sexta-feira, 26 de maio de 2017

Passado, Presente e Futuro



Feliz nao podia ser feliz o homem que actualmente no presente tinha como um dos principais objectivos esquecer o passado e fazer do seu presente o seu passado do futuro. Era tudo muito dificil de entender mas nao era qualquer um que estava em condicoes de compreender um homem como ele, Americo Sobral de Sousa.

Nao era facil de o julgar tambem se em cada ponto que se descobria e conhecia do mesmo se ia tomando conhecimento com algo de mau e negativo logo de seguida se descobria algo que sensibilizava qualquer um ate mesmo os menos sensiveis e no fundo tudo o que ele fizera nao fora somente por ele e isso isso via-se na Fundacao Sobral de Sousa. Seria ele apenas um homem ambicioso que queria sempre vencer quem o queria levar de vencida, seria ele um homem que apenas vivera para o trabalho, para fazer dinheiro e grandes negocios? Ou tambem seria ele um homem que tinha sentimentos, bons sentimentos mas nao os queria demostrar porque vivera no ideal de que os homens, os grandes homens de negocios e poder eram pessoas que tinham de ser um pouco frias e nao demostrar que tinham sentimentos e coracao.


No passado, a infancia desde de cedo lhe ensinaram que ele era diferente de muitos outros. O nome Sobral de Sousa nao era para qualquer um, Sobral de Sousa era um nome de familia descendente de gente nobre em tempos de monarquia e nao era para ser sujo em praca publica e que havia de ser defendido com unhas e dentes por cada um dos seus. Na sua familia nada valia mais do que a honra, sobretudo a honra do nome, isso fora-lhe explicado estava ele sentado ao colo do avo quando ainda era uma pequena crianca e fora algo que ele procurara respeitar toda a sua vida.

Fora o melhor aluno do colegio em Lisboa e nem podia deixa-lo de ser tinha que ser um exemplo logo de pequeno com a idade foi entendendo que o nome de familia exigia muito de si, muito mais do que se exigia dos seus colegas e amigos mas esses nao eram um Sobral de Sousa, como dizia o seu pai durante os conselhos e sermoes que lhe ia dando e castigos que lhe ia aplicando.

Nao causara grandes problemas ao pai mesmo depois da mae ter morrido quando ele tinha doze anos e viera a saber que afinal a sua verdadeira mae nao era aquela que fora a esposa do seu pai ate entao, ele era filho de uma antiga Empregada da familia que ele nunca conhecera e de quem nunca sequer ouvira falar. Esse facto fora marcante na ainda infancia e em toda adolescencia, algo que nao o deixara de acompanhar ja em plena idade adulta. Que moral tinha o pai para o criticar fosse pelo que fosse? Quem era ele para lhe exigir sempre mais nos seus resultados escolares? Americo soube-o logo muito rapidamente. O pai era o homem que pagava as despesas dele, era o homem que pagava a mensalidade do colegio e todos as outras despesas que o mesmo causava.

A adolescencia foi passada quase toda a estudar queria nao apenas ser Advogado como era o pai, o avo e tinha sido o bisavo mas queria ser o melhor dos alunos do seu curso a vontade de honrar o nome assim o obrigava e tambem o orgulho no mesmo.

Americo passava os dias sozinho em Lisboa estava ja quase a terminar o curso iria entrar novamente em exames e para que pudesse estar em permanente concentracao e entregue aos estudos o pai propusera-lhe que ele fosse estudar para o exame final na quinta que a familia tinha nas margens do Rio Douro perto da cidade do Porto. A ideia era agradavel ate porque o sitio era isolado Americo sentia que precisava de concentracao e descanso embora tivesse a certeza que passaria no exame mas independentemente de passar era fundamental que conseguisse o melhor resultado possivel e aquela paragem para se dedicar a estudar para o exame na Quinta do Douro era a melhor solucao possivel.

A quinta era na verdade uma herdade com uma enorme vinha onde a familia obtia a maior quantidade de uvas para mandar para a fabrica da familia e assim se fazer a colheita anual do vinho Sobral de Sousa que era um dos muitos negocios de sucesso da familia ja que o vinho era considerado um dos melhores da regiao e igualmente dos melhores a nivel nacional.

Americo era jovem e chegava a assustar-se com o valor e grandeza que o nome da sua familia representava para aquela gente. Ali as coisas eram ainda pior que em Lisboa porque quase todo aquele povo trabalhava para a sua familia ou tinha alguem que trabalhasse, ele com pouco mais de vinte anos, no ultimo ano da faculdade via-se a ser chamado de Senhor ou Senhor Doutor por pessoas com a idade do seu avo.

Acordara naquela manha com um bater na porta do quarto, um  leve e timido bater de alguem que parecia querer cumprir com uma obrigacao mas estaria com medo de incomodar. Era a Governanta da casa que lhe queria vir apresentar a nova Criada Interna que estaria encarregue da limpeza da casa, arrumacao dos quartos, etc.

Rosa Maria era sobrinha do Jardineiro e prima da Cozinheira ao mesmo tempo que Americo parecia nao se preocupar muito com isso deu o alerta a Governanta nao fosse aqueles lacos de familia fazer com que se desleixassem o seu trabalho para perder o tempo na conversa. Americo por uma questao de principios nao de arrogancia ou de se sentir superior aos empregados da sua familia mas era preciso por mais que custasse manter-se um pouco a parte dos demais.

Se com os outros ele queria poucas palavras bastou olhar para Rosa Maria pela primeira vez para sentir que com a mesma queria algo diferente. Rosa Maria era uma mistura de rapariga ingenua e provinciana com inteligente e ambiciosa embora nao de todo oportunista e como eram quase da mesma idade apesar do estatuto social que os separava Americo nao deixou de se aproximar de Rosa Maria comecando mesmo a fazer com que a mesma acabasse por ter certos privilegios que os outros empregados da casa nao tinham.

Do convite para o passeio, veio o convite para jantarem e quando deram por si la estavam os dois na cidade do Porto a Jantar no Restaurante Capa Negra que era o que tinha a fama de ser o melhor da cidade a fazer as tipicas francesinhas da cidade tudo claro sem que os demais soubessem Americo queria manter as coisas em segredo para ja porque se a noticia chegasse aos ouvidos do pai a Lisboa era mais que certo de que o mesmo o mandaria de volta para a capital ou despediria Rosa Maria, isso se nao fizesse ambas as coisas.

Eram os ultimos dias de Americo na herdade o exame em Lisboa esperava por si e estava disposto a depois de formado mesmo que o pai fosse contra a vir buscar Rosa Maria e leva-la para Lisboa talvez ate para manterem uma relacao seria, a jovem sorria e sentia que o patraozinho lhe estava a iludir para conseguir o que todos os homens mais poderiam querer, leva-la para a cama, ainda para mais sabendo que seriam o primeiro, Rosa Maria era virgem e Americo ja sabia isso. Ela sabia igualmente que nao tinha muitas saidas mas ia evitar que isso acontecesse enquanto lhe fosse possivel.

Americo era rico, poderoso, influente alem de jovem e bonito do seu lado Rosa Maria sentia que nao era ninguem era diquemos que um alvo facil para Americo e ate preferia que fosse ele o primeiro homem da sua vida. Americo ja tinha dado provas que apesar de tudo era um rapaz meigo, carinhoso, romantico e que ao contrario do que muitos pensavam nao vivia somente para o dinheiro, para os grandes negocios, Americo dava mais valor a uma boa amizade que a um bom negocio e sem que Rosa Maria lhe desse o que ela pensava que fosse o unico interesse dele o mesmo ja tinha gasto uma pequena fortuna com ela, assim pensava ela enquanto na verdade a pequena fortuna que ela considerava nao passassem de trocos para ele.

Nos ultimos dias Americo passava praticamente o tempo fechado em casa agarrado aos livros e nem assim deixava de dar alguma atencao a Rosa Maria com quem sai-a quase todas as noites. Aqueles passeios, jantares ou simples ida para beber um copo e conversar um pouco no momento eram um refugio para Americo. O seu aniversario estava tao perto, dentro de tres dias e nem por isso o pai iria estar consigo, lamentara ter que ir ate Angola ver um mina de diamantes que o grupo Sobral de Sousa havia comprado. O  jovem comecava a sentir que havia coisas que o dinheiro nao conseguia comprar e que o peso da solidao custava mesmo uma grande fortuna.

A relacao com o pai sempre fora um pouco distante e fria mas praticamente so se tinham um ao outro. Filho unico, neto unico ja seria de se esperar que viesse a ser um pouco solitario sobretudo quando o pai nao sendo um homem frio e indiferente ao filho acabou por ser um pai ausente e tambem porque ja que nao tendo assim ninguem de familia que pudesse ser mais chegado tambem nao conseguira nunca encontrar alguem que pudesse chamar de amigo, amigo intimo, amigo do peito e confidente. Rosa Maria era a primeira pessoa de quem Americo se estava a tornar mesmo intimo.

A jovem estava decidida a dar como presente a Americo a sua virgindade antes a ele que ja demostrara merecer, ter valor e caracter do que a um outro qualquer que talvez nao merecesse tanto quanto Americo o merecia naquele momento e era isso que ela deveria de fazer segundo a sua ideia so nao queria que ele viesse a pensar que ela estava a querer tirar algum proveito com isso, a tentar agarra-lo ou a ver se conseguia extorquir-lhe algum dinheiro.

O aniversario de Americo comecou com um Jantar no Capa Negra, era ja naquele tempo um dos mais conhecidos e melhores restaurantes da cidade e realmente aquele namoro ou especie de namoro entre Americo e Rosa Maria tudo em si praticamente tinha a sua historia por contar na cidade do Porto.

As francesinhas mais uma vez estavam uma delicia e sabiam que naquela noite nao iriam ficar apenas por passarem num cafe qualquer a tomar algo antes de irem dar um passeio ate a baixa e a foz do Porto antes de irem ate casa, naquela noite tudo seria diferente.

- Escolheste o hotel? - Perguntou Rosa Maria como querendo quebrar um pouco silencio.
- O hotel!, Que hotel? - Questionou Americo sem saber onde Rosa Maria estava a querer chegar - Para que hotel? Daqui vamos para casa como sempre fizemos.
- Americo, ainda nao percebeste a prenda que te estou a querer dar esta noite e aquilo que mais querias? - Sorriu - guardei isso para esta noite mas a minha vontade era ter-te dado isso antes.

Americo sorriu nao estava a atingir o raciocinio da jovem, parecia-lhe que algo estava fora do contexto ou que havia algo que ele nao estava a conseguir apanhar mas que estava bem evidente a sua frente.

- Quero oferecer-te a minha virgindade esta noite como presente de aniversario - olhou-o olhos nos olhos, pegou-lhe na mao -  nao tens que me dar nada em troca, nao tens que me prometer nada. E algo que eu decidi gostaria que fosses o primeiro homem da minha vida.
- Sabes o que isso significa e algo que nao te vai permitir voltar atras e uma decisao sem retorno.
- Quero, a algum tempo que decidi isso.

Voaram dali ate um hotel o primeiro que encontraram no caminho e parecia a Rosa Maria que Americo tambem lhe faltava esconder qualquer coisa e so o soube quando chegaram ao quarto. Americo parecia nervoso, mais nervoso ainda que Rosa Maria. O jovem tambem era virgem.

O corpo de Rosa Maria nem nos melhores filmes eroticos que havia visto fora de Portugal ja que com o Regime de Ditadura e com a censura a inspeccionar tudo o que era arte e espectaculos era impossivel ver-se filmes com cenas de nudez e muito menos com cenas de sexo em Portugal. Nem nos melhores filmes, com as actrizes mais belas Americo vira um corpo tao belo e perfeito como era o de Rosa Maria.

As aparencias realmente enganavam e Rosa Maria aparentemente nao tinha um corpo tao belo como as mocas ricas do Jet-Set porque nao tinha a mesma capacidade financeira para tratar do mesmo e tempo para gastar em saloes de beleza mas era mais bela do que muitas, do que a maioria delas.

Rosa Maria a cada momento que Americo lhe tocava, despia, beijava e acariciava o corpo ia tendo a certeza de que fizera a melhor escolha. O seu corpo estremecia, vibrava, transmitia-lhe uma sensacao estranha de desejo, vontade de ser possuida e ate de medo. Tudo aquilo era algo que ela, que ela nunca julgara sentir mas sentia-o agora. Queria ser possuida, possuida por inteiro por Americo, queria sentir o sexo dele procurando invadir o seu e ja lhe era indiferente que o mesmo acto lhe causasse dor.

Os corpos estavam envolvidos cada troca de olhares, cada mudar de posicao era uma troca de caricias. Americo nao se esquecera de nada afinal ja nao era so um que iria perder a virgindade mas ambos. Estavam numa Suite mais luxuosa do hotel onde nao faltava o jacuzzi e o banho de espuma que experimentaram depois de fazer amor. Americo insistira em mandar vir uma garrafa de champagne bruto frances da melhor qualidade e embora Rosa Maria nao bebesse naquela noite nao resistira a provar as coisas boas da vida como lhe dizia Americo. Rosa Maria chorara perguntando se merecia tudo aquilo, tanto amor, tanta delicadeza que Americo lhe dera e ela apenas lhe oferecera, lhe entregara o que podia ter dado a qualquer um e tudo aquilo lhe dava a certeza que nao importava o futuro ela tinha tomado a melhor decisao, tinha feito a melhor escolha.

A noite nao podia terminar sem se deitarem de corpos nus e abracados na cama com Americo a jurar-lhe que assim que tivesse formado e tivesse a sua independencia asseguarada queria casar com ela, tinha mesmo que ser assim porque de momento era impossivel porque o pai jamais seria capaz de aceitar que ele viesse a casar com uma mulher pobre, sem futuro e que aparentemente seria uma oportunista.

A partida do hotel para casa nao fazia adivinhar o que iria acontecer no futuro. Americo e Rosa Maria pareciam um jovem casal unido em matrimonio e envolvidos por uma enorme cumplicidade so que as historias de amor mais felizes tambem tinham certos percausos e por vezes momentos menos bons. Era preciso lutar-se pelo amor e as vezes somente a vontade nao era o suficiente era preciso ter-se liberdade para faze-lo.

Os dias foram passando Americo pouco se entregava aos estudos e nem era de todo o necessario ja tinha estudado o suficiente e as suas notas anteriores quase que garantiam o seu final de curso garantido e aproveitara os ultimos dias para estar mesmo de ferias.

Aquele era o regresso de uma saida como outra qualquer em que tinham gozado bem a noite em pleno. Passeio, Jantar como sempre no Capa Negra e muitas vezes acabavam a noite no Hotel no Porto. Foi numa noite dessas que ao chegarem a casa ja o sol havia despertado que Americo e Rosa Maria tinham Jaime Sobral de Sousa a espera de ambos. Era entao o principio do fim.

Jaime Sobral de Sousa nunca ninguem o vira assim como estava, fora de si e aos gritos com Americo. O pai acusava o filho de andar a sujar o bom nome da familia com uma qualquer pelos restaurantes, hoteis e ruas da cidade do Porto. Jaime viera pelo seu proprio investigar a razao de Americo gastar purradoes de dinheiro em hoteis e restaurantes quando tinha casa logo ali, ja para nao falar em jantares quase todas as noites quando tinham cozinheira em casa. O velho desconfiara de algo depois de ver o extracto bancario com o pagamento das despesas que filho fazia com o seu cartao de credito. Nao era necessario andar-se a contar os trocos mas Jaime Sobral viera de Lisboa com intencao de esclarecer tudo e colocar tudo em pratos limpos como se costumava dizer.

Jaime Sobral nem pediu ou aceitou explicacoes. Rosa Maria estava despedida, uma simples Empregada da casa nao era para andar a sair com um Sobral de Sousa e muito menos andar envolvida com o mesmo. O nome Sobral de Sousa nao era para qualquer um usar e o mesmo tinha outros planos para o filho o ideal seria casa-lo com a filha de um cliente luso-canadiano isso iria ajudar a expandir os negocios e a enriquecer o patrimonio da familia. Aquela relacao era para terminar e ja, Rosa Maria iria para qualquer outro lugar se possivel para bem longe dali mas se ficasse por perto certo seria que nao iria mais trabalhar naquela casa e Americo tambem iria de imediato para Lisboa.

Americo tentou demover o pai mas era demasiado fraco para o fazer nao podia ir contra a vontade do pai. O castigo de ir contra a vontade do pai seria ficar sem o seu apoio em todos os sentidos, estava a terminar os estudos e mesmo a sua parte da fortuna que a mae lhe deixara nao podia mexer em nada antes de completar 25 anos de idade como ditavam as vontades de sua mae no mesmo testamento.

Rosa Maria fora dali para fora humilhada, enxovalhada e Americo nunca se perdoara por isso. Iria lamentar toda a vida nao ter conseguido fazer nada para a ajudar procura a mesma mais tarde mas sem obter sucesso. Para alguns Rosa Maria tinha ido para Franca ou Inglaterra onde se havia tornado prostituta de luxo mas ao certo ninguem tinha grandes certezas.

Americo estava finalmente formado e comecava a exercer Advogacia no escritorio de advogados da familia o seu casamento com a filha do cliente luso-canadiano segunado o seu pai comecava a estar preparado tambem, nao havia tempo a perder, tempo era dinheiro e dinheiro havia muito em jogo. A unica coisa que Americo sentia e que nao queria de maneira nenhuma casar com a filha do cliente luso-canadiano ou com qualquer outra pessoa, a nao ser que essa outra pessoa fosse Rosa Maria.

A Revolucao do 25 de Abril chegara e com a mesma viera a liberdade, o fim  do Regime de Ditadura e tantas outras mudancas foram-se sucendo. Comecou-se a fazer nacionalizacoes e muitos empresarios viram-se ficar sem nada ou quase sem nada. Jaime Sobral fora um deles que se viu ficar sem quase nada do que tinha em Portugal e nao aguentou a pressao, a queda do imperio, terminou por rebentar com os miolos depois de disparar um tiro na propria cabeca.

Americo era jovem, ambicioso mas faltva-lhe porem muita experiencia para gerir ainda para mais em tempos de crise o que restava do patrimonio da sua familia.

Finalmente cedera e casara com a mulher que o seu pai ambicionava que ele viesse a casar mas ficara viuvo pouco tempo depois da esposa falecer num tragico acidente de automovel. Salvara os negocios da familia com o dinheiro da falecida esposa e a sua vida praticamente resumia-se aquilo mesmo ate ao presente momento, trabalho, negocios e negocios, trabalho. Sentia que a fortuna acumulada superior em muito ao que o pai deixara nao o fizera realmente sentir-se realizado e muito menos feliz.

Era raro o dia em que nao perdia uns minutos a pensar em Rosa Maria. Passava ferias todos os anos na Herdade no Rio Douro porque se sentia ali mais perto do grande amor da sua vida a propria mulher nunca tivera para ele o mesmo significado nem de perto e nem de longe. Americo gostou da esposa mas de facto sentia que nao a amara como tinha amado Rosa Maria e sabia que a esposa sentia que ele nao a amava embora a mesma fizesse todos os esforcos para o fazer feliz.

Desde que a esposa morrera Americo ficara ainda mais solitario, frio e reservado no entanto tornara-se mais solidario e aceitava muitas causas em que o era Advogado do Ministerio Publico isto significava que um dos melhores advogados do pais defendia pessoas com menores condicoes economicas e fora-o tornando famoso por isso e considerado como um homem com bom coracao. Tentaram tirar proveito disso para o lancar no mundo da politica mas ele recusou tal ideia afirmando publicamente que recusava entrar num mundo que segundo ele estava mais do que podre.

A noticia era capa de jornais naquela manha e dos noticiarios matinais. Um dos filhos de Omar Mustafa o Embaixador do Iraque em Portugal tinha sido preso acusado nao so de violar uma mulher mas tambem a mesma nao era uma mulher normal, era uma Prostituta.

Americo achou o caso interessante e gostaria que a defesa da Prostituta lhe caisse nas maos. Seria possivel conseguir-se provar que uma Prostituta fora violada? Seria possivel provar isso quando certamente iriam haver muitas pressoes diplomaticas e o acusado certamente iria ser defendido pelos melhores advogados? Americo sabia que o iam contactar, causas dificeis quase impossiveis de vencer eram a sua especialidade.

Estava ja no seu escritorio quando a Secretaria lhe veio comunicar que alguem queria falar com ele sem ter marcado consulta mas que o caso parecia ser grave e serio. Americo suspirou olhou o relogio e viu que tinha ainda pouco mais de duas horas para estar no tribunal para uma audiencia se mais uma vez fosse almocar uma bifana e uma imperial na tasca ao pe do predio onde estava o seu escritorio conseguiria atender o mesmo futuro possivel cliente.

Omar Mustafa em pessoa estava na sua frente a apelar-lhe que ele aceitasse defender o filho naquele crime, so podiam estar a brincar com ele. Por dinheiro nenhum no mundo iria aceitar defender a mesma causa se os indicios apontassem para ter existido violacao. Deixou isso bem claro e ainda deu mais um aviso que so nao iria defender a vitima se a mesma nao quisesse.

O iraquiano ficou em furia lembrou Americo que era muito influente e que sabia que Americo era Advogado e representante de muitas empresas arabes suas conhecidas e a influencia do mesmo podia leva-lo a perder muitos desses trabalhos. Americo nao se mostrou amedrontado com a ameaca do Diplomata e Embaixador e quase o expulsou ao murro e pontape do seu escritorio.

Americo nos dias seguintes apercebeu-se que a ameaca de Mustafa estava a ser cumprida. Ele era ate entao Advogado da Fundacao Calouste Gulbenkian e recebera um fax onde sem grandes explicacoes declaravam que ele estava dispensado dos servicos que ate entao havia prestado a mesma fundacao. Vieram ainda mais alguns contractos perdidos e outros trabalhos mas Americo nao se deixara abater, estava decidido ia procurar a vitima da violacao e oferecer-lhe os seus servicos e prestimos a custo zero.

A condenacao do filho do Embaixador do Iraque nao seria um trabalho facil mas a sua absolvicao tambem nao, alias Americo tinha a certeza que a sua condenacao estava apenas mais dificultada devido a ser filho de quem era e havia uma verdadeira batalha de Ministerios na mesma causa. O Ministerio Publico e o Ministerio da justica queriam que a verdade fosse ela qual fosse viesse ao cimo de agua e se a violacao fosse provada nao importando ser quem era o violador que o mesmo fosse condenado ja o Ministerio dos Negocios Estrangeiros tentava a todo o custo que o filho do Embaixador por questoes diplomaticas e para evitar o corte de relacoes entre os dois paises pudesse a vir realizado por isso pediam a sua absolvicao ou unicamente a sua expulsao de Portugal.

Estava na instituicao onde a vitima da violacao havia sido internada para recuperar dos traumas que sofrera e sobretudo para tentar mais uma vez sair daquele tipo de vida e levar uma vida normal, era tudo o que a mesma mais queria no momento. Sabia que ia ter uma vida dificil em tribunal onde muito do seu passado e vida pessoal ia ser exposta, ela so queria mesmo que tudo aquilo chegasse ao fim, sabia que andava a fazer frente a gente influente, poderosa e importante mas queria que a justica fosse feita, iria se-lo tinha esperanca disso embora soubesse que um Advogado lhe custaria muito dinheiro, aqueles que o Ministerio Publico oferecia as vitimas deixavam muito a desejar e contratar um iria custar-lhe muito dinheiro e isso ela nao tinha.

Ela precisava de um Advogado e quase que como caido do ceu lhe era anunciado que tinha um no Jardim a sua espera para lhe oferecer os seus prestimos e nao era um qualquer. E nao parecia ser um qualquer mas sim um dos bons senao um dos melhores.

O Advogado de meia idade, bem apresentado, elegante e com estilo de cavalheiro ingles era nem mais nem menos que Americo Sobral de Sousa e ela a vitima de violacao do filho do Embaixador era nem mais nem menos do que o grande amor da sua vida, Rosa Maria, a sua Rosa a sua Maria.

Nao sabiam dizer qual dos dois apanhou a maior surpresa mas desde o inicio Americo lhe pareceu diferente, amadurecido pela idade talvez, livre de cumprir as ordens paternas, era mais homem, mais responsavel. Numa questao de minutos ela perdera a conta as vezes em que ele lhe pedira perdao e lhe prometera que apesar de todas as dificuldades tudo iria fazer para condenar o homem que a violara a pena maxima de 25 anos de cadeia embora tudo fosse dificil.

Era dificil provar-se que alguem que vendia o corpo e fora para o quarto de hotel com um cliente acabasse por vir a ser violada pelo mesmo mas Americo tinha os seus trunfos. Tudo iria depender do que viesse a relatar o relatorio medico do Instituto de Medicina Legal e reunir o maximo de dados sobre o passado do violador em relacao a outros problemas que o mesmo tivera ja a nivel de contacto com prostitutas era fundamental. Americo praticamente apenas conhecia o caso pelo que fora contado na imprensa e pelo que Rosa Maria lhe contara.

Rosa Maria contara-lhe que nao se recordava de quase nada ate ao momento de estar a ser atacada e possuida contra a sua vontade. Saira do apartamento onde trabalhava com outras colegas e apesar de as mesmas advertirem-na de que aquele sujeito era agressivo nao lhes dera ouvidos e aceitara atende-lo num quarto de hotel e ir a um bar com ele. Fora no bar que se lembrara praticamente dos ultimos momentos antes de estar a lutar com o agressor que a queria possuir a forca e ela so queria ir-se embora.

Americo passara no tal bar e apesar do Gerente nao se mostrar muito disposto a colaborar por nao querer problemas uma outra funcionaria entregou-lhe discretamente um bilhete onde lhe pedia que o mesmo mandasse uma mensagem pelo telemovel porque tinha algo a dizer-lhe. Ali no bar Americo tinha a certeza que nao ia conseguir nada, restava-lhe ainda passar no hotel, no apartamento onde Rosa Maria recebia os clientes para ver o que as suas amigas tinham a dizer sobre o tal cliente que violara Rosa Maria, tinha ainda que pegar na prova principal o relatorio do Instituto de Medicina Legal e por momentos lembra-se da Empregada do bar que lhe entregara o bilhete.

O Advogado estava no seu escritorio mesmo depois de ter encerrado, nao costumava faze-lo e preferia estudar certas causas em casa no seu escritorio e biblioteca onde se sentia melhor embora mais solitario. Americo esperava a chegada Empregada do bar que lhe entregara o bilhete com o numero de telemovel e lhe pedia que o mesmo lhe mandasse uma mensagem para o telemovel a combinarem um encontro, o assunto era do seu interesse e o sigilo era algo pedido.

O que a Empregada do bar lhe acabara de revelar era muito importante e vital para comecar a defesa de Rosa Maria e a acusacao contra Tariq Mustafa. Alda a Empregada do bar que entregara o bilhete a Americo estava disposta a ir a Tribunal revelar o que sabia desde que lhe arranjassem um novo emprego e lhe dessem proteccao.

Tinha sido Alda que colocara qualquer coisa que nem ela sabia o que era na bebida de Rosa Maria antes de a servir depois de Tariq lhe entregar o pacote com a mesma suposta droga e com uma boa recompensa. Alda lera depois a noticia, sentia-se arrependida e agora queria ajudar mas tambem tinha familia, filhos para criar, era divorciada e o marido nao ajudava em nada. Queria falar, queria ajudar mas tinham que ver a situacao dela alem do mais ja fora ameacada de morte se contasse alguma coisa.

Americo prometeu-lhe um emprego novo a sua Secretaria iria reformar-se o lugar seria seu se ela estivesse disposta a aceita-lo e teria igualmente toda a proteccao possivel, tanto ela como a familia.

O Advogado comecou a organizar a defesa de Rosa Maria que seria tambem a acusacao contra Tariq Mustafa. Conseguira reunir um grupo de raparigas que ja haviam tido problemas semelhantes com o iraquiano algumas chegaram mesmo a ser agredidas so que o dinheiro do mesmo pagou o silencio, desta vez seria diferente.

O Relatorio Medico do Instituto de Medicina Legal nao deixava duvidas e a vitima, Rosa Maria tinha mesmo sido violentada fisicamente e violada sexualmente, nao restavam duvidas disso, pelos sinais e sintomas vistos no corpo da vitima. Violacao, era o resultado final do exame. Era tudo o que Americo considerava necessario. O testemunho de Alda, o testemunho das amigas e colegas de Rosa Maria, o testemunho do pessoal do hotel e agora o relatorio do exame medico era o necessario para esmagar Tariq Mustafa e o seu paizinho se fosse preciso.

Os jornais nao falavam de outra coisa era ja um escandalo a nivel internacional pois a Imprensa Iraquiana tentara sair em defesa de Tariq Mustafa. Americo comprara o jornal no quiosque do costume, gesto de rotina que fazia todos os dias por habito as vezes nem eram pelas noticias. Ia concentrado na leitura que nem se apercebera que o estavam a seguir e foi por milagre que nao foi alvejado por uma bala perdida sabe-sse la de onde. O milagre consistira que o mesmo se abaixara para dar uma esmola a um mendigo que estava sentado no passeio quando segundos antes estavam a fazer apontaria ao mesmo e com aquele movimento inesperado o disparo passara ao lado. Fora um momento de medo mas que logo passara, Americo passou a andar com Guarda Costas atras de si.

O julgamento ia finalmente comecar e na primeira sessao foi dada a oportunidade apenas de se fazerem as primeiras alegacoes. Apesar do esforco de Americo a defesa de Tariq Mustafa tambem estava a dar alguma luta ao mesmo e a situacao estava equilibrada.

Aquele era um julgamento onde acontecera algo de raro em Portugal e em que foram escolhidos um grupo de cidadaos entre os eleitores registrados para servirem de jurados e procurarem apurar quem e que tinha razao. Era portanto um julgamento ao estilo bem popular dos Estados Unidos. So que aquilo nao eram os Estados Unidos, aquilo era Portugal, a vitima fora a unica mulher que ele amara na vida e nao era apenas a simples prostituta que a defesa de Tariq Mustafa fazia querer parecer.

O testemunho de dois psiquiatras fora fundamental. Um consultara Rosa Maria e o outro consultara Mustafa ambos eram da opniao que Rosa Maria ficara transtornada e abatida com tudo aquilo e que Mustafa nao passava de um sujeito com uma personalidade agressiva e violenta.

Durante o tempo que ja levava o julgamento Americo e Rosa Maria voltaram a encontrar-se vezes sem conta e consideravam que tudo era possivel acontecer. Rosa Maria estava afectada, fragil com tudo o que acontecera mas continuava lucida e nao queria tal como Americo decidir nada antes da sentenca do julgamento. Passearam por Lisboa varias vezes e tinham combinado uma visita a quinta para reviver o passado que nenhum dos dois conseguira esquecer.

A leitura da sentenca parecia uma loucura e a porta do Tribunal estavam televisoes de varias partes do mundo sobretudo de canais portugueses e iraquianos que acompanhavam todo o caso assim como todo o mundo arabe. Para muitos muculmanos que seguiam as suas leis e so conheciam as mesmas onde as mulheres estavam cheias de deveres e obrigacoes mas nao tinham quase que qualquer direito era imaginavel que o resultado nao fosse a absolvicao de Tariq Mustafa mas aquele era outro mundo e fora no mesmo que Mustafa fora julgado e onde o mesmo cometera o crime.

O colectivo de juizes e os jurados haviam voltado a sala de audiencias e nao haviam duvida num colectivos de 9 jurados Mustafa fora considerado culpado por 8 contra 1 e condenado a pena maxima de 12 anos de cadeia tendo ainda que pagar uma indemnizacao a vitima num valor ainda a declarar e acordar entre ambas as partes interessadas.

Rosa Maria fez logo questao de saber que nao estava interessada no dinheiro de um violador e dispensava tal esmola. A defesa de Tariq tinha intencao de recorrer mas nao tivera tempo para isso.

Todos os telejornais em Portugal falavam logo na abertura no mesmo assunto. Apos Tariq Mustafa ter sido agredido fisicamene na cadeia por outro prisioneiros e abusado sexualmente o mesmo fora levado para o hospital onde apos um descuido de uma Enfermeira acabara por se suicidar cortando os pulsos com o vidro partido de um frasco de medicamentos.

Tariq Mustafa antes de cometer suicidio deixara uma carta escrita onde assumia as responsabilidades do crime que cometera, onde se mostrara meio arrependido mas que no momento ja era tarde, morrer era tudo o que queria terminara a carta pedindo perdao ao Pai Omar Mustafa por todos os problemas que lhe causara, vergonha, escandalos, etc. Pedira igualmente perdao a Rosa Maria e ao seu Deus Alah.

Americo e Rosa Maria estavam juntos naquela manha em que a noticia de ultima hora invadira telejornais e jornais e tiveram a certeza de que finalmente a justica fora feita. Americo abracou Rosa Maria como ja tantas vezes fizera desde o reencontro e dissera-lhe pela primeira vez que nao a queria voltar a abandonar, tambem ele queria fazer justica e a sua condenacao era ficar com a mulher que sempre amara para sempre. Assim parecia que iria ser o futuro de um homem que em tempo julgara que nao tinha presente por culpa do seu passado.

                                                                                                               Manuel Goncalves

Sem comentários:

Enviar um comentário