sábado, 11 de junho de 2016

Os Atentados Contra o Papa Joao Paulo II (1920-2005)



O que pode levar alguem a querer cometer um atentado, acabar com a vida de uma figura publica aparentemente caridosa como a de um Papa? Foi uma questao que vi lancada aqui a tempos num artigo que li e me deu ainda mais vontade de escrever esta cronica que ja vinha sendo planeada e constantemente adiada a algum tempo. A resposta a questao no entanto penso que seja motivos politicos ou religiosos.

Ja aqui e ate mais do que uma vez neste meu blog fiz referencia a minha excelente memoria que infelizmente ate ja esteve bem melhor e que muito me ajudou quando era um jovem estudante. Era tambem muito jovem mas uma das primeiras imagens que me lembro de ver na televisao e justamente a primeira chegada do Papa Joao Paulo II (1920-2005) a Portugal em 12 de Maio de 1982 eu tinha quase 5 anos mas recordo-me vagamente disso nao me recordo no entanto de ouvir falar no atentado do Padre espanhol Juan Maria Fernandez Krohn (c.1948). Lembro-me igualmente de outros episodios marcantes do meu padrasto estar a ouvir as noticias na radio e de dizer que tinha morrido Sa Carneiro isso a 4 de Dezembro tinha eu entao 3 anos e ainda do casamento da Princesa Diana e do Princepe Charles a 29 de Julho de 1981 ou o desastre do Vaivem Espacial Challenger a 28 de Janeiro de 1986. Eu tinha na altura 8 anos nao sabia a importancia que tinha o trabalho dos astronautas mas pela tragedia tive a certeza do quanto arriscado era o mesmo, mas deixemos isso para outras cronicas e vamos realmente ao que interessa.

O atentado ao Papa a 13 de Maio de 1981 dizem que explicou o Terceiro Segredo de Fatima e por isso o mesmo ocultado por muito tempo foi mais tarde revelado ao mundo a verdade e que nao importando se o mesmo segredo era realmente o atentado ao Papa Joao Paulo II a verdade e que desde entao ele ficou muito ligado a Nossa Senhora de Fatima e ao Santuario onde curiosamente um ano mais tarde viria a sofrer uma nova tentativa de atentado desde entao o acesso ao mesmo tornou-se mais dificultado em publico passando o mesmo a deslocar-se no conhecido Papamovel sendo o mesmo um veiculo de alta seguranca.


A primeira tentativa de assassinato contra o Papa Joao Paulo II ocorreu no dia 13 de Maio de 1981 ocorreu no dia 13 de Maio de 1981, em uma quarta-feira que ate entao estava a ser um dia normal como tantos outros, na Praca de Sao Pedro, no Vaticano. O Papa foi baleado tendo ficado gravemente ferido por Mehmet Ali Agca (1958), um jovem Terrorista de nacionalidade turca, de 23 anos na altura e Membro da Juventude Idealista sendo conhecida mais comum como Lobos Cinzentos, uma Organizacao de ideias Ultra-Nacionalistas e o Neofacistas, enquanto o Papa estava a entrar na praca. Joao Paulo II foi atingido duas vezes e sofreu uma perda de uma grande quantidade de sangue. Agca foi imediatamente detido e posteriormente condenado a Prisao Perpetua depois de ser julgado por um tribunal italiano. Mais tarde, o Papa perdoou o Terrorista pela tentativa de homicidio. Ele tambem recebeu o perdao do entao Presidente da Italia Carlo Azeglio Ciampi (1920), a pedido do proprio Joao Paulo II e foi deportado para a Turquia em 14 Junho de 2000.


Quando ele, Joao Paulo II entrou na Praca de Sao Pedro para em seguida discursar para uma audiencia que o esperava, era como de costume uma multidao de gente a sua espera em 13 de Maio de 1981, Joao Paulo II foi baleado por Mehmet Ali Agca e ficou gravemente ferido. O Terrorista era um Especialista Atirador turco que era Membro do Grupo Militante Fascista de nome Lobos Cinzentos. O Matador Profissional usou uma Pistola Semi-Automatica 9 MM Browning. Atingindo o Papa no abdomen e perfurando seu colon e intestino delgado varias vezes. Joao Paulo II foi rapidamente levado para a Poloclinica Gemelli situada em Roma. No caminho para o hospital, ele perdeu a consciencia. Joao Paulo II passou depois por uma delicada cirugia de cinco horas para tratar sua perda macica de sangue e feridas abdominais. Os medicos cirugioes que estiveram na operacao ao Santo Padre realizaram entao uma Colostomia, reencaminhando assim temporariamente a parte superior do intestino grosso para deixar que a parte danificada inferior fosse curada. Quando recuperou rapidamente a consciencia antes mesmo de ser operado, ele pediu aos medicos para nao removerem o seu Escapulario de Nossa Senhora do Carmo durante a cirugia. O Papa afirmou que Nossa Senhora de Fatima ajudou a mante-lo vivo durante todo o seu calvario.

"Eu poderia esquecer que o evento (tentativa de assassinato de Ali Agca) na Praca de Sao Pedro teve lugar no dia e na hora em que a primeira aparicao da mae de Cristo aos pastorinhos estava sendo lembrada por 60 anos em Fatima, Portugal? Mas em tudo o que aconteceu comigo naquele mesmo dia, senti a proteccao extraordinaria maternal e cuidadosa, acabou por ser mais forte do que a bala mortal". - Papa Joao Paulo II - Memoria e Identidade, Weidenfeld & Nicolson, 2005, P. 184.

Ja em 2 de Marco de 2006, uma Comissao Parlamentar Italiana, a Comissao Mitrokhin, criada pelo entao Primeiro-Ministro Italiano Silvio Berlusconi (1936) e dirigida pelo Senador da Forza Italia Paolo Guzzanti (1940), concluiram que a Uniao Sovietica estava envolvida e por tras do atentado contra a vida de Joao Paulo II, em retaliacao do apoio dado pelo Papa para a organizacao Solidariedade, o Movimento Catolico de trabalhadores, trabalhadores Pro-Democracia, uma teoria que ja havia sido defendida e apoiada por Michael Ledeen (1941) e a Agencia Central de Inteligencia dos Estados Unidos. O relatorio italiano declarou que certamento o Departamento de Seguranca da Bulgaria Comunista foram utilizados para evitar que fosse descoberto o papel da Uniao Sovietica. O relatorio afirmou que a Inteligencia Militar Sovietica (Glavnoje Razvedyvatel'noje Upravlenije) - e nao a KGB como eventualmente se pode calcular e imaginar inicialmente - foi o verdadeiro responsavel. O Porta-Voz do Servico de Inteligencia das Relacoes Exteriores da Russia, Boris Labusov, chamou a acusacao de "absurda". Embora o Papa tivesse declarado, durante uma visita em Maio de 2002, a Bulgaria, que nao acreditava que aquele pais estivesse envolvido com a tentativa de assassinato de que ele fora vitima 21 anos antes, seu Secretario, Cardeal Stanislaw Dziwisz (1939), alegou em seu livro, A Life with Karol, de que o Papa estava particularmente convencido de que a ex-Uniao Sovietica esta por tras da tentativa de assassinato de que fora vitima em 13 de Maio de 1981. A Bulgaria e a Russia contestaram as conclusoes da comissao italiana, apontando que o Papa negou a conexao bulgara.

 
Agca passou entao 19 anos em prisoes italianas, sendo depois extraditado para a Turquia apos receber um perdao da condenacao a Prisao Perpetua que recebera em 1981. Na Turquia nao teve uma sorte diferente, acabou por ser detido e condenado novamente a Prisao Perpetua pelo assalto a um banco nos anos de 1970 e pelo assassinato de um Jornalista de nome Abdi Ipecki (1929-1979) em 1979, pena depois comutada apenas para dez anos de prisao. Dois dias depois do Natal em 1983, Joao Paulo II visitou a prisao onde dois anos antes o homem que o tencionava assassinar estava a cumprir pena, a ideia era mesmo visita-lo. Os dois conversaram privadamente por 20 minutos e foi nesse encontro que Joao Paulo II publicamente perdoou Agca por o ter tentado matar.

Em 1981 internado de urgencia na Policlinica Agostini Gemelli, o Papa foi submetido a uma delicada cirugia de cinco horas e vinte minutos, com extirpacao de 55 centimetros do intestino. A 20 de Junho, 17 dias depois de ter alta, e internado novamente na mesma clinica da capital italiana, Roma, para desta vez ser tratado de uma Infeccao de Cytomegalovirus, que tinha sido originada pela operacao anterior.

Coincidentemente, os tiros disparados contra o Papa e que alvejaram o mesmo foram realizados no dia 13 de Maio de 1981. Na mesma data, em 1917, sessenta e quatro anos antes, Nossa Senhora de Fatima teria feito a primeira aparicao aos tres pastorinhos. O Pontifice sempre afirmou que a Virgem Maria teria "desviado as balas" e salvo a sua vida nesse dia. Um ano depois, a 13 de Maio de 1982 e ja totalmente recuperado, Joao Paulo II visitou pela primeira vez o Santuario de Nossa Senhora de Fatima para agradecer a Virgem o facto de o ter salvo. O Santo Padre entao ofereceu uma das balas que o atingiu ao Santuario de Fatima. Essa mesma bala foi posteriormente colocada na Coroa da Virgem, onde permanece ate hoje.

Dados do atentado:

Autor: Mehmet Ali Agca.
Vitima: Joao Paulo II.
Local: Praca de Sao Pedro, Vaticano.
Data: 13 de Maio de 1981.
Tipo de Ataque: Disparos com armas de fogo.

O Autor do Atentado confessou a Policia que teve dificuldades para mirar Joao Paulo II de forma perfeita porque no exacto momento ele segurava uma crianca. Sara ficou conhecida como a bebe de 18 meses que salvou o Papa da morte.

 
Mehmet Ali Agca, Autor do Atentado contra o Papa Joao Paulo II, a 13 de Maio de 1981, acusou no dia 9 de Novembro de 2010, o proprio Vaticano de ter estado por detras do crime.

Ali Agca culpou o Secretario de Estado do Vaticano Agostino Casaroli (1914-1998), como sendo a pessoa que supostamente arquitectou o assassinato do Papa Joao Paulo II.

"Definitivamente, o Governo do Vaticano da altura esteve por detras da intencao de assassinar o Papa. O Cardeal Agostino Casaroli, era o numero dois do Vaticano, decidiu assim", disse Ali Agca, em declaracoes exclusivas e sem duvida polemicas a Televisao Publica turca TRT.

Joao Paulo II foi atingido gravemente por tres tiros, quando era transportado num veiculo aberto, na Praca de Sao Pedro, no Vaticano, a 13 de Maio de 1981.

A ordem de execucao tera chegado atraves de um Agente do Vaticano, identificado por Agca como sendo o "Padre Michele", o mesmo tera ainda afirmado: "Pratiquei varias tecnicas de ataque com o Padre Michele e com outro Agente do Vaticano. Reuni-me muitas vezes com ele e fomos ate a Praca de Sao Pedro para planear o atentado", contou Agca.

Ali Agca explicou, ainda, que durante o encontro que teve com Joao Paulo II, em Dezembro de 1983, o Papa nao o tera questionado sobre a autoria do atentado, porque o Chefe da Igreja Catolica sabia muito bem que o Vaticano estava por detras do mesmo.


Em uma outra versao nao menos polemica a autoria do atentado que vitimou gravemente o PapaJoao Paulo II passa pelo antigo Lider da Uniao Sovietica Leonid Ilitch Brejnev (1906-1982).

O atentado contra Joao Paulo II tera sido decidido pelo antigo Lider da Uniao Sovietica e organizado pelos servicos militares sovieticos. A mesma conclusao foi avancada pelo Presidente de uma Comissao Parlamentar Italiana, o Senador Paolo Guzzanti, citado pela imprensa italiana.

O relatorio da "Comissao Mitrokhin", encarregada pelo Parlamento Italiano de investigar as actividades dos servicos secretos comunistas na Italia, durante a Guerra Fria (1945-1991).

A comissao trabalhou, principalmente, com os "arquivos" de um ex-Agente do KGB que se tera mudado para o Ocidente no inicio dos anos 90, Vassili Nikitich Mitrokhin (1922-2004).

Paolo Guzzanti cita igualmente o Juiz ant-terrorista frances Jean-Louis Bruguiere (1943), que lhe teria confiado, em Outobro de 2004, a sua conviccao de que o atentado cometido por Ali Agca em 13 de Maio de 1981 contra o Papa Joao Paulo II havia sido obra da autoria do GRU, servicos secretos militares sovieticos.

Para o Parlamentar italiano o atentado havia sido planeado pelas autoridades militares sovieticas, instruidas nesse sentido por Leonid Brejnev, entao Presidente do Comite Central do Partido Comunista da URSS.

Neste cenario, os servicos bulgaros teriam servido de "cobertura", enquanto que a Stasi, da Republica Democratica Alema (RDA), teria sido por sua vez encarregada da "desinformacao".

A 13 de Maio de 1981, o turco Mehmet Ali Agca, entao um jovem de 23 anos, disparou e feriu Joao Paulo II no abdomen, quando o mesmo era transportado num carro descapotavel, na Praca de Sao Pedro a caminho de uma audiencia. Joao Paulo II visitou pessoalmente Agca na Prisao Romana de Rebbibia, em 27 Dezembro de 1983, para manifestar-lhe o seu perdao.

Agca passou quase 20 anos da sua vida em prisoes italianas, sendo por fim depois de receber um perdao da justica italiana extraditado para a Turquia, onde foi igualmente condenado a Prisao Perpetua pelo assalto a um banco nos anos 70 e pelo assassinato do Jornalista Abdi Ipecki em 1979, pena que foi depois comutada para dez anos de prisao.

No seu ultimo livro "Memoria e Identidade", Joao Paulo II afirmava-se convencido de que Ali Agca teria actuado a mando de alguem, sem citar o nome de nenhum pais. Em 2002, na Bulgaria, Karol Jozef Wojtyła afirmou que "nunca" acreditara na pista bulgara sobre o atentado.

O Papa Joao Paulo II acreditava que uma "ideologia da prepotencia teria encomendado o atentado" executado e cometido por Ali Agca a 13 de Maio de 1981. Em "Memoria e Identidade", o Papa apresentava pela primeira vez as suas conviccoes sobre a responsabilidade por esse episodio tao marcante, talvez o mais marcante da sua vida e do seu Papado.

"Acredito que este atentado foi uma das ultimas convulsoes fas ideologias da prepotencia, que se desencadearam no Seculo XX. A violencia motivada por tais argumentos tambem se manifestou aqui na Italia: as Brigadas Vermelhas matavam homens inocentes e honestos", relatou.

Narrando depois a conversa que teve com Agca em 1983 na prisao, escreveu: "Ali Agca, como todos dizem, e um Assassino Profissional. Isto significa que o atentado nao foi uma iniciativa sua, alguem o contractou para executa-lo".

 
A Igreja Catolica surpreendeu o mundo no ano 2000 quando foi revelado o Terceiro Segredo de Fatima, que em 1917 teria aparecido para tres criancas em Portugal. Segundo a analise do Vaticano, o segredo estaria relacionado com o atentado contra o Papa.

Curiosamente, os disparos feitos contra o Santo Padre foram feito em 13 de Maio. Nossa Senhora teria feito uma das aparicoes as criancas neste dia em 1917. O Sumo Pontifice sempre afirmou que acreditava que tinha sido a Virgem Maria a ter "desviado as balas". Pouco tempo depois da sua recuperacao, Joao Paulo II foi ate Fatima agradecer por ela lhe ter salvo a vida.

Conforme divulgou o Secretario de Estado do Vaticano, Angelo Sodano (1927), o terceiro misterio anunciado pela Virgem aos pastores era a imagem de um Bispo vestido de branco que caminhava entre os corpos martires caidos ao chao, aparentemente mortos, sob uma chuva de disparos. A Praca de Sao Pedro e de facto rodeada de santos e martires. A revelacao do misterio encerrou decadas de suposicoes, muitas delas relacionando o mesmo segredo a profecias apocalipticas como o proprio fim do mundo.


Mehmet Ali Agca (Hekimham, Provincia de Malatya, 9 de Janeiro de 1958), nascido no seio de uma famila muito pobre da Turquia, Mehmet Ali Agca e um Assassino Profissional e ex-Presidiario, de origem turca, que matou em 1 de Fevereiro de 1979, matou um notavel Jornalista turco com Ideologia Politica de Esquerda, Abdi Ipekci, ficou mundialmente famoso por ter tentado assassinar o Papa Joao Paulo II em 13 de Maio de 1981, apos ter conseguido fugir de uma prisao na Turquia.

Apos a tentativa de assassinato, ele comecou a servir sua sentenca em uma prisao em Italia, havia sido condenado a Prisao Perpetua. Dezanove anos depois em 14 de Junho de 2000 ele depois de receber o perdao da Justica Italiana foi deportado para a Turquia. Agca foi tambem logo em 1983 visitado pelo Papa Joao Paulo II e entao se decidiu converter ao Catolicismo. Logo depois de ter sido deportado ele serviu mais uma pena de cadeia por mais 10 anos onde acabou por obter um novo perdao visto que a mesma pena seria de Prisao Perpetua. Agca foi finalmente solto em 18 de Janeiro de 2010 e com quase 52 anos havia passado 29 anos em prisoes desde que tentara assassinar o Papa em 13 de Maio de 1981, foram quase 3 decadas em nao tenho duvidas dariam um bom livro de memorias e certamente Ali Agca ainda escrevera o seu livro de memorias, sua Biografia quanto mais nao seja para contar de uma vez por todas toda a verdade e creio que so nao o fez ainda porque tudo isso envolve gente demasiado importante. Agca se descreveu um Mercenario e Terrorista sem afiliacoes politicas, embora acredite-se que tenha feito parte do Grupo Ultra-Nacionalista Turco Juventude Idealista mais conhecido como Lobos Cizentos.

Em 27 de Dezembro de 2014, trinta e tres anos apos o crime que cometeu, Mehmet Ali Agca voltou ao Vaticano no exacto dia em que fazia 31 anos que o Papa o visitara na cadeia e o perdoara tambem quatorze anos depois de ter sido deportado da Italia e quatro anos depois de ter sido libertado na Turquia ele voltou ao Vaticano e depositou dois ramos de rosas no tumulo de Joao Paulo II.


O turco Mehmed Ali Agca tinha somente 23 anos quando tentou matar Joao Paulo II no dia 13 de Maio de 1981, mas ja levava uma morte nas suas costas, o assassinato do Jornalista Abdi Ipekci em seu pais de origem, Turquia.

Quase conseguiu matar, tambem, o Papa, alvejando o mesmo a tiro quando o mesmo atravessava a Praca de Sao Pedro, no meio de uma multidao em um carro descapotavel.

Alguns meses depois, Agca, foi condenado a cumprir uma Prisao Perpetua e levado para o Presidio de Montacuto de Ancona. Joao Paulo II o perdoou ainda no leito do hospital, onde se recuperava dos graves ferimentos causados pelo atentado, e o visitou na prisao no dia 27 de Dezembro de 1983. O Papa tambem recebeu a mae do Terrorista em 1985 no Vaticano.

Ja em Marco de 1999, Agca escreveu ao Embaixador da Turquia em Roma onde lhe disse que tinha saudades da sua terra e que queria cumprir a pena pela morte do Jornalista Abdi Ipekci que matara vinte anos antes na sua terra natal.

Nascido em 9 de Janeiro de 1958, no meio de uma familia muito pobre de Hekimham, Provincia de Malatya (Leste da Turquia), Ali Agca certamente teve tudo menos uma vida facil na infancia e adolescencia no entanto ainda estudou na Faculdade de Ciencias Economicas de Istambul, onde comecou a se relacionar com integrantes da Extrema-Direita Nacionalista. Foi Militante na Organizacao virada para jovens "Os Idealistas", com ligacoes proximas ao Partido de Accao Nacional, cujo o seu Lider, o ex-Coronel Aspalan Turques, foi preso no momento do Atentado na Praca de Sao Pedro.

Segundo Anna Maria Turi, que redigiu a Autobiografia de Ali Agca "Minha Verdade", publicada em 1996, ele estaria mais dominado pela ideia de suicidio e de fuga do que pelo assassinato do Papa antes do atentado de 1981. Entretanto, nao e o que mostram os relatos pregressos sobre o ex-Membro do Movimento Radical turco "Lobos Cinzentos".

Ali Agca ja havia estado preso na Turquia, no dia 25 de Junho de 1979, acusado do assassinato de Abdi Ipecki, Chefe de redaccao do Jornal Milliyet.

Durante o interrogatorio Ali Agca, deu impressao de que era um homem determinado, decidido e de sangue frio. "Nao sou nem de Direita nem de Esquerda. Sou um Terrorista Independente", disse na mesma epoca.

Antes do Julgamento, escapou da prisao, no dia 25 de Novembro. Foi entao condenado a revelia. Depois de fugir, telefonou e escreveu varias vezes a imprensa para afirmar que seu unico objectivo era "matar o Papa Joao Paulo II", que deveria visitar a Turquia dentro de tres dias e assim foi o Papa esteve na Turqui durante 28 de Novembro e 30 de Novembro de 1980. Nao conseguiu porem atentar contra a vida do Papa na mesma ocasiao. Deixou a Turquia e esteve na Libia, em 1980, antes de viajar para Roma, onde esteve bem perto de ter sucesso nas suas intencoes.


Dados pessoais de Ali Agca:

Nome: Mehmed Ali Agca.
Nascimento:Hekimham, Provincia de Malatya, Turquia, 9 de Janeiro de 1958.
Crimes: Roubos.
               Furtos.
               Assassinato de Abdi Ipecki.
              Tentativa de Assinato contra Joao Paulo II.
Condenacoes: Prisao Perpetua pela tentativa de Assassinato ao Papa Joao Paulo II pena da qual recebeu o perdao em 2000 e cumpriu somente 19 anos entre 1981 e 2000 seguindo extraditado para a Turquia.
                        Pena de 10 anos pelo assassinato de Abdi Ipecki na Turquia que cumpriu entre 2000 e 2010.

Creio que a verdade toda a verdade do que realmente se passou so sera revelada apos a morte de Agca. O proprio mudou varias vezes de versoes e tambem afirmou o mesmo reconhecendo ele proprio mesmo facto acusando por vezes o Vaticano e por vezes ate o proprio Grande Aiatola Ruhollah Musavi Khomeini (1902-1989). Um grande segredo ele deve esconder que jamais sera revelado enquanto for vivo. Muitas perguntas estao sem resposta como por exemplo onde Agca obteve a arma do crime? E porque razao nao falou tudo o que sabia e preferiu ele sozinho pagar pelo crime? Ele proprio afirmou certa vez que estava a escrever um livro onde contaria toda a verdade ate ao momento tinha contado talvez mais de 50 historias mas eram todas falsas.

E sem duvida um acto de sangue frio cometer-se um crime assim a partida quem o comete numa praca com milhares de pessoas sabe que nao vai conseguir escapar e colocar-se em fuga no entanto sabe que a justica tera mao pesada nao apenas pela tentativa de atentado mas pela mesma tentatica ser contra um Papa, ainda para mais em Italia um pais tao Catolico. Acho e estranho alguem que se diz Catolico certa vez afirmar que o Vaticano era o deposito de lixo da Historia e o Quartel-Genaral do Diabo.

Ali Agca depois de ser solto fez declaracoes polemicas e insolitas ainda para mais vindo de alguem que se converteu a Catolicismo o mesmo afirmou ser "Cristo Eterno" e ja anteriormente se proclamara "O Novo Messias". Ainda chegou a afirmar que com ele a atentar contra a vida do Papa ajudou a realizacao de um milagre assim como afirmou que o atentado ajudou a revelacao do Terceiro Segredo de Fatima.

Parece-me estranho que Ali Agca tenha conseguido sair da Turquia quando era procurado pela policia por ter fugido da prisao. Penso que isso so poderia ser possivel com ajuda da propria policia, dos servicos secretos e do Servico de Estrangeiros e Fronteiras. A ida a Libia pode ser a chave do misterio ate onde a mesma foi um ponto de passagem ou tera sido antes um ponto de referencia para receber as ultimas ordens para a realizacao do atentado. A Libia era governada pelo Ditador Muammar Abu Minyar al-Gadafi (1942-2011) desde 1969 e o mesmo tambem nao morria de amores pela Igreja Catolica seria o Ditador o mandante do atentado? O certo e que para rumar da Turquia a Italia bastaria a Ali Agca seguir da Turquia ate a Grecia, passar pela Ilha de Malta e seguir para a Italia isso com escalas mas podia seguir perfeitamente directamente da Turquia para Italia pelo Mar Mediterraneo. Tambem me parece estranho que tenha atravessado varios paises com uma arma pelo que creio que a mesma lhe foi fornecida ja em Italia, por quem? So ele pode dize-lo.

 
Diz o ditado popular que nao ha duas sem tres e neste caso em causa so nao chegou a tres porque foram tomadas precaucoes de ordem maxima e o Papa Joao Paulo II passou a andar quase sempre dentro de um carro de alta seguranca rodeado de vidros a prova de bala na qual deslocavam o Papa nas suas aparicoes publicas. Tornou-se muito mais dificil chegar ate proximo do mesmo e creio que foi isso que conseguiu manter o seu pontificado tao longo e falecer de doenca de outra forma creio que outros atentados haviam de vir.

Um ano depois do Atentado na Praca de Sao Pedro no Vaticano em 13 de Maio de 1981 Joao Paulo II desloca-se a Portugal para agradecer a Nossa Senhora o facto de o ter salvo do atentado e ai no Santuario de Fatima e novamente vitima de outro atentado esse sem consequencias fisicas graves para o Papa ja que a Policia e os segurancas do Papa conseguiram agir a tempo depois de se aperceberem do que se estava a passar e que havia algo de errado e ao deterem o homem vestido de Padre e que era de facto um Sacerdote que por varias vezes insistira aproximar-se de Joao Paulo II viram que estavam certos por terem impedido o mesmo de se aproximar do Santo Padre.


Dia 13 de Maio de 1982, passam ja 34 anos sobre a tentativa de matar o Papa Joao Paulo II durante a sua visita ao Santurio de Fatima embora o mesmo nao tivesse tido as consequencias do anterior sobretudo para a saude do Papa nao deixou de ser marcante e deixou o aviso, ate quando iriam fracassar os atentados ao Papa se nao fossem tomadas medidas duras de modo a protege-lo?

O mesmo atentado de 1982 acontece exactamente um ano depois do anterior, mas no Vaticano. O Papa passou quase um ano em recuperacao devido a ter ficado bastante debilitado devido a gravidade dos ferimentos e tambem a idade do Santo Padre, ficou fragilizado sobretudo porque fez tambem varias cirugias; para agradecer ter sobrevivido, decidiu vir a Fatima. Onde entre muitos outros na multidao o esperava entao o Padre espanhol Juan Maria Fernandez Krohn, ordenado na Suica pela Sociedade do Santo Pio X.

Joao Paulo II havia chegado ao Santurio, para agradecer pessoalmente a Nossa Senhora de Fatima por lhe ter salvo a vida e protegido seu coracao. De repente eis que do nada contra a ele desferida uma faca do tamanho de uma pequena espada pelo Padre Krohn. O mesmo foi impedido de imediato pelos segurancas presentes que ja o tinham como suspeito pela forma como se movimentava e se tentava aproximar do Papa.

O actual Cardeal Metropolitano de Cracovia e ex-Secretario Particular de sua Santidade o Papa Joao Paulo II revelou anteriormente: Um ano apos o Atentado na Praca de Sao Pedro, o Papa Joao Paulo II viajou ate Fatima, em Portugal, para ali agradecer a Nossa Senhora a graca concedida. E agora ele era ferido uma segunda vez. Porque o Papa escondeu tal facto e o manteve como sendo um segredo? No inicio do seu pontificado, em 1978, ou ja em 1979, Joao Paulo II recebeu em uma audiencia o Bispo portugues Dom Alberto Cosme do Amaral (1916-2005) na altura Bispo de Leiria-Fatima (1972-1993). Joao Paulo II pediu para que o Bispo lhe mostrasse no mapa onde estava Fatima. O Papa polaco - admiravel - nao se interessava anteriormente ao atentado de 1981 pelo culto a Nossa Senhora de Fatima.

Porque o convite feito para visitar Fatima, o qual foi feito pelo Bispo Alberto Amaral, e tratado com tanta trivialidade? Para ir a esta pequena, e ate entao desconhecida Fatima, ele nao aceitou. Em Janeiro de 1982 o Bispo insistiu de novo no convite. Entao, na senha "Fatima", o Papa voltou atras em seus planos nos protocolos diplomaticos colocados em suas maos.

O Papa ainda fragil do Atentado de 13 de Maio de 1981 e convalecendo chama o seu amigo e Professor polaco Stefan Swiezawski (1907-2004) para falarem sobre a coincidencia de datas, entre a Aparicao de Fatima, em 13 de Maio de 1917, e o Atentado no Vaticano, em 13 de Maio de 1981. Joao Paulo II e Swiezawski tomavam juntos o Pequeno-Almoco no Castelo Gandolfo, conhecido como a residencia de Verao do Papa. Entao Swiezawski, lembra: "Isto foi naquele dia, naquela hora, naquele minuto!". Milagre? Nao! O Papa apenas estava convencido, que Nossa Senhora lhe tinha salvo a vida na Praca de Sao Pedro, onde o turco Ali Agca havia disparado contra ele.

O Papa promete entao ao Bispo Alberto Amaral que iria a Portugal, no aniversario do atentado, dali a quatro meses. Joao Paulo II comeca rapidamente a aprender o idioma portugues. Em Marco chega uma Delegacao do Vaticano a Portugal liderada pelo Nuncio Apostolico Sante Portalupim. Em Coimbra se encontram com Lucia de Jesus Rosa dos Santos (1907-2005) a unica vidente das aparicoes ainda viva e mais conhecida como Irma Lucia, que se havia tornado numa Freira Carmelita.

Para ela e seus dois primos Francisco de Jesus Marto (1908-1919) e Jacinta de Jesus Marto (1910-1920), em 1917, sobre um carvalho na Cova da Iria, nos arredores da cidade de Fatima, lhes apareceu Nossa Senhora. A mesma delegacao volta a Roma com uma mensagem da Irma Lucia para o Papa, que ira revelar o Terceiro Segredo. A grande hierarquia da Igreja reage dizendo que nao aceita a proposta da Irma Lucia. Somente Joao Paulo II nunca quis ouvir qualquer critica a Lucia. Apesar da posicao dos seus cardeais, Joao Paulo II queria ouvir o que Maria teria dito. Este e o famoso Terceiro Segredo de Fatima: A bala que iria atingir a cabeca do Papa foi desviada naquele 13 de Maio de 1981, na Praca de Sao Pedro. O Papa ja estava restabelecido, forte, quando na Praca de Sao Pedro, diante da Basilica de Nossa Senhora das Rosas em Fatima, ouve do Bispo Alberto: "Ninguem no mundo, ama-o mais do que aqui".

Entre milhares de peregrinos ali presentes, esta o espanhol, de 32 anos de idade, Juan Maria Fernandez Krohn, Padre da Irmandade Pio X, Ordem Religiosa dirigida pelo Bispo frances Dom Marcel Lefebvre (1905-1991). Em logica de teoria Krohn nem poderia ter ido a Fatima para rezar junto com Joao Paulo II. Nao acreditando nos conselhos da Igreja, no ecumenismo, na renovacao, nao faria sentido estar ali presente pelo menos de boa fe e com boas intencoes. Ele nao acreditava no Papa. Segundo um velho conhecido seu, Krohn "e um desqualificado intelectualmente". Enquanto isso, a procissao de se aproxima da Capela da Anunciacao junto ao altar principal da basilica. Joao Paulo II livre sobe as escadas. Krohn vestido com roupa preta sob o habito tambem preto vai empurrando a multidao e avanca para a frente, os segurancas notam algo estranho e o miram, o espanhol se lanca sobre o Papa com uma faca do tamanho de uma pequena espada. E grita: "Fora com o Papa!". Tenta ferir o Papa no coracao com a mesma arma. O Seguranca Papal Camillo Cibin (1926-2009) e os agentes de seguranca portugueses ali presentes rapidamente detem o agressor. O Papa se volta para Krohn e apesar de tudo o abencoa (essa bencao pode ser encarado como o perdao que Krohn diz nunca ter recebido do Papa ao contrario de Ali Agca). "Eu acuso voce pela queda da Igreja. Morte ao Concilio Vaticano II". Diz Krohn a Joao Paulo II no momento em que o mesmo estava diante de si. Foi tudo tao rapido que a maioria das pessoas ali presentes nao se deram conta do que estava acontecendo. O Papa celebra, abencoa os fieis, ninguem pode supor, o quanto isto lhe custa. Dias depois no Jantar do Cardeal Agostino Casaroli, Chefe da Diplomacia do Vaticano, transmite uma mensagem do Papa, aos membros da Secretaria de Estado, onde pergunta algo sobre o atentado, e estes rezaram durante toda a noite. "Posso disso entender, que afinal a Secretaria de Estado comecou a rezar?". Foi a piada do Papa.

Por mais de 26 anos, este foi um facto escondido, so em 2010 o Cardeal polaco Stanisław Dziwisz decidiu revelar mais este segredo (para muitos chamado do Quarto Segredo de Fatima), o do Atentado de Fatima.

Para o Produtor do Filme "Swiadectwo", Przemysław Hauser, a revelacao do Cardeal Dziwisz foi como que um choque. "Pensei que cairia da cadeira, quando ouvi. Nao lembro, qual dia de gravacao isto aconteceu, pois trabalhavamos de manha a noite. Perguntamos sobre o Segredo de Fatima, quando espontaneamente o Cardeal comecou a falar este Segundo Segredo de Fatima", nao aqueles que foram revelados e guardados pela Irma Lucia, mas deste "do atentado do espanhol Juan Fernandez Krohn".

Juan Fernandez Krohn foi detido, preso, julgado e condenado em Portugal a 6 anos e meio pelo atentado e a mais 6 meses por insultar o Juiz que o julgara. No processo do julgamento afirmou que Karol Wojtyla (nome original de Joao Paulo II) tinha sido um Agente Comunista, o qual se havia sentado no Centro do Vaticano. Cumpriu apenas tres anos de pena (o que equivale a menos seis meses da metade ja que se pode verificar que foi condenado a sete anos). Ja livre em Portugal, viajou para a Belgica. Ja sem ser Padre casa com uma Jornalista portuguesa, com a qual se correspondia sobre a sua situacao quando estava na cadeia a cumprir pena. Ja em 2000, foi detido em Bruxelas, por se ter dado como comprovado o seu envolvimento num atentado contra o Rei da Belgica, Alberto II (1934) e de Espanha Juan Carlos I (1938). E novamente condenado e passa mais cinco anos na prisao. Actualmente Krohn conduz um blog, no qual escreve sobre a Politica Espanhola, sobre a Guerra Civil de 1936, Literatura e Religiao.

O ex-Padre dissidente actualmente vive em Bruxelas. Juan Fernandez Krohn certa vez escreveu em seu blog "Se feri Joao Paulo II em Fatima... isto esta claro para mim, ao contrario de Ali Agca ele nao me perdoou nem mesmo antes do relaxamento de minha prisao, nem depois. Mas isto e mentira de que eu o feri".

Quando, numa quarta-feira, antes da estreia do Filme "Swiadectwo", no Vaticano para o Papa Bento XVI (1927), a agencia internacional de noticias propaga sobre o Segredo do Atentado de Fatima, Krohn reage com duras palavras e acusacoes: "Em primeiro lugar, e mentira. Em segundo, isto e uma cegueira e uma escandaloza hipocrisia... Em terceiro, muito me estranha, porque so agora este Bispo polaco revela isto, se escondeu durante 25 anos. A pergunta surge, porque revelar isto, quando a opniao publica do seu pais esta em choque com a revelacao de que membros da hierarquia da Igreja na Polonia, serviram aos servicos de seguranca comunistas". Eles temiam que aquela faca estivesse envenenada. 


O Sub-Chefe Ramalhete era um dos Guarda-Costas do Primeiro-Ministro Francisco Jose Pereira Pinto Balsemao (1937). A Policia portuguesa prepara nesse ano a primeira visita a Portugal do Papa Joao Paulo II. Ramalhete e chamado a integrar a operacao de seguranca, chefiando duas equipas de elementos da PSP que iam proteger o Santo Padre - uma em Fatima e outra em Coimbra.

Catolico, com 34 anos e cheio de amor pela profissao, o Subchefe nao imaginava, quando foi chamado a integrar a missao, que acabaria por ser ele a salvar a vida ao Sumo Pontifice. Momentos que nunca mais esquecera.

O homem da PSP que evitou que o Santo Padre fosse apunhalado em Fatima resistiu tres vezes as tentativas do Padre Krohn. A terceira foi de vez. Deitou-o ao chao e retirou-lhe o punhal.

<<Era um punhal com 37 cetimetros de comprimento e 25 centimetros de lamina>>. A arma com que o Padre Krohn sem exito tentara atingir o Papa, um punhal considerado Arma Militar, ainda hoje o mesmo e guardado pela Policia Judiciaria. Mas a Historia do atentado que o Santo Padre sofrera em Fatima comeca uns minutos antes da apreensao do mesmo sabre.

Eram 22.45 <<O Papa tinha saido da Capela das Aparicoes e seguia ja no Jipe em direccao ao Altar Mor>>. No corredor onde o veiculo passa, nao era permitido a entrada de ninguem, excpeto os homens da seguranca e alguns religiosos. Juan Fernandez Krohn, entao um ainda desconhecido Padre espanhol, furou o esquema de seguranca e entrou no corredor proibido.

<<De repente o Padre salta a vedacao mas nem consideramos muito grave porque era um Padre. Achamos que era um Padre emocionado que queria tocar no Papa>>. Conta o ja Subcomissario Ramalhete. Mas era grave. Era grave porque Krohn nao era um Padre qualquer. Fazia parte de um movimento integrista da Igreja Catolica - a Fraternidade Sao Pio X, cujo Fundador, Monsehor Marcel Lefebvre, provocou depois um cisma, ao ordenar bispos contra a autoridade do Papa. Esta foi, alias, a unica ruptura oficial vivida por Joao Paulo II a frente dos destinos do Vaticano e da Igreja.

<<Tentou saltar o cordao de seguranca tres vezes. Eu estava entre os que formavam o cordao de seguranca mais proximo do Papa, a uns tres metros dele. Ele tentou passar pelo meu lado e eu impedi-o. Mais a frente tentou novamente forcar o cordao. Eu nao o deixei, dei-lhe uma cotovelada. Quando o Papa vai a chegar ao altar, [Krohn] lancou-se sobre o meu braco direito e gritou umas palavras agressivas sobre Comunismo ou qualquer coisa como "Abaixo o Vaticano">>. O Jovem Policia provoca de imediato a queda do Padre Krohn e so quando ja esta derrubado sobre as escadas e que e possivel e se torna visivel o punhal que o mesmo tem em suas maos.

<<O Papa ainda voltou atras e deu-lhe a bencao, fez-lhe o Sinal da Cruz. E [Krohn] ainda voltou a dirigir palavras ofensivas ao Papa>>.

Apesar de ter conseguido, nao por uma ou duas mas sim por tres vezes seguidas, evitar que o atentado se concretizasse, o Subcomissario sublinha que foi <<um trabalho de equipa>>. Mais tarde prestou declaracoes na Policia Judiciaria. O Padre Krohn, de 32 anos, <<era alto, magro e fisicamente bem constituido>>. E julgado no Tribunal de Ourem e condenado a sete anos de prisao. Acaba por cumprir nem metade da pena e ao fim de tres anos e libertado por bom comportamento.

As palavras minuciosas com que o Oficial reformado da PSP descreve todo o caso revelam que esta foi uma das operacoes mais marcantes da sua vida embora assuma que nao tenha sido a unica.


Juan Maria Fernandez Krohn (ca. 1948) e um ex-Padre Catolico e Advogado espanhol que tentou assassinar Joao Paulo II em 1982 durante a sua deslocacao ao Santuario de Fatima.

Foi ordenado Sacerdote na Sociedade de Sao Pio X num Seminario em Econe, uma aldeia na Suica, em 1978. Depois do atentado contra Joao Paulo II Krohn foi excomuncado da Sociedade e tambem porque ele abriu uma guerra aberta em oposicao ao Arcebispo Marcel Lefebvre mas o seu modernismo foi demaisiado fraco.

Em 12 de Maio de 1982, ele tentou embora sem exito cometer um atentado sobre o Papa Joao Paulo II, em Fatima, Portugal. Nao ficou esclarecido se ele chegou a conseguir ferir o Papa ou nao. Durante o julgamento, ele disse que se opos as reformas do Vaticano II e que ele acreditava que o Papa Joao Paulo II tinha uma ligacao com a Uniao Sovietica e que era ate mesmo um Agente Secreto Comunista tentando corromper o Vaticano. O ataque ocorreu na vespera do primeiro aniversario da tentativa de assassinato por parte de Ali Agca contra Joao Paulo II, na qual o Papa foi baleado e ficou com ferimentos criticos.

Krohn recebeu uma sentenca de sete anos, embora tenha cumprido apenas tres anos, e, em seguida, foi expulso de Portugal, partiu entao para a Belgica numa altura em que ja havia abandonado o sacerdocio.

Depois de 2000, ele tem dividido o seu tempo entre a Belgica e Espanha, actualmente e conhecido por ser um perito na Arte e na Literatura do Periodo da Guerra Civil Pos-Espanhol 1939-1990.

Dados pessoais de Juan Maria Fernandez Krohn:

Nome: Juan Maria Fernandez Krohn.
Nascimento: Espanha, cerca de 1948.
Nacionalidade: Espanhol.
Ocupacao: Advogado, ex-Padre.
Crimes: Atentado contra Joao Paulo II, Ofensas a Juiz durante julgamento.

Dados do Atentado:

Autor: Juan Maria Fernandez Krohn.
Vitima: Joao Paulo II.
Local: Santuario de Fatima, Portugal.
Data: 12 de Maio de 1982.
Tipo de Ataque: Tentativa de esfaqueamento.

Quase a finalizar esta cronica acrescento que nao creio que o atentado do Padre Krohn alguma vez possa estar ligado a um suposto Quarto Segredo de Fatima. Nao acredito tambem que o mesmo tenha ferido o Papa, se assim fosse haveria sangue no chao, na arma, etc e parece que nao foi bem assim que as coisas foram. Creio que o suposto segredo nao passa de uma criacao de alguem para defender uma tese qualquer.


Ao contrario de Ali Agca creio que Krohn agiu por conta propria e decisao pessoal e vejo o seu acto apenas como uma acto de alguem que poderia sofrer de perturbacoes mentais apenas isso.

Em relacao a Ali Agca o caso e diferente. Um Assassino Profissional nao agiria por sua decisao pessoal e sozinho num caso destes. A minha ideia e que Agca recebeu ordem para matar Joao Paulo II por parte de alguem muito importante assim como creio no envolvimento do falecido Lider da Libia Muammar Abu Minyar al-Gaddafi e a unica razao que vejo para a deslocacao de Agca a Libia antes de partir para Italia e cometer o atentado.

Em relacao ao atentado de Agca creio que o Vaticano esta envolvido no mesmo ate a raiz dos cabelos. A justficacao e simples, certamente muitos cardeais italianos nao ficaram satisfeitos com o resultado final do segundo Conclave de 1978 e da eleicao do entao Karol Jozef Wojtyla que era ainda um ilustre desconhecido e que viria a tornar-se Joao Paulo II. A ideia ou pelo menos desejo dos cardeiais italianos era eleger um dos seus mas embora com muita forca nao estavam em condicoes para decidir isso por si mesmos. A forte disputa entre Dom Giuseppe Siri (1906-1989) e Dom Giovanni Bennelli (1921-1982) estava a dividir a todos e eram os ultraconservadores (Siri) contra os liberais (Bennelli) nenhum estava a levar a melhor e a ser eleito.

Karol Wojtyla comeca a receber o apoio dos cardeais europeus-nao italianos, e dos norte-americanos e consegue ser eleito conseguindo algo que nao existia por mais de 4 seculos e meio mais exactamente 456 anos o ultimo Papa nao-italiano antes de Joao Paulo II tinha sido o Romano-Germanico Adriano Floriszoon Boeyens (1459-1523) que viria a tornar-se Adriano VI em 1522 ate a sua morte um ano depois. Desde entao a tradicao mantinha-se e o Papa eleito fosse quem fosse era sempre de nacionalidade italiana. Joao Paulo II foi eleito com 99 votos dos 111 cardeais eleitores no conclave mas creio que o clero italiano limitou-se a respeitar a mesma decisao embora nao a aceitasse de todo e creio que o facto de Joao Paulo II vir de um pais de Leste e ligacoes comunistas tambem nao ajudou muito. A unica forma de mudarem as coisas era livrarem-se de Joao Paulo II e dai a razao do atentado.

Nao quero acusar ninguem apenas mostro os meus pontos de vista e sobretudo revelo a minha opniao e um direito proprio e posso ate estar bastante errado, nao sou perfeito mas tambem a minha opniao e por sinal igual a de muitos.

Caro(a) leitor(a) esta e mais uma das cronicas que tem tudo para ficar na Historia do blog e na Historia das cronicas do ano 2016, espero que tenha sido do seu agrado e igualmente espero um encontro para breve, ate a proxima.

                                                                                                             Manuel Goncalves












 
 
 




Sem comentários:

Enviar um comentário