sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

O Desastre Nuclear de Chernobil

 

Foi uma daquelas tragedias que jamais pode ser esquecida nao so pela sua imensidao mas pela polemica que causou. Mais uma vez parecia que a antiga Uniao Sovietica ja com Mikhail Sergueievitch Gorbachev (1931) ainda  fazia tudo para esconder o que havia de errado dentro do seu territorio nao se preocupando (como foi o  caso) com a seridade das consequencias.

O caso aparentemente nao afectou apenas os seres humanos vivos mas inclusivamente os seres humanos que haveriam de nascer. Durante muito tempo criancas nasciam com problemas aparentemente causados pelo desastre da catastrofe de Chernobil e ainda hoje passado quase 30 anos o local e de alto risco e ao longo de um espaco a sua volta tudo e inabitavel e muitos afirmam que a tragedia poderia ter sido de menor dimensao se tivessem sido tomadas medidas adequadas mais rapidamente mas as autoridades competente assim nao o entenderam.

A consequencia a pagar foi criancas nascerem com deficiencias fisicas e mentais, pessoas gravemente doente, casos de leucemia em alto numero, destruicao do meio ambiente e da natureza, etc. Com tudo isto nao me admiro de ser eu uma crianca de 8 anos mas ter vagamente na lembranca ouvir o meu padrasto comentar o caso, nao me recordo tao bem do caso como a tragedia sucedida n mesmo ano a envolver o Vaivem Challenger mas tambem este nao me passou despercebido.


O Desastre de Chernobil tambem conhecido como Acidente de Chernobil foi um Acidente Nuclear catastrofico que ocorreu em 26 de Abril de 1986 na Central Electrica da Central Nuclear de Chernobil (entao na Republica Socialista Sovietica Ucraniana (1919-1991) ), que estava sob a jurisdicao directa das autoridades centrais da Uniao Sovietica (1922-1991). Uma forte explosao e um incendio lancaram grandes quantidades de particulas radioativas na atmosfera, que se espalhou por boa parte da URSS e da Europa Ocidental.

Na madrugada de sabado, 26 de abril de 1986, ocorreu o acidente com o reactor numero 4 durante testes realizados na Central Nuclear de Chernobil. As particulas que se espalharam pela regiao despejaram sobre o local uma nuvem de contaminacao 400 vezes mais radioactiva do que os ataques nucleares contra Hiroshima e Nagasaki ao final da Segunda Guerra Mundial.

Nao houve apenas uma causa para o acidente. Os principais motivos sao as falhas no projecto tecnico na construxao dos reactores RBMK, alem de falhas humanas no manuseio em suas hastes de controlo, o que levou a complicacoes no nivel de calor gerado pelo dispositivo. As altissimas temperaturas destruiram o Reactor 4, ocasionando o maior Acidente Nuclear da História.

O resultado imediato foi a morte de 31 pessoas: uma durante a explosao, uma de trombose coronaria, uma terceira de queimaduras termicas e 28 de intoxicacao aguda por radiacao. Mas os problemas continuaram, atingindo cerca de 1 mil trabalhadores de emergencia da area do reactor no primeiro dia apos o acidente. Durante o primeiro ano pos-acidente, cerca de 200 mil trabalhadores das operacoes de emergencia e recuperacao foram expostos a alta radiacao.


O desastre e o pior Acidente Nuclear da Historia em termos de custos e no resultado final de vitimas mortais, alem de ser um dos dois unicos classificdos como um Evento de Nivel 7 (Classificacao Maxima) na Escala Internacional de Acidentes Nucleares (sendo o outro o Acidente Nuclear de Fukushima I, no Japao, em 11 de Marco de 2011). A batalha para conter a perigosa contaminacao radioactiva e evitar uma catastrofe maior envolveu mais de 500 mil trabalhadores e um custo estimado de 18 bilhoes de rublos. Durante o acidente em si, 31 pessoas morreram e longos efeitos a longo prazo, como cancros e deformidades ainda estao sendo contabilizadas nos dias de hoje.

O acidente fez crescer preocupacoes sobre a seguranca da Industria Nuclear Sovietica diminuindo sua expansao por muitos anos, e forcando o Governo Sovietico a ser menos secreto. Os agora separados paises Russia, Ucrania e Bielorrussia tem suportado um continuo e substancial custo de descontaminacao e cuidados de saude devido ao Acidente Nuclear de Chernobil. E dificil dizer-se com exactidao ou fazer-se um previsao de numeros das vitimas mortais causadas pelo evento que foi o Desastre de Chernobil, devido as mortes esperadas por cancro, que ainda nao ocorreram e sao dificeis de atribuir especificamente ao acidente em causa. Um relatorio da Organizacao das Nacoes Unidas de 2005 atribuiu 56 mortes ate aquela data - 47 trabalhadores acidentados e 9 criancas com Tumor da Tiroide - e estimou que cerca de 4000 pessoas morrerao de doencas relacionadas com o acidente. O Greenpeace (1971), entre outros, contestam as conclusoes finais do estudo.

O Governo Sovietico inicialmente procurou esconder o ocorrido do que se tinha sucedido a Comunidade Mundial, ate que a radiacao em altos niveis foi detectada em outros paises (possivelmente e sobretudo aqueles que eram mais vizinhos e fronteiricos mas que na faziam parte da URSS. Segue-se um trecho com esclarecimento e pronunciamento do Lider da Uniao Sovietica, na epoca do acidente Mikhail Sergueievitch Gorbachev (1931), quando finalmente sem outro tipo de hipotese o governo admitiu a ocorrencia:

" - Boa tarde, meus camaradas. Todos voces sabem que houve um inacreditavel erro - o acidente na Central Nuclear de Chernobil. Ele afectou duramente o povo sovietico, e chocou a comunidade internacional . Pela primeira vez, nos confrontamos a forca real da energia nuclear, fora de controlo".


A Central Nuclear de Chernobil esta situada no assentamento de Pripyat (apos o acidente tornou-se uma cidade fantasma), na Ucrania, 18 Km a Noroeste da cidade de Chernobil, 16 Km da fronteira com a Bielorrussia, e a cerca de 110 Km a Norte de Kiev.

A central era composta por quatro reactores, cada um capaz de produzir um Gigawatt de Energia Electrica (3,2 gigawatts de Energia Termica). Em conjunto, os quatro reactores produziam cerca de 10% da Energia Electrica utilizada pela Ucrania na epoca do acidente.

A construcao da instalacao comecou na Decada de 1970, com o reator nº 1 finalizado em 1977, seguido pelo  nº 2 (1978), nº 3 (1981), e nº 4 (1983). Dois reactores adicionais (nº 5 e nº 6, tambem capazes de produzir um Gigawatt cada) estavam em construcao na epoca do acidente . As quatro unidades geradoras usavam um tipo de Reactor chamado RBMK-1000.

Sabado, 26 de Abril de 1986, a 01:23:58 (hora local), o quarto e mais novo reactor da Central Nuclear de Chernobil - conhecido como Chernobil-4 - sofreu uma catastrofica explosao de vapor que teve um resultado final de dar origem a um incendio, seguido de uma serie de explosoes e por fim um Derretimento Nuclear.


Ha duas teorias consideradas como oficiais, mas que sao contraditorias, sobre a causa do acidente. A primeira foi logo publicada em 1986 no ano do acidente no mes de Agosto, e atribuiu a culpa, exclusivamente, aos operadores da central (nestes casos e habitual inicialmente querer-se colocar a culpa na parte mais fraca). A segunda teoria foi publicada ja em 1991 e atribuiu o acidente desta vez a defeitos no projecto do Reactor RBMK, especialmente nas hastes de controlo (parece-me ser a mais credivel a primeira parece-me querer culpabilizar aquela que no fundo se tornou a parte mais fraca de toda a historia, os operadores). Ambas as teorias foram fortemente apoiadas por diferentes grupos, inclusive os engenheiros dos reactores, pessoal da Central Nuclear de Chernobil, e o proprio governo. Alguns especialistas independentes agora acreditam que nenhuma teoria estava completamente certa. Na realidade para muitos o que aconteceu foi uma conjuncao das duas teorias, sendo que a possibilidade de defeito no reactor foi exponencialmente agravado pelo erro humano (indica talvez que a culpa do acidente foi originada por os operadores nao terem nunca notado o defeito ou avaria ou simplesmente terem ignorado o que se estava a passar).

Porem o factor mais importante foi que Anatoly Stepanovich Dyatlov (1931-1995), Engenheiro-chefe entao responsavel pela realizacao de testes nos reactores, mesmo sabendo que o reactor era perigoso em algumas condicoes e contra os parametros de seguraca dispostos no manual de operacao, levou a efeito intencionalmente a realizacao de um teste de reducao de potencia que resultou no desastre (Dyatlov em 1987 sentenciado "por manipulacao criminosa de instalacoes potencialmente explosivas", condenado a dez anos de prisao. Foi solto depois de cinco anos. Escreveu um livro, relatando que seria falha de projecto e nao de pessoal a causa primaria do acidente). A Gerencia da instalacao era composta em grande parte por pessoal nao qualificado em RBMK: o Director V.P. Bryukhanov, tinha experiencia e treinamento em centrais termoelectricas a carvao. Seu Engenheiro-chefe, Nikolai Fomin, tambem veio de uma central convencional. O proprio Anatoly Dyatlov, ex-Engenheiro-Chefe dos reactores 3 e 4, somente tinha "alguma experiencia (talvez muito pouca para o cargo que exercia) com pequenos reactores nucleares".

Alguns dos pontos de referencia em particular sao:

. O reactor tinha um fraccao de vazio (processo de destilacao, corresponde a fraccao de vapor presente em um escoamento bifasico) positivo perigosamente alto. Dito de uma forma simples para bem se entender, isso significa que se bolhas de vapor se formam na agua de resfriamento, a reaccao nuclear se acelera, levando a sobrevelocidade se nao houver intervencao. Pior, com carga baixa, este coeficiente a vazio nao era compensado por outros factores, os quais tornaram o reactor instavel e perigoso. Os operadores nao tinham conhecimento deste perigo e isto nao era intuitivo para um Operador nao treinado.

. Um defeito mais significativo do reactor era  projecto das hastes de controlo. Num Reactor Nuclear, hastes de controlo sao inseridas no reactor para diminuir a reaccao. Entretanto, no projecto do Reactor RBMK, as pontas das hastes de controlo eram feitas de grafite e os extensores (as areas finais das hastes de controlo acima das pontas, medindo um metro de comprimento) eram ocas e cheias de agua, enquanto o resto da haste - a parte que realmente funcionava que absorve os neutroes e portanto para a reaccao - era feita de carbono-boro. Com este projecto, quando as hastes eram inseridas no reactor, as pontas de grafite deslocavam uma quantidade do resfriador (agua). Isso aumenta a taxa de Fisao Nuclear, uma vez que o grafite e um moderador de neutroes mais potente. Entao nos primeiros segundos apos a activacao das hastes de controlo, a potencia do reactor aumenta, em vez de diminuir, como era desejado pelos operadores. Este comportamento do equipamento nao e intuitivo (ao contrario, o esperado seria que a potencia comecasse a baixar imediatamente, e, principalmente, nao era de conhecimento dos operadores.

. Os operadores violaram procedimentos, possivelmente porque eles ignoravam ou desconheciam a existencia de defeitos nos projectos do reactor. Tambem muitos procedimentos irregulares contribuiram para causar e originar o acidente. Um deles foi a comunicacao ineficiente entre os escritorios de seguranca (na capital, Kiev) e os operadores encarregados da experiencia daquela noite.

E importante notar que os operadores desligaram muitos dos sistemas de proteccao do reactor, o que era proibido pelos guias tecnicos publicados, a menos que houvesse um mau funcionamento.

De acordo com o relatorio da Comissao do Governo, publicado ainda em Agosto de 1986, os operadores removeram pelo menos 204 hastes de controlo do nucleo do reactor (de um total de 211 deste modelo de reactor). O mesmo guia (citado acima) proibia a operacao do RBMK-1000 com menos de 15 hastes dentro da zona do nucleo.


No dia 25 de Abril de 1986, o reactor da Unidade 4 estava programado para ser desligado para se realizar uma manutencao de rotina. Foi entao decidido usar-se a mesma oportunidade para testar a capacidade do gerador do reactor para gerar energia suficiente de forma a manter seus sistemas de seguranca (em particular, as bombas de agua) no caso de perda do suprimento externo de energia. Reactores como os de Chernobil tem um par de geradores diesel disponiveis como reserva, mas eles nao sao activados instantaneamente  - o reactor e portanto usado para partir a turbina, a um certo ponto a turbina seria desconectada do reactor e deixada a rodar sob a forca de sua inercia rotacional, e o objectivo do teste era determinar se as turbinas, na fase de queda de rotacao, poderiam alimentar as bombas enquanto o gerador estivesse partindo. O teste foi realizado com sucesso previamente em outra unidade (com as medidas de proteccao activas) e o resultado foi negativo (isto e, as turbinas nao geravam suficiente energia, na fase de queda de rotacao, para alimentar as bombas), mas melhorias adicionais foram feitas nas turbinas, o que levou a necessidade de repetir os testes.

A potencia de saida do Reactor 4 deveria ser reduzida de uma capacidade nominal de 3,2 GW para 700 MW a fim de se realizar o teste com baixa potencia, mais segura. Porem, devido a demora a comecar a experiencia, os operadores do reactor reduziram a geracao muito rapidamente, e a saida real foi somente de de 30 MW. Como resultado, a concentracao de neutroes absorvendo o produto da Fissao, Xenon-135, aumentou (este produto e habitualmente usado num reactor em baixa carga). Embora a escala de queda de potencia estivesse proxima ao maximo permitido pelos regulamentos de seguranca, a gerencia dos operadores decidiu nao desligar o reactor e continuar o mesmo teste. Ademais, foi decidido abreviar a experiencia e aumentar a potencia para apenas 200 MW. A fim de superar a absorcao de neutroes pelo excesso de Xenon-135, as hastes de controlo foram puxadas para fora do reactor mais rapidamente do que era permitido pelos regulamentos de seguranca. Como parte da experiencia, a 01:05  de 26 de Abril, as bombas que foram alimentadas pelo gerador da turbina foram ligadas;  fluxo de agua gerado por essa accao excedeu o especificado pelos regulamentos de seguranca. O fluxo de agua aumentou a 01:19 -  uma vez que a agua tambem absorve neutroes. Este adicional incremento no fluxo de agua requeria a remocao manual das hastes de controlo, produzindo uma condicao de operacao altamente instavel e perigosa.

A 01:23, o teste que viria a dar origem a maior catastrofe nuclear comecou. A situacao instavel do reactor nao se reflectia, de nenhuma maneira, no painel de control, e nao parece que algum dos operadores estivesse totalmente consciente do perigo que pairava no ar. A energia para as bombas de agua foi cortada, e como elas foram conduzidas pela inercia do gerador da turbina, o fluxo de agua decresceu . A turbina foi desconectada do reactor, aumentando o nivel de vapor no nucleo do mesmo. A medida que o liquido resfriador aquecia, bolsas de vapor se formavam nas linhas de resfriamento. O projecto peculiar do reactor moderado a grafite RBMK em Chernobil tem um grande coeficiente de vazio positivo, o que significa que a potencia do reactor aumenta rapidamente na absorcao de neutroes de agua, e nesse caso a operacao do reactor torna-se progressivamente menos estavel e mais perigosa.

A 01:23 os operadores carregaram no botao AZ-5 (Defesa Rapida de Emergencia 5) que ordenou uma insercao total de todas as hastes de controlo, incluindo as hastes de controlo manual que previamente haviam sido retiradas sem cautela. Nao ficou claro se isso foi feito como medida de emergencia, ou como um simples metodo de rotina para desligar totalmente o reactor apos a conclusao da experiencia (o reactor estava programado para ser desligado para uma manutencao de rotina). E usualmente sugerido que a paragem total foi ordenada como resposta a inesperada subida rapida de potencia. Por outro lado  Anatoly Dyatlov Engenheiro-chefe na Central Nuclear de Chernobil na epoca do acidente, escreveu em seu livro:

"Antes da 01:23, os sistemas de controlo central... nao registavam nenhuma mudanca de parametros que pudessem justificar a paragem total. A comissao...juntou e analisou grande quantidade de material, e declarou em seu relatorio que falhou em determinar a razao pela qual a paragem total foi ordenada. Nao havia necessidade de procurar pela razao. O reactor simplesmente foi desligado apos a conclusao da experiencia".

Devido a baixa velocidade do mecanismo de insercao das hastes de controlo (20 segundos para completar), as partes ocas das hastes e deslocamento temporario do resfriador, a paragem total provocou o aumento de velocidade de reaccao. O aumento da energia de saida causou a deformacao dos canais das hastes de controlo. As hastes travaram apos terem sido inseridas somente um terco do caminho, e foram portanto incapazes de conter a reaccao. Por volta de 01:23:47, a potencia do reactor aumentou para cerca de 30GW, dez vezes a potencia normal de saida. As hastes de combustivel comecaram a derreter e a pressao de vapor rapidamente aumentou causando uma grande explosao de vapor, deslocando e destruindo a cobertura do reactor, rompendo os tubos de resfriamento e entao abrindo um buraco no tecto.

Para reduzir os custos, e devido ao seu grande tamanho, o reactor foi construido com somente contencao parcial. Isso permitiu que os contaminantes radioactivos escapassem para a atmosfera depois que a explosao de vapor queimou os vasos de pressao primarios. Depois que a parte do tecto explodiu, a entrada do oxigenio - combinada com a temperatura extremamente alta do combusitivel do reactor e do grafite moderador - produziu um incendio de grafite. Este incendio contribuiu para espalhar o materia radioactivo e contaminar as areas vizinhas.

Existe alguma controversia sobre a exacta sequencia de eventos apos a 01:22:30 (hora local) devido a inconsistencias entre a declaracao das testemunhas e os registos da central. A versao mais comumente aceite e a seguinte. De acordo com esta teoria, a primeira explosao aconteceu aproximadamente a 01:23:47 (hora local), sete segundos apos o Operador ordenar a paragem total. E algumas vezes afirmado que a explosao aconteceu antes ou imediatamente em seguida a paragem total (esta e a versao do Comite Sovietico que estudou o acidente). Esta distincao e importante porque, se o reactor se tornou critico varios segundos apos a ordem de paragem total, esta falha seria atribuida ao projecto das hastes de controlo, enquanto a explosao simultanea a ordem de paragem total seria atribuida a accao dos operadores. De facto, um fraco evento sismico foi registado na Area de Chernobil quando era 01:23:39. Este evento poderia ter sido causado pela explosao ou poderia ser coincidente (dificil se acreditar uma coincidencia tao demasiado grande um pequeno sismo acontecer no momento da explosao e nao ter nada a ver com a mesma). A situacao e complicada pelo facto de o botao de paragem total ter sido carregado mais do que uma vez, e a pessoa que carregou no mesmo ter morrido duas semanas apos o acidente, envenenada pela radiacao.


. Sequencia de eventos:

. 26 de Abril de 1986 - O acidente no reactor 4 da Central Electrica Nuclear de Chernobil aconteceu a noite, entre 25 e 26 de Abril de 1986, durante um teste. A equipa operacional tinha planeado testar se as turbinas poderiam produzir energia suficiente para manter as bombas do liquido de refrigeracao a funcionar  no caso de uma perda de potencia ate que o gerador de emergencia fosse activado. Para garantir e prevenir o bom andamento do teste, foram desligados os sistemas de seguranca e o reactor teve que ter sua capacidade operacional reduzida para 25%, mas o procedimento nao saiu como estava planeado. Por razoes desconhecidas,  nivel de potencia do reactor caiu para menos de 1%  e por isso a potencia teve que ser aumentada, mas, 30 segundos depois do inicio do teste, houve um aumento de potencia repentina e inesperada e entao o sistema de seguranca do reactor, que deveria ter parado a reaccao em cadeia, falhou. Em segundos, o nivel de potencia e a temperatura subiram demasiadamente. O reactor ficou descontrolado e houve uma explosao violenta, a cobertura de proteccao de 1000 toneladas nao resistiu. A temperatura de mais de 2000°C derreteu as hastes de controlo. O grafite que cobria o reator incendiou-se e material radiactivo comecou a ser lancado na atmosfera.
. De 26 de Abril a 4 de Maio de 1986 - a maior parte da radiacao foi emitida nos primeiros dez dias. Inicialmente houve predominancia de ventos Norte e Noroeste. No final de Abril o vento mudou para Sul e Sudeste. As chuvas locais frequentes fizeram com que a radiacao fosse distribuida local e regionalmente.
. De 27 de Abril a 5 de Maio de 1986 - aproximadamente 1800 helicopteros deitaram cerca de 5000 toneladas de material extintor, tais como areia e chumbo, sobre  o reactor que ainda queimava.
. 27 de Abril de 1986 - os habitantes da cidade de Pripyat foram evacuados.
. 28 de Abril de 1986, 23 horas - um laboratorio de pesquisas nucleares da Dinamarca anunciou a ocorrencia do Acidente Nuclear em Chernobil.
. 29 de Abril de 1986 - o Acidente Nuclear de Chernobil foi divulgado como noticia pela primeira vez, na Alemanha.
. Ate 5 de Maio de 1986 - durante os 10 dias apos o acidente, 130 mil pessoas foram evacuadas.
. 6 de Maio de 1986 - cessou a emissao  radioactiva.
. De 15 de Maio a 16 de Maio de 1986 - novos focos de incendio e emissao radioactiva.
. 23 de Maio de 1986 - o Governo sovietico de entao ordenou a distribuicao de solucao de Iodo a populacao.
. Novembro de 1986 - o "Sarcofrago" que abriga o reactor foi concluido. Ele destina-se a absorver a radiacao e conter o combustivel remanescente. Considerado uma medida provisoria e construido para durar de 20 a 30 anos, seu maior problema e a falta de estabilidade, pois, como foi construido as pressas, ha um certo risco de ferrugem nas vigas.
. 1989 - o Governo russo embargou a construcao dos reactores 5 e 6 da Central Nuclear de Chernobil.
. 12 de Dezembro de 2000 - depois de varias negociacoes internacionais, a Central Nuclear de Chernobil foi desactivada.


Muito ficou por se saber ou foi simplesmente ocultado nao acredito que nao seja do conhecimento geral dos especialistas e entendidos na materia que acompanharam e estudaram o caso a razao pela qual o nivel de potencia do reactor caiu e subido depois de forma inesperada a ponto causar a explosao que causou esta tragedia e Desastre Nuclear. No entanto foi criada uma lista com 20 factos supreendentes e pouco conhecidos sobre o Acidente Nuclear em Chernobil que passo agora a publicar a titulo de curiosidade e informativo:

. 1 - Antes do Acidente Nuclear de Chernobil em 26 de Abril de 1986, os sovieticos tiveram outro grande Desastre Nuclear em 1957, na cidade de Ozyorsk, que acabou por contaminar mais de 20.000 quilometros quadrados. Foi um Desastre Nuclear de Nivel 6 (Chernobil e Fukushima foram de Nivel 7), tornando-se o terceiro Desastre Nuclear mais grave ja registado. A area foi alterada e transformada para encobrir a existencia do acidente. A CIA sabia da existencia do acidente, mas tambem optou por encobrir os factos do sucedido, a fim de proteger a incipiente Industria Nuclear dos EUA da histeria.

. 2 - No final da limpeza de Chernobil, tres homens foram forcados a ir ao topo da chamine do Reactor 3 para pendurar uma bandeira vermelha. Devido aos altos niveis de radiacao, o trabalh de toda a mesma operacao teve que ser programado para durar um tempo inferior a 9 minutos. A recompensa dos tres homens foi uma garrafa de pepsi (um luxo na epoca) para cada um e um dia de folga.

. 3 - Cientistas eslovacos plantaram soja na zona irradiada de Chernobil para ver como ela se adaptaria. As plantas adaptadas dentro de uma unica geracao produziram um tipo de proteina que e conhecida por ajudar a proteger  o sangue humano da radiacao.

. 4 - Um dos bombeiros de Chernobil que afirmou que nao sabia que as chamas de Chernobil eram radioactivas, 20 anos mais tarde disse: "Claro que sabia! Se tivessemos seguido os regulamentos, nunca teriamos chegado perto do reactor. Mas era uma obrigacao moral - nosso dever. Eramos como kamikazes".

. 5 - Ha uma populaca de javalis radioactivos na Alemanha, causada pelo Desastre Nuclear de Chernobil e seu numero esta a aumentar.

. 6 - A entao Uniao Sovietica inicialmente escondeu da Comunidade Internacional o desastre nao admitindo que um reactor tinha explodido na Central Nuclear de Chernobil, na Ucrania, ate quase tres dias depois, quando a radiacao do Desastre Nuclear disparou alarmes em uma Central Nuclear na Suecia a 1000 Km de distancia.

. 7 - A Central Nuclear de Chernobil nao foi completamente desactivada ate ao ano de 2000.

. 8 - Ao ficar dois dias na zona de exclusao de Chernobil, o corpo humano recebe uma dose de radiacao igual a de um Voo Intercontinetal.

. 9 - Um Operador de meia idade de Chernobil foi intencionalmente aos campos de radiacao para evitar que homens mais jovens fossem. Ele recebeu 5 vezes a quantidade de radiacao necessaria para matar um ser humano e salvou muitas vidas com isso.

. 10 - Ha uma especie de fungo que cresce no Reactor de Chernobil e se alimenta da radiacao.

. 11 - A area dentro da "zona de exclusao" tornou-se o lar de centenas de animais selvagens, como veados, corujas, javalis, ursos e castores.

. 12 - Em Chernobil, plantavam canhamo para assim remover as toxinas do solo em um processo que e chamado de "Fitorremediacao".

. 13 - Os olhos de um Bombeiro no Desastre de Chernobil mudaram de cor passando de castanho para azul derivado a radiacao que recebeu.

. 14 - A area ao redor de Chernobil nao sera segura para ser habitada por humanos novamente por mais de 20.000 anos.

. 15 - Os veiculos que salvaram as pessoas do Desastre de Chernobil estao agora armazenados em um cemiterio radioactivo remoto.

. 16 - 85% das criancas na Bielorrussia sao consideradas vitimas de Chernobil. Elas carregam "marcas geneticas" que poderiam afectar sua saude a qualquer momento e podem ser passadas para a proxima geracao.

. 17 - As arvores mortas e folhas caidas perto de Chernobil nao estao deteriorando.

. 18 - Seis dias depois do Desastre de Chernobil, tres mergulhadores voluntarios nadaram na sala cheia de agua radioactiva no reactor. Seu objectivo era liberar a agua a fim de assim evitar outra explosao dentro da central potencialmente muito perigosa. Todos eles morreram mais tarde pelos efeitos da radiacao.

. 19 - Apenas 31 pessoas morreram realmente durante o tragico evento. A maioria das mortes ocorreu mais tarde, como resultado da radiacao.

. 20 - um sarcofrago de concreto foi construido em torno dos reactores destruidos. O mesmo contem 100 Kg de Plutonio, com uma semi-vida de 245.000 anos. Caso o sarcofrago colapse, seria o suficiente para envenenar 100 milhoes de pessoas.
 

Caro(a) leitor(a) esta cronica fez-me pensar um pouco no Meio Ambiente em que vivemos. O mundo fala e diz-se preocupar-se com o Meio Ambiente e os problemas causados pelo buraco na Camada de Ozono mas nao sera o proprio ser humano que com os seus erros tem destruido o Meio Ambiente, aumentando o perigo da Camada de Ozono e provocando poluicao em varios sentidos e de varias maneiras destruindo assim o Planeta Terra. De notar tambem que o mesmo desastre teve muito mais impacto do que se possa pensar para muitos o Desastre Nuclear de Chernobil foi o principio do fim do comunismo e tambem o principio do fim da propria Uniao Sovietica.

Quase a terminar e antes de me despedir e desejar que esta cronica tenha sido do seu inteiro agrado, fico feliz quando isso acontece e venho a saber ate a proxima.

                                                                                                                 Manuel Goncalves























2 comentários:

  1. Este foi um terrível acidente , com consequências muito graves. Mas o pior ainda foi que as autoridades soviéticas não informaram logo a população e enviaram socorristas totalmente desprotegidos. Muitos nem sabiam ao que iam, por isso morreram passados poucos anos. Foi uma grande irresponsabilidade. O acidente foi um sério aviso para a Humanidade.

    ResponderEliminar
  2. Penso que este acidente foi o principio do fim da velha Uniao Sovietica Gorbatchev depois comecou com as chamadas politicas da Perestroika e o mundo comecou a ver o que estava por detras da cortina de ferro.

    ResponderEliminar