quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

O Caso do Padre Frederico o Crime, a Fuga e Nova Vida



Estou de volta e cotinuo a escrever sobre temas polemicos relacionados com justica e crimes este ano ja la vao 4 cronicas a envolver os mesmos assuntos ainda que de uma forma variada. volCuriosamente tambem esta cronica tal como a primeira acaba por envolver o Brasil.

Primeiro foi O roubo da Taca Julius Rimet em 1983 no Brasil (16/01/2016), depois foi Mulheres recrutadas, escravizadas, vendidas e assassinadas pelo Estado Islamico (21/01/2016) seguiu-se A descoberta do tesouro de Troia (a grande burla da Arqueologia) em (29/01/2016) e por fim A Eutanasia, Vida ou Morte, os pros e contras (06/02/2016). Alguns destes temas sobretudo dois em particular que abordam o Estado Islamico e o que aborda o tema da Eutanasia provocaram uma reaccao positiva em que alguns leitores se manisfestaram com agrado acerca das mesmas cronicas. Nao e de todo facil receber-se uma critica positiva quando o tema e tao polemico mas creio que o segredo esta em apesar de revelar a minha opniao pessoal apresentar sempre os dois lados da questao sem puxar em demasia para um dos lados.

 Este caso tocou-me em particular porque a fuga do suposto Homicida para o Brasil aconteceu dias antes de no Verao de 1998 eu ter deixado Portugal e ter vindo para o Reino Unido pela primeira vez tambem e um daqueles casos que considero se embora houve crime e ate um condenado pergunto se houve justica. Se o Padre matou apesar de ter cumprido uma parte da pena a justica falhou a deixa-lo fugir, se o Padre nao matou e esta inocente como sempre reclamou entao a justica esteve ainda pior alem de condenar um inocente deixou um criminoso impune.


Frederico Marques Cunha (1951) e um Padre Catolico suspostamente abusador sexual de menores e Assassino de um desses jovens. Depois da sua fuga em 1998, ele escapou da prisao e desde entao tem sido procurado pelas autoridades portuguesas.

No Brasil, o Padre Frederico Cunha concluiu, o seu chamado no Engelwerk que faz parte de um Movimento Catolico fundado na Austria e que pertence a Congregacao dos Conegos Regulares de Santa Cruz. Frederico Marques Cunha viria para a Europa em 1981, em conjunto com outros membro da mesma obra religiosa. Ele acabaria por completar seus estudos teologicos na Faculdade Portuguesa em Roma, foi nessa epoca que viria a tomar conhecimento com Teodoro de Faria (1930) futuro Bispo do Funchal que viria a ser um dos responsaveis do Sacerdote brasileiro ir parar a ilha portuguesa.

Entretanto em 1983, por ordem de Joao Paulo II (1920-2005) Teodoro Faria viria ser nomeado Bispo da cidade do Funchal e trouxe para a sua diocese Frederico Cunha, nomeou-o seu Secretario Particular mesmo segundo o que se diz tendo conhecimento das tendencias homossexuais do brasileiro. Tudo era visto com espanto no Clero da Madeira no que levava ao interesse do Bispo por "uma pessoa tao bizarra". Na Madeira eram frequentes por causa das "regrinhas ortodoxas", as queixas dos crentes ao Bispo acerca de Frederico Cunha.

Apos repetidas luxacoes de paroquia em paroquia o Padre Frederico finalmente permaneceu durante tres anos entre 1987-1990 na Freguesia de Sao Jorge, situada no Norte da ilha. Veio do presbiterio para a pederastia. Mais tarde o Bispo em vez de lhe confiar novamente uma paroquia, nomeou-o Professor de Religiao em Machico, uma cidade na zona Leste da ilha.


Na Manha do dia 2 de Maio de 1992, o jovem Luis Miguel Correia foi encontrado ja sem vida abaixo dos penhascos no Canical, onde o Ramo do Engelwerk ao qual pertencia o Padre Frederico Cunha se encontrava na Casa do Canical. A policia inicialmente considerou que tudo nao passara de um lamentavel acidente. Somente durante a autopsia do cadaver o Medico Legista apresentou um resultado diferente que foram determinantes para se ter um novo parecer acerca do caso e pensar-se que se tratava de um crime e nao apenas de um acidente. Emanuel Pita determinou que varias violacoes, incluindo a lesao fatal na cabeca e rachaduras nas maos, nao poderiam ter sido originadas e motivadas atraves da queda no penhasco mas sim anteriores a queda. Com base nos resultados da autopsia o sucedido era um caso de crime e passou a estar uma investigacao policial lancada contra desconhecidos.

Durante o processo de investigacao, varias testemunhas, como criancas ou adolescentes, afirmaram em testemunhos ter sido forcados por Frederico Cunha a cometer actos sexuais e fizeram os relatos do sucedido. Durante uma busca policial em casa do Padre Frederico Marques Cunha nas suas instalacoes a policia viria a encontrar uma serie de fotos pornograficas de criancas e adolescentes que tinham sido tiradas pelo Sacerdote. Em 25 de Maio de 1992 era detido e levado para a prisao da cidade do Funchal onde ficara em Prisao Preventiva.

O ainda Bispo local da Diocese do Funchal, Teodoro de Faria mostrou o seu desagrado e protestou contra a prisao do Padre Frederico Cunha foi aos limites de considerar o mesmo "tao inocente como Jesus Cristo (c. 7-2 AC-c. 30-33 DC). Muitos outros sacerdotes da diocese tentaram influenciar as testemunhas, a fim de mover uma tentativa de as mesmas testemunharem a favor do acusado. Diversos sacerdotes do Movimento Engelwerk tentaram de varias maneiras subornar as testemunhas instigando-as a prestarem falsas declaracoes ou seja a cometer o Crime de Perjurio.

Apesar de uma forte oposicao do Clero da Madeira sobretudo da Diocese do Funchal varias testemunhas foram contra aos desejos da identidade religiosa e sem temor afirmaram ter visto que o Padre Frederico acompanhava Luis Miguel Correia perto das imediacoes da cena de onde viria a acontecer o crime os mesmos tinham sido vistos juntos tambem por pessoas que se encontravam no momento numa Torre de Vigia situada na Falesia do Canical. O afilhado de Cunha Jose Manuel Noite testemunha a favor do padrinho e ser ve alibi para o mesmo, alegando que quem estava na Torre de Observacao na altura com o Padre Frederico era ele proprio e nao a vitima. Este alibi acabou, gracas as declaracoes do Director e da Recepcionista do Hotel Malbur onde o Padre Frederico tinha estado durante a noite de 1 para 2 de Maio. Ambas as testemunhas confirmaram que Cunha tinha recebido uma chamada de Jose Noite no hotel. Entao Cunha temendo que a chamada pudesse ter sido interceptada, fez o que se pode chamar de uma birra e demostrou seu descontentamento, durante o qual dirigiu varias alegacoes para a Recepcionista.

Duas testemunhas foram, no decurso do processo apanhados em perjurio. A Testemunha Moniz Alves afirmou ter-se encontado com Correia cerca das 23 horas da noite 1 de Maio de 1992 altura do alegado crime. Afirmou ter encontrado o jovem a dancar num bar. Mais tarde confessou ter recebido da parte da mae do Padre Frederico Leonor Barros da cunha suborno para dar o mesmo testemunho. O Proprietario de um Snack-Bar Pedro Melim afirmou sob juramento ter vendido uma sandes a vitima para consumo imediato. Pelo protocolo e resultado da autopsia veio-se a descobrir que Melim estava a mentir, porque o estomago do morto estava vazio sem vestigios de comida, apenas encontraram agua salgada no estomago de Luis Miguel Correia.

O Padre Frederico em julgamento se recusou a responder a pergunta do Juiz quando lhe foi perguntado se era Gay. Em varias perguntas do tribunal, segundo ele, nao era capaz de se lembrar, foi apanhado varias vezes em diversas contradicoes e negou sempre os seus supostos crimes.

Apos a conclusao do inquerito em Fevereiro de 1993, no Tribunal Distrital de Santa Cruz o Padre Frederico foi acusado do assassinato de um menor para esconder um crime que havia cometido. A punicao para isso seria de 12-20 anos no maximo, porque em Portugal a Sentenca de Prisao Perpetua foi abolida em 1884 tendo sido mesmo o primeiro pais do mundo a ter abolido a mesma Pena de Crime.

O tribunal concluiu que o Padre Frederico Marques Cunha tinha encontrado Luis Miguel Correia no dia 1 de Maio de 1992 no Canical e ofereceu-lhe uma boleia no seu carro. Ja fora da vigia sobre as falesias da aldeia em Ponta de Sao Lourenco o Padre teria tentado forcar o jovem a praticas de actos sexuais. Temendo ser descoberto o Padre tera empurrado o jovem para o precipicio.

Em Marco de 1993 o resultado do inquerito e decisao do tribunal foi a condenacao de Frederico Marques Cunha, uma decisao por unanimidade, condenado a uma pena de 13 anos e a uma posterior deportacao de Portugal. Defesa e Ministerio Publico fizeram apelos antes da sentenca ter sido lida em tribunal. Jose Miguel Noite o afilhado do Padre Frederico foi tambem devido a tentar obstruir a justica condenado a uma Pena de Liberdade Condicional por um ano e tres meses.

Em Fevereiro de 1994, o Supremo Tribunal confirmou como decisao final ambas as conviccoes e as respectivas penas, Cunha foi adicionalmente condenado para pagar aos parentes enlutados da vitima a quantia de 1.600.000 escudos de compensacao e indemnizacao. Todos os pedidos subsquentes da defesa efectuados por Romeu Frances para se realizar um novo julgamento foram rejeitados.

Apos 18 anos passados sobre o crime o Promotor Joao Freitas assumiu publicamente ter sido definido no ambito do processo sob pressao para uma absolvicao a forca do acusado. Freitas afirmou que a pressao nao fora somente realizada pela Igreja; sendo ele tambem um Catolico praticante.


Apos a condenacao definitiva o Padre Frederico foi transferido para Portugal Continental e cumpriu os primeiros anos da sua condenacao na Prisao Vale dos Judeus em Alcoentre. Em Abril de 1998 a Juiza Margarida Vieira de Almeida deu ao Sacerdote indo contra ao conselho do Director da prisao oito dias de liberdade, Frederico aproveitou a folga para ir passar esses dias com a mae, em Lisboa. O Padre Frederico aproveitou a oportunidade para fugir, era uma oportunidade unica, algo que praticamente lhe havia caido do ceu como oferta e era certo que tendo essa oportunidade de precaria o iria fazer parece que so mesmo a Juiza Margarida Vieira de Almeida nao denotou esse pormenor tao importante e seguiu em frente com a sua decisao mesmo contra ao conselho do Director da prisao. O mesmo certamente conhecia bem Cunha, deveria cruzar-se com ele se nao diariamente com muita frequencia e sabia do que ele seria capaz enquanto a Juiza possivelmente se nao julgou o caso nem nunca na vida tinha visto na sua frente Frederico Marques Cunha. No entanto ate me pergunto se esta saida precaria nao lhe foi dada pela justica mesmo para ele se colocar em fuga sendo  mesmo brasileiro fugindo para o Brasil ja ninguem lhe podia fazer nada. Frederico Cunha aproveitou a oportunidade para fugir primeiro foi para Espanha onde apanhou com toda a facilidade um aviao com destino ao Rio de Janeiro.

Para evitar novos incidentes semelhantes a justica portuguesa alterou os sistemas nos aeroportos e passou a ter um sistema de seguranca mais vigilante. Considero estranho que mesmo na altura os dados de Frederico Marques Cunha nao estivessem computarizados entre o Ministerio da Justica e os Servicos de Estrangeiros e Fronteiras (SEF). Quando alguem esta sob uma contumacia torna-se um Contumaz e so com uma ordem de aprovacao de Magistrado pode sair de Portugal assim como nao pode ausentar-se por mais de 4 dias da residencia que declarou em tribunal ate ir a julgamento Frederico Marques Cunha nem era sequer um contumaz mas algo bem mais grave era um condenado a cumprir pena e que estava em liberdade precaria.

Depois da fuga Cunha, ele alegou que sabia quem era  verdadeiro culpado; que poderia fornecer provas suficientes da sua inocencia, para se fazer um novo julgamento em Portugal ou no Brasil, e que tinha sido apenas um bode expiatorio. Ate mesmo perante perante o Servico Secreto Portugues ele tinha provado a sua inocencia, tal porem nao foi aceite pelo tribunal. Um jovem que alegadamente conhecia o verdadeiro culpado, tambem foi morto. As evidencia anunciadas para estas alegacoes nao foram fornecidas, pelo que o veredicto permaneceu valido mais uma vez.

Apenas em 2002 Teodoro Faria admitiria, que apesar da sua refutacao e da sua distorcao a favor de Frederico Cunha enquanto era Bispo da cidade do Funchal, era do seu conhecimento os casos de pedofilia em que estava envolvido o Padre Frederico. A Igreja nao e reconhecida por um Modernismo Catolico acusou o Bispo "comportamento escandalosamente desequilibrado" antes nesse caso por parte do Padre Frederico. Teodoro Faria  ainda permaneceu no exercicio das suas funcoes ate atingir o limite de idade no Episcopado cerca de 75 anos de idade ate Joseph Aloisius Ratzinger (1927) na altura Papa Bento XVI (2005-2013) aceitar a sua renuncia em 8 de Marco de 2007.

A Igreja tem um processo nao iniciado contra Frederico Cunha, com data de de Julho de 2015, o Sacerdote continua ainda a ser apontado e estando registado como pertencente a Diocese do Fuchal.

Apos ter chegado ao Brasil e a cidade onde se instalou, Rio de Janeiro, o Padre Frederico viveu com sua mae pelo menos ate 2006. Pouco depois do Sacerdote regressar ao Brasil a Secretaria de Justica local, Sandra Valle, disse que Cunha poderia ser legalmente condenado no Brasil por um crime cometido em Portugal; isso, nao aconteceu na pratica. Desde a sua fuga ate 2006 a vida do Padre Frederico no Rio de Janeiro decorreu sem anormalidades conhecidas.

No entanto a Policia Federal no Rio de Janeiro anunciou que Frederico Marques Cunha foi preso em 18 de Maio de 2007 por causa de um caso onde se via envolvido e onde mais uma vez era acusado de cometer crimes de abusos sexuais desta vez no Brasil. As vitimas eram ex-alunos seus, Cunha, apesar de ter ficado com Registo Criminal sujo perante a justica brasileira, perante a Igreja nada aconteceu de novo o Padre mais uma vez continuou inpune e celebrando celebracoes liturgicas, casamentos e baptismos e trabalhando em cursos de alfabetizacao. Cunha teve que pagar 10.000 reais que foram temporariamente livres, recebendo no Brasil uma Pena de Prisao que foi paga em uma quantidade desconhecida.

Portugal tenta desde 2007 alcancar a sua entrega por parte da justica brasileira a justica portuguesa, o mesmo levou desde o inicio da fuga a um violento confronto a nivel diplomatico entre os dois paises tendo ficado os primeiros pedidos de extradicao do Padre do Brasil para Portugal sem qualquer tipo de sucesso assim como todos os outros restantes. Num congresso de juizes nos Acores em 2011 o Desembargador brasileiro Marco Antonio Silva sugeriu, a entrega de Cunha atraves de uma troca de prisioneiros e da entrega para cumprimento da restante pena judicial a que foi condenado em Portugal. Em troca do Advogado Domingos Duarte Lima (1955) ser deportado e entregue a justica brasileira para ser julgado pela suspeita da morte de uma das suas clientes no Brasil, Rosalina Ribeiro.

O Juiz Jose Quaresma, assinalou que Portugal nao tem Acordo de Extradicao com o Brasil em uso e que o Brasil nao extradita pessoas do seu territorio nacional. Quaresma explicou, alem disso, que Duarte Lima nao poderia ser extraditado para o Brasil apenas por uma alegada suspeita. Marcos Silva expressou sua opniao afirmando que era uma questao judicial mas tambem de diplomacia e que essa substituicao ou troca era de facto incomum, mas que era legalmente possivel. Em casos futuros, o Desembargador considerou que o ideal seria um acordo mutuo entre os dois paises.

Em 2015 o Padre Frederico acusou o Promotor e o Juiz de seu julgamento por homicidio de fascistas e covardes. Ao mesmo tempo, ele elogiou Jorge Mario Bergoglio mais conhecido como Papa Francisco I (1936) no contexto do uso do mesmo contra a pedofilia. Actualmente e de acordo com o seu Advogado, a acusacao ira exirar em 2018; No entanto pode vir a suspensao devido a fuga do Padre Frederico para o Brasil, ou uma extensao do tempo em questao. Neste contexto, explicou Cunha, existe tambem o caso das limitacoes de nao poder e segundo ele nao querer deixar o Brasil. No momento actual, o Padre Frederico Marques Cunha vive no Rio de Janeiro, circulando entre os bairros de Copacabana e Ipanema, onde continuou celebrando sem ter uma diocese local.


Aparentemente o Padre Frederico tem uma vida normal no Rio de Janeiro vive entre os bairros de Copacabana e Ipanema uma das zonas mais caras da mesma cidade onde vive com a mae. No entanto tem uma vida onde nao apresenta sinais de riqueza e ate afirma que nao e do seu trabalho na Igreja que vem o seu rendimento fonte de sustento da casa afirma a mae mas sim das artes, Frederico dedica-se a Fotografia e Pintura Abstrata e vende as suas fotos a clientes certos.

Por muito mal que esteja o Padre pior julgo que esta a familia de Luis Miguel Guerreiro que a que tudo indica nunca recebeu qualquer quantia do valor da indemnizacao que o tribunal considerou ser justo nem da parte do Padre e nem da parte da propria Igreja Catolica. Muitos inclusive afirmam que perante o brando sistema judicial portugues assim que o crime expirar o Padre pode nao so vir a Portugal sem que nada lhe aconteca como ate pode ir a Madeira, ate mesmo ao Funchal e se lhe apetecer ir ao local do crime e rir-se da situacao.

Na minha opniao pessoal nada mas mesmo nada parece apontar para a inocencia do Padre Frederico se o teste na maquina da verdade fosse credivel e aceitavel desde a muito que ja era utilizado em tribunais nas sessoes de julgamento e com este crime e demostrado que desde a muito que a Igreja Catolica tem por habito proteger padres acusados de crimes sexuais.

Caro(a) leitor(a) como se pode ver neste caso o mal pode estar em qualquer lado desde que um lobo se disfarce muito bem de ovelha, deixo para voces e para a vossa opniao pessoal a decisao de considerarem o Padre culpado ou inocente, ate a proxima.

                                                                                                                   Manuel Goncalves

 































2 comentários:

  1. Uma história muito lamentável. Infelizmente, o ser humano, por mais responsabilidades que tenha, pode levar a cabo actos muito tristes e até criminosos. Mas se não houver justiça na terra, no céu com certeza haverá. Texto interessante, sem dúvida. Abraço ao autor

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na justica divina nada falha e um dia passaremos esse julgamento. Deus e grande e a jutica sera feita, neste e em outros casos, na terra o Padre pode ficar-se a rir do que fez (acredito que tenha feito) no ceu sera diferente e ele certamente nas suas oracoes pede perdao pelo que fez.

      Eliminar