do que aquele que estava previsto inicialmente nos planos de voo. O sono entretanto nao melhorou seu desconforto com as nauseas e ele continuou a sentir-se mal apos acordar. Seu estado, porem, melhorou apos doze orbitas, e ele transmitiu estar sentindo-se "completamente funcional e saudavel".


Assim como na Vostok 1, durante a reentrada os dois modulos da nave espacial falharam em se separar apos os comandos enviados, e a descida comecou com os dois ainda unidos. Os dois modulos conjungados permaneceram presos, enquanto a nave girava violentamente, soltando-se apenas quando o calor da friccao da forca gravitacional e da Aerodinamica queimou os fios que os prendiam. Titov ejectou-se na altura planejada e pousou de paraquedas as 07:18 (UTC) de 7 de Agosto de 1961, perto de Krasny Kut, na Provincia de Saratov.

O local de pouso da Vostok 2 fica nas cordenadas  50° 85′ N 47° 02' 13.73, 11,5 Km ao Sul de Krasny Kut, Saratov, na Federacao Russa. No mesmo local ha dois monumentos dedicados a Missao Vostol 2. O maior deles com nove Metros de Altura, e uma escultura de pedra pintada de prata que lembra a asa de um passaro apontada para o ceu. No centro dela ha uma serie de aberturas cirulares, uma sobre a outra, que se assemelham a uma linha de penas.

Do lado direito desse monumento, existe um bloco de pedra tambem prateado, com 2 M de Altura. Na face externa de bordas recurvadas, ha um retrato esculpido de Titov, usando capacete, enquanto na outra face ha um texto comemorativo sobre a missao, pintado em vermelho.

Em 1964, a capsula de reentrada da Vostok 2 foi usada como lastro de peso num teste de um novo sistema de paraquedas criado para os novos prototipos das naves Voskhod. O prototipo falhou no teste, destruindo a nave espacial em minusculos pedacos e nada mais resta dela hoje.


Dados da Missao Vostok II:

Lancamento: 6 de Agosto de 1961, 06:00 (UTC), Cosmodromo Baikonur.
Aterragem: 7 de Agosto de 1961, 07:18 (UTC), 50.85º N 47.02º E.
Numero de tripulantes: 1 (Gherman Stepanovich Titov).
Numero de orbitas: 17,5.
Duracao: 1 D:1 H:08 Min.

                                                        
. Vostok III:

Vostok 3 - 11 de Agosto ate 15 de Agosto de 1963 - Andrian Grigorievich Nikolayev (1929-2004). - Foi o primeiro voo e missao em conjunto de duas naves espaciais (com a Vostok 4). As naves foram lancadas em dois dias seguidos e estiveram a poucos quilometros uma da outra, embora um Rendez-vous (encontro em orbita) e acoplagem fosse algo que esteve sempre fora de questao, ja que a Vostok nao possuia capacidades de manobra.


Vostok 3 (Leste 3 ou Oriente 3) foi a terceira Missao do Programa Vostok, o primeiro projecto tripulado do Programa Espacial Sovietico. O Cosmonauta escolhido para a mesma foi, Andrian Nikolayev. O voo e missao ocorreram entre 11 e 15 de Agosto de 1962 e foi a primeira missao realizada em conjunto da exploracao espacial, realizada com a Vostok 4.

O objectivo da missao foi testar as condicoes de habilidade do ser humano exposto a um longo periodo na falta de gravidade e a resistencia da Nave Espacial Vostok 3KA (1961), a longos voos. Andrian Nikolayev passou quatro dias no espaco, ao longo dos quais completou 64 orbitas terrestres, feito que so seria superado pelo Programa Espacial Norte-americano apos o inicio do Projecto Gemini (1964-1966).

As naves espaciais Vostok 3 e Vostok 4 foram lancadas ao espaco com apenas um dia de diferenca, numa trajectoria que as colocou a 6,5 Km uma da outra na orbita terrestre. Esta foi a primeira vez em que duas naves espaciais estiveram simultaneamente no espaco, o que permitiu aos controladores sovieticos em terra aprenderem a lidar com a mesma situacao.

Parametros da Missao Vostok III:

. Massa: 4,722 Kg.
. Perigeu: 166 Km.
. Apogeu: 218 Km.
. Inclinacao:  65.0°
. Periodo orbital: 88.5 Min.


Gherman Titov tinha sofrido de nauseas e Doenca do Espaco ou seja o Sindrome de Adaptacao ao Espaco no voo anterior da Vostok 2, que teve a duracao de 24 horas. Esta condicao era desconhecida ate entao, o que levou os sovieticos a desejarem estudar melhor as condicoes humanas no espaco por um periodo considerado mais prolongado.

O Cientista-chefe e Engenheiro-chefe do Programa Espacial Sovietico, Sergei Korolev, queria um voo de tres dias de duracao em seguida. Estes planos receberam a oposicao do Chefe de Departamento de Cosmonautas da Roskosmos, Nikolai Kamanin, assim como o proprio corpo de cosmonautas. Os planos para a missao com tres dias so puderam prosseguir depois da aprovacao pessoal de Nikita Khrushchov. No fim, a missao da Vostok 3 acabaria por durar quatro dias, mais um do que estava planejado anteriormente.

Um dos objecivos da missao conjunta (Vostok 3 e Vostok 4) era testar como dois cosmonautas reagiriam no espaco por tempo prolongado, realizando para isso uma serie de testes sob as mesmas circunstancias. As orbitas proximas e o quase encontro das duas naves, tornariam o numero de variaveis de um voo minimas, permitindo a avaliacao de diferencas individuais na adaptacao a um voo espacial. As capsulas Vostok tiveram seus sistemas modernizados para conter um aumento na capacidade e volume de dados colectados sobre a tripulacao e as coondicoes de voo.

A escolha dos cosmonautas para este voo incluiu treinamento especifico para as condicoes de isolamento e enjoo no espaco e os selecionados foram os que conseguiram demostrar menor suscetibilidade a isso. De posse das informacoes trazidas por Titov na Vostok 2, o treinamento incluiu manobras da nave espacial e outras actividades planejadas num simulador.

O lancamento da Vostok 3 ocorreu apenas um ano apos o da Vostok 2, em parte devido a explosao de um foguete, durante a tentativa mal-sucedida do lancamento de um satelite, que danificou seriamente a plataforma de lancamento em Baikonur. As autoridades sovieticas tambem argumentaram que os voos espaciais ficaram impossibilitados durante semanas, por causa de um suposto Teste Nuclear Norte-americano realizado em orbita, possivelmente o Starfish Prime (1962).
 










A vostok 3 foi lancada do Cosmodromo de Baikonur as 08:24 (UTC) do dia 11 de Agosto de 1962. Durante seu primeiro dia em orbita, o Cosmonauta Andrian Nikolayev soltou-se do cinto de seguranca do assento onde se encontrava ate entao, tornando-se no primeiro homem a flutuar livremente na Microgravidade (Gagarin e Titov nao  haviam feito).

Seu companheiro de missao conjunta Pavel Romanovich Popovich (1930-2009), tripulante da Vostok 4, foi lancado no dia seguinte. Os dados dos parametros orbitais das duas naves, transmitidos periodicamente pela agencia de noticias sovietica TASS "Agencia Telegrafica da Uniao Sovietica"  (1925-1992), pareciam indicar uma mudanca na trajectoria orbital da Vostok 3, cerca de dez horas apos o lancamento da Vostok IV, levando entao desde de logo a criar-se especulacoes de que a primeira havia mudado de orbita para ficar em condicoes do encontro com a segunda. Os planos iniciais eram para que as naves chegassem a uma distancia minima de quase contacto de 5 Km, mas a menor distancia conseguida foi de somente 6,5 Km.  No inicio da 33ª orbita da Vostok 3, a distancia aumentou para 850 Km e na 64ª e ultima chegou a 2850 Km.

As duas naves mantiveram contacto por radio de ondas-curtas por toda a missao e Nikolayev comunicou aos controladores de Terra que via a Vostok 4 a alguma distancia, quando as duas naves entraram na mesma orbita. Ele e Popovich passaram varios periodos livres do cinto de seguranca flutuando nas cabines, enquanto realizavam tarefas pre-determinadas para avaliar suas capacidades de trabalho e de habilidade de manobras fisicas no espaco. Cada um desses testes tinha a duracao aproximada de uma hora. O estado mental e fisico dos cosmonautas foi monitorado e controlado por sensores biomedicos que transmitiam as estatisticas vitais para o solo. A coordenacao motora e comportamento dos dois cosmonautas foi transmitida para Terra por monitores atraves de cameras de video instaladas nas cabines. Os resultados dos testes foram considerados positivos, demostrando a capacidade humana de realizar tarefas comuns por periodos prolongados na Microgravidade.

Uma especial atencao foi prestada quanto a capacidade dormir normalmente dos homens e seus sinais vitais transmitidos durante o periodo de sono. Nikolayev acordava sempre depois de seis horas de sono, antes do periodo estipulado de oito horas, mas afirmando sempre que estava recuperado e que tinha descansado.

A Missao Vostok 3 teve seu final na manha de 15 de Agosto de 1962, com a ignicao dos retrofoguetes e a reentrada da capsula na atmosfera, com Nikolayev, apos a ser ejectado da nave (tal como foram Gagarin e Titov), pousando no solo de paraquedas  as 06:52 (UTC) ou 09:52 (Hora de Moscovo), perto de Qaraghandy, no Cazaquistao.


Dados da Missao Vostok III:

Lancamento: 11 de Agosto de 1962, 08:24 (UTC), Cosmodromo de Baikonur.
Aterragem: 15 de Agosto de 1962, 06:52 (UTC), 42°2′N 75°45'E.
Numero de tripulantes: 1 (Andrian Grigorievich Nikolayev).
Orbitas: 64.
Duracao: 3 D:22 H:28 Min.

                    
. Vostok IV:

Vostok IV - 12 de Agosto ate 15 de Agosto de 1962 - Pavel Popovich - A missao da Vostok IV foi realizada em conjunto com a anterior, Vostok III (que tivera seu inicio um dia antes), permitindo a realizacao de experiencias de comunicacao entre as duas duas naves espaciais. Popovich teve problemas com o seu sistema de suporte de vida, com queda da temperatura e reducao da humidade do ar, embora estas mesmas condicoes nao tenham de modo algum prejudicado a mesma missao, que so retornou um dia antes que o planejado devido a um mal-entendido da base de controlo da missao sobre as condicoes de saude de Popovich.

                                        
Vostok 4 (Leste 4 ou Oriente 4) foi a quarta Missao do Programa Vostok, o primeiro projecto tripulado do Programa Espacial Sovietico. O Cosmonauta escolhido para esta missao foi o Piloto da Forca Aerea Sovietica que tambem era Engenheiro Civil, Pavel Popovich. O voo ocorreu entre 12 e 15 de Agosto de 1962. A missao foi feita em conjunto com a Vostok 3.

Lancada um dia depois da Vostok 3, esta missao conjunta foi a primeira a colocar duas naves espaciais em orbita simultaneamente e a primeira tambem que os cosmonautas comunicaram-se entre si via radio no espaco.

Parametros da Missao Vostok IV:

. Massa: 4,728 Kg.
. Perigeu: 159 Km.
. Apogeu: 211 Km.
. Inclinacao: 65.0°.
. Periodo orbital: 88.2 Min.

                                  
Os Cosmonautas em orbita nao tentaram um encontro, limitando-se a se posicionarem a um maximo de 6,5 Km uma nave da outra, acima da distancia pre-planejada inicialmente de 5 Km. Mesmo assim, Popovich comunicou ao controlo de Terra que conseguia ver a Vostok 3 e que a nave "se parecia com uma pequena lua na distancia".

A missao teve como objectivo principal avaliar as condicoes fisicas e mentais dos cosmonautas, suas coordenacoes motoras e habilidades manuais, submetidos a um periodo prolongado de permanencia na Microgravidade. A missao, apesar de bem sucedida, teve dois contratempos para Popovich, que foi obrigado a conviver com uma temperatura de 10°C dentro da cabine por uma falha no sistema de suporte a vida, alem de ter encerrado a missao antes do previsto. Antes do lancamento Popovich foi instruido a transmitir o Codigo "Observando tempestades", caso ele comecasse a sentir os sintomas da Doenca do Espaco, que haviam atingido anteriormente Gherman Titov no voo anterior da Vostok 2. A mencao as palavras de codigo, o controlo de Terra imediatamente providenciaria a reentrada automatica da nave. Desafortunadamente para Popovich, quase ao fim do terceiro dia - de uma missao prevista para quatro dias, como da Vostok 3 - ele comunicou para Baikonur que via tempestades da orbita, ao passar por cima do Golfo do Mexico. A mensagem foi interpretada como codigo de pedido para reentrada automatica e ele foi automaticamente trazido de volta um dia antes daquele que estava inicialmente previsto.

Popovich encerrou o voo pousando de paraquedas a cerca de 200 Km do local de pouso da Vostok 3, que tambem regressou a Terra praticamente no mesmo momento. O local de pouso fica localizado ao Sul de Qaraghandy, no Cazaquistao.

A capsula de reentrada hoje encontra-se em exibicao ao publico no Museu NPO Zveda, em Moscovo, mas foi modificada para representar a imagem da Voskhod 2.


Dados da Missao Vostok IV:

Lancamento: 12 de Agosto de 1962, 08:02 (UTC), Cosmodromo Baikonur.
Aterragem: 15 de Agosto de 1962, 06:59 (UTC), 48°9′N 71°51′E.
Numero de tripulantes: 1 (Pavel Romanovich Popovich).
Orbitas: 48.
Duracao: 2 D: 22 H: 56 Min.


. Vostok V:

Vostok 5 - 14 de Junho ate 19 de Junho de 1963 - Valery Fyodorovich Bykovsky (1934) - Esta missao fez um voo conjunto com a Vostok 6, tendo ficado a apenas 5 Km desta, permitindo a comunicacao de radio entre as duas naves. A missao tinha sido planejada para um recorde de oito dias em orbita, no entanto, problemas de actividade solar combinados com falhas tecnicas apressaram o retorno. Bykovsky sofreu com um problema nao especificado de seu sistema de lixo, que tornou as condicoes da cabine "muito inconfortaveis". Houve igualmente problemas de temperatura no Modulo de equipamentos e ocorreu novamente o problema com Modulo de equipamentos na reentrada.


Vostok 5 (Leste 5 ou Oriente 5) foi a quinta Missao do Programa Vostok, o primeiro projecto tripulado do Programa Espacial Sovietico, realizado em voo simultaneo com a Vostok 6. O Cosmonauta desta missao foi Valery Bykovsky que servira na Forca Aerea Sovietica entre 1955 e 1960. O voo ocorreu entre 14 e 19 de Junho de 1963, Originalmente planejada para uma semana, a missao teve a duracao de apenas cinco dias devido a problemas tecnicos.

Parametros da Missao Vostok V:

. Massa: 4,720 Kg.
. Perigeu: 181 Km.
. Apogeu: 235 Km.
. Inclinacao: 64.9°.
. Periodo orbital: 88.4 Min.


Os principais objectivos da missao, alem da aproximacao em orbita com a Vostok 6, eram os estudos de diversos factores da falta de gravidade no corpo humano, passando pela realizacao de experiencias medico-biologicas e uma nova elaboracao e melhoria nos sistemas da nave espacial.

O lancamento do Cosmodromo de Baikonur foi adiado por varias vezes devido a altas variacoes solares e a problemas tecnicos com a Vostok. Combinado com uma anormal actividade atmosferica gracas as incomuns variacoes solares, a capsula rapidamente perdeu Altura em orbita e a temperatura em seu interior atingiu altos niveis de calor.

As naves Vostok 5 e Vostok 6 ficaram a uma distancia de 5 Km uma da outra, permitindo uma comunicacao por radio entre as duas naves. A missao tinha sido inicialmente planejada para um recorde de oito dias em orbita, no entanto, os problemas decorrentes das variacoes solares combinados com falhas tecnicas apressaram o retorno, ordenado pelo controlo de Terra.

Bykovsky sofreu com um problema nao especificado de seu sistema de lixo, que tornou as condicoes da cabine muito desconfortaveis. Houve problemas de temperatura no Modulo de equipamentos e ocorreu novamente o problema com o Modulo de Reentrada.

A Vostok 5 pousou na tarde do dia 19 de Junho de 1963 nas pradarias cazaques, dois Km a Oeste de Karatal, vila situada no Norte do Cazaquistao. Bykovsky, foi ejectado da nave durante a sua descida, como todos os cosmonautas anteriores, desceu de paraquedas a dois Km dela, entre duas arvores, e foi transportado ate ao local do pouso por moradores locais.  Um monumento, que retrata um Cosmonauta flutuando em traje de voo, cercado por estrela, telescopios, planetas e o sol, foi erguido no local.


Dados da missao Vostok V:

Lancamento: 14 de Junho de 1963, 11:58 (UTC), Cosmodromo de Baikonur.
Aterragem: 19 de Junho de 1963, 11:06 (UTC), 53°3′N 67°6′E.
Tripulantes: 1 (Valery Fyodorovich Bykovsky).
Orbitas: 82.
Duracao: 4 D: 23 H: 07 Min.

                                      
. Vostok VI:

Vostok 6 - 16 de Junho ate 19 de Junho de 1963 - Valentina Tereshkova - Esta missao, foi realizada em conjunto com a Vostok 5, levou a primeira mulher ao espaco, algo que so se repetiria apenas 19 anos depois com Svetlana Savitskaya. Um dos objectivos da missao conjunta era comparar os efeitos do voo espacial nos organismos do homem e da mulher. Um dos problemas da missao foi que por diversas vezes ela recusou-se a responder aos chamados por radio efectuados pela base de comando em Terra. Korolev, o Chefe da missao, nao ficou contente com o desempenho de Valentina e nao permitiu que ela tomasse o controlo manual da nave, como havia sido inicialmente planejado.


Vostok 6 (Leste 6 ou Oriente 6) foi a sexta e ultima Missao do Programa Vostok, o primeiro projecto tripulado do Programa Espacial Sovietico. A Cosmonauta foi Valentina Tereshkova, foi a primeira mulher no espaco (razao pela qual alguns a chamavam de "Gagarin de saias"), feito que se repetiria apenas 19 anos depois com Svetlana Savitskaya. Foi tambem o primeiro voo de um Civil ao espaco. O voo ocorreu entre 16 e 19 de Junho de 1963. Esta missao foi realizada em conjunto com a Vostok 5 tal como a anterior da Vostok 3 e Vostok 4 entre  11 de Agosto e 15 de Agosto de 1962.

Parametros da Missao Vostok VI:

. Massa: 4,713 Kg.
. Perigeu: 180 Km.
. Apogeu: 231 Km.
. Inclinacao: 64.9°.
. Periodo orbital: 87. Min.

                                           
Um dos objectivos da missao conjunta era comparar os efeitos do voo espacial nos organismos do homem e da mulher. Como os outros comandantes de naves Vostok, Valentina cumpriu um programa de voo, tirou fotografias da Terra, e teve controlo manual da nave espacial, apos alguns problemas nos mecanismos de controlo de orientacao, corrigidos por Baikonur. Suas fotografias do Horizonte terrestre foram depois usadas para identificar camadas de Aerosol na atmosfera.

A missao foi realizada ao mesmo tempo que a Vostok 5, foi originalmente planejada para que cada nave fosse tripulada por uma mulher e que uma acoplagem no espaco fosse realizado por elas, mas o plano mudou devido a cortes financeiros no programa espacial, devido a uma reorganizacao de objectivos, voltados para o novo Programa Voskhod. Ela (Valentina) passou mais tempo em orbita que todos os astronautas do Programa Espacial Norte-americano Mercury, que ocorria ao mesmo tempo, combinados.

As duas naves, apesar de nao fazerem uma acoplagem, chegaram a se posicionar cerca de 5 Km uma da outra e os tripulantes de ambas Valentina Tereshkova (Vostok VI) e Valery Bykovsky (Vostok V), chegaram a trocar breves mensagens por radio como acontecera ja anteriormente nos voos das Vostok 3 e Vostok 4 entre Andrian Nikolayev e  Pavel Popovich entre 11 de Agosto e 15 de Agosto de 1962.

Tereshkova pousou perto de uma Fazenda colectiva proximo da cidade de Baevo, no Cazaquistao. Apos ser ejectada da nave e descer de paraquedas - como eram os primeiros pousos dos cosmonautas sovieticos das naves Vostok - Valentina Tereshkova quase caiu dentro de um lago devido aos fortes ventos que se faziam sentir. Depois do pouso, ela foi arrastada por alguns metros junto com o paraquedas, por causa do vento, acabando por ferir o nariz no pouso.

No local onde Valentina pousou, existe hoje um pequeno parque com uma estatua de prata retratando a cosmonauta com os bracos abertos, vestida em traje espacial e sem capacete. A capsula hoje encontra-se em exposicao no Museu RKK Energiya, em Korolev, perto de Moscovo.


Dados da Missao Vostok VI:

Lancamento: 16 de Junho de 1963, 09:29: 52 (UTC), Cosmodromo Baikonur LC1.
Aterragem: 19 de Junho de 1963, 08:20 (UTC), 53.2° N, 80.8° E.
Numero de tripulantes: 1 (Valentina Vladimirovna Tereshkova).
Numero de orbitas: 48.
Duracao: 2 D: 22 H: 50 Min.

As seis missoes Vostok foram muito bem sucedidas em preparar a evolucao posterior das naves espaciais e em determinar os limites e dificuldades que o/a Cosmonauta encontraria no espaco exterior.


Programa Voskhod:

Voskhod (russo: Amanhecer) foi um programa de missoes espaciais da antiga Uniao Sovietica, com objectivo de colocar capsulas na orbita da Terra com mais de um Cosmonauta, em resposta ao Projecto Gemini do rival Norte-americano. Devido a essa competicao nao so entre Uniao Sovietica e Estados Unidos mas bem vistas as coisas entre Europa e America as naves foram construidas, as pressas, com algumas adaptacoes das naves Vostok. A principal diferenca, e que as naves Voskhod, poderiam suportar ate tres tripulantes. Houve tambem modificacoes para a prolongacao da permanencia no espaco e um tunel especial para a saida da nave, para a caminhada no espaco.

Esse programa, consistia nao so da naves, mas tambem dos veiculos lancadores associados. Esses veiculos lancadores, nao por acaso, foram identificados com o mesmo nome: Voskhod.

 

A Missao Voskhod 1 foi para o espaco no dia 12 de Outobro de 1964, sendo a primeira nave a levar mais de um Cosmonauta para o espaco em uma so missao: o Medico e Cosmonauta Boris Borisovich Yegorov (1937-1994),o Piloto de Testes da Forca Aerea Sovietica e Engenheiro Aeroespacial Vladimir Mikhailovich Komarov  viria tambem a ser o primeiro Cosmonauta a morrer no decorrer de uma missao (Soyuz 1) e o Cosmonauta e Engenheiro Aeroespacial Konstantin Petrovich Feoktistov (1926-2009). A nave completou 16 voltas em torno da Terra, com uma duracao total de 24 h e 17 min.

A missao seguinte Voskhod 2, enviada ao espaco em 18 de Marco de 1965, foi a primeira em que os Cosmonauta saiu para o espaco fora da nave. Aleksei Leonov foi o Cosmonauta a realizar tal feito, apesar da caminhada quase lhe ser fatal e o mesmo quase ter morrido (seu fato inchou mais do que o previsto antes de ir ao espaco). O "passeio espacial" durou 21 Min e 41 Seg. Junto com Leonov estava tambem o Cosmonauta e Militar da Forca Aerea e Marinha Sovietica Pavel Ivanovich Belyayev (1925-1970). No retorno a Terra, uma falha no retrofoguete de reentrada fez com que eles aterrassem a mais de 3 mil Km do local previsto.

O Programa de missoes Voskhod foi propagandeado em todo o mundo como sendo um grande sucesso, na verdade, o Programa Voskhod acabou por vir a ser cancelado ja na sua segunda missao tripulada. Para piorar a situacao, Os EUA passaram a frente da URSS, na corrida espacial, com o Projecto Gemini, que possuia uma nave espacial melhor e um programa de voos mais consistente.

Os voos do Programa Voskhod, com suas datas de lancamento, foram:

. Cosmos 47 - 6 de Outobro de 1964 - Voo nao tripulado para teste da nave.
. Voskhod 1 - 12 de Outobro de 1964 - Primeiro voo espacial com mais de um tripulante.
. Cosmo 57 - 22 de Fevereiro de 1965 - Teste de voo nao tripulado, destruido antes do retorno a Terra.
. Voskhod 2 - 18 de Marco de 1965 - Primeira actividade extra-veicular.
. Cosmos 110 - 22 de Fevereiro de 1966 - Teste de voo longa-duracao (22 dias) realizado com dois caes.

Voos planejados, porem cancelados:

. Voskhod 3 - Voo de longa duracao (19 dias) para testar os efeitos da Microgravidade sobre o organismo humano.
. Voskhod 4 - Voo de longa duracao (20 dias) para testar os efeitos da Microgravidade sobre o organismo humano.
. Voskhod 5 - Voo de 10 dias com uma tripulacao feminina.
. Voskhod 6 - Teste do cinto propulsao para actividade extra-veicular.

                                                   
. Cosmos 47:

O Cosmos 47 foi uma Missao Espacial do Programa Voskhod envlvendo o lancamento de uma nave semelhante a Voskhod 1 para testes do sistema de voo. A nave foi lancada do Cosmodromo de Baikonur por um Foguete Voskhod/Soyuz em 6 de Outobro de 1964 as 07 H 12 Min (GMT) e colocada em uma orbita de 174 x 383 Km e inclinacao de 64,7°, aterrando com sucesso em 7 de Outobro de 1964 as 07 H 30 Min (GMT).
                                                      
                                                           
. Voskhod I:

Voskhod 1(Amanhecer 1) foi a primeira Missao do Programa Voskhod, o Programa Espacial Sovietico iniciado apos o fim do Programa Vostok. Este voo foi igualmente o primeiro de uma nave espacial sovietica a transportar mais de um Cosmonauta ao espaco, o primeiro sem usos de fatos espaciais pela tripulacao e o primeiro a transportar um Engenheiro e um Medico para fora da Terra. O voo tambem estabeleceu um recorde de Altura para um voo tripulado, alcancando um Apogeu de 336 Km.

A missao foi especialmente planejada para superar o Programa Gemini da NASA, colocando uma tripulacao multipla em orbita. A Nave Voskhod tinha sido inicialmente planejada para levar dois tripulantes, mas os politicos sovieticos pressionaram os engenheiros da Roskosmos para que se conseguisse enviar tres cosmonautas ao espaco ao mesmo tempo, o que foi feito retirando os fatos espaciais pressurizados dos cosmonautas usados nas primeiras missoes do programa anterior, O Vostok. A nave foi lancada no dia 12 de Outobro de 1964, do Cosmodromo de Baikonur, no Cazaquistao, tripulada pelos  cosmonautas: Vladimir Komarov (Piloto e Comandante), Konstantin Feoktistov (Engenheiro) e Boris Yegorov (Medico).

Parametros da Missao Voskhod I:

. Massa: 5.320 Kg.
. Perigeu: 178 Km.
. Apogeu: 336 Km.
. Inclinacao: 64.7º.
. Periodo orbital: 89.6 Min.


A Missao Voskhod 1 passou por alteracoes potencialmente perigosas para uma nave espacial, e que foram verdadeiras novidades para a epoca. A nave nao tinha assentos de ejecao e abertura de escape da capsula. Os cosmnautas tambem nao usaram nenhum fato espacial. O risco se explica pela pressa que o Programa Espacial Sovietico tinha em lancar a mesma missao, para superar, em um ano, o lancamento do Programa Norte-americano Gemini, que pretendia enviar dois astronautas ao espaco numa nave espacial.

A Voskhod tinha um foguete de detencao no nariz da nave. Na parte interna, os assuntos estavam disponiveis na penpendicular em lugar dos assentos ejectaveis, obrigando entao os cosmonautas a virarem o pescoco para ler as instrucoes do painel da nave. O voo tambem viria a servir para testar um assento especifico para mais de um tripulante na capsula espacial. Para voltarem a Terra, a nave foi concebida para que os cosmonautas caissem com a nave presos a um paraquedas, uma outra novidade em relacao as naves Vostok. Nao havia nela qualquer saida de emergencia em caso de problemas no lancamento ou no pouso ou assentos com ejecao.

Em orbita, os cosmonautas pesquisaram o potencial de trabalho e de cooperacao em grupos de diferentes especialidades da ciencia e da tecnologia. A Biomedicina e a Fisica foram as areas pesquisadas no espaco. A missao tambem teve algumas filmagens dos cosmonautas pela televisao. Em 24 horas e 17 minutos de voo, a nave efectuou 16 orbitas em torno da Terra.

O voo da Voskhod surpreendeu toda a comunidade cientifica e representou mais uma vitoria do Programa Espacial da Uniao Sovietica. O feito tambem direcionou os trabalhos no aperfeicoamento de outros projectos semelhantes a este. O facto curioso da missao e que enquanto a Voskhod 1estava no espaco o Secretario-Geral da URSS Nikita Khrushchov, foi deposto do cargo por um colpe de estado, o que para os observadores politicos da epoca, pode ter causado a abreviatura da missao.

Acontecendo, entretanto, antes de qualquer nave do Programa Norte-americano Gemini ter ido ao espaco, o voo da Voskhod causou grande impacto na comunidade internacional, apesar de apenas temporario. O Administrador da NASA a epoca James Webb, considerou que a missao da nave sovietica  foi uma "significante conquista espacial e uma clara indicacao de que os russos estao desenvolvendo um programa espacial para a conquista de poder e prestigios nacionais".


Dados da Missao Voskhod 1:

Lancamento: 12 de Outobro de 1964, 07:30 (UTC), Cosmodromo de Baikonur LC1.
Aterragem: 13 de Outobro de 1964, 09:02 (UTC), 52.2° N, 68.8° E.
Numero de Tripulantes: 3 (Vladimir Mikhailovich Komarov, Konstantin Petrovich Feoktistov, Boris Borisovich Yegorov).
Orbitas: 16.
Duracao: 1D: 0 H: 17 Min.

                                                   
. Cosmos 57:

O Cosmos 57 foi uma Missao Espacial do Programa Voskhod envolvendo o lancamento de uma nave nao-tripulada semelhante a Voskhod 2 para testes dos sistemas de voo e da cabine inflavel usada para actividade extra-veicular.

A nave foi lancada do Cosmodromo de Baikonur por um Foguete Voskhod/Soyuz em 22 de Fevereiro de 1965 as 07:40 (GMT) e colocada em uma orbita de 165 x 427 Km e inclinacao de 64,7°, transportando bonecos de teste que simulavam dois astronautas. A cabine inflavel foi testada com sucesso as 07:50. Porem as 09:00, um sinal de radio nao-autorizado vindo de uma estacao de rastreamento interfere com uma transmissao legitima, causando o acionamento prematuro (e na direccao errada) dos retrofoguetes desestabilizando a orbita da nave. As 10:20 a estacao em Terra ordenou a sua auto-destruicao.


. Voskhod II:

A Voskhod 2 (Amanhecer 2) foi a segunda nave espacial enviada ao espaco pelo Programa Voskhod. O lancamento do veiculo aconteceu no dia 18 de Marco de 1965, atraves do Cosmdromo Baikonur. A mesma missao foi a primeira a registrar uma caminhada espacial, feita pelo Cosmonauta Aleksei Leonov, na Historia da exploracao espacial.

A nave tinha exactamente as mesmas caracteristicas estruturais que a Voskhod 1, com um foguete de reentrada com um cmbustivel de reserva, adcionado ao Modulo da descida. O assento de ejecao foi removido e dois suportes foram adicionados no seu interior em angulos de 90 graus. Uma cabine pressurizada inflavel exterior foi adicionada ao Modulo da descida do lado oposto a escotilha da reentrada.

Parametros da Missao Voskhod II:

. Massa: 5.682 Kg.
. Perigeu: 167 Km.
. Apogeu: 475 Km.
. Inclinacao: 64.8º .
. Periodo orbital: 90.9 Min,


A missao foi verdadeiramente historica, pois marcou o primeiro "passeio espacial" de um ser humano na Historia da Astronautica, mas nao ocorreu sem um percalco e incidentes de menor valor. Leonov vestiu uma roupa especialmente preparada para a caminhada no espaco, enquanto seu colega de missao Belyayev  ficou na nave. Durante 12 Min e 09 Seg. Leonov vestiu uma roupa especialmente preparada para a caminhada no espaco com um cabo fino ligando o seu fato a nave. A historica caminhada teve inicio quando a nave estava sobre o Noroeste de Africa (perto do Norte do Sudao e do Sul do Egipto) e terminou na Siberia Oriental, na Uniao Sovietica. Porem, problemas com a roupa de Leonov prejudicaram o regresso a nave espacial. Ao tentar voltar a cabine, ele descobriu que o fato tinha inchado e nao passava pela pequena escotilha. Ele foi forcado a fazer uma despressurizacao da roupa para que pudesse passar novamente pela escotilha da capsula. Depois de entrar no modulo, a escotilha primaria nao foi fechada completamente. O sistema de controlo de ambiente da capsula fez com que a cabine recebesse Oxigenio, criando uma situacao perigosa em que poderia ocorrer um incendio na cabine, devido a mistura, em condicoes normais de pressao, do Oxigenio com o Nitrogenio.

Durante a reentrada da nave na atmosfera, os retropropulsores falharam. Para resolver a situacao, foi acionada manualmente a retrofrenagem. Tal como em algumas situacoes com as naves Vostok tambem o Modulo de Servico falhou ao se separar do Modulo de descida, causando uma sequencia de bruscos giros antes que os cabos que conectavam os dois modulos fossem desintegrados pelo calor, ate que eles finalmente se desconectaram a 100 Km de Altura.

Os dois cosmonautas aterraram no dia 19 de Marco. O atraso de 46 Segundos nos procedimentos de reentrada fizeram com que a Voskhod pousasse 320 Km fora do ponto designado para o pouso, perto de um povoado nos Montes Urais, na Siberia. A tripulacao passou duas noites num bosque, cercados por lobos e com temperatura abaixo de zero. Uma equipa de resgate teve que abrir uma clareira no bosque para pousar o helicoptero que acabria por socorrer  Belyayev e Leonov na manha seguinte. A missao foi amplamente divulgada pelo mundo com imagens pela televisao, como um grande trunfo do Programa Espacial Sovietico. Entretanto, as demais missoes da Serie Voskhod foram canceladas, pelo facto de terem sido consideradas perigosas.


Dados da Missao Voskhod II:

Lancamento: 18 de Marco de 1965, 07:00 (UTC), Cosmodromo Baikonur LC1.
Aterragem: 19 de Marco de 1965, 09:02 (UTC), 59.37° N, 55.28° E.
Numero de tripulantes: 2 (Pavel Ivanovich Belyayev, Aleksei Arkhipovich Leonov).
Orbitas: 17.
Duracao: 1 D: 2 H: 02 M: 17 S.

                                                                      
O Cosmos 110 foi uma Missao Espacial do Programa Voskhod com objectivo de avaliar o efeito de permanencia no espaco em voos de longa duracao. Uma nave transportando dois caes (chamados Veterok e Ugolyok) foi lancada do Cosmodromo de Baikonur por um Foguete Voskhod/Soyuz em 22 de Fevereiro de 1966 as 20:09 (GMT) e colocada em uma orbita de 190 x 882 Km e inclinacao de 51,9°, aterrando com sucesso em 16 de Marco de 1966 as 19:09 (GMT), apos 22 dias em orbita.


Programa Soyuz:

O Programa Soyuz (russo: Uniao) e um Programa de Voos Tripulados ao Espaco, iniciado na antiga Uniao Sovietica no inicio da decada de 1960.

Originalmente, ele fazia parte do projecto de Alunagem (pousar nave na Lua), da Uniao Sovietica. Ele foi o terceiro Programa de Voo Espacial Tripulado Sovietico, depois do Programa Vostok e do Programa Voskkhod.


Esse programa, que hoje em dia esta a cargo da Agencia Espacial Federal Russa (Roscosmos), faz uso dos seguintes componentes:

. Soyuz (foguetes).
. Soyuz (naves espaciais).

Alem disso, alguns outros componentes foram derivados desse programa:

. Zond (naves espaciais).
. Progress (naves espaciais).
. Shenzhou (naves espaciais) - mesmo modelo basico.
                                                                  
                                                                        
. Soyuz (familia de foguetes):

Soyuz e o nome de uma familia de veiculos de lancamento descartaveis desenvolvidos pelo OBK-1 - S.P. Korolev Rocket and Space Corporation Energia (actualmente RKK Energia ) na Uniao Sovietica desde a decada de 60 do Seculo XX , e fabricados no Progress State Research and Production Rocket Space Center (tambem conhecido como TsSKB-Progress) e uma "Unidade Empresarial Estatal Federal" Russa sob a jurisdicao da Roscosmos, a agencia espacial Russa, em Samara, na Russia.

O veiculo de lancamento Soyuz, e o veiculo de lancamento mais frequentemente usado no mundo. Ele tem sido usado desde 1966 para lancar naves espaciais Soyuz, como parte do Programa Soyuz, assim como naves espaciais de carga Progress.

Todos os modelos Soyuz, usam RP-1 e LOX como propelentes, excepto o Soyuz-U2, que usava Syntin, uma variante do RP-1. A familia de foguetes Soyuz, e um subconjunto da familia de foguetes R-7.

Em 19 de Janeiro de 2005, a Agencia Espacial Europeia (ESA) e a Roscosmos concordaram em lancar os foguetes Soyuz/ST a partir do Centro Espacial de Kourou, localizado na Guiana Fracesa na localidade de Kourou. O Centro de Lancamento Equatorial vai permitir ao Soyuz colocar cargas uteis entre 2,7 e 4,9 toneladas em orbita heliossincrona (A orbita heliossincrona e uma caso particular de uma quase Orbita Polar. O satelite viaja do Polo Norte para o Polo Sul e vice-versa, mas o seu plano de orbita e sempre fixo para um observador que esteja postado no Sol), dependendo do motor usado no terceiro estagio. A construcao de uma plataforma especifica para esse fim teve inicio em 2005 e foi completada em 2011. A plataforma usa integracao vertical, como era usual naquela instalacao, diferente da integracao horizontal usada no Cosmodromo de Baikonur. Um lancamento simulado foi efectuado no inicio de Maio de 2011. O primeiro lancamento operacional desse modelo de foguete, a partir daquela base, ocorreu em 21 de Outubro de 2011.

                                             
Modelos de foguetes Soyuz:

. Soyuz - 11A511.
. Soyuz-L 11A511L.
. Soyuz-M 11A511M.
. Soyuz-U 11A511U.
. Soyuz-U2 11A511U2 ou 11A511K.
. Soyuz-FG 11A511U-FG.
. Soyuz-2 14A14.

O foguete Molniya-M também foi um derivado da família Soyuz de foguetes.

                                                                             

. Soyuz (naves espaciais):

Soyuz e a designacao de uma nave espacial sovietica com capacidade para tres cosmonautas, usada no Programa Espacial Sovietico e depois de 1991 com o fim da Uniao Sovietica Programa Espacial Russo com o mesmo nome e em outro programas, e que e usada ate hoje pela Russia.

A expressao tambem pode designar o programa e a familia de foguetes Soyuz da antiga Uniao Sovietica actualmente Russia.

A Soyuz foi a seguidora das naves Vostok e Voskhod e sao as naves com maior periodo de uso na Historia da exploracao espacial sao consideradas muito eficiente e contendo um enorme grau de seguranca, nao ocorrendo qualquer acidente fatal com estas naves desde 1971 (o primeiro voo tripulado com uma Nave Espacial Soyuz foi em 1967 em 23 de Abril com a Soyuz 1 curiosamente embora consideradas seguras o voo e missao de uma Nave Soyuz causou um acidente e a tragica morte do Cosmonauta sovietico Vladimir Komarov).


A Nave Soyuz tem a sua origem no programa com o mesmo nome, desenvolvido pela extinta URSS, durante a "Corrida Espacial" pela conquista da Lua. Apos a dissolucao da Uniao Sovietica (que ocorreu num processo de forma gradual entre cerca de 19 de Janeiro de 1990 a 31 de Dezembro de 1991), a nave passou a servir o Programa Espacial da Russia que era a maior e principal republica das 15 republicas que em 1989 compunham a Uniao Republica Socialista Sovieticas e acabou sendo usada em parceria com o ex-rival, Estados Unidos, nas operacoes com a Estacao Espacial Internacional (EEI).

A Nave Soyuz foi precedida pelas naves vostok (com capacidade para um Cosmonauta) e Voskhod (com capacidade para dois).

Acredita-se que o principal objectivo de desenvolvimento da Soyuz seria levar homens para a Lua, embora a antiga Uniao Sovietica nunca tenha admitido a existencia desse plano.

A Nave Soyuz adaptada para executar circunavegacao da Lua, sem no entanto pousar no solo lunar, foi chamada Zond (1964-1970). A sua principal caracteristica, em relacao as outras naves consistia na substituicao do Modulo de Reentrada com varios instrumentos de medicao.

A URSS tentou em finais da decada de 60 do Seculo XX , embora sem exito, circum-navegar com cosmonautas a Lua antes dos Estodos Unidos. Tal facto como se sabe nao veio a ocorrer, devido a uma serie de problemas com o Programa Espacial Sovietico, dessa vez e nesse objectivo de pousar um Cosmonauta na lua o velho rival Norte-americano levou a melhor sobre a forte potencia espacial europeia que era a URSS.

Apenas missoes Zond nao tripuladas Zond 5 (1968) e zond 6 (1968), o fizeram a primeira em Setembro e a segunda em Novembro. Apos isto, ainda houve missoes na tripuladas Zond 7 (1969) e Zond 8 (1970) que circum-navegaram a Lua em 1969 e 1970, ja apos os bem sucedidos voos tripulados dos Estados Unidos para a Lua.

                                          
Durante o longo periodo de uso da Soyuz, diversas versoes foram sendo desenvolvidas talvez ao pensar-se sobretudo no maior aperfeicoamento da nave e para atender as suas necessidades especificas.

As versoes actuais sao basicamente tres: Soyuz T, Soyuz TM e Soyuz TMA. A versao Soyuz T voou pela primeira vez em 1980 e, desde 1986, foi introduzida a versao "TM". Esta versao foi especialmente desenvolvida para enviar as tripulacoes da Estacao Espacial MIR. As modificacoes incluiam uma serie de melhorias no projecto da nave e a introducao de controlo de voo computadorizado.

A Soyuz TMA-M e a versao mais recente com a sua estreia em 2010. Ela visa atender as necessidades das missoes conjuntas Estados Unidos-Russia: permite uma tripulacao de altura maior (ate 1,80 M), possui um painel de instrumentos digital e um sistema de aterragem melhorado que utiliza foguetes para amortecer o pouso. E tambem utilizada como "bote salva-vidas" da Estacao Espacial Internacional (EEI).

Existe ainda uma versao nao tripulada da Soyuz, chamada Progress, que consiste numa nave para envio de suprimentos, antes usada com a Estacao Espacial MIR, e actualmente com a EEI. A capacidade de carga da Progress e de 2.230 - 3.200 Kg.

A Republica Popular da China, recentemente, enviou o seu primeiro Taikonauta (portuges: Astronauta, russo: Cosmonauta) ao espaco, usando a Nave Shenzhou, que teve como base de criacao a Soyuz.

                                        
Variantes:

Complexo Lunar, proposto por Sergei Korolev (1963-1964):

. Soyuz A.
. Soyuz B.
. Soyuz V.

Primeira geracao, missoes Soyuz 1 a Soyuz 11 (1967-1971):

. Soyuz 7K-OK.
. Soyuz 7K-OKS.
. Soyuz 7K-L 1.
. Soyuz 7K-L3 (LOK).

A segunda geracao, missoes Soyuz 12 a Soyuz 40 (1973-1981):

. Soyuz 7K-T.
. Soyuz 7K-TM.

A terceira geracao, missoes Soyuz T-1 a Soyuz T-15 (1976-1986):

. Soyuz T.

A quarta geracao:

  • Soyuz TM, missoes Soyuz TM-1 a Soyuz TM-34 (1986-2002).
  • Soyuz TMA, misses Soyuz TMA-1 a Soyuz TMA-22 (2003–2012).
  • Soyuz TMA-M (2010/ presente).

  • Missoes:

    . Expedicao 25 (Soyuz TMA-01M).. Expedicao 28 (Soyuz TMA-02M).. Expedicao 31 (Soyuz TMA-03M e Soyuz TMA-04M).

    Dai por diante, apenas as Soyuz TMA-M tem sido usadas.

    Proposta:

    . Soyuz K ACTS -  Advanced Crew Transportation System (2012/presente).

     
    A Nave Espacial Soyuz e uma nave com capacidade para tres cosmonautas em viagens prolongadas (pretendia-se que a mesma viajasse para a Lua) formada por tres compartimentos: Modulo de Servico, Modulo Orbital e Capsula de Reentrada. No total considerando todos os modulos, a nave mede cerca de 7,20 M de comprimento, com um diametro maximo de 2,70 M e 10,6 M de ponta a ponta dos paineis solares, pesando todo o conjunto no lancamento 7,1 Ton. Suas dimensoes e capacidades sao similares a da Nave Apollo que foi usada pelos Estados Unidos no Projecto Apollo.

    Estes modulos da Soyuz podem se separar durante a missao. Este e, particularmente, o caso do Modulo de Reentrada, usado pelos cosmonautas, como o proprio nome em si ja indica, para a reentrada na Atmosfera Terrestre.

                                              
    O Modulo de Reentrada da Soyuz, diferente do que aconteceu com o Projecto Apollo dos estadunidenses, nao foi projectado para pousar na agua, mas sim em terra firme. Sua precisao de acerto do ponto de pouso e de 30 Km.

    Os dispositivos de comunicacao e de controlo, assim como os assentos dos tripulantes, ficam no Modulo de Reentrada. Os dispositivos  de manutencao de vida ficam localizados no Modulo Orbital. Finalmente, no Modulo de Servico localizam-se os motores para manobras, as antenas de comunicacao e os paineis solares.

    Na extremidade do Modulo Orbital, a Soyuz possui uma porta para juncao (usada para se juntar na MIR e EEI, por exemplo).

    A versao de carga Progress nao possui uma construcao modular, sendo a mesma totamente inteirica.

    O foguete lancador da Soyuz e da Progress, chamado Soyuz, evoluiu do Missil Balistico Internacional Classe A (R.7 ou "Foguete Sputnik"), originalmente desenvolvido por Sergei Korolev. Desde do inicio dos anos da decada de 60 do Seculo XX ate hoje, o Veiculo Lancador Soyuz evoluiu em sua capacidade de lancamento tendo sido desde o início o principal veículo para trabalho com a EEI.

    O lancador Soyuz possui tres estagios com um comprimento que vai de 44,3 M ate 46,28 M, dependendo da configuracao usada, e 10,5  M de diametro maximo. A combustao e obtida usando-se uma mistura de Querosene e Oxigenio liquido. O foguete pesa 308 toneladas quando totalmente cheio de combustivel. O mesmo e equipado com 6 motores com 4 camaras de combustao cada, sendo 4 motores no primeiro estagio, 1 no segundo e mais 1 no terceiro.


    Para uma tao bem sucedida nave espacial, nao se esperaria um inicio tao problematico e tragico como o da Soyuz. Sua primeira missao tripulada ocorreu em 23 de Abril de 1967, tendo a bordo um unico Cosmonauta, Vladimir Komarov. Esta missao foi chamada Soyuz 1.

    Foi planejado que a Soyuz 1 fizesse um Rendez-vous com a Soyuz 2, que seria lancada no dia seguinte, e dois cosmonautas da Soyuz 2 passarem para a Soyuz 1 apos um "passeio no espaco".

    Devido a uma serie de problemas tecnicos, nada disto se veio a realizar, e a planejada Soyuz 2 nem descolou. No final, a missao terminou em tragedia resultante da morte de Komarov na reentrada, pois seu paraquedas nao abriu e a nave acabou por se despedacar contra o solo.

    Este acidente atrasou o programa Soyuz por 18 meses. Neste periodo foram tentados lancamentos nao tripulados para verificar a confiabilidade do equipamento.

    As missoes tripuladas foram retomadas em 26 de Outobro de 1968, com o lancamento da Soyuz 3. No entanto o Programa Espacial Sovietico ja estava bastante atrasado e nao tinha mais condicoes de alcancar o Programa Espacial dos EUA. O Cosmonauta desta missao era Georgi Timofeyevich Beregovoi (1925-1995), e sua missao era juntar-se com uma sonda Soyuz nao tripulada (que veio a receber o nome de Soyuz 2). No entanto, por falha humana, a juncao nao foi bem sucedida.

    O primeiro acoplamento do Programa Espacial Sovietico so viria a realizar-se com a Soyuz 4 - Soyuz 5, em 14 de Janeiro de 1969. Nesta missao ocorreu a primeira transferencia de tripulacao da Historia da exploracao espacial, onde dois cosmonautas da Soyuz 5 Yevgeni Vassilyevich Khrunov (1933-2000) e Aleksei Stanislavovich Yeliseyev (1934), trocaram de nave ("caminhando pelo espaco") e foram para a Soyuz 4, onde ja estava o Cosmonauta Vladimir Aleksandrovich Shatalov (1927). Permaneceu na Soyuz 5 o Cosmonauta Boris Valentinovich Volynov (1934) que acabou provocando a mais estranha reentrada da historia espacial, pois teve problemas para desacoplar o Modulo de Servico na reentrada e a nave reentrou na atmosfera em uma posicao nao convencional. Tambem devido a problemas no sistema de foguetes de pouso, a descida acabou por ser mais dura que o normal e Volynov partiu um dente na colisao com o solo.

    Em 1969 ainda ocorreu a missao conjunta Soyuz 6, Soyuz 7 e Soyuz 8. A Soyuz 6 lancada em 11 de Outobro tirou fotos de uma tentativa de acoplamento da Soyuz 7 lancada em 12 de Outobro com a Soyuz 8 lancada em 13 de Outobro. A mesma intencao de acoplamento mais uma vez fracassou e o falhanco ficou a dever-se desta vez a um problema de electronica de Rendez-vouz das tres naves.

    A ultima Missao Soyuz foi a Soyuz 9 em 1970 entre 1 de Junho e 19 de Junho e teve de 17 D: 16 H: 58 M: 55 S e efectuou 288 orbitas.


    Em 1971 no dia 30 de Junho, ocorreu o ultimo acidente fatal com a Soyuz. Apos uma bem-sucedida missao de acoplagem com a Estacao Salyut 1, os tres tripulantes da Soyuz 11: Georgi Dobrovolski, Vladislav Volkov e Viktor Patsayev morreram asfixiados, durante o periodo de reetrada na Atmsfera Terrestre, a capsula se despressurizou, e os cosmonautas, ate entao, nao faziam uso de trajes espaciais.

    Apesar dessa tragedia, o uso da Nave Soyuz teve continuidade durante os anos de 1970 e 1980, em um consistente conjunto de missoes com  objectivo de testar a capacidade humana em permanecer no espaco por longos periodos (Programa Salyut (russo: Saudacoes)-(1971-2001) e Projecto Almaz (russo: Diamante) dissimuladas no Programa Salyut). Este projecto culminaria com as missoes Soyuz relacionadas com a Estacao Espacial MIR. A primeira delas foi a Soyuz T - 15, em Marco de 1986.

    Em 1983, outro grande susto: o foguete que levaria a Soyuz T-10-1 (tamem chamada de Soyuz-T 10a no Ocidente, foi uma missao do programa Soyuz que nunca foi ao espaco). O mesmo foguete incendiou-se ainda no solo, mas os seus tripulantes conseguiram se ejectar dois segundos antes da explosao.

    Tambem nao esquecer a Missao Soyuz 19 que acoplou com a Apollo 18 da NASA em 1975.

    Com o encerramento em 21 de Julho de 2011 do Programa do Vaivem Espacial (Shuttle) pela NASA, as naves Soyuz passaram a ser as unicas naves espaciais que servem a Estacao Espacial Internacional, tanto levando astronautas, quanto mantimentos (usando naves Progress).

     
    . Zond (naves espaciais):

    As missoes espaciais Zond constituiram parte de um antigo programa espacial da antiga Uniao Sovietica para a exploracao da Lua e do Meio Interplanetario, sendo a Zond 1 (1964) e a Zond 2 (1964) as unicas que na exploraram a Lua mas sim Venus e Marte, respectivamente.

    As missoes Zond pertenceram a um programa mais amplo chamado de Lunar L 1 que tinha como objectivo levar homens a Lua.

    A Nave Espacial Zond era na realidade uma modificacao da Nave Soyuz adaptada para circum-navegacao da Lua. A intencao da URSS era enviar cosmonautas ao solo lunar usando uma combinacao da Nave Zond /Soyuz com o LK Lander, que era um modulo tripulado para descida na Lua e regresso a orbita.


    Missoes do Programa:

    . Zond 1 - Lancada em 2 de Abril de 1964 - enviada para Venus, sobrevoou o planeta em Julho de 1964.
    . Zond 2 - lancada em 30 de novembro de 1964 - enviada para Marte, sobrevoou o planeta em Agosto de 1965.
    . Zond 3 - lancada em 18 de Julho de 1965 - executou uma passagem pela Lua
    . Zond 4 - lancada em Marco de 1968, foi posta em orbita e enviada para uma distancia lunar (mas nao na direccao da Lua).
    . Zond 5 - lancada em 15 de setembro de 1968 - retornou em 21 de Setembro de 1968 - circum-navegou a Lua.
    . Zond 6 - lancada em 10 de Novembro de 1968 - retornou em 17 de Novembro de 1968 - circum-navegou a Lua.
    . Zond 7 - lancada em 7 de agosto de 1969 - retornou em 14 de Agosto de 1969 - circum-navegou a Lua.
    . Zond 8 - lancada em 20 de Outubro de 1970 - retornou em 27 de outubro de 1970 - circum-navegou a Lua.


    . Progress (naves espaciais):

    A Progress e uma nave espacial nao tripulada, derivada da nave russa Soyuz e tambem lancada pelo Veiculo de Lancamento Soyuz. Actualmente e utilizada para reabastecer a Estacao Espacial Internacional (EEI), completando o que as duas Soyuz tripuladas anuais conseguem transportar. Realizam-se entre tres a quatro voos por ano. Cada nave permanece acoplada ate pouco antes da nova nave chegar, posteriormente, e enchida com desperdicio, desacoplada, retirada de orbita e destruida na atmosfera.

    Ao contrario da japonesa Kounotori, a Progress e capaz de acoplar-se automaticamente a EEI, como o Cargueiro europeu Julio Verme.


    . Shenzhou (naves espaciais):

    A Shenzhou e a nave espacial projectada no ambito do Programa Espacial Chines (1956) para levar taikonautas ao espaco. Lancada no topo do foguete chines Longa Marcha, o Projecto da nave e baseado na bem-sucedida nave russa Soyuz, o que sugere a participacao de tecnicos russos na sua concepcao. Tal como a Soyuz, a Shenzhou possui tres modulos: Orbital, de Reentrada e de Servico. A principal inovacao da nave chinesa fica por conta do Modulo Orbital possuir paineis solares proprios, o que lhe permite a manutencao do seu funcionamento no espaco apos o retorno dos taikonautas. Com o lancamento bem sucedido da Shenzhou, a China tornou-se o terceiro pais do mundo, ao lado da Russia (antes URSS) e Estados Unidos, a deter tecnologia para levar seres humanos ao espaco, a frente, portanto, de grandes potencias europeias.


    Muito mais ainda poderia falar sobre o Programa Espacial Sovietico sobretudo do referido Programa Soyuz e penso que no futuro falarei mais abertamente sobre o mesmo e alguns temas que nao fiz tanta referencia nesta cronica. A ideia no futuro passa inclusive de fazer uma cronica homenagenado os animais que foram envolvidos no mesmo programa, assim como falar do proprio Programa Espacial dos Estados Unidos. Por agora e tempo de me dedicar por inteiro enquanto puder e me for permitido a novos projectos.

    Caro(a) Leitor(a) por agora resta-me apresentar as despedidas fazendo votos de um novo encontro brevemente, abraco e espero que tenham gostado da presente cronica.

    PS: Sei que nao tenho tido tanta assiduidade nas publicacoes, habitualmente nesta altura do mes estou com 3,4 e ate mais cronicas mensais apresentadas e este mes estou a terminar a primeira. Apresento o meu sincero pedido de desculpa para com os leitores mais assiduos mas as vezes acontece um problema de saude com internamento, exames e talvez cirugia delicada a isso obriga, ate a proxima.

                                                                                                                     Manuel Goncalves
















     


     
                                                     









                                                                         




































     
     
     
     
     



















     
     



     
     
     









     











     





     

      




     



















    3 comentários:

    1. Um texto muito completo sobre o tema, ao lê-lo ficamos praticamenet a saber tudo.
      Aproveito para enviar um grande abraço ao autor, fico preocupada pelo seu problema de saúde e só espero que fique melhor em breve.

      ResponderEliminar
    2. Esta cronica e um pouco especial escrevi-a entre Peterborough, exames nos hospitais da Universidade de Cambridghire e internamento e novos exames no hospital de Neurologia em Londres. A um mes atras nao pensava estar assim mas enquanto a vida a esperanca.

      ResponderEliminar
    3. Penso que nao esta coompletamente completo Caroline considero que haveria muito mais para falar do Programa Soyuz e tambem se podia ter dado mais destaque aos caes que estiveram envolvidos nas missoes dos diversos programas.

      ResponderEliminar