sábado, 20 de fevereiro de 2016

Um Encontro Secreto e Inesperado Mas Desejado em Havana

                                                      

Nos tempos que correm e com a ameaca vinda do mundo islamico trazida muitas vezes por fieis da Igreja Muculmana e importante mais do que nunca a uniao das igrejas cristas tanto a Igreja Catolica Apostolica Romana como nas Igreja Ortodoxa Russa, o encontro e sem duvida uma forma de cimentar uma alianca religiosa e de tambem fortalecer uma uniao, agora cada vez mais e urgente faze-lo quando se ve o continente europeu a ser invadido, nitidamente invadido por grupos e movimentos islamicos alem de pela propria Igreja Muculmana dando a parecer que voltamos ao tempo das cruzadas mas que desta vez passamos de conquistadores a conquistados. Algo que me faz lembrar bem uma celebre expressao portuguesa sem querer ofender ninguem e quando as coisas vao de mal a pior la se diz "passar de cavalo a burro".

O encontro entre os dois lideres religiosos  Jorge Mario Bergoglio (1936) mais conhecido por Papa Francisco e Vladimir Mikhailovich Gundyayev (1946) mais conhecido como Cirilo I ou Kiril I Lider dos ortoxos russos aconteceu em terreno neutro em Cuba na capital Havana embora politicamente devido a Russia e Cuba serem talvez as duas principais potencias comunistas pode parecer que Francisco estaria em desvantagem e Cirilo num ambiente mais caseiro mas vendo as coisas no aspecto religioso temos que talvez mudar de opniao visto apesar de Cuba ser comunista ser tambem mais Catolica que Ortodoxo. De qualquer forma o encontro do dia 12 de Fevereiro de 2016 acabou por ser algo historico e insolito visto nunca ter havido um encontro particular entre os dois lideres religiosos de doutrinas cristas desde do ano 1054.

 
Apesar de considerar mais importante entre o principal Lider Catolico e um importante Lider Muculmano visto considerar de extrema importancia ver catolicos e muculmanos sentados a mesa em negociacoes isto sobretudo para evitar uma nova chamada Guerra Santa.

O Papa Francisco e o Patriarca Kiril, de Moscovo protagonizaram na sexta-feira de 12 de Fevereiro de 2016, em Havana, capital de Cuba, um encontro historico. Pela primeira vez, em quase 1000 anos, os lideres cristaos da Igreja Catolica Romana e Ortodoxa Russa estiveram os dois juntos depois das duas doutrinas cristas se terem separado na Grande Cisma do ano de 1054.

Kiril tinha viajado para Cuba na quinta-feira e foi recebido ja no dia seguinte pelo Presidente cubano Raul Modesto Castro Ruz (1931), no Palacio da Revolucao Cubana, em Havana. O Papa Francisco chegou no dia 12 a capital cubana perto das 14 horas locais, e foi recebido em plena pista do Aeroporto Jose Marti pelo proprio Raul Castro. O Chefe de Estado cubano acompanhou depois no o Papa ate ao local do historico encontro com o Patriarca da Igreja Ortodoxa Russa.

Os dois lideres religiosos mantiveram-se reunidos por duas horas, mantendo-se a porta fechada acompanhados por um Tradutor, o Sacerdote lituano Visvaldas Kulbokas, de 41 anos. Antigo Primeiro Secretario da Nunciatura Apostolica de Moscovo, Kulbokas trabalha desde 2012 nas Relacoes externas da Secretaria de Estado do Vaticano e, ja anteriormente em Junho de 2015, ja havia prestado os servicos de Interprete da recepcao do Papa Francisco a Vladimir Vladimirovitch Putin (1952) na Santa Se.

Presentes no encontro e testemunhas pessoais do mesmo estiveram tambem os responsaveis pela diplomacia de ambas as igrejas. Pela Igreja Catolica Romana, o Cardeal Kurt Koch, Presidente do Conselho Pontifice para a Promocao da Uniao Crista, e, pela Igreja Ortodoxa Russa, o Metropolitano Hilarion Alfeyev, Presidente do Departamento de Relacoes Externas do Patriarcado de Moscovo.

Estava igualmente prevista uma troca de presentes entre os dois lideres religiosos cristaos e a assinatura e a assinatura de ambos numa Declaracao Comum sobre a odisseia dos cristaos pelo Medio Oriente e outros temas de comunhao crista entre catolicos e ortodoxos. Era tambem esperada uma conferencia de imprensa no final da mesma reuniao historica.


Em entrevista recente a um Orgao de Comunicacao Social italiano, Jornal Corriere della Sera, o Lider da Santa Se admitia convergencias com a Russia pela paz no mundo. Depois de ja ter recebido no Estado do Vaticano o Presidente Vladimir Putin por duas ocasioes - a primeira em Novembro de 2013 -, o Papa Francisco teve o primeiro encontro com o Patriarca de Moscovo em territorio neutro, mas a politica, antecipou o Porta-Voz da Igreja Ortodoxa Russa, Alexander Volkov, nao estava prevista estar na "ementa": "A Agenda da Igreja nao tem qualquer relacao com a Agenda Politica de qualquer pais. Partimos do facto de que este ia ser um encontro de dois lideres religiosos e a politica nao tera lugar neste encontro. Tentar ver aqui algum interesse politico nao faz sentido".

Este foi o primeiro encontro de ambas as doutrinas doutrinas catolicas desde que se separaram a quase 1000 anos,  por serias divergencias, apos terem sido uma so Igreja. A importancia do momento justificou o secretismo com que tudo foi preparado, refere o Cardeal Catolico Kurt Koch. "Era muito importante que nao dissessemos nada em termos publicos porque este sera um encontro historico. E a primeira vez que o Patriarca da Igreja Ortodoxa Russa e o Papa da Igreja Catolica Romana se encontram. Isto tinha de ser preparado em segredo", afirmou o Presidente do Conselho Pontifice para a Promocao da Uniao Crista.

A escala do Papa Francisco em Havana antecedeu uma inedita viagem do Papa argentino ao Mexico. O Lider da Santa Se iria realizar um periplo de 6 dias por varios estados mexicanos, sendo a primeira vez que Jorge Bergoglio visita este pais desde que foi elevado no Vaticano a Papa a sucessao de Bento XVI (2005-2013) no Conclave de 2013 eleito em 13 de Marco e entronizado a 19 de Marco.

Francisco teve que percorrer mais de 400 quilometros no Mexico. Em agenda estava uma missa especial na Ciudad Juarez, a dezenas de metros da Fronteira com os Estados Unidos, a visita a Basilica de Nossa Senhora de Guadalupe, encontros com os pobres, os doentes e os indigenas de chiapas.

Para o Patriarca Kiril, esta foi tambem a primeira viagem a Cuba desde que tomou a lideranca da Igreja Ortodoxa Russa, sendo a terceira vez que o mesmo pisa o solo da ilha dos irmaos Castro. No dia seguinte apos o encontro, Kiril fez uma visita que tambem estava prevista na sua agenda a uma escola para criancas com nece e ssidades especiais, a passagem pelo Mausoleu do Soldado Internacional Sovietico, situado nos arredores de Havana, e ainda assistiu a um concerto no Teatri Marti de Havana Velha. Estava ainda previsto que o Patriarca russo recebesse a "Ordem Jose Marti", a maxima distincao concedida pelo Governo de Cuba, e um encontro com Fidel Castro.

Ja no dia 14 de Fevereiro, o Patriarca Cirilo celebrou uma liturgia na Catedral de Nossa Senhora de Kazan, unico Templo Ortodoxo em Cuba, seguiu depois numa viagem pela America Latina com escalas no Brasil e Paraguai.


O Grande Cisma de 1054 sem duvida que e tema para uma proxima cronica no futuro mas nao posso deixar de ficar claro a razao e o motivo que levou a separacao destas duas igrejas que eram uma so ate 1054 e tambem um pouco da Igreja Ortodoxa que para muitos nao e desconhecida mas pouco sabem da mesma, incluindo eu, ate bem pouco tempo pensava que so existiam duas igrejas ortodoxas: Igreja Ortodoxa Russa e Igreja Ortodoxa Grega mas nao e bem assim.

A Igreja Ortodoxa Russa, ou Patriarcado, e uma Igreja autocefala Ortodoxa de Tradicao Bizantina. As igrejas ortodoxas de Tradicao Bizantina caracterizam-se pelo facto de terem reconhecido, tal como a Igreja Catolica, os sete concilios Ecunemicos do primeiro milenio - do Concilio Niceia I, do ano de 325, ao de Biceia II, em 787. As apelidadas igrejas "ortodoxas orientais" de Tradicao Siriaca, Copta ou Armenia, reconhecem apenas os tres primeiros concilios ecumenicos. Por nao reconhecerem o Quarto Concilio, o de Calcedonia, as igrejas "ortodoxas orientais" podem ser tambem denominadas como "Pre-Calcedonias".

As igrejas cristas Catolica e Ortodoxa estao separadas desde o Grande Cisma de 1054. A Igreja Ortodoxa Russa, ou de Moscovo, e autocefala desde 1448 e patriarcal desde de 1589. Ocupa o 5.° Lugar na ordem  das varias igrejas ortodoxas, sendo a primeira a de Constantinopla, seguida da de Alexandria, Antioquia e Jerusalem. A Igreja Ortodoxa Russa e, no entanto, a mais importante pelo numero de fieis: cerca de 200 milhoes (um terco dos ortodoxos de todo o mundo).

Caro(a) leitor(a) esta pode nao ser ao contrario de muitas uma das minhas famosas cronicas bem extensas, o assunto pode nao parecer de grande interesse sobretudo para aqueles que nao sao nem carne nem peixe e sao seguidores de religioes diferentes ou pseudo religioes ja que existem muitas seitas religiosas a insistirem intitular-se como religioes, algumas no seu nome ate tem o nome de Igreja, no entanto nao concordo com tal Religiao para mim e uma identidade religiosa que detem a maioria numa parte do mundo ou pelo menos pais. Com esperanca de que tenham gostado vos deixo com votos de um encontro em breve, abraco a todos e adeus.

                                                                                                               Manuel Goncalves






3 comentários:

  1. Parece-me um acontecimento positivo que, inclusivé, poderá levar a uma maior união na Europa - a Grécia, por exemplo, também é ortodoxa. Tudo o que seja para fomentar a paz e defender o cristianismo, acho bem. Já nos chega as guerras que temos agora. Mas é realmente uma completa novidade. Cá esperamos novos textos do autor :)

    ResponderEliminar
  2. Pessoalmente não estou tão otimista, mas oxalá me engane.

    ResponderEliminar
  3. Caro Basto seria da mesma opniao se estivessemos ainda no tempo da URSS e na Era do Comunismo mas as coisas mudaram e a propia Igreja segue essa mudanca nao importando se e Catolica ou Ortodoxa.

    ResponderEliminar