sábado, 1 de novembro de 2014

Socrates (c. 469 A.C-399 A.C), O Pai da Filosofia

 

Como um verdadeiro apaixonado pela Historia e pela Filosofia Socrates aquele que e considerado o pai da Filosofia e talvez um dos maiores genios e pensadores de todos os tempos para mim teria que ser um idolo.

Sei que isso nao acontece so e apenas comigo Socrates ainda hoje tem uma enorme legiao de admiradores, fans que o tornam um idolo e sobretudo depois de tantos anos imensos admiradores pelo mundo fora. Muitos estudantes ainda hoje fazem seus trabalhos e teses inspirados nas ideias de Socrates muitos dos futuros grandes filosofos do seu tempo foram seus seguidores e ate alunos como Platao, Aristoteles, Aristipo, Antistenes e Xenofonte os mesmos foram criadores de varias partes da Filosofia como a Filosofia Cinica, Filosofia Natural, Filosofia Ocidental da Escola Cirenaica, lancaram os primeiros escritos em areas como a Fisica e a Metafisica.


Socrates (Atenas, cerca de 469 A.C - Atenas 399 A.C) foi um Filosofo ateniense do periodo classico da Grecia Antiga. Creditado como um dos fundadores da Filosofia Ocidental, e ate aos dias de hoje uma figura enigmatica , conhecida principalmente atraves dos relatos em obras de escritores que viveram mais tarde, especialmente dois de seus alunos, Platao e Xenofonte, bem como as pecas teatrais do seu contemporaneo Aristofanes. Muitos defendem que os dialogos de Platao seriam o relato mais abrangente de Socrates a ter perdurado da antiguidade aos dias de hoje.

Atraves de sua representacao nos dialogos de seu estudante, Socrates tornou-se renomado por sua contribuicao no campo da etica, e este o mesmo Socrates platonico que legou seu nome a conceitos como a ironia socratica e o metodo socratico (elenchus). Este mesmo metodo permanece intacto ate aos dias de hoje sendo usado como uma ferramenta comumente utilizada numa ampla gama de discussoes, e consiste de um tipo peculiar de Pedagogia no qual uma serie de questoes sao feitas, mas nao apenas para obter respostas especificas, mas para encorajar tambem uma compreensao clara e fundamental do assunto sendo discutido. Foi o Socrates de Platao que fez contribuicoes importantes e duradoras aos campos da Epistemologia e Logica, e a influencia de suas ideias e de seu metodo continuam a ser deveras importantes alicerces  para uma boa parte dos filosofos ocidentais que se seguiram a ele.

Nas palavras do Filosofo britanico Martin Cohen, Platao, o idealista, oferece "um idolo, a figura de um Mestre, para a Filosofia. Um Santo, um Profeta do 'Deus-Sol' um Professor condenado pelos seus ensinamentos como herege".

Para Allan Kardec, no livro O Evangelho Segundo o Espiritismo, Socrates e Platao sao precursores da ideia crista e do espiritismo.

Detalhes sobre a vida de Socrates derivam de tres fontes contemporaneas: os dialogos de Platao, as pecas Aristofanes e tambem os dialogos de Xenofonte. Nao ha sequer evidencias de que Socrates tenha ele mesmo publicado alguma obra sua. Alguns autores defendem que ele nao deixou nada escrito pois, alem de na sua epoca a transmissao de saber ser feita, essencialmente e praticamente apenas pela via oral, Socrates assumia-se como alguem que sabe que nada sabe. Assim, para ele mesmo, a escrita fecharia o conhecimento, deixando-o de forma acabada, amarrando o seu Autor ao estrito contexto de afirmacoes completamente inamoviveis: se essas mesmas afirmacoes contemplam o erro, a escrita nao so o perpetua como garante certamente a sua transmissao e a certa continuidade sucessiva.

As obras de Aristofanes retratam o mesmo Socrates como uma personagem comica e sua representacao nao deve ser levada ao pe da letra.

Nascido nas planices do monte Licabeto, proximo de Atenas, Socrates nasceu e era oriundo de uma familia humilde. Era filho de Sophroniscus - motivo pelo qual ele era chamado em sua juventude de Sokrates ios Sofroniskos ou seja (Socrates, o filho de Sofroniskos) - um certo Escultor, especialista em entalhar colunas nos templos, e sua mae era uma certa, Fainarete, uma parteira (ambos eram parentes de Aristides, o Justo)

Durante sua infancia, ajudou o seu pai no oficio de Escultor. Porem nao parecia ser muito habilidoso para o oficio e arte de trabalhar o marmore ja que parece que muitas vezes seus amigos o gozavam pela sua incapacidade de o fazer. Mesmo quando aparecia uma oportunidade de ajudar o seu progenitor, sempre acabava por atrapalhar. Seu destino veio mais tarde a ser apontado, pelo proprio Oraculo de Delfos, como um futuro e grande educador, mas foi somente por influencia de sua mae que ele pode descobrir a sua verdadeira vocacao.

Socrates foi casado com Xantipe, sua primeira esposa. A mesma era bem mais jovem que ele, e teve um filho, Lamprocles. Existem relatos nao de todo crediveis de que o casal possivelmente teve mais dois filhos, Sophroniscus e Manexenus. Porem, segundo Aristoteles, citado por Diogenes Laercio, os outros dois filhos do Filosofo Sophroniscus e Manexenus eram filhos da sua segunda esposa, Myrto, filha de Aristides, o Justo. Satiro e Jeronimo de Rodes, tambem eles citados mais uma vez por Diogenes Laercio, dizem que, pela falta de homens em Atenas, foi permitido a um ateniense casado ter filho com outra mulher, e que Socrates teria tido Xantipe e Myrto as duas ao mesmo tempo, dai que tenha aparecido a duvida de quem era a mae de Sophoroniscus e Manexenus.

Seu amigo Criton criticou-o por este ter abandonado os seus filhos quando se recusou a tentar fugir de modo a evitar sua execucao. Este facto que ele (assim como outros discipulos) nao teria entendido a mensagem que Socrates passa sobre a morte (dialogo Fedon).

Socrates ao que se diz costumava caminhar descalco e nao tinha o habito de tomar banho. Em certas ocasioes, parava o que quer que estivesse fazendo, ficava imovel por horas, meditando sobre algum problema. Cera vez diz-se que o fez descalco sobre a neve, segundo os escritos de Platao, o que demostra seu caracter lendario.

Conta-se que um dia Socrates foi levado junto a sua mae para ajudar em um parto complicado. Vendo sua mae realizar o trabalho, Socrates logo "filosofou": Minha mae nao ira criar o bebe, apenas ajuda-lo-a a nascer e tentara diminuir a dor do parto. Ao mesmo tempo, se ela nao tirar o bebe, logo ele ira morrer, e igualmente a mae morrera!

Socrates concluiu entao que, de certa forma, ele tambem era parteiro. O conhecimento esta dentro das pessoas (que sao capazes de aprender por si mesmas). Porem, eu posso ajudar no nascimento deste conhecimento. Concluiu ele. Por isso, ate hoje os ensinamentos de Socrates sao conhecidos por maieutica (que significa parteira em grego).

Assim, logo sua vocacao falou mais alto e ele partiu para aprender Filosofia, onde se tornou Discipulo dos filosofos Anaxagoras e Arquelau. Seu talento logo tratou de chamar a atencao. Tamto que foi chamado pela Pitia (Sacerdotisa do Templo de Apolo, em Delfos, Antiga Grecia) de o mais sabio de todos os homens.

Nao se sabe ao certo qual o trabalho (profissao) de Socrates, se e que ele teve outro alem da Filosofia. Porem de acordo com algumas fontes, Socrates aprendeu a profissao de Oleiro com seu pai. Na obra de Xenofonte, Socrates aparece declarando que se dedicava aquilo que ele considerava a arte ou ocupacao mais importante: Maieutica, o parto das ideias. A Maieutica Socratica funcionava a partir de dois momentos essenciais: um primeiro em que Socrates levava os seus interlocutores a uma nova perspectiva acerca do tema em abordagem. Dai que a Maieutica consistisse num autentico parto de ideias, pois, mediante o questionamento dos seus interlocutores, Socrates levava-os a colocar em causa os seus "preconceitos" acerca de determinado assunto, conduzindo-os a novas ideias acerca do tema que estava a ser discutido, reconhecendo assim a sua ignorancia e gerando assim novas ideias, mais proximas da verdade.

Socrates defendia que deve-se sempre dar mais enfase a procura que se nao sabe, do que transmitir o que se julga saber, priviligiando a investigacao permanente.

Socrates tinha o habito de debater e dialogar com pessoas de sua cidade. Muitos ao contrario de seus predecessores, ele tambem nao fundou uma escola, preferindo tambem realizar seu trabalho em locais publicos (principalmente nas pracas publicas e ginasios), agindo de forma descontraida e descompromissada, dialogando com todas as pessoas, o que fascinava as pessoas sobretudo os mais jovens, mulheres e politicos de sua epoca.

Platao afirma tambem que Socrates nao recebia pagamento por suas aulas. Sua pobreza era prova de que nao era um Sofista.

Varias fontes, inclusive os dialogos de Platao, mencionam que Socrates tinha servido ao Exercito em varias batalhas. Na Apologia, Socrates compara seu periodo no servico militar a seus problemas no Tribunal, e diz que qualquer pessoa no Juri que imagine que ele se deveria retirar da Filosofia deveria talmbem imaginar que os soldados devessem bater em retirada quando se tornava provavel que pudessem perder uma batalha e morrer. O tambem Filosofo, Geologo e Historiador grego Estrabao conta que, apos uma derrota ateniense em que Socrates e Xenofonte haviam perdido seus cavalos, Socrates encontrou o companheiro e Discipulo Xenofonte caido no chao, e carregou-o por varios estadios, ate que a batalha terminou.

O julgamento e a execucao de Socrates sao eventos centrais da obra de Platao (Apologia e Criton). Socrates admitiu que poderia ter evitado a sua condenacao a morte, bebendo antes o veneno chamado Cicuta, se tivesse desistido da vida justa. Ate mesmo depois de sua condenacao, ele poderia ter evitado a sua morte se simplesmente tivesse aceitado a ajuda de amigos para fugir.

"Eu predigo-vos portanto, a vos juizes, que me fazeis morrer, que tereis de sofrer, logo apos a minha morte, um castigo muito mais penoso, por Zeus, que aquele que me infligis matando-me. Acabais de condenar-me na esperanca de ficardes livres de dar contas de vossas vidas; ora e exactamente o contrario que vos acontecera, asseguro-vos (...) Pois se vos pensardes que matando as pessoas, impedireis que vos reprovem por viverem mal, estais em erro. Esta forma de se desembaracarem daqueles que criticam nao e nem muito eficaz nem muito honrosa". - Socrates.

Platao considerou que Socrates foi condenado por questoes evidentemente politicas. Por seu lado, Xenofonte atribuiu a condenacao a Socrates a um facto de ordem pessoal, pelo simples desejo de vinganca. O proposito nao era a morte de Socrates mas sim afasta-lo de Atenas e se isso nao ocorreu a teimosia enorme do mesmo Socrates.

 Logo as ideias do Filosofo de Atenas foram se espalhando pela cidade, que o mesmo ganhava cada vez mais e mais discipulos.

Assim pensavam eles: como um homem poderia ensinar de graca e pregar que nao precisavam de professores como eles? E mais: Eles nao concordavam com os pensamentos de Socrates, que dizia que para se acreditar em algo, era preciso verificar se aquilo realmente era verdade.

Logo Socrates comecou a fazer varios inimigos, assim causando tambem uma grande intriga. Mas eis que a Guerra do Peloponeso estourou, e todos os homens entre 15 e 45 anos foram enviados para o campo de batalha. Socrates, devido a sua enorme e reconhecida habilidade de fazer as pessoas o seguirem, foi escolhido entao como um dos generais.

Ao final da guerra, com intencao de salvar os poucos soldados que haviam sobrevivido, Socrates ordena que todos voltem rapidamente para Atenas, mas que deixassem os mortos no campo de batalha - contrariando uma lei que obrigava o General a enterrar todos os seus soldados mortos, ou morrer tentando. Assim, ao chegar a Atenas, ele e preso.

Usando toda a sua capacidade de persuasao, Socrates consegue convencer a todos de que era bem melhor deixar alguns mortos do que morrerem todos, uma vez que se por sua vez todos morressem, ninguem poderia enterra-los. Desta forma ele convence a todos e consegue a liberdade.

Socrates ficou livre e em liberdade por mais 30 anos, quando foi preso novamente, sendo desta vez acusado de 3 crimes:

1 - Nao acreditar nos costumes e nos deuses gregos.
2 - Unir-se a deuses malignos que gostam de destruir as cidades.
3 - Corromper jovens com as suas ideias.

Os seus acusadores foram: Anito, Meleto e Licon.

. Anito - Era um Lider democratico. Tinha um filho Discipulo de Socrates que ria dos deuses do pai e voltava-se contra eles mesmos. Representava a classse dos politicos. Era um rico Tanoeiro que representava os interesses dos comerciantes e industriais, era um homem poderoso e bastante influente na sociedade.
. Meleto - Era um Poeta tragico novo e desconhecido. Foi o Acusador Oficial, porem nada exigia que ele como Acusador Oficial fosse o mais respeitavel, habil ou temivel, mas somente aquele que assinva a acusacao. Representava a classe dos poetas e adivinhos.
. Licon - Pouco se sabe de Licon. Era um Retorico obscuro e o seu nome teve pouca importancia e autoridade no decorrer da condenacao de Socrates. Representava a classe dos oradores e professores de Retorica. Talvez Licon pretendesse a condenacao de Socrates, devido ao seu filho ter-se deixado corromper moralmente, filosoficamente e sexualmente por Callilas, e o mesmo Callilas era um associado de Socrates.

Estas 3 acusacoes foram assim proferidas por Meleto:

"... Socrates e culpado do crime de nao reconhecer os deuses reconhecidos pelo Estado e de introduzir divindades novas; ele e ainda culpado de corromper a juventude. Castigo pedido: a morte".

"O processo e a condenacao de Socrates testemunham o perigo que a ignorancia faz correr ao saber, que o mal faz correr a virtude. Mas este perigo nao e senao aparente, pois, na realidade, e o justo que triunfa dos seus carrascos. Se bem que seja vitima deles, o triunfo de Socrates sobre os seus juizes data do dia da sua execucao". - (Jean Brum).

Dado a ele a chance de se defender destas acusacoes, Socrates mostra a sua capacidade enorme de pensamento.

Em sua defesa, ele mostra que as acusacoes eram contraditorias, questionando: Como posso nao acreditar nos deuses e ao mesmo tempo me unir a eles?

Mesmo assim, o Tribunal, constituido por mais de meio milhar de pessoas, eram na verdade 501 cidadaos, o condenou. Mas nao o condenou de facto a pena de morte, pois sabiam perfeitamente que se o condenassem a morte, provocariam a revolta em milhares de jovens que ate entao eram seguidores do mesmo. Condenaram-no entao a uma pena mais leve, foi condenado a viver no exilio para sempre, ou em segunda escolha a lhe cortarem a lingua, deixando o mesmo assim impossibilitado de ensinar aos demais. Caso se negasse, ele seria morto.

Apos receber a sua sentenca, Socrates proferiu: - Voces me deixam a escolha entre duas coisas: Uma que eu sei ser horrivel, que e viver sem poder passar meus conhecimentos adiante. A outra, que eu nao conheco, que e a morte (...) escolho pois o desconhecido.

"Mas eis a hora de partir: eu para a morte, vos para a vida. Quem de nos segue o melhor rumo ninguem o sabe execto os deus". - Socrates,

Ao se dirigir aos 501 cidadaos tenienses que o julgaram, Socrates disse que lhes era grato e que os amava, mas que obedeceria antes aos deus do que a eles, pois enquanto tivesse um sopro de vida, poderiam estar seguros de que ele Socrates nao deixaria de filosofar, tendo como sua unica preocupacao andar pelas ruas, a fim de persuadir seus concidadaos, mocos e velhos, a nao se preocuparem nem com o corpo nem com a fortuna, tao apaixonadamente quanto a alma, a fim de torna-la tao boa quanto o possivel.

Socrates entao deixou o Tribunal e foi levado para a prisao. Como existia uma lei que exigia que nenhuma execucao acontecesse durante a viagem votiva de um navio sagrado a Delos, Socrates ficou a ferros por um periodo de 30 dias, sob custodia de onze magistrados encarregados, em Atenas, da policia e da administracao penitenciaria.

Durante estes 30 dias, ele recebeu seus amigos e conversou com eles. Declarando nao querer absolutamente desobedecer as leis da sua patria, Socrates recusava mesmo a ajuda dos amigos para fugir. E passou o tempo preparando-se para o passo extremo em palestras espirituais com os amigos.

Chegado o momento da execucao, pouco antes de beber o veneno, Socrates, de forma ironica e sarcastica (como de costume), proferiu suas ultimas palavras:

" - Criton, somos devedores de um galo a Asclepio; pois bem, pagai a minha divida. Pensai nisso!".

Apos essas palavras, Socrates bebeu a Cicuta (Conium maculatum) e, diante dos amigos, aos 70 anos, morreu por envenenamento.

Platao, no seu livro Fedon, assim narrou a morte de seu antigo Mestre:

"... Depois de assim falar, levou a taca aos labios e com toda a naturalidade, sem vacilar um nada, bebeu ate a ultima gota.

Ate esse momento, quase todos tinhamos conseguido reter as lagrimas; porem quando o vimos beber, e que tinha bebido tudo, ninguem mais aguentou. Eu tambem nao me contive: chorei a lagrima viva. Cobrindo a cabeca. lastimei o meu infortunio; sim, nao era por desgraca que eu chorava, mas a minha propria sorte, por ver de que especie de amigo me veria privado. Critao levantou-se antes de mim, por nao poder reter as lagrimas. Apolodoro, que desde o comeco nao havia parado de chorar, pos se a urrar, comovendo seu pranto e lamentacoes ate o intimo todos os presentes, com excepcao do proprio Socrates.

- Que e isso, gente incompreensivel? Perguntou. Mandei sair as mulheres, para evitar esses exageros. Sempre soube que so se deve morrer com palavras de bom agouro. Acalmai-vos! Sede homens!

Ouvindo-o falar dessa maneira, sentimo-nos envergonhados e paramos de chorar. E ele, sem deixar de andar, ao sentir as pernas pesadas, deitou-se de costas, como recomendara o homem do veneno. Este, a intervalos, apalpava-lhe os pes e as pernas. Depois, apertando com mais forca os pes, perguntou se sentia alguma coisa. Respondeu que nao. De seguida, sem deixar de comprimir-lhe a perna, do artelho para cima, mostrou-nos que comecava a ficar frio e a enrijecer . Apalpando-o mais uma vez, declarou-nos que no momento em que aquilo chegasse ao coracao, ele partiria. Ja se lhe tinha esfriado quase todo o baixo-ventre, quando, descobrindo o rosto - pois o havia tapado antes - disse, e foram suas ultimas palavras:

- Critao (exclamou ele), devemos um galo a Asclepio. Nao te esquecas de saldar essa divida!

"Assim farei", respondeu Critao, ve se queres dizer mais alguma coisa. A essa pergunta, ja nao respondeu. Decorrido mais algum tempo, deu um estremecao. O homem o descobriu; tinha o olhar parado. Percebendo isso, Critao fechou-lhe os olhos e a boca.

Tal foi o fim do nosso amigo, Equecrates, do homem, podemos afirma-lo, que entre todos os que nos foi dado a conhecer, era o melhor e tambem o mais sabio e mais justo".
                                                                                                                   
                                                                                                                       Fedon 117e-118c.

No Fedon, Socrates da razoes de crer na imortalidade. Apos Socrates ter sido condenado a morte, comentou como se nada fosse e ate com certa alegria que no outro mundo poderia fazer perguntas eternamente sem poder ser condenado a morte como tinha acabado de o ser neste mundo, a razao dele fazer tal afirmacao e que considerava que no outro mundo seria imortal.

Socrates provocou uma rutura sem precedentes na Historia da Filosofia Grega, por isso ela passou a considerar os filosofos entre Pre-Socraticos e Pos-Socraticos. Enquanto os filosofos Pre-Socraticos, chamados de naturalistas, procuravam responder a questoes do tipo: "O que e a natureza ou o fundamento ultimo das coisas?" Socrates, por sua vez, procurava responder a questao: "O que e a natureza ou a realidade ultima do homem?"

Os sofistas, grupo de filosofos (titulo negado por Platao) originarios de varias cidades, viajavam pelas Polis, onde faziam discursos em publico e ensinavam suas artes, como a Retorica em troca de alguns pagamentos. Socrates se assemelhava exteriormente a eles, exepto no pensamento. Platao afirmava que Socrates nao recebia pagamentos por suas aulas. Sua pobreza era prova de que nao era um Sofista. Para os mesmos sofistas tudo deveria ser avaliado segundo os interesses do homem e da forma como este ve a realidade social (Subjectividade), segundo a maxima de Pitagoras: "O homem e a medida de todas as coisas, das coisas que sao, enquanto sao, das coisas que nao sao, enquanto nao sao". Isso significa que, segundo essa mesma corrente de pensamento, as regras morais, as posicoes politicas e os relacionamentos sociais deveriam ser guiados conforme a conveniencia individual. Para este fim qualquer pessoa poderia se valer e fazer uso de um discurso convincente, mesmo que o mesmo fosse falso ou sem conteudo. Os sofistas usavam, de facto, complicados jogos de palavras, no seu discurso para demostrar a verdade daquilo que se pretendia alcancar. Este tipo de argumentos ganhou o nome de Sofisma ou Sofismo.

Em resumo, a Sofistica destruia os fundamentos de todo o conhecimento, ja que tudo seria relativo (Relativismo) e os valores seriam subjectivos, assim como tambem impedia o estabelecimento de um conjunto de normas de comportamento que garantissem os mesmos direitos para todos os cidadaos de Polis. Tanto quanto os sofistas, Socrates abandonou a preocupacao em explicar e se concentrou no problema do homem. No entanto, contrariamente aos sofistas, Socrates travou uma polemica profunda com estes, pois procurava um fundamento ultimo para as interrogacoes humanas, do genero: ("O que e o bem?", "O que e a virtude?", "O que e a justica?"); enquanto os sofistas situavam as suas reflexoes a partir dos dados empiricos, o sensorito imediato, sem se preocupar com a investigacao de uma essencia da virtude, da justica, do bem, etc (talvez penso eu ate da verdade), a partir da qual a propria realidade empirica pudesse ser avaliada.

Socrates foi um pioneiro em alguns metodos nao usados ate entao e contribuiu imenso para que as pessoas se apercebessem da descoberta da evidencia que e a manifestacao do mestre interior a alma. Conhecer-se a si mesmo seria o mesmo que conhecer Deus em si.

Aquilo que colocou Socrates em destaque foi o seu metodo, e nao tanto as suas doutrinas. Socrates baseava-se na argumentacao, insistindo que so se descobre a verdade pelo uso da razao. O seu legado reside sobretudo na sua conviccao inabalavel de que mesmo as questoes mais abstratas admitem uma analise racional.

O seu pensamento desenvolveu-se de 3 grandes ideias:

A) A critica aos sofistas.
B) A arte de perguntar.
C) A consciencia do Homem.

O metodo Socratico consiste em uma tecnica de investigacao filosofica, que faz uso de perguntas simples e ate mesmo quase ingenuas mas que tem como objectivo, em primeiro lugar, revelar as contradicoes presentes na actual e presente forma de o aluno pensar, normalmente baseadas em valores e preconceitos da sociedade, e auxilia-lo assim a redefinir tais valores, aprendendo assim a pensar por si mesmo.

As crencas de Socrates em comparacao as de Platao, sao dificeis de discernir. Ha na realidade poucas diferencas entre as duas ideias filosoficas. Consequentemente, diferenciar as crencas filosoficas de Socrates, Platao e Xenofonte e uma tarefa dificil e deve-se sempre lembrar que o que e atribuido a Socrates pode reflectir o pensamento dos outros autores,

Se algo pode ser dito para definir as ideias de Socrates, e que ele foi moralmente, intelectualmente e filosoficamente diferente de todos os seus contemporaneos atenienses. Quando estava sendo julgado por heresia e corromper a juventude, usou seu proprio metodo de elenchos para demostrar as crencas erroneas de quem o estava a julgar. Socrates acreditava na imortalidade da alma e que teria recebido, em um certo momento de sua vida, uma missao especial (Apologia ou Apologetica) do Deus Apolo, a defesa do logos apolineo "Conhece-te a ti mesmo".

Socrates tambem duvidava da ideia Sofista de que a arete (Virtude) poderia ser ensinada para as pessoas. Acreditava que a excelencia moral e uma questao de inspiracao e nao de parentesco, pois os pais que eram moralmente perfeitos nao tinham filhos semelhantes a eles. Essa talvez tenha sido a causa principal de o mesmo nao se ter preocupado muito com o futuro dos seus proprios filhos. Socrates frequentemente dizia que as suas ideias nao eram proprias, mas de seus mestres, entre eles Prodigo e Anaxagoras de Clazomenas.

Em O Banquete, de Platao, Socrates revela que foi a Sacerdotisa Diotima Mantinea que o iniciou nos conhecimentos e na genealogia do amor. As ideias de Diotima estao na verdade na origem do conceito Socratico-Platonico do amor. Tambem em O Banquete, no discurso de Alcibiades se descreve o amor entre Socrates e Alcibiades.

Socrates afirmava que sua sabedoria era limitada a sua propria ignorancia. Segundo ele mesmo, a verdade, escondida em cada um de nos, so e visivel aos olhos da propria razao (dai a celebre e popular frase "So sei que nada sei"!). Ele acreditava que os erros sao consequencias provocadas pela propria ignorancia humana. Nunca, jamais proclamou ser Sabio. A intencao de Socrates era somente levar as pessoas a conhecerem os seus desconhecimentos ("Conhece-te a ti mesmo). Atraves de problematizacao de conceitos conhecidos, daquilo que se conhece, percebe-se dogmas e preconceitos existentes.

O estudo da virtude se inicia com Socrates, para quem a virtude era o fim da actividade humana e se identificava com o bem que convem a natureza humana.

Socrates acreditava mesmo que o melhor modo para as pessoas viverem era se concentrando no proprio desenvolvimento ao inves de buscarem a riqueza material. Convidava outros a se concentrarem na amizade e em um sentido de comunidade, pois acreditava que esse era o melhor modo de se crescer como uma verdadeira populacao. Suas accoes sao a prova disso mesmo: ao fim da sua vida, aceitou a sentenca de morte quando todos acreditavam plenamente que fugisse de Atenas, ele no entanto acreditava porem que nao poderia fugir de sua comunidade. Acreditava tambem que os seres humanos possuiam certas virtudes, tanto filosoficas como tambem intelectuais. Dizia que a virtude era mais importante do que todas as outras coisas.

Diz-se que Socrates acreditava que as ideias pertenciam a um mundo que somente os sabios conseguiam entender, fazendo com que o Filosofo se tornasse perfeito governante para um Estado. Opunha-se a democracia aristocratica que era praticada em Atenas durante essa mesma epoca; essa mesma ideia surge nas Leis de Platao, seu Discipulo. Socrates acreditava igualmente que ao se relacionar com membros de um Parlamento a propria pessoa estaria fazendo-se hipocrita.

"Os paradoxos socraticos" sao posicoes eticas defendidas por Socrates que vao contra (para) a opniao (doxa) comum os principais paradoxos sao:

1 - "A virtude e um conhecimento".
2 - "Ninguem faz o mal voluntariamente".
3 - "As virtudes constituem uma unidade".
4 - "E preferivel sofrer injustica do que comete-la" (Gorgias 469 b-c) ou "jamais se deve responder a injustica pela injustica, nem fazer o mal a outrem, nem mesmo aquele que nos fez mal (Criton 49 c-d).

Socrates estava convicto e afirmava que "Ninguem faz o mal voluntariamente, mas por ignorancia, pois a sabedoria e a virtude sao inseparaveis".


Dados pessoais de Socrates:

Nome: Socrates (Σωκράτης).
Escola / Tradicao: Filosofia Grega.
Nascimento: Atenas, data incerta a rondar o ano 469 A.C ou 470A.C.
Morte: Atenas, 399 A.C  (70 anos).
Principais interesses: Epistemologia, Etica, Filosofia.
Influenciado por: Parmenides.
Influencias de: Maior parte da Filosofia Ocidental posterior; mais especificamente Platao, Aristoteles, Aristipo, Antistenes.

Quase a terminar esta cronica devo acrescentar em opniao pessoal que embora Socrates para mim tenha sido um dos maiores pensadores da Historia e uma das mentes mais inteligentes nao concordo com o mesmo em muitos dos seus ideais e pensamentos. "Ninguem faz o mal voluntariamente", discordo totalmente dessa ideia quando em muitos casos se sabe que uma vinganca pode demorar tempos e tempos a ser posta em pratica.

Tambem existe que esclarecer que a Filosofia ao contrario do que alguns pensam e consideram nao e uma Ciencia mas diquemos uma arte de buscar sabedoria e conhecimento. Durante muitos anos e ate a bem pouco tempo considerei a Filosofia uma ciencia mas como aprender nao e um defeito mas sim uma virtude hoje vejo as coisas de uma forma correcta.

Igualmente nao se pode considerar Socrates um cientista mas apenas um filosofo no tempo de Socrates as ciencias ainda nao estavam organizadas e as pessoas procuravam sabedoria e conhecimento na Filosofia e astros como tal mesmo que a Filosofia fosse uma Ciencia na altura de Socrates nao o era porque a Ciencia nao existia. Foi a explicacao que foi dada por alguem que estudou Filosofia na Universidade. Concordo tanto com a ideia de a Filosofia nao ser uma Ciencia como um Filosofo nao ser um Cientista vejamos, um Cientista encontra o problema, procura uma solucao, investigando, pesquisando ate encontrar uma solucao. Ja o Filosofo encontra o problema pode ate investiga-lo e pesquisa-lo mas procura nao uma solucao mas sim discuti-lo muitas vezes procurando ate uma nova questao para o problema.

Caro(a) leitor(a) espero que esta cronica acerca desta personalidade da Historia Antiga e Historia Universal tenha sido do seu agrado como para mim foi escreve-la esta em particular por ter descoberto coisas acerca do proprio Filosofo Socrates e tambem da propria Filosofia. Ate a proxima.

                                                                                                               Manuel Goncalves






















2 comentários:

  1. Um homem que foi um dos "pais" da nossa civilização e um exemplo de enorme coragem! Um exemplo de vida.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Creio que de ideias complicadas as vezes de entender, recusou-se a ir contra as leis do seu pais mas igualmente recusou-se a adorar os deuses do mesmo.

      Eliminar