Mostrar mensagens com a etiqueta Contos Breves. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta Contos Breves. Mostrar todas as mensagens

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Para la do Nosso Amor, Uma Nova Paixao



Cinquenta anos, eram os cinquenta anos de um guerreiro que nunca deixara de lutar por cumprir aquilo que achava ser o seu dever. Sempre presente quando mais precisavam de si. Nao era um Santo mas havia quem assim o chamasse, era um exemplo de bondade, um exemplo de homem a seguir e muitos diziam que nao merecia a solidao que tinha na sua vida mas que se a tinha era somente porque escolhera aquele estilo de vida.

Por vezes a solidao nao era uma escolha, um estilo de vida ou ate mesmo uma opccao mas sim uma mera coincidencia e tambem nao era a origem ou causa da solidao de Paulo Lopes nem sequer fora um desgosto de amor provocado por uma paixao nao correspondida. Ele ficara viuvo muito cedo, aos trinta anos, a esposa que morrera no parto dos seus filhos gemeos fora o unico amor da sua vida, parecia mentira mas desde que ficara viuvo a vinte anos atras nunca mais tivera um relacionamento com uma mulher nem mesmo fisico.

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

O Passado Que Nao Se Quer Viver de Novo



Havia pessoas que por uma razao ou outra nao queriam reviver ou voltar a viver fosse o que fosse no seu passado Eugenia era uma delas e tinha ate boas razoes para nao querer voltar a viver certas coisas do seu passado. O destino era cruel por vezes e para salvar quem ela mais amava ia mesmo ter voltar a vive-lo.

Tudo o que ela fizera fora em nome dele, fora por ele e agora nao ia querer deixar de lutar para que o filho se salvasse mesmo que isso lhe viesse a custar a propia vida afinal Eugenia sabia, sabia desde o inicio em que soube que ia ter uma crianca que ela iria ser tudo para si e olhando para tras e de forma sensata pensou que ele nao tinha a culpa de como tinha sido gerado. Ele nao tinha a culpa de ter o pai que tinha e nao se podia arranjar uma mae ainda pior. O aborto era algo fora de questao, desde o inicio que o fora apesar das dificuldades que sabia que iria ter de enfrentar para criar aquele filho como mae solteira e sobretudo pelas condicoes em que tudo acontecera.

domingo, 29 de outubro de 2017

Amor ao Proximo

 

A sua escolha tinha sido por devocao e nunca se arrependera da mesma mas sentira sempre uma certa tristeza de nao poder ter filhos, nao poder ser pai o facto de nao poder casar esse ainda era o menos.

Recebera com certa surpresa o facto de a Irma Clarisse nome adoptado porque o seu verdadeiro nome era Antonia renunciara aos votos que fizera, abandonara tudo e deixara de ser Freira de um momento para o outro. Nao dera grandes justificacoes aos seus superiores apenas abandonara o convento onde se encontrara fora ter com as autoridades competentes e fizera saber a sua decisao de voltar a uma vida normal perante a sociedade e nao adiantara muitos mais. Visitara Diogo mais tarde na sua paroquia e a ele, ao velho amigo Diogo, ao amigo dos tempos de Catequese revelara a verdade.

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Amor de Verdade



Um erro podia alterar toda a vida e era bem verdade, assim se sentia ele, Rui Jorge dentro daquele vazio imenso em que se tornara a sua vida desde o inicio da sua doenca e que lhe custara muitas horas de recuperacao embora a mesma nao fosse total, nunca seriam os medicos nunca lhe tinham enganado e que lhe custara ate mesmo o proprio divorcio.

Nao era facil viver com Esclerose Multipla como ele vivia a ja quase dez anos sozinho tinha apenas a companhia de uma Empregada, mulher a dias, como muitos lhe chamavam que lhe vinha limpar o apartamento quinzenalmente e uma vizinha com quem tinha combinado ela fazer-lhe as refeicoes e ir-lhe leva-las a casa, nada de muito exigente ja que era mesmo a vizinha da porta ao lado, Rui Jorge apesar de tudo nao vivia com dificuldades financeiras isso devido ao seu talento para escrever letras para cancoes e somente vivia melhor tambem porquena doenca so o impedira de andar, de se movimentar tao a vontade.

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Desejo, Sede, Vontade e Espirito de Vinganca



Ela menina rica que sempre tivera de tudo na vida jamais alguma vez na vida julgara vir a ser pobre, a passar fome e dificuldades mas depois dos pais virem expulsos de Africa era isso que estava a acontecer embora ela ja nao fosse uma menina mas uma adolescente ou uma menina com corpo de mulher naquela altura.

Nao importava o que ela era uns anos ja depois mas a verdade e que as dificuldades em casa eram muitos e estava cada vez mais dificil mante-la a estudar sobretudo depois da entrada na faculdade onde pretendia estudar Direito e um dia vir a tornar-se Juiza de Direito. Os sonhos estavam cada vez mais dificeis de serem realizados, as dificuldades eram cada vez maiores e o pao cada vez mais dificil de tambem se meter na mesa. Ivone acabou por seguir os conselhos de uma amiga, havia tantas universitarias a fazer o mesmo, ela no fundo, seria so mais uma.

sexta-feira, 29 de setembro de 2017

Um Outro Pai



Nao era justo depois de descobrir a verdade sentira que vivera uma vida de engano, sentia que era ate outra pessoa, a revolta era enorme mas a surpresa maior ainda estava para vir. Um nome nobre, uma nova familia e uma fortuna enorme, daria para compensa-lo por toda a mentira escondida?

Eu, Sebastiao Alonso, nao era afinal um Alonso como tanto se orgulhara mas isso nao era agora o importante. Pianista famoso, suposto filho de uma familia de gente humilde que curiosamente sempre haviam tido condicoes para o educar de uma forma muito acima das condicoes que qualquer familia da classe media baixa poderia ter, fora esse o primeiro sinal de que algo de estranho se passava mas eu era realmente muito jovem para comecar a pensar nisso. Cresci e continuei a ter tudo o que queria e muito mais do que precisava, comecara a desconfiar, fazer perguntas que os meus pais sempre se conseguiam escapar sem me conseguirem dar uma resposta que me conseguisse convencer, muitos vezes apenas diziam que nao me preocupasse com nada, estava tudo certo.

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Vicios e Dependencias Vencidas


 
Ela era jovem mas as responsabilidades eram muitas e Sandra Regina nao as ignorava nem as esquecia, o seu trabalho era aquele ajudar as pessoas a voltarem a ser livres e livrar-se dos vicios em que se tinham tornado dependentes um dia.

Tambem ela tivera os seus problemas porem nao chegara a bater bem la no fundo como as pessoas dos casos com que lidava dia-a-dia no entanto essa sua curta experiencia pelo mundo das drogas dera-lhe a certeza daquilo que queria ser na vida, queria ser Psiquiatra e especializar-se em ajudar pessoas toxicodependentes e alcoolicos a deixar aquele tipo de vida, aqueles vicios que so levavam a um abismo quase sem saida e que em muitos casos, maioria infelizmente, a unica saida era a morte causada por doencas como hepatites, sida e tambem overdoses. Ela era jovem, acabada de formar mas comecava a dar nas vistas e a dar que falar no Centro de Recuperacao onde trabalhava devido a uma taxa de sucesso bem acima da media nos casos que lhe eram entregues.

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

A Licao Para a Presidiaria



Ela estava ali a ja alguns dias e nao se conformava, nao se habituava aquele novo estilo de vida. Era dificil viver-se rodeado com tantas regras para cumprir e sem muitos ou quase com nenhuns direitos, nao era so ela mas todas as outras se encontravam perante o mesmo dilema porque ali havia uma regra, os direitos eram iguais para todas. Ela era das mais novas que ali estava e encontrava-se ainda em fase de estudo e adaptacao.

Nao deveria ser facil para aqueles homens ali a sua volta estarem ali a tomar conta, a controlar aquelas mulheres pensava ela quando estava no patio na hora do recreio. Nao deveria ser facil por exemplo ir separar duas reclusas que se agarravam a pancada mas quando isso acontecia tinha mesmo que ser. Sera que eles as viam como mulheres ou apenas como reclusas e criminosas?

quinta-feira, 20 de julho de 2017

A Professora Primaria



Melissa estava impaciente naquela manha tinha quase a certeza mas depois de almoco tudo se ia comprovar sem mais duvidas se tinha conseguido o acesso ao Ensino Superior e se podia comecar mais uma caminhada, a ultima, para ser o que sempre sonhara vir a ser um dia Professora do Ensino Primario.

Sempre tivera as melhores notas mas nunca estivera numa competicao a nivel nacional para concorrer a um concurso onde as vagas eram poucas e os concorrentes eram muitos e a partida as hipoteses eram iguais para todas pouca diferenca fazia as notas que se tinham tido ate entao nos doze anos de estudo que tinham ficado para tras se a aprovacao para a entrada na faculdade em muito dependia daquele teste a que chamavam Prova Geral de Acesso (PGA). Melissa nao achara a prova complicada mas na sua sala fora uma das ultimas a termi-la muito em parte derivado aos nervos.

sexta-feira, 26 de maio de 2017

Passado, Presente e Futuro



Feliz nao podia ser feliz o homem que actualmente no presente tinha como um dos principais objectivos esquecer o passado e fazer do seu presente o seu passado do futuro. Era tudo muito dificil de entender mas nao era qualquer um que estava em condicoes de compreender um homem como ele, Americo Sobral de Sousa.

Nao era facil de o julgar tambem se em cada ponto que se descobria e conhecia do mesmo se ia tomando conhecimento com algo de mau e negativo logo de seguida se descobria algo que sensibilizava qualquer um ate mesmo os menos sensiveis e no fundo tudo o que ele fizera nao fora somente por ele e isso isso via-se na Fundacao Sobral de Sousa. Seria ele apenas um homem ambicioso que queria sempre vencer quem o queria levar de vencida, seria ele um homem que apenas vivera para o trabalho, para fazer dinheiro e grandes negocios? Ou tambem seria ele um homem que tinha sentimentos, bons sentimentos mas nao os queria demostrar porque vivera no ideal de que os homens, os grandes homens de negocios e poder eram pessoas que tinham de ser um pouco frias e nao demostrar que tinham sentimentos e coracao.

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Agnes, o Meu Primeiro Amor



Vivi muitos amores e romances na vida uns mais faceis do que outros de esquecer mas o primeiro, o primeiro tal como em muitas outras pessoas o primeiro a gente nunca esquece. A primeira em quase tudo e marcante no amor alem de nao ser diferente julgo que e ainda mais marcante.

Meio da adolescencia era o tempo de com 14 ou 15 anos como todos os adolescentes da minha idade e do meu grupo de amigos de ver  as revistas pornograficas da epoca que nao eram nada baratas mas faziam aumentar certos desejos que tinhamos de estar com esta ou aquela rapariga. Ainda na altura da epoca dos filmes de video e das cassetes VHS passavamos tardes na casa deste ou daquele a ver filmes porno as escondidas que milagrosamente conseguiamos pedir "emprestado" ao pai de algum sem que ele soubesse ou pudesse sequer imaginar ou sonhar com o sucedido. Eramos miudos e tinhamos os nossos desejos e sonhos de adolescentes entalados entre o adolescente e o adulto. Se bem que os adolescentes do meu meio social eram um pouco diferentes, isso era mais para putos da classe baixa e media da sociedade, eu e os meus amigos quase em geral eramos meninos ricos.

segunda-feira, 3 de abril de 2017

Plagios Mais do Que Perfeitos



Filomena sempre amara escrever e sempre o fizera desde que aprendera a ler, desde que a tinham ensinado na escola que ela tinha por habito escrever coisas que ia apontando num cadernezinho que escondia religiosamente a sete chaves como se um tesouro os mesmo escritos fossem ou pudessem ser tratados como tal.

Era uma jovem diferente de tantas outras amigas que parecia ser fragil e ser uma crianca muito doente e era-o de facto. Enquanto as amigas na escola no recreio durante o intervalo brincavam, pulavam e corriam Filomena escondida no seu canto escrevia, o que sentia, o que lhe ia na alma e por fim o que a imaginacao consentia e autorizava. Menina sossegada e triste chamavam uns enquanto outros a consideravam nao mais do que um ser doente e fragil. Fosse o que fosse era uma crianca demasiadamente inteligente e so era pena a pobreza dos pais nao dar para permitirem que a mesma estudasse muito mais do que o ensino primario.

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

No Corredor da Morte



Era mais um que ali estava esperando a sua vez para morrer, como se alguem lhe perguntasse alguma vez se ele queria morrer. Tambem ja ali estava a alguns anos mas isso era normal, era habitual estar a espera naquele chamado corredor da morte quinze anos.

Nao tinha vontade de estar tanto tempo a espera para isso teria escolhido a pena de prisao perpetua quando lhe deram a escolha entre a pena de morte e a prisao perpetua mas sabia que isso do tempo que tinha de esperar nao dependia so de si e tinha conhecimento de Brandon Astor Jones executado com 72 anos e que tivera 37 anos a espera nos corredores da morte. Perguntava a si mesmo se 37 anos muitas vezes nao era uma vida, uma eternidade nao seria certamente mas poderia ser uma pena de prisao perpetua. Jones poderia ate ter morrido subitamente enquanto esperava pela sua vez de ser executado.

domingo, 26 de fevereiro de 2017

Para ti Maria, Simplesmente Maria



Maria, simplesmente Maria e nao era preciso saber-se nada mais sobre ti, mas eu queria saber mais e mais, queria saber tudo?

O teu nome era Maria isso ja era importante mas algo te fazia ser ou parecer ser diferente das outras Marias que se conheciam por ai. Maria era um nome se nao vulgar tao facil de se encontrar por ai mas desde do inicio que sentia que nao havia, nao podia haver outra Maria como tu, melhor ainda nao havia outra mulher como tu. Eras a unica que me conquistava o coracao e isso ja queria dizer muita coisa.

domingo, 19 de fevereiro de 2017

A Crise e Ternura Dos Quarenta e o Peso da Solidao



Nunca a tinha sentido mas ja tinha ouvido falar tanto na mesma, sentia que nos ultimos tempos dava mais importancia aquele mito que talvez ate tivesse de facto a sua ponta de realidade.

Para os homens era tambem chamada de idade do lobo enquanto para as mulheres era denominada como a idade da loba. Havia quem lhe chamasse de Crise dos 40 mas era mesmo assim mais conhecida como a Ternura dos 40. Entendia-se bem a razao e o porque, de facto crise era uma palavra com muito menos impacto que Ternura. Pensava ele. Era a idade de se pensar na vida, naquilo que tinha ficado para tras, o passado certamente, naquilo que tinha na mao e no futuro que tinha a sua frente. Era a altura de se pensar em tanta merda pensara ele, estava a poucos dias de la chegar.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

A Magia do Amor



Nao era de todo facil ser-se mae solteira num meio rural e local tao pequeno como aquele ainda que sendo filha de boas familias a qual apesar da vergonha e de ver o seu bom nome jogado na lama e falado de boca em boca na praca lhe deu todo o apoio. Eram demasiado religiosos e conservadores para se pensar em aborto, isso estivera sempre fora de questao.

Estivera enamorado, apaixonara-se pelo homem errado, se e que ele se podia chamar de homem mas a crianca que trazia no ventre nao tinha culpa de nada e tudo se havia de arranjar, ela estava com a adolescencia perdida ou roubada no meio da mesma mas mesmo assim ela e a familia sentiam que nada estava perdido e Maria Celeste podia voltar a ter uma vida normal, podia encontrar que homem de h grande que a amasse e aceitasse ser o pai do seu filho ja que aquele que lhe mostrara o que era a forte magia do amor nao aceitara isso. Nao aceitara cumprir com as obrigacoes de pai, nao soubera ser homem diziam todos. Era facil avaliar e criticar uma situacao quando se estava de fora.

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

Aquela Mulher


 
Aquela mulher que sempre fora tudo o que ele sempre mais amara e quisera, apesar de tudo (tinha-lhe realmente adiantado muito). Apesar das brigas, discussoes, pontos de discordia e distancia em que se encontravam, apesar da ausencia fisica. So Deus, sabe o quanto ele amara aquela mulher.

Aquela mulher de quem recordava tantas coisas de bem e infelizmente da mesma forma recordava tantas coisas de mal. Era mesmo assim, nao se podia ver as coisas e a historia deles de outra forma quando aquela mulher o fizera sorrir tantas vezes mas tambem o fizera chorar. Durante algum tempo sentiu-se cansado de tudo aquilo e sobretudo muito triste com as decisoes dela, estava magoado era normal mas era aquela mulher que amara toda a vida desde que a conhecera, ainda amava e iria continuar a amar fosse o futuro qual fosse e o que fosse.

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

A Rapariga do Comboio


                                             
Ambos sentiam que eram mais do que estranhos que faziam parte daquela multidao de gente com quem se cruzavam todos os dias e com os seus companheiros de viagem de ida e regresso a casa, era assim todos os dias.

Cruzavam um olhar sem nunca terem trocado uma palavra e um sorriso timido como quem tinha acabado de fazer amor e estava delirante sob um orgasmo de felicidade. Nao se comunicavam mas ambos sentiam aquela atraccao um pelo outro so que a timidez era persistente demais para ser vencida so que tudo estava prestes a poder mudar ate ao momento ambos eram a paixao secreta, o amor platonico um do outro.

sábado, 10 de dezembro de 2016

O Momento da Vinganca


 
Fumando mais uma cigarrilha e olhando tudo a sua volta no ultimo andar daquele arranha-ceus do Central Park no Bairro de Midtown Manhattan a Zona que era considerada como a Area de negocios mais importante dos Estados Unidos. Era ali que vivia quando estava em Nova Iorque onde tinha a Sede Mundial das suas empresas numa ruas mais abaixo da sua casa, alias escolhera aquele apartamento justamente por estar perto de tudo.

Era um dos homens mais ricos e poderosos do Mundo mas parecia-lhe faltar algo e essa aparencia nao estava em erro. Faltava-lhe por em pratica e realizar tudo aquilo porque lutara para ali chegar. A vinganca era um prato que se servia frio e ele sentia que estava na hora de se vingar de todos aqueles que o haviam querido destruir e matar quando era um Ze Ninguem. Era tempo de mostrar que nao se brincava com um Luis Castro Semedo e com o todo poderoso Dono da Semedo Corporation Group.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Memorias de Uma Simples Puta



Era tempo de fazer as malas e de partir anos depois eis o momento com que tanto sonhara. Reconhecia que ate tinha feito algumas amizades por ali que jamais iria esquecer mas aquele nao era o seu lugar.

Tivera e apresentara varios nomes aos inumeros clientes que tivera mas nenhum era o seu verdadeiro. Nao fora ela que criara essa lei, ja era uma regra daquele meio ter-se um nome de guerra. Ela fora Sonia, Valeria, Sandra, Adriana, Marisa e tantos outros nomes tantas vezes fora Maria com qualquer outro nome mas o seu verdadeiro nome esse jamais o revelara e poucos foram os clientes que souberam verdadeiramente o que ela pretendia da vida. Tinha que haver uma certa distancia para evitar envolvimentos mais intimos e o nascer de sentimentos mais fortes, trocando tudo por palavras mais faceis de entender e deixando de parte a Psicologia de sentimentos, etc ali tinha que haver uma certa frieza e para a maioria dos clientes ela era uma Prostituta, Acompanhante ou para os mais rudes uma simples Puta.