segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Archer, um Condenado a Morte

 

Diz o ditado que "o crime nao compensa", porem as vezes a oferta e tentadora e faz alguem ate esquecer as leis de outros paises, a rigidez de outros paises que se recusam a negociar seja com quem for e porque razao for.

E sabido que o trafico de drogas e crime em qualquer parte do mundo, e sabido que em certos paises e um crime punivel nao com uma pena de cadeia como na maioria dos estados do mundo mas que em outros e punivel com a pena de morte. Quase todos sabemos isso e Marco Archer Cardoso Moreira, de 53 anos, tambem o deveria saber. Porem o mesmo Archer como qualquer outra pessoa tambem sabia que traficar 13 quilos de cocaina para um pais que condena o trafico de droga com a pena de morte lhe daria muito dinheiro, entao decidiu a 10 anos atras correr o risco e o resultado final ficou bem visivel como diz o ditado e repito "o crime nao compensa". 

Primeiro que tudo a justica tambem falhou tal como Archer. Ele escolheu o mau caminho aquele que o ajudaria a ganhar muito dinheiro facilmente, sim, de facto nao se pode dizer que o condenado e executado nao seja um crimoso.

A justica tambem nao esteve bem por seu lado. Primeiro se era para condena-lo a morte porque razao o mantiveram nos corredores da morte durante mais de 10 anos?  Segundo Archer era criminoso porque traficava droga mas para alem de criminoso que nome se da a alguem que mata ou manda matar um ser humano que por mais que erre nao deixa de ser seu semelhante?

As razoes que levaram Archer a agir como agiu fossem quais fossem nao sao aceitaveis, havendo mil e uma maneira de ganhar dinheiro honestamente porque razao o fez de forma desonenta? Nao posso aceitar e que agora apenas Archer seja considerado e chamado de criminoso em todo este caso. Archer foi condenado a morte noutro pais seria condenado a 10 ou pouco mais anos de cadeia e ai nesse caso nao se poderia considerar a justica assassina.

O unico caso em que aceito a pena de morte sao em casos de violacoes e abusos sexuais em particular em actos de pedofilia. As vitimas de violacoes possivelmente nao pedem para ser violadas sao forcadas a isso num acto selvagem. Numa  violacao tambem nao existem os lucros que se pode obter com o trafico de droga e ja falei uma vez no facebook para haver traficantes tem que haver alguem mais acima ou seja os produtores de droga. Esses porque no fundo ajudam a crescer a economia de alguns paises que vivem muito a custa do trafico e producao de droga nao os vejo serem condenados a morte! Para haver traficantes tem que haver tambem consumidores e esses tambem tal como Archer nao foram obrigados a nada, ninguem entra no mundo da droga por ser obrigado e se o mesmo mundo existe e faz algumas pessoas ganharem muito dinheiro em parte e devido a existirem consumidores. Esses curiosamente tambem nao os vejo serem condenados a morte.
                                        

O caso Marco Archer e um acontecimento recente referente a execucao do brasileiro Marco Archer Cardoso Moreira (Rio de Janeiro, 1961 - Cilacap, Java, 18 de Janeiro de 2015), condenado a pena de morte por trafico de drogas na Indonesia em 2004, depois de ter sido preso ao tentar entrar  pais com 13,4 Quilos de cocaina dentro dos tubos de uma asa-delta.
                                                                

Ao contrario do sonho de Archer ou dos seus desejos que ele proprio falou no video anterior Archer nao foi perdoado, sua condenacao e execucao certamente causou mesmo um grave problema diplomatico entre Brasil e Indonesia se nao agora pelo menos em tempos futuros.

O Brasileiro foi fuzilado na madrugada de 18 de Janeiro de 2015, apos 11 anos de prisao e varios adiamentos da sentenca, no complexo prisional da prisao de Cilacap, na Ilha de Java, a 400 km de Jacarta, capital do pais. Sua execucao, apos se terem visto negados todos os pedidos de clemencia feitos pelo Governo brasileiro, criou uma crise politico e diplomatica entre o Brasil e a Indonesia, resultando na chamada ao Brasil do Embaixador brasileiro em Jacarta pelo Governo da Presidente Dilma Rousseff.

Apos a morte de Marco, a Presidente do Brasil, Dilma Rousseff, publicou um comunicado afirmando estar indignada e que essa condenacao e execucao afectaria gravemente as relacoes entre os dois paises. Ela chamou o Embaixador brasileiro para consultas.

Apos a execucao de Marco Archer, seu corpo foi cremado e suas cinzas foram entregues a uma tia e transportadas para o Brasil.

Dados pessoais de Marco Archer:

Nome: Marco Archer Cardoso Moreira.
Nascimento: Rio de Janeiro, 1961, Brasil.
Morte: Cilacap, Ilha de Java, 18 de Janeiro de 2015, Indonesia.
Nacionalidade: Brasileiro.
Ocupacao: Traficante de drogas.
                      Instrutor e Piloto de asa-delta.
Crime(s): Trafico de drogas.
Pena: Fuzilamento.
Situacao: Morto.
     





Uma pergunta que se poderia colocar era se para alem da ganancia do lucro que poderia ter com a mesma operacao de trafico Archer teria outras razoes? Ele afirmava que sim e dizia estar arrependido mas se a operacao tivesse tido sucesso, se tudo tivesse corrido bem, estaria Archer arrependido? O tempo na cadeia poderia te-lo mudado, poderia te-lo levado ao arrependimento mas claro o perdao ele ja sabia que iria ser dificil fazendo-se de arrependido poderia talvez ajudar um pouco as coisas. Se o arrependimento do antigo traficante era sincero ou nao isso so ele poderia dizer e saber.

Aparentemente Archer fez a mesma operacao em que foi detido porque tinha dividas. Porem Archer tinha tambem outra actividade de Instrutor de pilotos de asa-delta so que aparentemente a mesma actividade era apenas de fachada o que ele fazia mesmo era traficar droga para varias partes do mundo e desde os 17 anos que o fazia no entanto parece que nunca ganhou o suficiente para nao ter dividas ou o estilo de vida que mantinha era demasiado alto para um traficante de drogas. Foram 10.000 dolares que Archer recebeu para transportar a cocaina de Lima, no Peru, ate Jacarta. A quantia 10.000 dolares seria muito dinheiro no Brasil e pelos vistos Archer aceitou correr os riscos, ele conhecia o regime, as leis indonesias sabia que 10.000 dolares lhe poderiam custar a vida mas a mesma quantia aparentemente foi so o primeiro sinal a mesma quantidade de droga poderia valer em epoca alta mais de tres milhoes de dolares.



Sem duvida Archer errou mas por uma questao quanto mais nao  seja de direitos de igualdade considero se justo nao seria ser condenado na Indonesia a uma pena semelhante que um cidadao indonesio apanharia no Brasil se tivesse cometido o mesmo crime. Archer arrependido ou nao merecia uma segunda oportunidade quanto mais nao fosse ver a pena de morte alterada para prisao perpetua sem poder apelar da mesma. Na moral e conclusao da historia se um era Criminoso e Traficante e talvez ate um falso arrependido o Governo que o julgou, condenou e executou e um Governo assassino.

O Governo da Indonesia se esqueceu de toda a ajuda humanitaria que recebeu apos o sismo e tsunami que abalou o Oceano Indico ajuda essa que tambem veio do Brasil assim como esqueceu tambem os negocios entre os dois paises passando pela importacao e exportacao que envolviam milhoes de dolares. E de perguntar se a Indonesia voltar a ter uma catastrofe semelhante se e de condenar a posicao por parte de Brasilia em se recusar a ajudar humanitariamente Jacarta alegando que se recusa a ajudar um Governo assassino.

Varias foram as instituicoes de direitos humanos que apelaram ao Governo da Indonesia pelo perdao para Archer.  Os presidentes do Brasil primeiro Luis Inacio Lula da Silva ate 2011 e depois ate poucas horas antes da execucao Dilma Vana Rousseff  apelaram pelo perdao de Archer. O Governo indonesio atraves do seu recem eleito Presidente Joko Widodo preferiu manter-se firmes as promessas eleitorais do entao candidato e actual Presidente de "tolarancia zero para o trafico de drogas". Amigos de Archer tambem lancaram varios apelos pelas redes sociais tudo sem sucesso.

Archer foi o segundo dos cinco condenados a ser executado morreu com um tiro no peito e foi declarado morto 10 minutos apos a execucao. O brasileiro Marco Archer se tornou o primeiro cidadao brasileiro a ser condenado a morte e executado no exterior.

Archer queria segundo ele ganhar dinheiro para pagar as dividas de uma conta de hospital, poderia faze-lo de forma honesta escolheu o mau caminho no entanto olho a minha volta e pergunto-me onde e como foram executados os comparsas de Archer, sim e obvio que ele nao agiu sozinho. Archer queria tambem arranjar dinheiro para se retirar da actividade e o lucro da operacao seria o ideal para o fazer. Arrependido ou nao acho que pela suas palavras e mensagem que deixou aos mais jovens, avisando e alertando os mesmos para os perigos que eram as drogas, o trafico o mundo do crime em si. Creio que alguns jovens brasileiros vao ter o exemplo de Archer em sua mente e lembrar sempre de que o "Crime nao compensa".

Caro(a) leitor(a) deixo esta cronica com a sensacao de que muitos vao pensar como um certo Ministro ou Ministra da Indonesia alegando que a execucao foi justa e que Marco Archer era um criminoso e nao um heroi nao deixo de concordar com a afirmacao mas no entanto temos que ver os pros e os contras Archer errou, foi leviano sim e um facto que nao nego mas toda a vida ouvim dizer que todos merecem uma segunda oportunidade, Marco Archer Cardoso Moreira nao teve a sua segunda oportunidade, espero que tenham gostado da cronica, ate a proxima.

                                                                                                             Manuel Goncalves











 
                                         







2 comentários:

  1. Esta história dá que pensar. É preciso não esquecer que a Indonésia é um país muçulmano e que todos os crimes lá são punidos com enorme severidade, incluindo a morte. É uma história triste.

    ResponderEliminar
  2. Pergunto que direito tem um governo de condenar alguem a morte e sabido que no Brasil um cidadao indonesio jamais e condenado a morte. Sao as velhas teorias do tao grande e bondoso que e o Islao.

    ResponderEliminar